Estatística - Importância Da Análise Exploratória De Dados No Contexto De Uma Investigação

18/12/2009 • Por • 1,596 Acessos

O que é a AED

 A análise exploratória de dados (AED) é um conjunto essencial e indispensável de ferramentas que nos permite organizar, sumariar e interpretar dados rapidamente e sem procedimentos estatísticos complicados. A AED deve ser sempre o primeiro passo do processo de análise. Por um lado, porque ao analisar os dados podemos constatar quais os traços ou padrões mais evidentes.

 

A importância da AED

 1. Quando se conduz uma investigação há naturalmente várias expectativas ou hipóteses em relação aos resultados. Através da AED rapidamente ficam com uma ideia de como essas expectativas se confirmam ou não;

 2. Por outro lado, a AED permite ao investigador ver padrões nos dados que não estavam debaixo de hipóteses e que podem ser interessantes na interpretação dos resultados da pesquisa. E isto não é fishing, é encontrar algo que os “olhos” do investigador não conseguiam ver apriori, porque, por exemplo, o fenómeno em estudo não era suficientemente conhecido pela sociedade científica;

 3. Outra vantagem óbvia é a ajuda na detecção de erros relacionados com a entrada dos dados (não devia acontecer, mas acontece aos melhores!). Um determinado valor de um sujeito, suponhamos 1,78 metros de altura, que entrou como 178 afecta certamente as estatísticas do grupo em estudo e a sua análise;

 4. Um outro aspecto importante é que algumas estatísticas podem ser enganosas. Os testes são enganosos quando são mal aplicados, mal usados e incorrectamente interpretados. Determinados testes estatísticos requerem dados com requisitos e pressupostos específicos. Se os dados são apropriados para um teste estatístico específico poderão fornecer informação mais útil; se não são apropriados poderão fornecer dados sem significado.

Infelizmente muitos investigadores partem cedo de mais para análise estatísticas complexas sem explorar cuidadosamente os seus dados.

 5. Lembremo-nos do velho ditado acerca dos computadores: “Entra lixo, sai lixo”. Isto significa que os resultados saídos do computador não são melhores do que a informação que lá introduzimos. Com as estatísticas passa-se o mesmo. Um teste estatístico não é mais do que um conjunto de operações matemáticas. Se os números não são significativos ou se um teste particular não é o apropriado, os resultados do procedimento estatístico não terão significado. As estatísticas não gracejam, mentem, ou decepcionam. As pessoas é que fazem dessas coisas. Para evitar esses problemas, nós, os utilizadores das estatísticas, devemos conhecer o mais possível os nossos dados.

Perfil do Autor

Mpinto

Professor do Ensino Superior há mais de 20 anos, lecciona a disciplina de Estatística e Metodologias de Investigação, orientou e arguiu já...