As Teorias Educacionais e suas Contribuições para a Prática Pedagógica na atualidade brasileira

Publicado em: 21/09/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 9,364 |


AS TEORIAS EDUCACIONAIS E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA NA ATUALIDADE BRASILEIRA

*Maria Aparecida de Sá

 

Várias teorias tentaram e tentam interpretar e propor alternativas para o agir humano na sociedade e nele o agir pedagógico. Nem todas, porém, contribuem efetivamente para dar melhores perspectivas e entusiasmo a prática docente. Há casos, em que uma teoria, apesar de seus aspectos válidos para finalidades específicas, no seu todo, acaba por gerar descrença, passividade, decepção.

A participação do aluno na construção de seu saber, tão comentado e proposto, como uma ação imprescindível no processo ensino-aprendizagem para esse momento histórico atual, necessita de aprofundamento em estudos anteriores baseados em grades pensadores para que possamos refletir e compreender como se deu todo o processo educacional anterior para desta forma, buscar-se maneiras adequadas de direcionar os caminhos que irão levar aos objetivos propostos para o que se propõe a educação atual.

Para que o sistema educacional consiga progressão em sua meta é necessário que todos os educadores possam estar conhecendo as diversas teorias educacionais que vigoraram e as condizentes ao período histórico atual, podendo dessa forma, se aperfeiçoarem continuadamente, oferecendo perspectivas inovadoras e instigantes aos seus alunos e a si mesmo.

A teoria de Paulo Freire remete-nos a reflexão acerca da metodologia educacional, que por bem, faz mais parte do passado que do presente educacional, denominando de educação bancária, onde o professor é o depositante e o aluno o depositário do saber, restando para o segundo apenas render "juros", sem possibilidades de críticas reflexivas. "Ninguém ensina nada a ninguém e as pessoas não aprendem sozinha" (FREIRE, in ROMÃO, 2001:23).

PIAGET constatou com seus estudos, que a experiência é importante para que ocorra o momento da assimilação do conhecimento, segundo o biólogo, quando o aluno experimenta o saber, ele constrói um caminho mais breve ao entendimento do fenômeno estudado. Portanto, a interação do indivíduo com o meio físico e biológico, quanto maior e mais cedo, propicia o desenvolvimento do pensamento. Ele define a inteligência como a adaptação que tem como característica o equilíbrio entre o organismo e o meio, que resulta na interação entre o processo de assimilação e acomodação, que é o motor da aprendizagem.

Outro pensador influente no processo ensino-aprendizagem é Lev Vygotsky. Ele desenvolveu a idéia de que o indivíduo não nasce com características pré-determinadas para a inteligência e para o estado emocional, mas sim, evolui intelectualmente quando interagido constantemente a reflexões sobre questões internas e das influências do mundo social.

Para Vygotksy, a função da mediação social nas relações entre o indivíduo e o seu meio, ocorre através de ferramenta, e na atividade física intraindivíduo é feita através de sinais. Mesmo que o indivíduo nasça com predisposição para algo, ele dependerá do aprendizado ao longo de sua vida, adquirido durante as relações permeadas pelo seu grupo social.

Já para Wallon, o meio é um complemento indispensável ao ser vivo que supre suas necessidades e as suas aptidões sensório-motoras e, depois, psicomotoras. Um estado de desequilíbrio ou crise emocional tem impacto direto sobre as ações. Sob o efeito de emoções descontroladas também se perde o comando das ações.

A Teoria das Inteligências Múltiplas, de Howard Gardner, propõe a existência de um espectro de inteligências a comandar a mente humana. De acordo com Gardner, as sete inteligências são: lógico-matemática; lingüística; espacial; físico-cinestésico; interpessoal; intrapessoal e musical.

Outra contribuição significativa para a atualidade foi a pesquisa realizada pela psicolinguística argentina Emília Ferreira, diagnosticando as fases de apreensão da escrita, denominando psicogênese da língua escrita. De acordo com esta teoria, todas as crianças passam por quatros fases até que esteja alfabetizada: pré-silábica; silábica; silábico-alfabético e alfabético.

Hoje temos teorias mais avançadas como a teoria da complexidade e a teoria da autopoiese, onde a primeira nos propicia a proximidade da realidade, numa perspectiva de relações de trabalho, de família, de sociedade, de meio ambiente ou de qualquer outra manifestação de organização que a cultura propicie.

A Teoria Autopoiese ou autopoiesis (do grego auto "próprio", poiesis "criação") é um termo que surgiu na década de 70 pelos biólogos e filósofos chilenos:Varela e Maturana para designar a capacidade dos seres vivos de produzirem a si próprios.

Com todas essa gama de teorias existentes, em todos os períodos históricos, fica difícil destacar uma que seria a ideal, mesmo porque vivemos em realidades distintas com especifidades em cada região, o docente precisa sim está a par das experiências realidadas, de estudos feitos por filósofos, teóricos e pesquisadores que poderão contribuir para a reflexão do fazer pedagógico, mas não estamos falando de receita como é o desejo de muitos educadores, que se crie um modelo para ser utilizado.

BIBLIOGRAFIA:

http://www.idbrasil.org.br/drupal/?q=node/29263

http://www.teoriadacomplexidade.com.br/teoria-da-complexidade.html

 

 

 

 

 

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/as-teorias-educacionais-e-suas-contribuicoes-para-a-pratica-pedagogica-na-atualidade-brasileira-3311605.html

    Palavras-chave do artigo:

    Palavras – chave: Teoria; Ensino; Aprendizagem; Reflexão; Prática Pedagógica.

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo teve como finalidade investigar as dificuldades dos docentes do IFAC no tocante à avaliação do ensino-aprendizagem na modalidade PROEJA, como forma de auxiliar na orientação da prática pedagógica. Estuda os critérios avaliativos utilizados em sala de aula e sua relação com o planejamento de ensino global da Instituição. A pesquisa foi enriquecida com o trabalho de campo através de entrevistas semi-estruturadas e análise documental do projeto político-pedagógico dos cursos técnicos.

    Por: Gilmara Amorim de Moraesl Educação> Ensino Superiorl 01/12/2012 lAcessos: 155
    Evilasio Ferreira de Sousa

    O presente artigo busca apresentar e discutir as diferentes concepções que norteiam a prática avaliativa, buscando o aprofundamento teórico e uma reflexão constante sobre a prática pedagógica, o que implica num redimensionamento também da forma de se avaliar. Numa tentativa de umas a ter uma avaliação qualitativa, baseada em uma relação democrática. A pesquisa foi feita de natureza descrita, do tipo bibliográfico. Com referenciais teóricos para fundamentos a nossa pesquisa, valemo-nos de autores

    Por: Evilasio Ferreira de Sousal Educação> Educação Onlinel 29/09/2011 lAcessos: 490

    A educação brasileira possui um déficit histórico, que impõe sérios entraves ao seu desenvolvimento. Esse é um problema social que se agrava no ensino oferecido às camadas populares. A democratização do ensino, a partir de uma escola pública e popular, tem sido um ideal buscado há muitos anos, que, porém, não foi alcançado. Este estudo tem como objetivo apresentar a Pedagogia Histórico Crítica como base para as práticas pedagógicas no Ensino Fundamental.

    Por: Gláucio de Vasconcellos Honóriol Educação> Educação Infantill 11/10/2011 lAcessos: 175
    shirleidy de sousa freire

    A avaliação é parte importante do processo de ensino e aprendizagem. Na atualidade pode-se observar que várias escolas estão abrindo as portas para a avaliação diagnóstica, processual, formativa, ajudando na aprendizagem e no desenvolvimento dos alunos em sala de aula. Sabe-se que os estudos têm evidenciado que na historia da humanidade mostram que desde o momento em que a comunidade primitiva procurou relatar a seus semelhantes fatos que para eles eram importantes ou de alguma maneira uteis.

    Por: shirleidy de sousa freirel Educação> Ensino Superiorl 18/12/2012 lAcessos: 189

    Este trabalho toma como percurso a descrição da prática docente na utilização dos jogos tradicionais, em instituição particular, na cidade de Salvador-Bahia. As discussões estão pautadas em Kishimoto; Friedmann; Chateau; Freire; Piaget e Vigotsky. Partindo do pressuposto de que se as aprendizagens são variadas, é necessário que o professor esteja em constante renovação e reflexão de sua prática, para que alcance as necessidades da criança.

    Por: Geraldo Francisco dos Santosl Educação> Educação Infantill 22/04/2011 lAcessos: 7,156 lComentário: 1
    MARCOS ANTONIO DOS SANTOS LIMA

    O trabalho que aqui venho apresentar é parte de minhas investigações a respeito da importância da Informática no Ensino de História. Na pesquisa, que teve como um dos seus frutos meu estudo a respeito do Uso da Informática no Ensino de História, pude abordar e desvendar alguns caminhos apontados pelo referencial bibliográfico sobre a temática que abrangia. O mundo contemporâneo passa por um processo de grandes transformações provocadas pela informática e pela revolução nas telecomunicações.

    Por: MARCOS ANTONIO DOS SANTOS LIMAl Educação> Ensino Superiorl 08/12/2010 lAcessos: 2,161

    Artigo apresentado no V Simpósio de PesquUisa e Pós-Graduação em Educação, 2013, na Universidade estadual de Londrina. trata da disciplina de sociologia no ensino médio e da construção de uma metodologia de ansino apropriada, perpasando a pedagogia histórico-crítica.

    Por: Cristiano Pinheiro Corrêal Educação> Ciêncial 24/05/2013 lAcessos: 142

    O foco da reflexão neste artigo prima pela colaboração do processo de compreensão das práticas do alfabetizador das séries iniciais do ensino fundamental. Assim procura-se por meio do diálogo teórico situar a prática alfabetizadora, possibilitando a criação de uma identidade de professor alfabetizador. Neste sentido é, pois extremamente necessário que reflita e compreenda também o ato de alfabetizar letrando.

    Por: Benedita Luciana Moraesl Educação> Educação Infantill 27/11/2014
    Silmara Marcela Dobjenski

    Segundo Pimenta, não basta produzir conhecimento, mas é preciso produzir as condições de produção de conhecimento. Ou seja, conhecer significa estar consciente do poder do conhecimento para a produção da vida material, social e existencial da humanidade. A partir de então, Pimenta salienta a necessidade da relação entre teoria e prática, no contexto do curso de Formação de Docentes, fato que auxilia na compreensão da realidade, servindo assim de referência em pesquisas futuras...

    Por: Silmara Marcela Dobjenskil Educação> Ciêncial 13/07/2012 lAcessos: 479
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Uma gotícula da sopa primitiva. Bilhões e bilhões de anos. Resultaram em diversidades. Das formas de vida. Do mesmo núcleo. Resultou a nossa existência. Tudo remonta ao único princípio. O fundamento da célula reprodutora. Muita sorte de sermos o que somos. Duas categorias de primatas. Prossimios e antropoides.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 19/12/2014

    Como se estruturou historicamente a Psicomotricidade na cidade de Uberlândia/MG nas décadas de 90 até os dias atuais e quais os principais avanços e dificuldades enfrentadas? Este artigo tem como objetivos conhecer a historia da Psicomotricidade na cidade de Uberlândia/MG.

    Por: JOSE BRAGA GUIMARAES NETOl Educação> Ensino Superiorl 17/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A concentração é natural, não da forma que está sendo efetivada nesse momento histórico do capitalismo. Com maior evidência no século XXI. O que poderá de algum modo ameaçar a democracia.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 17/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A respeito do saber. Em referência a possibilidade do conhecimento. Um gênio da Filosofia Iluminista alemã. Kant. Relata em sua principal obra. Crítica da Razão da Pura. A maior revolução acadêmica. Sua acepção morfológica da teoria do conhecimento. A natureza do sujeito e do objeto. Mecanismo de cognição. Determinando a metodologia do conhecimento. Em suas divisões epistemológicas. Aos diversos campos aplicativos.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 15/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A identidade representativa artística funciona a coerência lógica por intermédio da ação fundamental do entendimento, o princípio contraditório. Com efeito, não poderá ser compreendida pelo caminho fenomenológico da redução indutiva.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 14/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Venho das Famílias. Vasconcelos, Machado, Batista, Bonito, Dias e Silva da Costa. Meu terceiro avô. Por parte do meu pai. Nicomedes Costa de Vasconcelos. Filho de Cristino Costa e Silva. Primo Machado de Vasconcelos. Casado com Belica Batista de Vasconcelos. Irmã do meu outro bisavô. Manoel Batista.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 12/12/2014 lAcessos: 12
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O filósofo da Escola de Frankfurt Jurgen Habermas formulou uma teoria interessante a respeito da lógica da razão de instrumento. Em primeiro lugar desenvolve o conceito de uma sociedade produtiva alienada do ponto de vista do consumo.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 12/12/2014

    A importância que cada membro da comunidade escolar exerce dentro do educandário, a opinião e a participação dos envolvidos para uma educação de melhor qualidade.

    Por: Paulo Cezar Marangonl Educação> Ensino Superiorl 11/12/2014
    Aparecida Sá

    RESUMO: O presente trabalho procura situar as políticas atuais brasileiras no que se refere à educação, especificamente nos últimos quatro anos, citando alguns programas que estão sendo significativos, pois vem apresentando resultados positivos.

    Por: Aparecida Sál Educação> Ensino Superiorl 20/09/2010 lAcessos: 4,490 lComentário: 1
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast