Avaliação global do aluno do ensino fundamental e ensino médio

Publicado em: 12/11/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 485 |

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (Simulado)

 

            A Avaliação Institucional é o primeiro critério, que envolve ações dos professores coordenadores pedagógicos na seleção e preparo do instrumento avaliativo de conhecimento, aplicado bimestralmente aos estudantes da Unidade Escolar.

            O instrumento avaliativo de conhecimento é gerado pela seleção de questões das disciplinas do Ensino Básico (EF e EM), conforme o bimestre trabalhado pelos respectivos professores (podendo conter assuntos anteriormente assistidos).

            A avaliação conterá questões objetivas, dissertativas e produção de texto escrito (redação), se houver necessidade.

            As questões objetivas e dissertativas e o tema da produção de texto, elaborados pelos referidos professores, poderão ser extraídos do Caderno do Aluno, Livro Didático ou Avaliações do Saresp, e o seu modelo, será conforme o melhor juízo do Corpo Docente.

            O valor da Avaliação Institucional será computado de0 a10 (zero a dez), a qual será inserida na primeira lacuna vertical do campo 07 (AVALIAÇÃO) do Diário de Classe.

           

AVALIAÇÃO DO PROFESSOR

 

            A Avaliação do Professor é o segundo critério, que envolve atividades curriculares junto aos seus alunos, com o objetivo de avaliá-los no processo ensino-aprendizagem do respectivo bimestre.

            As atividades curriculares são todos os instrumentos possíveis de análise, observação, comparação, julgamento e notificação dos conhecimentos, trabalhados em sala de aula ou extraclasses, pelo referido professor junto aos seus alunos.

            O professor da sala tem total liberdade de avaliar o seu aluno, respeitando o seu Plano de Ensino e segundo a sua didática e metodologia profissional (provas, trabalhos, seminários, eventos, exposições, exercícios, caderno do aluno, etc.), registrando suas atividades avaliativas no campo 10 do Diário de Classe.    

            Toda e qualquer atividade curricular realizada em sala de aula ou extraclasse deverá ser pontuada entre0 a10,0 (zero a dez), conforme o merecimento de cada realização, segundo à análise do referido professor.

            O valor da final da Avaliação do Professor será computado de0 a10 (zero a dez), a qual será inserida na segunda lacuna vertical do campo 07 (AVALIAÇÃO) do Diário de Classe.

           

AUTO-AVALIAÇÃO DO ALUNO

 

            A Auto-Avaliação do Aluno é o terceiro critério, que envolve respostas a um auto-questionário. Nele, o estudante fará uma reflexão e responderá sobre o que assimilou da referida disciplina, seu ponto de vista, sugestões, críticas e a nota que merece receber por seu desempenho no referido bimestre letivo.

            O professor da sala poderá utilizar o modelo, em anexo, para ter consigo esse instrumento de avaliação, para poder analisar as respostas dos alunos e melhorar seu desempenho no processo de ensino-aprendizagem da referida disciplina.

            Na Auto-Avaliação do Aluno, o professor poderá manifestar-se, junto aos seus alunos, no intuito de orientá-los como refletir sobre a nota que eles darão para si, no referido bimestre. E, que tal nota, é apenas uma das no processo de Avaliação Global.

            O valor Auto-Avaliação do Aluno será computado de0 a10 (zero a dez), a qual será inserida na terceira lacuna vertical do campo 07 (AVALIAÇÃO) do Diário de Classe.

           

AVALIAÇÃO INTERDISCIPLINAR

 

            A Avaliação Interdisciplinar é o quarto critério, que envolve ações no aspecto da observação, análise e julgamento da sala de aula, como um todo, pelo professor que lá ministra suas aulas.

            A observação, análise e julgamento da sala, em seu todo, envolve a coletividade da turma, no seu aspecto comportamental, isto é, a sala de aula será notificada, conforme o seu procedimento diante da aula do referido professor.

            A Avaliação Interdisciplinar tem por princípio criar o espírito-de-turma entre os alunos, para que todos possam ter o mínimo de comportamento adequado durante as aulas; e com isso, o professor possa ministrá-las adequadamente.     

            O aluno deverá ter consciência que ele será avaliado, por o que ele apresenta e faz para si e para a sua turma (sala de aula).

            Cada professor que ministra aulas, em uma referida sala, deverá apresentar ou registrar ao Professor Coordenador daquela Sala, sua Avaliação Interdisciplinar, isto é, sua nota daquela sala (Isso ocorrerá na digitação no computador ou em Quadro fixado na Sala dos Professores).

            O professor coordenador de sala receberá as notas de cada professor que lá ministra suas aulas e as somará, junto com a sua, e dividirá pelo número de professores daquela série, e terá a nota final da Avaliação Interdisciplinar.

            O total de professores por cada série são as seguintes: EF (9 professores); (EM – 1ª. e 2ª Séries = 12 professores; 3ª. Séries = 14 professores).

            O professor coordenador de sala ao computar as notas de todos os professores da referida série passará aos mesmos a nota final da Avaliação Interdisciplinar.

            O professor que ministra aulas na referida sala de aula, em questão, colocará a nota final da Avaliação Interdisciplinarem seu Diáriode Classe.

            A nota da Avaliação Interdisciplinar será fixada no quadro de avisos da Sala dos Professores, para que todos tenham acesso à mesma.

            O valor Avaliação Interdisciplinar será computado de0 a10 (zero a dez), a qual será inserida na quarta lacuna vertical do campo 07 (AVALIAÇÃO) do Diário de Classe.

 

AVALIAÇÃO EXTENSIVA

 

            Ao somar as notas acima e dividi-las por quatro, será obtido à média bimestral, a qual poderá ser reajustada no percentual de 01 (um) ponto para cima ou para baixo.

 

            A Avaliação Extensiva é uma maneira positiva e ordenada de valorizar o aluno que SMJ do educador foi prejudicado ou que mereça uma notificação ou menção melhor do que lhe foi atribuído.

 

A referida menção será inserida na sexta lacuna vertical do campo 07 (AVALIAÇÃO) do Diário de Classe, pois quinta será destinada para a MÉDIA do aluno.

 

RECUPERAÇÃO CONTÍNUA

 

            A Recuperação Contínua é o quinto critério, que envolve ações no sentido de recuperar o aluno que não atingiu os objetivos propostos e básicos do processo de ensino-aprendizagem, durante o bimestre letivo.

            O aluno que durante as atividades avaliativas (auto-avaliação, avaliação do professor, avaliação institucional e avaliação interdisciplinar) não atingiu o conceito mínimo 5,0 (cinco) deverá realizar a Recuperação Contínua.

            A atividade de Recuperação Contínua ficará a critério do professor, que tem total liberdade de aplicar ao seu aluno-recuperando-contínuo, respeitando o seu Plano de Ensino e segundo a sua didática e metodologia profissional (provas, trabalhos, seminários, eventos, exposições, exercícios, caderno do aluno, etc.), registrando as atividades aplicadas no campo 10 do Diário de Classe.

            A nota obtida pela Recuperação Contínua será somada com o valor total das avaliações anteriores (AUTO-AVALIAÇÃO, AVALIAÇÃO DO PROFESSOR, AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E AVALIAÇÃO INTERDISCIPLINAR) e dividida por DOIS, assim se obtém o CONCEITO FINAL DO ALUNO-RECUPERANDO-CONTÍNUO.

             EXEMPLO:

            O aluno "X" obteve como notas: AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL = 2; AUTO-AVALIAÇÃO = 5; AVALIAÇÃO DO PROFESSOR = 2; AVALIAÇÃO INTERDISCIPLINAR = 7, TOTAL: 16, DIVIDIDA POR 4, TEM-SE a NOTA 4 (QUATRO) como Média Final Bimestral, mesmo após a Reavaliação Corretiva.

Nesse caso, o aluno, que tem a nota "vermelha" deverá realizar a Recuperação Contínua, que valerá de0 a Dez (zero a dez), e será somada ao Conceito Anterior e dividido por DOIS; assim terá o Conceito Final Bimestral do aluno.

            Somente o aluno que não atingiu o conceito mínimo 5,0 (cinco) deverá fazer a Recuperação Contínua.

            O valor da Recuperação Contínua será computado de0 a10 (zero a dez), a qual será inserida na quinta lacuna vertical do campo 07 (AVALIAÇÃO) do Diário de Classe.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/avaliacao-global-do-aluno-do-ensino-fundamental-e-ensino-medio-5388928.html

    Palavras-chave do artigo:

    avaliacao

    ,

    avaliacao global

    ,

    avaliacao continua

    Comentar sobre o artigo

    Pr. Suedem Medeiros

    Avaliar é dinamizar oportunidades de auto-reflexão, num acompanhamento permanente do professor. O professor deve assumir a responsabilidade de refletir sobre toda a produção do conhecimento do aluno, promovendo o movimento, favorecendo a iniciativa e a curiosidade no perguntar e no responder, construindo assim, novos saberes junto com o aluno.

    Por: Pr. Suedem Medeirosl Educação> Ensino Superiorl 03/12/2009 lAcessos: 7,892

    Este artigo teve como finalidade investigar as dificuldades dos docentes do IFAC no tocante à avaliação do ensino-aprendizagem na modalidade PROEJA, como forma de auxiliar na orientação da prática pedagógica. Estuda os critérios avaliativos utilizados em sala de aula e sua relação com o planejamento de ensino global da Instituição. A pesquisa foi enriquecida com o trabalho de campo através de entrevistas semi-estruturadas e análise documental do projeto político-pedagógico dos cursos técnicos.

    Por: Gilmara Amorim de Moraesl Educação> Ensino Superiorl 01/12/2012 lAcessos: 125
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    O artigo destaca a avaliação, tema esse voltado às séries do ensino fundamental. Consiste nas interrogativas sobre o que é avaliação da aprendizagem, avaliação do rendimento e auto-avaliação e sua eficácia. Apresentamos também os critérios para uma avaliação qualitativa, buscando mostrar através das concepções dos autores pesquisados a importância do preparo do educador.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Educação Infantill 22/05/2011 lAcessos: 3,412

    A avaliação institucional é um processo de criação de cultura, de busca contínua de atualização e de auto-superação pelos autores-sujeitos e de auto-regulação institucional, ao nível das estruturas de poder e do sistema, assegurando, assim, sintonia com as mudanças operadas na economia, nas ciências e na tecnologia. Uma concepção ampla de avaliação deve assegurar a articulação entre os sistemas de ensino, por meio do Sistema nacional de educação, bem como agregar indicadores institucionais, t

    Por: marcia simanl Educação> Ensino Superiorl 17/04/2011 lAcessos: 886
    Clecia Pacheco

    O presente trabalho busca fazer uma demonstração dos aspectos teóricos da avaliação no processo de ensino e aprendizagem, destacando sua evolução ao longo dos tempos, o fator nota na avaliação, os princípios básicos e finalidades da avaliação, bem como as suas funções no processo de ensino e aprendizagem.

    Por: Clecia Pachecol Educação> Ensino Superiorl 12/10/2010 lAcessos: 6,316

    RESUMO Neste artigo lançou-se um olhar reflexivo sobre O Papel da Avaliação da Aprendizagem Aplicada na Região da CREDE 07, nas escolas que compõem os municípios de Canindé, Caridade, Paramiti, Itatira e Santa Quitéria. A presente pesquisa surgiu da necessidade de refletirmos sobre a importância da avaliação no processo de ensino-aprendizagem, onde avaliar seja um ato desenvolvido de forma processual, contínuo e diário.

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educação> Ensino Superiorl 03/10/2008 lAcessos: 93,285 lComentário: 3
    Gerisval Alves Pessoa

    Aborda um estudo sobre a Importância que tem o processo de Avaliação de Desempenho para as empresas do ramo de Fast Food. Tem como objetivo principal, compreender a importância do processo de avaliação de desempenho para o sucesso das organizações e para o desenvolvimento profissional das pessoas. Apresenta uma revisão bibliográfica sobre a avaliação de desempenho nas organizações e mostra os aspectos determinantes para a consolidação desse processo. Apresenta um estudo caso em uma organização.

    Por: Gerisval Alves Pessoal Negócios> Gestãol 20/01/2010 lAcessos: 1,598

    Esse artigo retrata sobre a avaliação como uma temática bastante importante no campo das Ciências da Educação. Não é algo de exógeno ao processo de ensino-aprendizagem, nem independente das diversas componentes que envolvem o mesmo processo. A avaliação não serve para avaliar somente o aluno, mais também para avaliar o professor e sua equipe pedagógica.Quando se fala de avaliação não estamos falando de um fato pontual ou de um ato singular, mas de um conjunto de fases que se condicionam mutuamen

    Por: Silvana Brandão Costa Andradel Educação> Ensino Superiorl 19/05/2012 lAcessos: 404

    Neste relato de experiência exitosa lançou-se um olhar reflexivo sobre a avaliação da aprendizagem como parte do processo ensino aprendizagem que tem por fim, garantir a qualidade, verificar a fidelidade da execução dos pressupostos pedagógicos e dos objetivos que determinam a proposta metodológica, verificar o conhecimento que está sendo produzido e assimilado pelo aluno, na sua intensidade e na maneira que isso ocorre. Diante dessas observações que transitam em torna de avaliação educacional.

    Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educação> Ensino Superiorl 03/10/2008 lAcessos: 1,294
    Andrea Ramires Alves

    A educação básica deveria visar fundamentalmente à preparação para o exercício da cidadania, cabendo à escola formar o aluno em conhecimentos, habilidades, valores, atitudes, formas de pensar e atuar na sociedade através de uma aprendizagem que seja significativa. Isto implica em uma análise dos instrumentos e processos presentes nas instituições educacionais.

    Por: Andrea Ramires Alvesl Educaçãol 13/12/2011 lAcessos: 96
    Carla Ravaneda

    A importância da boa formação da docência brasileira, aspectos determinantes na graduação, a importância do estágio supervisionado nos cursos de licenciatura.

    Por: Carla Ravanedal Educação> Ensino Superiorl 11/09/2014 lAcessos: 12
    Zilda Ap. S. Guerrero

    O modelo de aluno que temos hoje em sala de aula, nem de longe lembra- nos os moldes dos alunos dos tempos da escola tradicional, não e somente nas escolas públicas, mas também em diversas escolas particulares e de grande renome no mercado educacional. No entanto, há uma forte contradição entre as aulas ministradas em sala de aula; as quais na grande maioria recheadas de conteúdo e parca praticidade, e quase ausência de contextualização das aulas. Urge então mudanças didáticas na escola atual.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Ensino Superiorl 10/09/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O artigo tem como objetivo explicar a funcionalidade do mundo dos vírus. Para tal é necessário uma análise de suas principais características, a definição fundamental da mecanicidade funcional evolutiva dos parasitas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 08/09/2014
    Ana Paula Assaife

    Este artigo analisa as dificuldades encontradas pelos docentes em sala de aula para o uso das tecnologias voltadas para educação. Estudos sobre a modernidade mostra que esta dificuldade é muito comum nas universidades públicas do Estado do Rio de Janeiro. Temos por objetivo analisar os impactos da modernidade sobre a universidade e seus desafios. .Conceituar Modernidade e estudar novas prácticas para o l uso da tecnologia no processo ensino/aprendizagem.

    Por: Ana Paula Assaifel Educação> Ensino Superiorl 04/09/2014 lAcessos: 15

    O presente artigo apresenta a resiliência em um ambiente educacional e o papel dos profissionais que ali trabalham para a formação deste aluno. A escola tem papel fundamental na educação de seres resilientes, capazes de transformar e reinventar novas formas para lidar com as adversidades do cotidiano. Sendo o professor uma espécie de facilitador da aprendizagem, exercendo um papel fundamental no incentivo, construção, articulação de informações e saberes na formação dos educandos.

    Por: Zípora Raquel de Paulal Educação> Ensino Superiorl 01/09/2014 lAcessos: 13

    Este trabalho verso a partir de Kant a problemática sobre o Esclarecimento, que irá mostrar a possibilidade do homem sair de sua menoridade, sendo assim, o mesmo terá capacidade suficiente para estruturar um pensamento autônomo, isto é de pensar por conta própria usando a liberdade de entendimento sem que dependa de outras pessoas para obter a maioridade, entretanto, com essa atitude atingir a própria independência intelectual.

    Por: Derivanial Educação> Ensino Superiorl 01/09/2014

    É inegável que nos últimos anos o tema "Diversidade" tem sido bastante discutido , principalmente no setor educacional. Estamos hoje vivenciando um novo momento em que já se admite, ainda que minimante, a existência de preconceitos diversos e racismo no território brasileiro. Quando o tema diversidade entra em cena, abrimos as portas para que o nosso ponto de vista sobre o outro, e de outros sobre nós sejam apercebidos sob uma nova ótica. Esta que torna "o diferente" tão belo quanto "o eu".

    Por: Ivanilda da Silva Cunhal Educação> Ensino Superiorl 27/08/2014
    Tony Monteiro

    Nos últimos anos, houve uma profunda mudança na maneira de construir, pois antigamente as alvenarias eram utilizadas como elemento resistente e de vedação e a sua estabilidade e resistência eram definidos em função de sua geometria.

    Por: Tony Monteirol Educação> Ensino Superiorl 26/08/2014

    Este trabalho pairou sobre reflexões em cerca de 100 alunos e alunas que nos determinados momentos de seus estudos escolares não se preocupavam muito em estudar com afinco (memorização, aplicação em sala de aula). Realizamos entrevistas com os envolvidos, após 15 anos, de suas formaturas, denotamos que, o intelectualismo contribuiu em torno de 15% para os seus sucessos pessoais, sociais e profissionais e 85% estavam relacionados com as capacidades de suas inteligências diversas postas em prática

    Por: ADALBERTO ALABARCEl Educação> Ciêncial 12/11/2011 lAcessos: 202
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast