Lukács. História e Consciência de Classe

Publicado em: 21/12/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 13 |

Gyorgy Lukács.   Hungria.

1885-1971.

Ele desenvolveu uma filosofia política, cujo conteúdo sistemático obrigava  necessariamente pensar a sociedade como um todo.  Procura analisar tudo do  ponto vista histórico e dialeticamente, interligando os fatos de forma  interdisciplinar.

Era marxista e escreveu livros importantes, entre eles podemos citar História  e consciência de classe, nessa obra faz uma analise dialética das condições  históricas do desenvolvimento capitalista, os meios adequados para a criação da  nova sociedade, ou seja, o socialismo de Estado.  

Ele afirmava que a única classe que tem condições de fazer uma análise  visando entender à totalidade da sociedade capitalista, seria a classe  trabalhadora, isso pelo motivo que a mesma é prejudicada na forma que se realiza  o desenvolvimento capitalista.

O proletário consegue entender a sociedade capitalista, porque o mesmo é  produto das crises permanentes e ao mesmo tempo é vítima dessas crises, a  transformação política e econômica interessa aquele que sofre na pele o  significado da exploração. 

Quando o proletário entende o capitalismo, o mecanismo por meio do qual  produz a própria pobreza, é imponderável o termo riqueza sem sua contrapartida,  o fenômeno da pobreza, motivo pelo qual, riqueza e pobreza são produtos de um  mesmo mecanismo de desenvolvimento capitalista.

O Estado é o mecanismo que garante a exploração, sem o mesmo a burguesia não  seria capaz de realizar suas revoluções industriais, ninguém é pobre por  incapacidade, a pobreza é algo produzido politicamente, por isso mesmo só  através da política poderá chegar à construção de um relativo Estado de  Igualdade, o proletário politizado tem essa consciência.

A teoria de classe é elo entre teoria e consciência revolucionária, com  efeito, quando a mesma não é revolucionaria diz Lukács, é uma consciência  massificada, alienada sem nenhuma produção social para a mudança política,  visando à igualdade e bem estar social, o que não poderá acontecer na sociedade  capitalista.

Posteriormente Lukács faz uma crítica ao seu próprio livro, História e  consciência de classe, isso devido a sua análise um tanto subjetiva, entende  ele, que a luta não é tão imediata como por outro lado, a própria consciência, e  que às vezes o desenvolvimento da sociedade capitalista tem poder de captar o  trabalhador para o próprio movimenta capitalista, evitando que o mesmo seja de  fato revolucionário.

Lukács, posteriormente muito desiludido com a perspectiva revolucionaria  imediata, porém, crítico, percebendo que a mudança social não era muito simples,  marxista como era, resolveu desenvolver sua reflexão política modificando um  pouco o seu campo de ação social, sem perder a perspectiva da revolução.

Voltou se mais para estética e para a crítica literária, na sua ultima obra,  Ontologia do ser social, encontramos importantes contribuições à teoria marxista  da história e da política.

Ele procurou recuperar aspectos importantes da obra de Marx, analisando em  particular os aspectos importantes de sua teoria, para o processo de mudança  social, em referencia ao modelo capitalista, em direção a uma sociedade  socialista.

O entendimento humano em sua existência social, como produto do meio, dos  mecanismos dos tempos históricos, quando o homem não consegue desenvolver a  linguagem necessária ao próprio tempo, dentro da história, isso significa um  homem coisificado,  o que não é absolutamente nada do ponto de vista da sua  história política.

Lukács também integrou os textos de Marx, reconheceu uma continuidade entre  eles, na mesma perspectiva, cumprindo suas fases de análises visando exatamente  à transformação política da sociedade, nesse sentido prestou um grande serviço à  teoria revolucionário de Marx, para a superação do próprio capitalismo, isso do  ponto de vista da teoria, no desenvolvimento de uma análise epistemológica.

Edjar Dias de Vasconcelos. 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/lukacs-historia-e-consciencia-de-classe-6369468.html

    Palavras-chave do artigo:

    os conflitos no interior de uma sociedade politica

    Comentar sobre o artigo

    Luzanira Ferreira de Aguiar

    Pretende-se nesta pesquisa compreender os pressupostos dos conflitos interpessoais no interior da escola, sabe-se que a escola por ser um sistema educacional-governamental tem uma maneira de ver o mundo que se reflete nas políticas educacionais que inter-relaciona pessoas, instituições de maneira harmônica e ás vezes contraditória e o gestor escolar faz parte desse sistema, funcionando como elo, por isso, conceituaremos gestão escolar, buscaremos entender o processo de comunicação frente aos con

    Por: Luzanira Ferreira de Aguiarl Educação> Ensino Superiorl 01/10/2009 lAcessos: 2,992

    A Educação inicia-se com o nascimento do rebento a partir da primeira palmada do obstetra e assim seguem-se por toda a vida, com os diferentes referenciais, tais como a família, a igreja, Escola, grupos de amigos, no trabalho e em plena sociedade, e outros mecanismos de controle social.

    Por: SEBASTIÃO FERNANDES SARDINHAl Educação> Ensino Superiorl 14/05/2010 lAcessos: 284

    A tradição clássica da sociologia burguesa e da sociologia marxista compartilham a visão de que o trabalho constitui o fato sociológico fundamental; que constrói a sociedade moderna e sua dinâmica central como uma "sociedade do trabalho".

    Por: Cristiano Pinheiro Corrêal Educação> Ensino Superiorl 30/11/2011 lAcessos: 510
    Bruno Lima Rocha

    "Para uma Teoria Libertária do Poder" é uma série de resenhas elaboradas sobre artigos ou livros de autores do campo libertário que discutem o poder. Seu objetivo é apresentar uma leitura contemporânea de autores que vêm tratando o tema em questão e trazer elementos para a elaboração de uma teoria libertária do poder, que poderá contribuir na elaboração de um método de análise da realidade e de estratégias de bases libertárias, a serem utilizadas por indivíduos e organizações.

    Por: Bruno Lima Rochal Notícias & Sociedade> Polítical 01/07/2011 lAcessos: 131

    O que são as margens das sociedades? Como se fformam e desenvolvem? Serão criativas estas margens? E a cultura popular o que é e como é aceite pela cultura hegemónica? são estas as respostas que se procurão neste artigo que não será mais do que um poequeno contributo para uma reflexão sobre a(s) sociedade (s) moderna (s).

    Por: Victor Cerqueiral Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 02/12/2011 lAcessos: 125
    Bruno Lima Rocha

    Neste texto, dou seqüência ao esforço de difusão científica, retomando o debate a respeito de um modelo de organização política que não tenha como atividade-meio a representação e a intermediação profissional. Como no artigo anterior, o mesmo consta de bibliografia ao final para melhor situar o leitor no debate acadêmico e de rigor.

    Por: Bruno Lima Rochal Notícias & Sociedade> Polítical 19/03/2010 lAcessos: 79
    Elizeu Vieira Moreira

    ...reflete filosoficamente e sociologicamente sobre a necessidade de mudanças na gestão do espaço e da espacialidade urbanos, tendo em vista, o atual estado de crise social e ambiental vivenciada nas cidades, notadamente, naquelas cuja infraestrutura de provimento das necessidades está intimamente relacionada ao processo de estratificação social provocado pelo sociometabolismo do capital...

    Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 27/09/2011 lAcessos: 508

    A estrutura do Sistema Educacional Brasileiro é resultado de uma série de mudanças ao longo da história da educação no Brasil. Ao desenvolver este trabalho foi fundamental a concepção dos aspectos sobre as fases e contextualização deste sistema na seleção dos conteúdos e até na estruturação deste trabalho.

    Por: Alexandrel Educaçãol 26/05/2011 lAcessos: 1,339
    Braz Branco

    OS MENINOS DA RUA é um desabafo do autor sobre as diversas situações em que se encontram esses pequenos brasileiros, onde se envolvem a sociedade como um todo, os políticos e suas diretrizes, as polícias e suas ações e uma gama de motivos que provocam a saída desses adolescentes do seio de suas famílias. Um texto limpo e direto, fácil de ser lido.

    Por: Braz Brancol Literatura> Crônicasl 10/03/2013 lAcessos: 42
    Ana Paula Pinto

    A análise da participação e dos direitos à juventude brasileira na atualidade se impõe como necessidade perante o grande contingente jovem e à situação de vulnerabilidade que se encontra grande parte desse contingente. Para enfrentar tal quadro os programas sociais dos governos, especificamente o Projovem no Brasil, tem sido uma das alternativas apontadas para estimular o protagonismo juvenil. sendo assim, procuramos apreender as perspecções política dos participantes do Projovem Adolescente.

    Por: Ana Paula Pintol Educaçãol 27/12/2010 lAcessos: 2,674 lComentário: 2

    A escola para a maioria das crianças brasileiras é o único espaço de acesso aos conhecimentos universais e sistematizados, e as crianças que durante sua vida escolar esporádica ou mais frequentemente os assim chamados, crianças com "distúrbios de aprendizagem" ou "problemas de aprendizagem" ou dificuldade de aprendizagem", quando não adequadamente tratados esses distúrbios, com certeza podem aumentar e se ampliar de tal forma que chegam a provocar acentuado insucesso escolar.

    Por: Cátia Martins Bernardes Lenzil Educação> Ensino Superiorl 27/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Resultado direto da Revolução Comercial, do mesmo modo, produto da ideologia política renascentista e posteriormente, da Filosofia iluminista.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 27/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Exemplo da Inglaterra. O Parlamento resultou. De uma conciliação dos poderes. Entre a nobreza e a burguesia. Sendo que Coroa reina. Mas apenas a burguesia governa.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 23/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O seguinte motivo: não era nacionalista, Jesus defendia o domínio romano sobre os judeus, justificando que o povo pagasse imposto a Roma. Barrabás fora colocado em liberdade, pois defendia a luta armada para Israel libertar-se do domínio romano.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/10/2014

    Este artigo trata da importância da postura do professor universitário no desenvolvimento do aluno e como uma Filosofia Confessional influencia neste propósito. Para isso verificamos o papel das Instituições confessionais protestantes no processo da Educação Universitária do país. Para melhor conhecimento foi realizada uma pesquisa exploratória em forma de entrevista com alunos de uma Instituição confessional Protestante com o objetivo de saber qual a relação que eles têm com seus professores.

    Por: JACKSON ROBERTO DE ANDRADEl Educação> Ensino Superiorl 22/10/2014

    RESUMO Uma só palavra ou teoria não seria capaz de abarcar todos os processos e experiências históricas que marcaram a formação do povo brasileiro. Marcados pelas contradições do conflito e da convivência, constituímos uma nação com traços singulares que ainda se mostram vivos no cotidiano dos vários tipos de "brasileiros" que reconhecemos nesse território de dimensões continentais. A primeira marcante mistura aconteceu no momento em que as populações indígenas da região entraram em

    Por: Joiciane de Sousa Santosl Educação> Ensino Superiorl 21/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Dado ao caráter emergencial da fome generalizada, povos africanos têm que se alimentar de animais portadores de tais vírus, que são mortais ao organismo humano, como cobras, ratos, morcegos e o chimpanzé.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/10/2014 lAcessos: 15
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Motivado pelo conflito contra os ingleses com objetivo de controlar o norte da França, o referido monarca, formou um grande exercito, sustentados por impostos cobrados no território nacional.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O que representa de certo modo, conteúdos poderosos que exerceram profundas influências ao espírito humano crítico ao entendimento das relações humanas nos dois estados em referências.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Educação Onlinel 28/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Resultado direto da Revolução Comercial, do mesmo modo, produto da ideologia política renascentista e posteriormente, da Filosofia iluminista.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 27/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Sei o quanto. Tudo isso não significa nada. Apesar da interminável beleza dos universos. Contínuos. Sei do insignificado das coisas. Do delírio dos deuses. Das franquezas das razões não lógicas. A metafísica não indutiva.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 25/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Exemplo da Inglaterra. O Parlamento resultou. De uma conciliação dos poderes. Entre a nobreza e a burguesia. Sendo que Coroa reina. Mas apenas a burguesia governa.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 23/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O seguinte motivo: não era nacionalista, Jesus defendia o domínio romano sobre os judeus, justificando que o povo pagasse imposto a Roma. Barrabás fora colocado em liberdade, pois defendia a luta armada para Israel libertar-se do domínio romano.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O universo era dividido em sublunar, isso significa abaixo da lua e supralunar acima da lua, sendo que a terra definia por um composto de quatro elementos- terra, água, fogo e ar, caracterizado pela imperfeição, o fundamento do desenvolvimento da corrupção resultado da corrupção.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 21/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Dado ao caráter emergencial da fome generalizada, povos africanos têm que se alimentar de animais portadores de tais vírus, que são mortais ao organismo humano, como cobras, ratos, morcegos e o chimpanzé.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/10/2014 lAcessos: 15
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Motivado pelo conflito contra os ingleses com objetivo de controlar o norte da França, o referido monarca, formou um grande exercito, sustentados por impostos cobrados no território nacional.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/10/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast