As formas de enfrentamento da questão social nas respectivas décadas 1930 e 1940 e o contexto histórico do Serviço Social

Publicado em: 15/10/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 1,843 |

As formas de enfrentamento da questão social nas respectivas décadas 1930 e 1940 e o contexto histórico do Serviço Social.

 

 Mirian Bartassson

O Serviço Social como profissão teve suas origens no desenvolvimento do sistema capitalista e no agravamento da questão social, atrelada à ideologia dominante e à doutrina social da Igreja Católica. Surge no Brasil, na década de 1930, pois neste período o País passava por uma intensificação do processo de industrialização e um avanço significativo rumo ao desenvolvimento econômico, social, político e cultural.

Neste contexto tornaram-se também mais intenso as relações sociais do sistema capitalista, que se torna o cerne da questão social: a exploração do trabalho pelo capital com todas as conseqüências geradas para a vida do trabalhador.

 

A questão social não é senão as expressões do processo de formação e desenvolvimento da classe operária e de seu ingresso no cenário político da sociedade, exigindo seu reconhecimento como classe por parte do empresariado e do Estado. É a manifestação, no cotidiano da vida social, da contradição entre o proletariado e a burguesia, a qual passa a exigir outros tipos de intervenção, mais além da caridade e repressão (Iamamoto e Carvalho, 1986: 77).

 

O governo populista de Getúlio Vargas adotava, ao mesmo tempo, uma série de mediadas políticas como forma de enfrentamento das questões sociais, conseguindo a adesão dos trabalhadores e também mecanismos de centralização político-administrativa, que favoreciam o aumento da produção, dando condições para a expansão e a acumulação capitalista, conseguindo então adesão da classe média e dos grupos dominantes que eram donos do capital.

 

Ao reconhecer a "questão social", o governo Vargas faz seu enquadramento jurídico, intervindo no domínio das relações entre capital e trabalho. A compreensão da natureza específica desta "questão" será colocada no discurso governamental como dever do Estado nacional, que reconhece a sua função de velar pelo bem-estar da sociedade e de proteger os mais fracos, propiciando-lhes uma situação mais digna e humana (é claro que de forma ocasional e não universal) (Mestriner, 2001: 74-75).

 

Vargas instituiu uma série de novas leis trabalhistas e previdenciárias A implantação dos órgãos centrais como o Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, Ministério dos Negócios da Educação e Saúde Pública, Institutos da previdência social e a reorganização dos serviços de saúde, educação, habitação e assistência ampliaram de modo significativo o mercado de trabalho para os profissionais da área social. Em 1938, com a criação do Conselho Nacional do Serviço Social – CNSS formaliza-se a relação do Estado com a assistência social. Foi a primeira grande regulamentação da assistência social no país. De acordo com Mestriner,

 

O Conselho é criado como um dos órgãos de cooperação do Ministério da Educação e Saúde, passando a funcionar em uma de suas dependências, sendo formado por figuras ilustres da sociedade cultural e filantrópica e substituindo o governante na decisão quanto a quais organizações auxiliar. Transita, pois, nessa decisão, o gesto benemérito do governante por uma racionalidade nova, que não chega a ser tipicamente estatal, visto que atribui ao Conselho certa autonomia. Nesse momento, selam-se as relações entre Estado e segmentos da elite: homens (e senhoras) bons, como no hábito colonial e do império, vão avaliar o mérito do Estado em conceder auxílios e subvenções à organizações da sociedade civil (Mestriner, 2001: 57-58).

 

A Justiça do Trabalho (1941) foi outra regulamentação importante feita durante o Estado Novo. A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), editada em junho de 1943, desde sua criação até os dias de hoje, ordena e sistematiza as relações de trabalho no país.

Durante o Estado Novo, ganharam importância a definição do salário mínimo que foi criado em 1940 e a estrutura de tributação elaborada pelo Estado para financiar as políticas públicas de educação, saúde, previdência e assistência do governo. Porém, mesmo com toda essa articulação por parte das forças sociais e do governo, não foi possível constituir um amplo sistema de proteção social associado ao avanço da base urbano-industrial.

Foi estabelecido, na realidade, um sistema de proteção social de natureza meritocrática e particularista, isto é, um sistema voltado somente aos trabalhadores assalariados com carteira assinada. Como naquela época a maior parte dos trabalhadores encontrava-se no campo, conseqüentemente, apenas os trabalhadores dos centros urbanos foram beneficiados pela legislação social e trabalhista contidas na CLT. (Ezequiel, 2005: p.89)

 

 

Com a queda do governo de Vargas, e a retomada do Estado de direito e a promulgação da Constituição de 1946, o país entra no período democrático-populista e inicia um novo período de desenvolvimento econômico. Porém, as aspirações de bem-estar do trabalhador persistem, juntando-se a eles a classe média e, de forma inédita, começam a ter peso político as reivindicações dos trabalhadores rurais. O desemprego continua crescendo, desencadeado pela migração rural, aumentando a demanda por proteção social. 

O presidente Eurico Gaspar Dutra como seu antecessor Vargas, admite a responsabilidade social do Estado, mas somente pela ótica da regulação do trabalho e pela educação.

Nos anos 1940, com a bipolarização ideológica, o Welfare State (Estado de Bem-estar Social ou Estado-providência) - um tipo de organização política e econômica que coloca o estado como agente da promoção social e organizador da economia, e o modelo fordista de produção exige um novo controle por parte do Estado, objetivando o consenso entre as classes, com uma perspectiva de uma ação psicologizante, conduzindo à ampliação das grandes instituições assistenciais.

Os Assistentes Sociais que trabalhavam principalmente nas instituições da Igreja Católica, fortemente ligada às origens da profissão passou a ser absorvido pelas instituições do Estado que se organizava para enfrentar a questão social.

As áreas da saúde e jurídica foram as privilegiadas. Podemos citar também a atuação na área da Educação, na Habitação, na Assistência e até na área da Agricultura, nos programas de desenvolvimento de comunidades rurais. O Estado passou a ser então o grande empregador.

O assistente social também atuava junto aos trabalhadores da indústria e comércio em grandes organizações, como o SESI – Serviço Social da Indústria, SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, SESC – Serviço Social do Comércio e SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial. Essa foi uma porta de entrada para o trabalho dos profissionais nas grandes empresas, sendo contratados diretamente por essas organizações.

Outra grande fonte de empregos dos profissionais da área a LBA - Legião Brasileira de Assistência foi outra grande fonte empregadora dos assistentes sociais. Subsidiada por fundos públicos foi muito criticada pela ligação com as "primeiras damas dos Estados e Municípios" e por sua atuação clientelista, com fins eleitoreiros. Existiam também instituições particulares ligadas às organizações religiosas e privadas com os mais variados objetivos na área social.

A demanda por assistentes sociais na década de 40 excedia e muito, ao número de profissionais para o mercado de trabalho.

 No campo de atuação inicial dos assistentes sociais, o referencial teórico e as propostas metodológicas, são relatadas as atividades desenvolvidas essencialmente doutrinária e assistencial, de forma paliativa, difundindo e propagando a doutrina e o pensamento social da igreja. Segundo Iamamoto (1998, p. 105), na época, o Serviço social era concebido como uma "missão", um "serviço" à sociedade, que estava na dependência de uma "vocação" específica de seus agentes, a quem competiria, segundo expressões muito utilizadas na época, "fazer o bem-feito".

 Essa visão inicial, com ênfase filosófica, logo se mostrou insuficiente para a atuação prática dos assistentes sociais. A partir da década de 1940 os novos profissionais procuraram um aprimoramento técnico e metodológico, tendo como fundamento as Ciências Sociais.

Na busca de novas alternativas de ação aos desafios sociais, os Assistentes Sociais integraram-se ao projeto desenvolvimentista, realizando experiências significativas de organização comunitária, a partir da década de 1950.

 

Considerações finais

 

Conclui-se que no contexto histórico - décadas de 1930 e 1940, o Serviço Social possuía uma característica assistencial e controladora que buscava favorecer o capitalismo e o desenvolvimento industrial.

O Estado brasileiro estabelece formas de intervir na questão social, buscando sempre remediar seus efeitos de forma paliativa, por meio de práticas integrativas e de ajustamento, restritivas a atuação das classes populares e impeditivas de mudanças sociais expressivas.

Nesse contexto, as desigualdades sociais não são reduzidas; ao contrário, se agravam. Conscientes, das condições de subdesenvolvimento do País e da pobreza de grande parte da população, os assistentes sociais se sentiam frustrados, incapazes de atender às demandas sociais. Coloca em movimento além dos sentimentos, a inteligência e a vontade para o serviço da pessoa humana, o que se distinguia das antigas formas de assistência. Mas, tais subsídios são manipulados para promover uma adaptação do indivíduo ao meio e o meio ao individuo.

Mesmo amparados pela legislação federal, resultado das lutas dos assistentes sociais e das associações profissionais e de ensino do Serviço social, a profissão custou a conquistar o reconhecimento da sociedade por causa da sua origem histórica de cunho assistencialista e paternalista, reprodutor dos interesses da classe dominante trazendo como conseqüência social, a manutenção da ordem estabelecida.

  Aprendi muito com este trabalho. O caminho, porém, parece estar apenas começando.

 

 

 

 

REFERÊNCIAS:

 

 BULLA, Leonia Capaverde. Relações sociais e questão social na trajetória histórica do serviço social.  Revista Virtual Textos & Contextos, nº 2, dez. 2003. Disponível em < http://64.233.169.104/search?q=cache:CsxG-zqlFWIJ:caioba.pucrs.br > acesso em 8 de set. 2007.

 

CASSAB, Latif Antonia. Fundamentos Históricos e Metodológicos do Serviço Social I. Universidade Norte do Paraná. Graduação em serviço social: módulo I. Londrina: UNOPAR, 2007. p153.:il

 

 

EZEQUIEL, Vanderlei de Castro. A mercantilização das questões sociais e o espetáculo da ajuda. 2005. Disponível em < http://www.facasper.com.br/pos/mestrado/pdf/vanderlei_de_castro_ezequiel.pdf > acesso: 8 set.2007.

 

IAMAMOTO, Marilda & CARVALHO, Raul de. Relações sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórica-metodológica. São Paulo: Cortez, 1986.

_____. A questão social no capitalismo. In Revista da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social – ABEPSS, n. 3. Rio de Janeiro: Grafline, jan.-junho de 2001.

 

MESTRINER, Maria Luiza. O Estado entre a Filantropia e a assistência Social. São Paulo: Cortez, 2001.

 

PASTORINI, Alejandra. A categoria "Questão Social" em debate. São Paulo: Cortez, 2004.

 

PEREIRA, Potyara A. P. Questão social, serviço social e direitos da cidadania. In Revista da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social – ABEPSS, n. 3. Rio de Janeiro: Grafline, jan.-junho de 2001.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/as-formas-de-enfrentamento-da-questao-social-nas-respectivas-decadas-1930-e-1940-e-o-contexto-historico-do-servico-social-5308892.html

    Palavras-chave do artigo:

    historia

    ,

    servico social

    ,

    avanco

    Comentar sobre o artigo

    Esta pesquisa apresenta uma análise sobre atuação do assistente social na Base Aérea de Boa Vista-BABV , tem como objetivo geral compreender a prática, as perspectiva e desafios do profissional Assistente Social na BABV, por meio deste foi definido três objetivos específicos, sendo desvelar os aspectos da história do Serviço Social no Brasil; Relatar a respeito da Força Aérea Brasileira: Espaço Sócio Ocupacional de atuação do assistente social e conhecer sua prática do profissional na BABV.

    Por: tamires almeidal Educação> Ensino Superiorl 21/08/2014 lAcessos: 37

    Este artigo tem por objetivo compreender como a política do Sistema Único da Assistência Social tem refletido na Instituição de Acolhimento de Crianças e Adolescentes (Casa-Lar) e assim identificar como o assistente social atua neste território. Mesmo que se trate de uma política voltada à um publico em vulnerabilidade social, as crianças tem sido assistidas em sua integralidade, buscando reintegrá-las a um lar que possa amá-las e respeitá-las como crianças e adolescentes portadoras de direi

    Por: Agta Amoriml Lar e Família> Adolescentesl 05/09/2014 lAcessos: 12

    O trabalho social na área de habitação é um constituinte indispensável da política urbana e habitacional, norteado por um ponto de vista político e socioeducativo, embasado em valores democráticos e justiça social. Visa à promoção da inclusão social, o acesso à cidade, o acesso aos serviços públicos e estimula a participação cidadã. O presente artigo se insere na temática "práxis do trabalho social como instrumento de acesso das pessoas a um direito social, ou seja, moradia digna".

    Por: Thayse Fernandal Direito> Doutrinal 31/05/2013 lAcessos: 90

    O artigo retoma o debate neoliberal, acolhido, na década dos anos 1990 no Brasil, interrompida pela crise econômico/financeira mundial do ano 2008. A defesa do nacional desenvolvimentismo; Projeto de desenvolvimento econômico assentado no trinômio: industrialização substitutiva de importações; intervencionismo estatal e nacionalismo, é retomado sob um prisma distorcido em relação aos ideários de Celso Furtado.

    Por: João Carlos Peixel Educação> Ensino Superiorl 26/11/2013 lAcessos: 144

    RESUMO Nos primeiros anos do século XXI, a sociedade brasileira aponta para a necessidade de transformação das relações sociais, convém refletir sobre a cidadania não como um reconhecimento de direitos, mas na busca por meios para executá-los. É importante compreender como este conceito se modifica ao longo da história e como influencia na formulação de políticas de Assistência.

    Por: Flavia Mattosl Direito> Legislaçãol 14/12/2013 lAcessos: 43

    O presente artigo aborda o envelhecimento humano focando o idoso na era contemporânea. Delimitar tal tema através de conceitos não é fácil, tendo em vista que requer um conhecimento amplo de como esse segmento da sociedade está inserido no processo de construção social pois não se pode negar esta realidade visto que, tal processo é mundial e a sociedade deve aprender a se relacionar com o idoso ainda que não existam ocupações específicas para eles na contemporaneidade.

    Por: Pedro D`arc Rocha dos Santosl Notícias & Sociedade> Cotidianol 13/08/2011 lAcessos: 701
    Telma Lobo

    Há uma crescente mobilização no Brasil a favor da inclusão dos portadores de necessidades especiais na rede de ensino. Isto exige mudanças de atitudes não só de professores, mas de toda comunidade escolar assim como da sociedade em geral. Porém, para que isso aconteça é preciso reconhecer, questionar e romper com preconceitos ainda existentes na sociedade, estimulando o acolhimento e o respeito às crianças e jovens com necessidades especiais.

    Por: Telma Lobol Educaçãol 15/01/2011 lAcessos: 11,056 lComentário: 1
    Romilda Aparecida Lima

    O artigo aborda a trajetória da educação e a inserção da mulher no mercado de trabalho. A escola tanto do ponto de vista existencial, quanto acadêmico é vista como passagem simbólica que a levaria à ocupação dos escassos lugares sociais e, ainda, é fragilizada diante das incertezas que se percebe nesse campo, dos ensaios pedagógicos que ousa efetivar e, temos na maioria dos casos a falta de tempo para se dedicar à educação, pois sua responsabilidade educacional é abrangente como mãe, mulher, pai

    Por: Romilda Aparecida Limal Educação> Ensino Superiorl 31/10/2012 lAcessos: 60

    Objetivou-se neste estudo, reconstruir a história do ensino de enfermagem no Brasil desde a criação da Escola de Alfredo Pinto, em 1890, pelo decreto 791/1890, assinando pelo então Presidente da República, Marechal Deodoro da Fonseca até os dias atuais. Embora alguns autores já tenham dissertado sobre este tema, o objetivo neste estudo foi abranger fatos da literatura em um só trabalho, como subsídio complementar para os futuros enfermeiros no Brasil.

    Por: Andrea M.Payal Saúde e Bem Estar> Medicinal 20/10/2012 lAcessos: 291
    Carla Ravaneda

    A importância da boa formação da docência brasileira, aspectos determinantes na graduação, a importância do estágio supervisionado nos cursos de licenciatura.

    Por: Carla Ravanedal Educação> Ensino Superiorl 11/09/2014
    Zilda Ap. S. Guerrero

    O modelo de aluno que temos hoje em sala de aula, nem de longe lembra- nos os moldes dos alunos dos tempos da escola tradicional, não e somente nas escolas públicas, mas também em diversas escolas particulares e de grande renome no mercado educacional. No entanto, há uma forte contradição entre as aulas ministradas em sala de aula; as quais na grande maioria recheadas de conteúdo e parca praticidade, e quase ausência de contextualização das aulas. Urge então mudanças didáticas na escola atual.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Ensino Superiorl 10/09/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O artigo tem como objetivo explicar a funcionalidade do mundo dos vírus. Para tal é necessário uma análise de suas principais características, a definição fundamental da mecanicidade funcional evolutiva dos parasitas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 08/09/2014
    Ana Paula Assaife

    Este artigo analisa as dificuldades encontradas pelos docentes em sala de aula para o uso das tecnologias voltadas para educação. Estudos sobre a modernidade mostra que esta dificuldade é muito comum nas universidades públicas do Estado do Rio de Janeiro. Temos por objetivo analisar os impactos da modernidade sobre a universidade e seus desafios. .Conceituar Modernidade e estudar novas prácticas para o l uso da tecnologia no processo ensino/aprendizagem.

    Por: Ana Paula Assaifel Educação> Ensino Superiorl 04/09/2014 lAcessos: 15

    O presente artigo apresenta a resiliência em um ambiente educacional e o papel dos profissionais que ali trabalham para a formação deste aluno. A escola tem papel fundamental na educação de seres resilientes, capazes de transformar e reinventar novas formas para lidar com as adversidades do cotidiano. Sendo o professor uma espécie de facilitador da aprendizagem, exercendo um papel fundamental no incentivo, construção, articulação de informações e saberes na formação dos educandos.

    Por: Zípora Raquel de Paulal Educação> Ensino Superiorl 01/09/2014

    Este trabalho verso a partir de Kant a problemática sobre o Esclarecimento, que irá mostrar a possibilidade do homem sair de sua menoridade, sendo assim, o mesmo terá capacidade suficiente para estruturar um pensamento autônomo, isto é de pensar por conta própria usando a liberdade de entendimento sem que dependa de outras pessoas para obter a maioridade, entretanto, com essa atitude atingir a própria independência intelectual.

    Por: Derivanial Educação> Ensino Superiorl 01/09/2014

    É inegável que nos últimos anos o tema "Diversidade" tem sido bastante discutido , principalmente no setor educacional. Estamos hoje vivenciando um novo momento em que já se admite, ainda que minimante, a existência de preconceitos diversos e racismo no território brasileiro. Quando o tema diversidade entra em cena, abrimos as portas para que o nosso ponto de vista sobre o outro, e de outros sobre nós sejam apercebidos sob uma nova ótica. Esta que torna "o diferente" tão belo quanto "o eu".

    Por: Ivanilda da Silva Cunhal Educação> Ensino Superiorl 27/08/2014
    Tony Monteiro

    Nos últimos anos, houve uma profunda mudança na maneira de construir, pois antigamente as alvenarias eram utilizadas como elemento resistente e de vedação e a sua estabilidade e resistência eram definidos em função de sua geometria.

    Por: Tony Monteirol Educação> Ensino Superiorl 26/08/2014

    A questão da cientificidade do Serviço Social vem sendo abordada ao longo do tempo e mesmo com diversas posições não se chegou há um consenso sobre o um paradigma científico próprio. Porém, o conhecimento objetivo e metodológico do trabalho profissional do Serviço Social vem se destacando ao longo das ultimas décadas.

    Por: Mirian Bartassonl Educação> Ensino Superiorl 15/10/2011 lAcessos: 420

    A educação cada vez mais alimenta ideais de reformulação na práxis educativa, rompendo com os erros cometidos no passado.Há quem diz que o ensino a distância ainda se baseia em práticas antigas. Assim sendo, requer a superação da questão da mentalidade do "quadro e do giz", com uma estrutura organizacional que possibilite garantir as condições necessárias para que os objetivos de uma educação de "qualidade", vista pela ótica dos antigos modelos, possam se concretizar.

    Por: Mirian Bartassonl Educação> Educação Onlinel 15/10/2011 lAcessos: 205

    O presente texto aborda uma análise das condições sociais da escravidão no período imperial e faz uma associação às situações de exclusão social e discriminação racial.

    Por: Mirian Bartassonl Educação> Ensino Superiorl 13/10/2011 lAcessos: 2,487

    O planejamento é importante estratégia para alcançar os objetivos. Podemos entender que estratégia é, basicamente, uma maneira de construir viabilidade para um plano, elaborado visando a alcançar determinados objetivos.

    Por: Mirian Bartassonl Educação> Ensino Superiorl 13/10/2011 lAcessos: 3,275

    O presente texto aborda a questão da inserção da mulher nas escolas de Serviço Social e seu papel na sociedade a partir da década de 50 até os dias atuais.

    Por: Mirian Bartassonl Educação> Ensino Superiorl 13/10/2011 lAcessos: 640

    Fala-se tanto em ética e diante de tantos acontecimentos, escândalos, revisão de leis, CPI's, cassação de mandatos, que nos perguntamos onde ficam os princípios éticos e morais?

    Por: Mirian Bartassonl Educação> Ensino Superiorl 13/10/2011 lAcessos: 140

    Este trabalho visa analisar a questão: a experiência chilena pode servir de modelo para os vizinhos, inclusive o Brasil?

    Por: Mirian Bartassonl Educação> Ensino Superiorl 13/10/2011 lAcessos: 298

    O pensamento de Aristóteles, assim como de Platão, como representação do pensamento grego clássico, são referências para as teorias politicas constituídas na idade média e nos dias atuais ainda são fundamentais para a reflexão politica.

    Por: Mirian Bartassonl Educação> Ensino Superiorl 13/10/2011 lAcessos: 191
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast