Como avaliar nas séries iniciais do ensino fundamental

Publicado em: 13/06/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 6,092 |

A avaliação é um processo natural que nos permite ter consciência do que fazemos, da qualidade do que fazemos e das consequências que nossas ações acarretam. A qualificação e a mediação, ao contrário, são produtos artificiais que costumam prestar-se a finalidades que não são essencialmente formativas, prioritariamente educativas. A avaliação deve ser constante para fornecer dados que permitam ao professor e aos alunos rever, repensar e redefinir seus objetivosAssim o resultado da avaliação se constitui em dados não só dos avanços obtidos pelos alunos, de suas dificuldades e possibilidades de novas aprendizagens, mas também do acompanhamento do professor durante o processo de ensino. Nessa perspectiva o erro cometido pelo aluno não deve ser entendido como incapacidade de aprender. Ao contrário, o erro deve ser compreendido como o indicador para o professor,  de que se faz necessária a utilização de novas estratégias para intervir pedagogicamente e, para o aluno, de que novos caminhos poderão ser percorridos para o alcance de sua aprendizagem.Para muitos professores, antes valia o ensinar. Hoje a ênfase esta no aprender. Isso significa uma mudança em quase todos os níveis educacionais. O professor deixa de ser aquele que passa as informações para ver quem, numa parceria com os alunos prepara todos para que elaborem seu conheciA LDB aprovada em 1996, determina que a avaliação seja contínua e cumulativa e que os aspectos qualitativos prevaleçam sobre os quantitativos. Da mesma forma os resultados obtidos pelos estudantes ao longo do ano escolar devem ser mais valorizados que a nota da prova final.Essa forma de avaliar põe em queatão não apenas um projeto educacional, mas uma mudança social. Para que a avaliação sirva à aprendizagem é essencial conhecer cada aluno e suas necessidades. Assim o professor poderá pensar em caminhos para que todos alcancem os objetivos; o importante não é identificar problemas de aprendizagem, mas necessidades

Nesse sentido, para que o aluno aprenda adequadamente precisa de dinâmicas autopoiéticas, não reprodutivas. O professor pode, por exemplo, usar a avaliação para repensar sua prepotência, o "direito" de reprovar, ou para excluir alunos mais pobres, ou para estigmatizar alunos que aprendem mais devagar ou que tenham dificuldades maiores. Em segundo lugar é imprescindível observar que vivendo numa sociedade de classes como a nossa em contexto de desigualdades muito extremadas, não se pode fechar os olhos para a realidade concreta também em sala de aula, os alunos classificam-se, assim como os professores classificam-se e classificam os alunos.

A minha pesquisa procede de introdução sobre o tema "Como avaliar nas séries iniciais do ensino fundamental" que foi realizada através de pesquisa bibliográfica, leitura de revistas e livros. A avaliação é uma investigação que vem colaborar para o ato permanente de observação e análise que a avaliação diagnóstica favorece nas situações, desde as mais simples às mais complexas.

REFERÊNCIAS

 

ALVARENGA, Jener Procópio de; PEDERSOLI, José Luiz; FILHO, Moacir Assis. Ciências naturais no dia-a-dia. Ed.1º. Curitiba, 2004.

 

BRASIL. Ministério da Educação. Gestão em rede - CONSED - Conselho Nacional de Secretários de Educação. Agosto, nº 79, 2007.

 

BRASIL. Ministério da educação - Secretaria de Educação Básica. Indagações sobre currículo - currículo e avaliação. Brasília, 2008.

 

BRASIL. Ministério da Educação - Secretaria de Educação Básica. Orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade - Ensino fundamental de nove anos. Ed.2º. Brasília, 2007

 

PÁTIO. Revista Pedagógica. Editora: Artmed, Ano IX, nº 34. Maio/Julho, 2005.

 

NOVA ESCOLA. Revista. Fundação Victor Civita. Ed.191. Abril, 2006.

 

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO. Escola Ciclada de Mato Grosso – novos tempos e espaços para ensinar, aprender a sentir, ser e fazer. Ed.2ª. Cuiabá, 2001.    

 

TERRA. Ernani; CAVALLETE. Floriana. Português para todos. Ed. 2ª.

Editora: Scipione. São Paulo, 2007.

 

BRASIL. Ministério da Educação. PCN – Ensino Médio – Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros  Curriculares Nacionais. Brasília, 2002.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/como-avaliar-nas-series-iniciais-do-ensino-fundamental-4901279.html

    Palavras-chave do artigo:

    avaliacao

    ,

    ensino e series iniciais

    Comentar sobre o artigo

    Clecia Pacheco

    O presente trabalho busca fazer uma demonstração dos aspectos teóricos da avaliação no processo de ensino e aprendizagem, destacando sua evolução ao longo dos tempos, o fator nota na avaliação, os princípios básicos e finalidades da avaliação, bem como as suas funções no processo de ensino e aprendizagem.

    Por: Clecia Pachecol Educação> Ensino Superiorl 12/10/2010 lAcessos: 6,644

    Este texto tem por objetivo ajudar o professos uma forma mais recreativa para ensinar a Disciplina de Educação Fisica.

    Por: João do Rozario Limal Educaçãol 13/04/2008 lAcessos: 241,831 lComentário: 61

    TELLES, L, P, S Lucimária Telles ( Estudante do 8º Semestre do curso de Pedagogia) lucimariasatelles@hotmail.com Rosilene Santos ( Estudante do 8º Semestre do curso de Pedagogia) SANTOS, R, P, S rpss8@hotmail.com Isaura Oliveira ( Professora Orientadora) OLIVEIRA, I. F. DE . O presente artigo analisa quais são os saberes necessários ao educador do ensino fundamental das series iniciais para o exercício da

    Por: ISAURA FRANCISCO DE OLIVIERAl Educaçãol 30/11/2008 lAcessos: 6,150
    Carla Cardoso Gomes

    O presente artigo é resultado de uma pesquisa para a obtenção do título de graduada do curso de Pedagogia pela Faculdade Evangélica Cristo Rei – FECR, realizada com alunos do Ensino Fundamental I, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Monsenhor José Borges. O objetivo dessa pesquisa é explicitar a concepção de leitura realizada por alunos do 4º Ano do Ensino Fundamenta I e também do professor.

    Por: Carla Cardoso Gomesl Educação> Educação Infantill 05/08/2014 lAcessos: 117

    O presente artigo procura evidenciar a leitura em seus diversos aspectos, bem como demonstrar a sua importância desde as séries iniciais. Ler corresponde ao processo de apreensão da realidade que cerca o sujeito. A escola se torna fator fundamental na formação do leitor e na aquisição do hábito da leitura.

    Por: Arlete Luiza de Souzal Educação> Educação Infantill 02/11/2014 lAcessos: 41
    kelvia Fabiana Tavares Leite

    Este trabalho tem como objetivo relatar experiências feita com alunos da rede estadual, onde percebe-se a necessidade de ampliar e integrar as disciplinas de ética, cidadania educação sexual, saúde, meio ambiente e pluralidade cultural nas séries iniciais. A importância de desenvolver um trabalho voltado para a sexualidade infantil, é a de proporcionar momentos de reflexão com as crianças para que os mesmos possam entender o ser humano e suas relações, a valorização da essência do ser...

    Por: kelvia Fabiana Tavares Leitel Educação> Educação Infantill 10/11/2009 lAcessos: 6,816 lComentário: 1

    A leitura é uma atividade permanente da condição humana, uma habilidade a ser adquirida desde cedo e treinada em suas várias formas, portanto, é na escola que desperta-se a paixão de ler. É de fundamental importância que as escolas trabalhem a leitura nas séries iniciais, através de projetos, incentivando assim, o gosto e o prazer ao ler, de uma forma descompromissada e sem cobrança, acontecendo assim, a fruição.

    Por: nilda flores schutzl Educação> Línguasl 30/12/2013 lAcessos: 247

    O presente artigo tem por objetivo de promover reflexões sobre a prática educativa vivenciada diariamente neste contexto possibilitando ao educador desenvolver um olhar critico sobre sua atuação e os resultados de suas ações, referente a Inclusão Nas Séries Iniciais.

    Por: Edlene Maria da Silval Educação> Educação Infantill 08/11/2011 lAcessos: 884
    Maria Elena Guimarães Regiani

    Atualmente a palavra inclusão tem realmente tomado conta dos espaços principalmente das mídias, já virou um modismo muito discutido no momento, pelos governantes. As escolas, professores e funcionários estão preparados para acolher e aceitar pessoas "deficientes" ou "diferentes", portadoras de necessidades especiais? Esses questionamentos levaram à escolha deste tema "A inclusão de portadores de necessidade especiais nas séries iniciais". Certamente que muito já evoluímos na busca da defesa e ga

    Por: Maria Elena Guimarães Regianil Educação> Ensino Superiorl 19/01/2015 lAcessos: 80
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Apenas cinco milhões de anos. Inexaurivelmente. O suficiente. O universo ficará escuro. O infinito transformará. Em um grande deserto. Frio e árido. Latíbulo.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 24/02/2015

    As tecnologias digitais da informação revolucionaram (e continuam revolucionando) as profissões da comunicação. Ainda que exista uma base teórico-reflexiva que permaneça estável e indispensável, há nova prática e novo saber profissional que, assim como as transformações tecnológicas, mudam continuamente e trazem desafios complexos para a universidade e para o ensino.

    Por: Central Pressl Educação> Ensino Superiorl 23/02/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Somente a Filosofia dá direito ao cidadão ser realmente crítico. Qualquer disciplina, sobretudo, na área do espírito, não poderá ser crítica sem a Filosofia, como instrumento de análise epistemológica. No entanto, a Filosofia é uma disciplina extremamente difícil, complexa e diversa, aplicada em campos variados com fundamentos diferenciados.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/02/2015
    Genilda Vieira Rodrigues

    Este artigo trata-se de um estudo bibliográfico, cujo objetivo foi desvelar a ação supervisora frente a situação indisciplinar discente; considerando aspectos condizentes a função do psicopedagogo na história brasileira, tendo em vista o seu papel de controlar e fiscalizador, como também de cunho participativo; comprometido com o processo de ensinar e aprender, com observância da coerência/incoerência entre as funções atribuídas a este profissional, e a que ele deve realmente desempenhar e sua i

    Por: Genilda Vieira Rodriguesl Educação> Ensino Superiorl 21/02/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Qual o significado etimológico. Da palavra República. Na morfologia romana. Como força do poder imperial. Res Pública, coisa pública. O que pertencia aos patrícios. Governo formado pelo Senado. Pelos magistrados e assembleias. Tais conceituações tinham forças próprias.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/02/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A vida surgiu na terra aproximadamente. A 3.5 bilhões de anos, uma hipótese. Plausível. Apareceram diversidades de vidas. Resultadas da evolução de um DNA ascentral. Comum a todas as replicações. Ramificaram e diversificaram.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 17/02/2015

    O objetivo do presente artigo é analisar como ocorrem os processos de inclusão de educandos com necessidades especiais na Educação de Jovens e Adultos (EJA), no sistema regular de ensino. Trata-se de um estudo qualitativo abordando a EJA e a inclusão escolar com base na legislação vigente, decretos e conferências que tratam do tema em estudo. Essas abordagens servirão de suporte para o trabalho desenvolvido na EJA do sistema municipal de Teresina tendo com espaço de pesquisa a Escola Municipal P

    Por: JURACI ARAÚJO TEIXEIRAl Educação> Ensino Superiorl 17/02/2015

    O presente estudo trata-se de uma revisão de literatura sobre a alfabetização de adultos e os desafios da EJA. Nesta perspectiva, buscou-se apresentar alguns aspectos teóricos, como também fundamentos que subsidiam a proposta pedagógica da Educação de Jovens e Adultos – EJA, elaborada pela SEMEC para a condução do processo de alfabetização de adultos, na rede escolar municipal de Teresina – PI, colocando em pauta a discussão sobre as questões relacionadas a alfabetização direcionada a esta popul

    Por: JURACI ARAÚJO TEIXEIRAl Educação> Ensino Superiorl 17/02/2015

    As novas tecnologias voltadas a atender as necessidades informacionais, contextualizadas de acordo com o perfil da instituição, meio social em que esta está inserida e necessidades do usuário. A Biblioteca inserida no contexto sócio-cultural, com sua missão voltada a atender as necessidades dos alunos em geral, configurando-se nas atividades voltadas à cultura, educação e lazer.

    Por: MARLENE GODOY GUERRAl Educação> Educação Infantill 13/06/2011 lAcessos: 2,327

    Essa pesquisa tem por objetivo abordar a importância da atividade lúdica, representada por jogos e brincadeiras, podem desenvolver o aprendizado da criança dentro da sala de aula: o lúdico se apresenta como uma ferramenta de ensino para o desenvolvimento do aluno nos anos iniciais. Sabemos que a ludicidade é uma necessidade do ser humano em todas as idades e não pode ser vista apenas como diversão ou momentos de prazer, mas momentos de desenvolver a criatividade, a socialização com o próximo, o

    Por: MARLENE GODOY GUERRAl Educação> Educação Infantill 06/06/2011 lAcessos: 4,903
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast