A relação entre filosofia e serviço social

24/03/2011 • Por • 5,941 Acessos

O que é Filosofia?

A fim de que possamos compreender o que é Filosofia se faz profundamente necessário analisarmos a sua definição enciclopédica, "A Filosofia (do Grego; philos - que ama + sophia-sabedoria, que ama a sabedoria) é a investigação crítica e racional dos princípios fundamentais relacionados ao mundo e ao homem". De forma sintética nós podemos dizer que a Filosofia é o estudo de tudo, como nós vemos o mundo e a nós mesmos e as outras pessoas, a natureza e todas as coisas e situações que vivemos e presenciamos em nossas vidas.

Podemos dizer que filosofia é algo enigmático o ser em busca do desconhecido, é tentar buscar e revelar o que ainda não foi revelado representa a busca o conhecimento. Um distanciamento para com o mundo, Aristóteles dizia que era uma espanto e uma admiração para com a natureza. Filosofia é a desbanalização do banal. De discutirmos idéias e opiniões.

Importância e Características da Filosofia

A Filosofia exerce na sociedade uma ação de profunda importância para a transformação, isso se dá de formas mais diversas possíveis, pois a através de projetos desenvolvidos pelos filósofos que conseguimos a maioria dos avanços de liberdade e pensamentos e ações na nossa vida contemporânea. Ex; O filosofo, Poulain de La Barre foi o primeiro homem a desenvolver e reivindicar a educação para as mulheres. Outro filosofo de grande importância para as mudanças ocorridas na sociedade foi Aristóteles, pois suas obras abrangem tanto a lógica, a física e a concepção do universo ético-politico etc. junto a outros filósofos ajudam a compreensão e nas mudanças do mundo, e na visão de toda sociedade e dos individuas assim como na natureza nas ideologias que ocorrem durante toda vida no mundo.

Algumas principais características da filosofia são; tendência racional, submissão dos problemas a analise, o pensamento é a fonte do conhecimento, o não aceitar as noções pré-concebidas, descobrir as semelhanças e dessemelhanças entre as coisas.

A filosofia como fonte reflexiva

O estudo da filosofia foi proibida na época da ditadura militar que ocorreu na década de 60 alongando-se até os anos 80 no Brasil, especificamente no ensino médio e no ensino superior, sendo percebida a sua presença apenas para uns poucos filósofos e para manipulação por partes dos militares, a fim de exercer um controle sobre a sociedade, isso é apresentado no texto "Na Escola Superior de Guerra, instituição tipicamente militar, que foi incentivada a alargar suas atividades cientificas e culturais, no sentido de estabelecer fundamentos ideológicos para o encaminhamento das ações dos governos militares". Isso aconteceu em todos os paises.

O primeiro pais a utilizar a filosofia como praticas político-educacionais e difundir a outros paises na década de 70 foi  o Estados Unidos na Stanford-University.  Nos é apresentado também que a sociedade não aceita mais essa política dominante e quer ser ouvida, quer ter autonomia financeira e ter acesso a cultura e política como esclarece o texto "A sociedade civil como conjunto de organismos chamados privados e que correspondem a função de hegemonia que o grupo dominante exerce em toda a sociedade" Isso mostra que a sociedade exerce hoje uma postura critica diante da manipulação dos objetivos políticos ideológicos.

A relação entre a Filosofia e o Serviço Social

Sob uma perspectiva fundamentalista podemos dizer que o Serviço Social se caracteriza por ser uma profissão legitimada socialmente com caráter social e que está intimamente vinculada a uma visão de homem e mundo, respondendo a uma necessidade social.

A ação do Serviço Social está vinculada diretamente a questão social. Podemos compreender e perceber isso nas falas de CARVALHO e IAMAMOTO (1983, p. 77 apud, Machado).

"A questão social não é senão as expressões do processo de formação e desenvolvimento da classe operária e de seu ingresso no cenário político da sociedade, exigindo seu reconhecimento como classe por parte do empresariado e do Estado. É a manifestação, no cotidiano da vida social, da contradição entre o proletariado e a burguesia, a qual passa a exigir outros tipos de intervenção mais além da caridade e repressão."

Portanto Serviços Social é uma necessidade compreendida pela sociedade a fim solucionar necessidades que surgem de acordo com as transformações geradas, tanto pelo mundo social quanto pelo mundo do trabalho.

Ao longo do desenvolvimento da sua ação,  o assistente social tem enfrentado diferentes dilemas, onde podemos usar termos filosóficos no processo de construção do saber  profissional  a partir  de uma dinâmica deliberada de investigação e discussões fundamentada no suposto conhecimento sistematizado e rigoroso que pode se concretizar pela via da reflexão de sujeitos históricos como caracteriza Myriam Veras Baptista

Com relação a ação filosófica na vida do profissional do Serviço Social, é possível observar que o ele (o Serviço Social)  está permeado pela presença direta da filosofia, em que se busca alternativas para ajudar o profissional do Serviço Social na sua rotina desgastante e repetitiva de atuação, é o desenvolvimento de uma investigação no sentido de dar suporte ao profissional junto a sociedade quanto aos problemas existentes, no seu cotidiano.

Nesse sentido a ação investigativa atua com a intenção de mostrar outra realidade para o profissional e que a partir daí ele possa desenvolver novos métodos de atuação adotando uma nova postura na sua pratica profissional.

Considerações Finais

A ação investigativa oferece aos profissionais a oportunidade de pensar em si mesmos e ao seu fazer profissional. Onde cabe a disposição dos profissionais para analisar e refletir de forma aberta e transparente na sua perspectiva.

A ação investigativa permite o assistente social em sua pratica cotidiana: deslocar as múltiplas determinações que constituem o cotidiano da pratica profissional, avança no desenvolvimento de estratégias pedagógicas, coloca os profissionais em permanente dialogo, subsidia os profissionais na emissão de resposta qualificada, aprender e traduzir no concreto real o conhecimento acumulado ao nível da teoria social e das teorias mediadoras, construir um conhecimento novo e criativo capaz de iluminar e subsidiar a pratica cotidiana.

Portanto o Assistente Social deve trazer a pratica do filosofar pra seu cotidiano para que com isso possa refletir sobre a sociedade e os compromissos políticos e econômicos  em que postura deve estar pautada e assumir diante dos problemas a serem solucionados. Ele deve assumir uma postura de sujeito questionador e estar sempre com um pensamento critico com relação as praticas existentes pra sociedade. O profissional de Serviço Social vai, a partir da pratica do filosofar, reavaliar as condições humanas e educacionais em que determinada situação está posta na vida contemporânea para que ele possa se pautar em sua atuação como agente inserido dentro de uma sociedade.

REFERÊNCIAS

http://www.brasilescola.com acesso em 24/11/10 http://www.portal.filosofia.pro.br acesso em 24/11/10http://www.cfh.ufsc.br acesso em 23/11/10http://www.pucsp.br acesso em 24/11/10http://portal.filosofia.pro.br/ acesso em 23/10/10http://www.filosofia.com.br/frase_hist.php?pg=2 acesso em 23/10/10 http://www.alashary.org/significado_da_palavra_paradoxo/13/ acesso em 24/11/10http://blogdonico.zip.net/arch2009-07-12_2009-07-18.html. Acesso 24/10/10.http://www.rbep.inep.gov.br/index.php/emaberto/arti/viewFile/719/642, acesso em 24/10/10.http://www.ssrevista.uel.br/c_v2_invest.htm, acesso em 24/10/10.

 

Perfil do Autor

MILEIDE DA COSTA CHAGAS

Aluna do 3º período do curso a distância de Serviço Social da Faculdade Anhanguera, pólo João Pessoa. Tendo como professoras a distância e presencial respectivamente Maria Mariciane Moraes Nunes e Maria Isabel Dantas