A Municipalização do Sistema Educacional Brasileiro

Publicado em: 17/08/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 5,036 |

O Binômio descentralização globalização como parte da estratégia do Neoliberalismo

 

A partir da década de 70, após a promulgação da Lei 5692/71, a política educacional para o ensino de 1º grau foi traçada no âmbito de projetos federais implantados sobre tudo em estados do nordeste, com objetivo de induzir a municipalização do ensino, transferindo encargos para o município, sem que se efetivasse um investimento financeiro satisfatório nessa instância.

A descentralização está articulada ao processo de globalização que ocorre tanto a nível da economia, como a nível da difusão da ideologia neoliberal, cuja implicações tem sido contribuir para a desconstrução dos Estados Nacionais e dos seus sistemas educacionais.

A municipalização faz parte das estratégias do capitalismo para o processo de organização e funcionamento dos sistemas educacionais, contribuindo paulatinamente para a sua desconstrução dos paises capitalistas periféricos da América Latina.

 

 

A descentralização pela via da municipalização do ensino no Brasil

 

A municipalização do ensino como outra modalidade de descentralização, foi se concretizando, a partir da vinculação de recursos do Fundo de Participação dos Municípios para aplicação em educação; e do reforço à estrutura técnica e administrativa municipal para a ação educacional.

O projeto de maior destaque desenvolvido pelo Ministério da Educação e Cultura, a partir de 1974, foi o Projeto de Coordenação e Assistência Técnica ao Ensino Municipal (promunicípio), tendo como finalidade solucionar os problemas do ensino municipal.: inexistência ou inadequação de serviços municipais de educação; insuficiência de recursos humanos e financeiros; carência de rede física; predominância de professores não titulados; altas taxas de repetência escolar; elevadas taxas de evasão; acentuada distorção idade-série; grande número de escolas unidocentes; com classes multisseriadas; currículos e programas inadequados. O objetivo geral do Promunicípio era o aperfeiçoamento do ensino de 1º grau, mediante ações articuladas entre as administrações estadual e municipal.

O Promunicípio foi concebido como instrumento que viabilizaria as condições para que o município assumisse a responsabilidade como o ensino de 1º grau, enquanto ao Estado caberia definir diretrizes gerais, prestar assistência técnica e cooperação financeira.

A descentralização da educação para o nível municipal sem a reforma tributária seria um obstáculo ao cumprimento da determinação legal pelos municípios na avaliação do IBAM, do MEC e do próprio Ministro da Educação Eduardo Portella em 1980, que dizia:

 

“O aparato legal que entregou o ensino de 1º grau aos Municípios e o 2º grau aos Estados não percebeu, ou não quis perceber, que estava empacotando o maior presente de grego de toda a história da educação brasileira. Principalmente porque esta delegação coincidia no plano tributário, com providencias altamente centralizadoras” (Portella, 1980)

 

Na pesquisa do IBAM em 234 municípios, ficara evidente que os municípios e médios haviam sido minoritários no processo de seleção do Promunicípio, reforçando a situação de discriminação que privilegia os municípios que reuniam condições financeiras mais favoráveis e agravando o quadro da educação no meio rural nos municípios das áreas mais carentes, identificando como muito crítico em relação ao atendimento da demanda, ao rendimento escolar, à habilitação dos professores leigos, à evasão escolar, falta de recursos didáticos e equipamentos, à remuneração do professor, os conteúdos e os métodos de ensino, à interferência de padrões clientelísticos no repasse de recursos feitos pelas Secretarias de Educação aos municípios.

O Banco Mundial prestou assessoria para a elaboração deste programa, de modo que ele se adequasse também aos seus interesses, inclusive de realizar o financiamento necessário através de novos empréstimos.

O projeto está centrado na melhoria da qualidade e no fortalecimento da unidade escolar, estão definidas a diretriz estratégica e as diretrizes orientadoras de curto e médio prazo.

A diretriz estratégica seria: novos padrões de gestão para o fortalecimento da unidade escolar, a partir da elaboração de um projeto institucional que reúna as condições financeiras, administrativas e pedagógicas adequadas para garantir a concretização das metas de melhoria qualitativa de ensino.

As diretrizes a curto e médio prazo compreendem: a) racionalizar e dinamizar o uso do espaço físico com classes completas em todas as séries; b) insumos básicos (material permanente, didático, de apoio, de consumo, livros de texto, entre outros); c) capacidade de gestão e tomada de decisão no âmbito da unidade escolar, para que decida as estratégias e recursos para melhoria de sua organização; d) condições de trabalho, carreira e capacitação de recursos humanos.

 

 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

 Acredita-se que, a Municipalização da Educação produz um efeito desagregador das redes municipais, afetando diretamente a expansão e a qualidade do ensino.

O que se constatou na pesquisa realizada que apesar dos investimentos volumosos dos programas e projetos federais, prevalecem as características de uma rede de escolas municipais, nas quais a qualidade alcançada é tão precária quanto a maior parte das escolas da rede estadual.

É de fundamental importância que o município seja compreendido como parte constituinte de um sistema maior. Portanto, somente a articulação nacional dos municípios numa perspectiva progressista poderá possibilitar o estabelecimento de uma correlação de forças mais favorável ao atendimento das prioridades educacionais definidas num Plano Nacional de Educação.

Significa que a estruturação e o funcionamento de um sistema nacional de educação estão compreendidas no âmbito das lutas políticas e que compete aos educadores potencializá-las no atual momento da conjuntura brasileira.

 

BIBLIOGRAFIA

OLIVEIRA, Dalila Andrade. Gestão Democrática da Educação – desafios contemporâneos. Editora Vozes, 1997.

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 8 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/a-municipalizacao-do-sistema-educacional-brasileiro-525091.html

    Palavras-chave do artigo:

    descentralizacao

    ,

    municipalizacao

    ,

    politicas educacionais

    Comentar sobre o artigo

    Sobre as reformas educacionais no Brasil, é possível alinhá-la ao agravamento da crise pela queda de arrecadação de impostos, e, em vista da escassez de recursos públicos para alavancar o desenvolvimento da economia, que sempre esteve vinculada na capacidade da União de atender as questões sociais, investir em obras e serviços de infra-estrutura. Este artigo pretende discutir as reformas educacionais à luz de um contexto de neoliberalismo e dglobalização.

    Por: Neide Pena Cárial Educação> Ciêncial 26/06/2011 lAcessos: 1,716

    O atual artigo propõe refletir os principais aspectos pertinentes à discussão teórica do Estado Nacional, nos aspectos gerais e, a formação filosófica do Estado brasileiro, no aspecto particular.

    Por: Shirley da Rocha Afonsol Educaçãol 12/09/2009 lAcessos: 14,497 lComentário: 3

    O artigo é uma reflexão preliminar que faz parte de uma pesquisa mais ampla em que se busca investigar a parceria entre setor público e privado na área educacional para uso de material didático apostilado. O estudo se baseia em pesquisas já realizadas sobre o tema e nos dados coletados. A pesquisa inicial demonstra que, em nível global, a parceria público-privada faz parte de um conjunto de estratégias utilizadas pelos governantes para o enfrentamento da crise do capitalismo moderno.

    Por: Neide Pena Cárial Educaçãol 06/07/2011 lAcessos: 767

    O presente artigo versa sobre o direito à saúde no Brasil. Inicialmente será feito uma explanação da saúde junto ao (SUS) o qual tornará possível um melhor entendimento de um direito que está garantido na nossa Constituição Federal. Para tanto será feito uma breve abordagem da história da saúde no Brasil, e implementações das políticas públicas para garantia de direito à saúde. Por fim será feito uma analise da Lei nº 8.080/90 e as políticas de saúde junt

    Por: Vitoria Dantas Silval Direitol 14/08/2014

    Ánalise do Gasto Público em Educação com enfoque em transparência fiscal e técnica contábil.

    Por: Daniella Figueroal Direitol 08/06/2012 lAcessos: 52

    Este estudo focaliza a formação do professor na educação infantil, visando analisar como ocorre esta formação num contexto escolar. A pesquisa teve como objetivo investigar quais estratégias didáticas são necessárias para que um professor seja bem sucedido na educação infantil.

    Por: Rosimar Nádila O. Saraival Educação> Educação Infantill 19/10/2010 lAcessos: 7,193
    Carla Ravaneda

    A importância da boa formação da docência brasileira, aspectos determinantes na graduação, a importância do estágio supervisionado nos cursos de licenciatura.

    Por: Carla Ravanedal Educação> Ensino Superiorl 11/09/2014
    Zilda Ap. S. Guerrero

    O modelo de aluno que temos hoje em sala de aula, nem de longe lembra- nos os moldes dos alunos dos tempos da escola tradicional, não e somente nas escolas públicas, mas também em diversas escolas particulares e de grande renome no mercado educacional. No entanto, há uma forte contradição entre as aulas ministradas em sala de aula; as quais na grande maioria recheadas de conteúdo e parca praticidade, e quase ausência de contextualização das aulas. Urge então mudanças didáticas na escola atual.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Ensino Superiorl 10/09/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O artigo tem como objetivo explicar a funcionalidade do mundo dos vírus. Para tal é necessário uma análise de suas principais características, a definição fundamental da mecanicidade funcional evolutiva dos parasitas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 08/09/2014
    Ana Paula Assaife

    Este artigo analisa as dificuldades encontradas pelos docentes em sala de aula para o uso das tecnologias voltadas para educação. Estudos sobre a modernidade mostra que esta dificuldade é muito comum nas universidades públicas do Estado do Rio de Janeiro. Temos por objetivo analisar os impactos da modernidade sobre a universidade e seus desafios. .Conceituar Modernidade e estudar novas prácticas para o l uso da tecnologia no processo ensino/aprendizagem.

    Por: Ana Paula Assaifel Educação> Ensino Superiorl 04/09/2014 lAcessos: 15

    O presente artigo apresenta a resiliência em um ambiente educacional e o papel dos profissionais que ali trabalham para a formação deste aluno. A escola tem papel fundamental na educação de seres resilientes, capazes de transformar e reinventar novas formas para lidar com as adversidades do cotidiano. Sendo o professor uma espécie de facilitador da aprendizagem, exercendo um papel fundamental no incentivo, construção, articulação de informações e saberes na formação dos educandos.

    Por: Zípora Raquel de Paulal Educação> Ensino Superiorl 01/09/2014

    Este trabalho verso a partir de Kant a problemática sobre o Esclarecimento, que irá mostrar a possibilidade do homem sair de sua menoridade, sendo assim, o mesmo terá capacidade suficiente para estruturar um pensamento autônomo, isto é de pensar por conta própria usando a liberdade de entendimento sem que dependa de outras pessoas para obter a maioridade, entretanto, com essa atitude atingir a própria independência intelectual.

    Por: Derivanial Educação> Ensino Superiorl 01/09/2014

    É inegável que nos últimos anos o tema "Diversidade" tem sido bastante discutido , principalmente no setor educacional. Estamos hoje vivenciando um novo momento em que já se admite, ainda que minimante, a existência de preconceitos diversos e racismo no território brasileiro. Quando o tema diversidade entra em cena, abrimos as portas para que o nosso ponto de vista sobre o outro, e de outros sobre nós sejam apercebidos sob uma nova ótica. Esta que torna "o diferente" tão belo quanto "o eu".

    Por: Ivanilda da Silva Cunhal Educação> Ensino Superiorl 27/08/2014
    Tony Monteiro

    Nos últimos anos, houve uma profunda mudança na maneira de construir, pois antigamente as alvenarias eram utilizadas como elemento resistente e de vedação e a sua estabilidade e resistência eram definidos em função de sua geometria.

    Por: Tony Monteirol Educação> Ensino Superiorl 26/08/2014
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Empreendedores são pessoas que desejam participar ativamente da construção de um mundo novo, não apenas como expectadores, mas como atores das mudanças globais da atualidade. De modo geral a pesquisa busca conhecer as ações dos empreendedores nas organizações e dessa forma, saber como eles podem e devem contribuir para o crescimento e desenvolvimento. Especificamente buscou-se: diagnosticar o perfil "empreendedor"; identificar os desafios que a administração propõe ao gestor público.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 20/08/2013 lAcessos: 122
    SANDRA VAZ DE LIMA

    A Educação Especial é uma modalidade da Educação Básica, fundamentada no princípio da atenção à diversidade. Integram-se o Ensino Regular e a Educação Especial numa concepção da Educação Inclusiva, buscando a participação e permanência de todos os alunos na escola, numa educação de qualidade, onde o atendimento as pessoas com necessidades especiais não requer um ambiente especifico e único, mas sim necessita de recursos físicos, humanos e materiais para que seja possível atender a todos, adaptan

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 2,290
    SANDRA VAZ DE LIMA

    A Tecnologia Educacional é entendida como a área que estuda a aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação - TIC - na educação, a partir de um embasamento da didática, psicologia da aprendizagem e desenvolvimento tecnológico. Assim, as alterações no sistema educativo visam levar em conta as diferenças pessoais, estilos cognitivos, ritmos de aprendizagem, afinidades, áreas de interesse, estratégias de pensamento e motivação.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 158
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Não existe uma única concepção sobre a EaD, pois o conceito evoluiu ao longo do tempo, influenciado pelo avanço das tecnologias da informação e da comunicação. Além disso, a concepção de educação a distância pode variar conforme o autor, sua base teórico-conceitual e sua concepção do que significam educação, ensino e aprendizagem.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 172
    SANDRA VAZ DE LIMA

    A expectativa é ao mesmo tempo ligada a pessoa e ao interpessoal, também a expectativa se realiza no hoje, e futuro presente, voltado para o ainda-não, para o não experimentado, para o que apenas pode ser previsto. Assim, percebe-se que a expectativa é um sentimento que surge diante de novidades, do diferente.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 84
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Com os anos as análises históricas sofreram inúmeras mudanças, tendo historiadores como Jules Michelet que se preocupavam com histórias nacionais, espírito do povo, representando heróis. Tal autor chamou a atenção por identificar um agente sem rosto – o povo, as massas, como personagem da história e como protagonista dos acontecimentos.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 161
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Conforme o texto "Correntes, campos temáticos e fontes", a escrita e a leitura são indivisíveis e estão contidas no texto, permitindo a comunicação e veicula representações, onde o historiador pergunta sobre quem fala e de onde fala, discutindo sobre ela. As relações entre essas instancias não são diretas nem reflexas, mas sim intermediadas pelo discurso narrativo, e para o entendimento da História Cultural pode ser o da metáfora, pois o discurso explica, fala de algo que se percebe e se entende

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 195
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Entende-se que a História é construída conforme as práticas, as culturas de um determinado povo, uma organização social, onde o habitus integra os espaços de experiências, funcionando a cada momento vivido como matriz de sensações.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 24/07/2012 lAcessos: 67
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast