Como avaliar nas séries iniciais do ensino fundamental

Publicado em: 13/06/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 5,530 |

A avaliação é um processo natural que nos permite ter consciência do que fazemos, da qualidade do que fazemos e das consequências que nossas ações acarretam. A qualificação e a mediação, ao contrário, são produtos artificiais que costumam prestar-se a finalidades que não são essencialmente formativas, prioritariamente educativas. A avaliação deve ser constante para fornecer dados que permitam ao professor e aos alunos rever, repensar e redefinir seus objetivosAssim o resultado da avaliação se constitui em dados não só dos avanços obtidos pelos alunos, de suas dificuldades e possibilidades de novas aprendizagens, mas também do acompanhamento do professor durante o processo de ensino. Nessa perspectiva o erro cometido pelo aluno não deve ser entendido como incapacidade de aprender. Ao contrário, o erro deve ser compreendido como o indicador para o professor,  de que se faz necessária a utilização de novas estratégias para intervir pedagogicamente e, para o aluno, de que novos caminhos poderão ser percorridos para o alcance de sua aprendizagem.Para muitos professores, antes valia o ensinar. Hoje a ênfase esta no aprender. Isso significa uma mudança em quase todos os níveis educacionais. O professor deixa de ser aquele que passa as informações para ver quem, numa parceria com os alunos prepara todos para que elaborem seu conheciA LDB aprovada em 1996, determina que a avaliação seja contínua e cumulativa e que os aspectos qualitativos prevaleçam sobre os quantitativos. Da mesma forma os resultados obtidos pelos estudantes ao longo do ano escolar devem ser mais valorizados que a nota da prova final.Essa forma de avaliar põe em queatão não apenas um projeto educacional, mas uma mudança social. Para que a avaliação sirva à aprendizagem é essencial conhecer cada aluno e suas necessidades. Assim o professor poderá pensar em caminhos para que todos alcancem os objetivos; o importante não é identificar problemas de aprendizagem, mas necessidades

Nesse sentido, para que o aluno aprenda adequadamente precisa de dinâmicas autopoiéticas, não reprodutivas. O professor pode, por exemplo, usar a avaliação para repensar sua prepotência, o "direito" de reprovar, ou para excluir alunos mais pobres, ou para estigmatizar alunos que aprendem mais devagar ou que tenham dificuldades maiores. Em segundo lugar é imprescindível observar que vivendo numa sociedade de classes como a nossa em contexto de desigualdades muito extremadas, não se pode fechar os olhos para a realidade concreta também em sala de aula, os alunos classificam-se, assim como os professores classificam-se e classificam os alunos.

A minha pesquisa procede de introdução sobre o tema "Como avaliar nas séries iniciais do ensino fundamental" que foi realizada através de pesquisa bibliográfica, leitura de revistas e livros. A avaliação é uma investigação que vem colaborar para o ato permanente de observação e análise que a avaliação diagnóstica favorece nas situações, desde as mais simples às mais complexas.

REFERÊNCIAS

 

ALVARENGA, Jener Procópio de; PEDERSOLI, José Luiz; FILHO, Moacir Assis. Ciências naturais no dia-a-dia. Ed.1º. Curitiba, 2004.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Gestão em rede - CONSED - Conselho Nacional de Secretários de Educação. Agosto, nº 79, 2007.

 

BRASIL. Ministério da educação - Secretaria de Educação Básica. Indagações sobre currículo - currículo e avaliação. Brasília, 2008.

 

BRASIL. Ministério da Educação - Secretaria de Educação Básica. Orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade - Ensino fundamental de nove anos. Ed.2º. Brasília, 2007

 

PÁTIO. Revista Pedagógica. Editora: Artmed, Ano IX, nº 34. Maio/Julho, 2005.

 

NOVA ESCOLA. Revista. Fundação Victor Civita. Ed.191. Abril, 2006.

 

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO. Escola Ciclada de Mato Grosso – novos tempos e espaços para ensinar, aprender a sentir, ser e fazer. Ed.2ª. Cuiabá, 2001.    

 

TERRA. Ernani; CAVALLETE. Floriana. Português para todos. Ed. 2ª.

Editora: Scipione. São Paulo, 2007.

 

BRASIL. Ministério da Educação. PCN – Ensino Médio – Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros  Curriculares Nacionais. Brasília, 2002.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/como-avaliar-nas-series-iniciais-do-ensino-fundamental-4901279.html

    Palavras-chave do artigo:

    avaliacao

    ,

    ensino e series iniciais

    Comentar sobre o artigo

    Clecia Pacheco

    O presente trabalho busca fazer uma demonstração dos aspectos teóricos da avaliação no processo de ensino e aprendizagem, destacando sua evolução ao longo dos tempos, o fator nota na avaliação, os princípios básicos e finalidades da avaliação, bem como as suas funções no processo de ensino e aprendizagem.

    Por: Clecia Pachecol Educação> Ensino Superiorl 12/10/2010 lAcessos: 6,317

    Este texto tem por objetivo ajudar o professos uma forma mais recreativa para ensinar a Disciplina de Educação Fisica.

    Por: João do Rozario Limal Educaçãol 13/04/2008 lAcessos: 241,283 lComentário: 61

    TELLES, L, P, S Lucimária Telles ( Estudante do 8º Semestre do curso de Pedagogia) lucimariasatelles@hotmail.com Rosilene Santos ( Estudante do 8º Semestre do curso de Pedagogia) SANTOS, R, P, S rpss8@hotmail.com Isaura Oliveira ( Professora Orientadora) OLIVEIRA, I. F. DE . O presente artigo analisa quais são os saberes necessários ao educador do ensino fundamental das series iniciais para o exercício da

    Por: ISAURA FRANCISCO DE OLIVIERAl Educaçãol 30/11/2008 lAcessos: 6,113
    Carla Cardoso Gomes

    O presente artigo é resultado de uma pesquisa para a obtenção do título de graduada do curso de Pedagogia pela Faculdade Evangélica Cristo Rei – FECR, realizada com alunos do Ensino Fundamental I, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Monsenhor José Borges. O objetivo dessa pesquisa é explicitar a concepção de leitura realizada por alunos do 4º Ano do Ensino Fundamenta I e também do professor.

    Por: Carla Cardoso Gomesl Educação> Educação Infantill 05/08/2014 lAcessos: 32
    kelvia Fabiana Tavares Leite

    Este trabalho tem como objetivo relatar experiências feita com alunos da rede estadual, onde percebe-se a necessidade de ampliar e integrar as disciplinas de ética, cidadania educação sexual, saúde, meio ambiente e pluralidade cultural nas séries iniciais. A importância de desenvolver um trabalho voltado para a sexualidade infantil, é a de proporcionar momentos de reflexão com as crianças para que os mesmos possam entender o ser humano e suas relações, a valorização da essência do ser...

    Por: kelvia Fabiana Tavares Leitel Educação> Educação Infantill 10/11/2009 lAcessos: 6,645 lComentário: 1

    A leitura é uma atividade permanente da condição humana, uma habilidade a ser adquirida desde cedo e treinada em suas várias formas, portanto, é na escola que desperta-se a paixão de ler. É de fundamental importância que as escolas trabalhem a leitura nas séries iniciais, através de projetos, incentivando assim, o gosto e o prazer ao ler, de uma forma descompromissada e sem cobrança, acontecendo assim, a fruição.

    Por: nilda flores schutzl Educação> Línguasl 30/12/2013 lAcessos: 116

    O presente artigo tem por objetivo de promover reflexões sobre a prática educativa vivenciada diariamente neste contexto possibilitando ao educador desenvolver um olhar critico sobre sua atuação e os resultados de suas ações, referente a Inclusão Nas Séries Iniciais.

    Por: Edlene Maria da Silval Educação> Educação Infantill 08/11/2011 lAcessos: 816
    Silmara Marcela Dobjenski

    Segundo Pimenta, não basta produzir conhecimento, mas é preciso produzir as condições de produção de conhecimento. Ou seja, conhecer significa estar consciente do poder do conhecimento para a produção da vida material, social e existencial da humanidade. A partir de então, Pimenta salienta a necessidade da relação entre teoria e prática, no contexto do curso de Formação de Docentes, fato que auxilia na compreensão da realidade, servindo assim de referência em pesquisas futuras...

    Por: Silmara Marcela Dobjenskil Educação> Ciêncial 13/07/2012 lAcessos: 449
    ROBSON LIMA DE ARRUDA

    O presente artigo propõe uma reflexão sobre a formação didática dos professores. Discutimos sobre o professor, a formação inicial e continuada, os saberes empíricos e pedagógicos e a Didática, buscando suporte em autores como Pimenta, Libaneo, Luckesi, entre outros. Apresentamos dados de uma pesquisa realizada com professores formados e em formação com e sem exercício na docência para entender como os cursos de formação em nível médio e superior trabalham com a didática.

    Por: ROBSON LIMA DE ARRUDAl Educaçãol 02/11/2009 lAcessos: 16,353 lComentário: 2
    Carla Ravaneda

    A importância da boa formação da docência brasileira, aspectos determinantes na graduação, a importância do estágio supervisionado nos cursos de licenciatura.

    Por: Carla Ravanedal Educação> Ensino Superiorl 11/09/2014 lAcessos: 12
    Zilda Ap. S. Guerrero

    O modelo de aluno que temos hoje em sala de aula, nem de longe lembra- nos os moldes dos alunos dos tempos da escola tradicional, não e somente nas escolas públicas, mas também em diversas escolas particulares e de grande renome no mercado educacional. No entanto, há uma forte contradição entre as aulas ministradas em sala de aula; as quais na grande maioria recheadas de conteúdo e parca praticidade, e quase ausência de contextualização das aulas. Urge então mudanças didáticas na escola atual.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Ensino Superiorl 10/09/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O artigo tem como objetivo explicar a funcionalidade do mundo dos vírus. Para tal é necessário uma análise de suas principais características, a definição fundamental da mecanicidade funcional evolutiva dos parasitas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 08/09/2014
    Ana Paula Assaife

    Este artigo analisa as dificuldades encontradas pelos docentes em sala de aula para o uso das tecnologias voltadas para educação. Estudos sobre a modernidade mostra que esta dificuldade é muito comum nas universidades públicas do Estado do Rio de Janeiro. Temos por objetivo analisar os impactos da modernidade sobre a universidade e seus desafios. .Conceituar Modernidade e estudar novas prácticas para o l uso da tecnologia no processo ensino/aprendizagem.

    Por: Ana Paula Assaifel Educação> Ensino Superiorl 04/09/2014 lAcessos: 15

    O presente artigo apresenta a resiliência em um ambiente educacional e o papel dos profissionais que ali trabalham para a formação deste aluno. A escola tem papel fundamental na educação de seres resilientes, capazes de transformar e reinventar novas formas para lidar com as adversidades do cotidiano. Sendo o professor uma espécie de facilitador da aprendizagem, exercendo um papel fundamental no incentivo, construção, articulação de informações e saberes na formação dos educandos.

    Por: Zípora Raquel de Paulal Educação> Ensino Superiorl 01/09/2014 lAcessos: 13

    Este trabalho verso a partir de Kant a problemática sobre o Esclarecimento, que irá mostrar a possibilidade do homem sair de sua menoridade, sendo assim, o mesmo terá capacidade suficiente para estruturar um pensamento autônomo, isto é de pensar por conta própria usando a liberdade de entendimento sem que dependa de outras pessoas para obter a maioridade, entretanto, com essa atitude atingir a própria independência intelectual.

    Por: Derivanial Educação> Ensino Superiorl 01/09/2014

    É inegável que nos últimos anos o tema "Diversidade" tem sido bastante discutido , principalmente no setor educacional. Estamos hoje vivenciando um novo momento em que já se admite, ainda que minimante, a existência de preconceitos diversos e racismo no território brasileiro. Quando o tema diversidade entra em cena, abrimos as portas para que o nosso ponto de vista sobre o outro, e de outros sobre nós sejam apercebidos sob uma nova ótica. Esta que torna "o diferente" tão belo quanto "o eu".

    Por: Ivanilda da Silva Cunhal Educação> Ensino Superiorl 27/08/2014
    Tony Monteiro

    Nos últimos anos, houve uma profunda mudança na maneira de construir, pois antigamente as alvenarias eram utilizadas como elemento resistente e de vedação e a sua estabilidade e resistência eram definidos em função de sua geometria.

    Por: Tony Monteirol Educação> Ensino Superiorl 26/08/2014

    As novas tecnologias voltadas a atender as necessidades informacionais, contextualizadas de acordo com o perfil da instituição, meio social em que esta está inserida e necessidades do usuário. A Biblioteca inserida no contexto sócio-cultural, com sua missão voltada a atender as necessidades dos alunos em geral, configurando-se nas atividades voltadas à cultura, educação e lazer.

    Por: MARLENE GODOY GUERRAl Educação> Educação Infantill 13/06/2011 lAcessos: 2,294

    Essa pesquisa tem por objetivo abordar a importância da atividade lúdica, representada por jogos e brincadeiras, podem desenvolver o aprendizado da criança dentro da sala de aula: o lúdico se apresenta como uma ferramenta de ensino para o desenvolvimento do aluno nos anos iniciais. Sabemos que a ludicidade é uma necessidade do ser humano em todas as idades e não pode ser vista apenas como diversão ou momentos de prazer, mas momentos de desenvolver a criatividade, a socialização com o próximo, o

    Por: MARLENE GODOY GUERRAl Educação> Educação Infantill 06/06/2011 lAcessos: 4,268
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast