O OBJETO DA FONÉTICA E DA FONOLOGIA

Publicado em: 04/09/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 1,950 |

INTRODUÇÃO

 

No presente artigo trataremos do objeto da fonética e da fonologia, que tem sido entendida como duas disciplinas interdependentes, pois, para entendermos a fonologia é indispensável partir do conteúdo da fonética, para então determinarmos quais são as unidades distintas de cada uma.

Enquanto, a fonética, estuda os sons como entidades físicas articulatórias isoladas, se distinguindo da fonologia pelo fato de considerar os sons independentes de suas oposições paradigmáticas. Já a fonologia irá estudar os sons do ponto de vista funcional como elemento que integra um sistema lingüístico.

 

1. A PRODUÇÃO DA LINGUAGEM HUMANA: FONÉTICA

 

Falar é tão natural para os seres humanos, como o olfato, o paladar, a visão a audição que só nos detemos para examinar em caso de deficiência ou privação. É uma das poucas coisas que nos diferenciam dos animais. A linguagem é, porém, uma atividade primordialmente oral que também se diferencia dos sistemas simbólicos.

Segundo Callou (2005. P14) "Costumava-se, por dizer que a linguagem é uma função secundária ou sobreposta desempenhada por vários órgãos cujas funções biológicas primárias são de outra ordem"

Diante dessa afirmativa acredita-se que os órgãos que são responsáveis pela produção de sons exercem outras funções que são: mastigar, engolir, respirar e cheirar. Para uma melhor compreensão, observa-se que as partes que constituem o aparelho fonador têm outros funcionamentos, como os pulmões e as cavidades nasais, que são responsáveis pela respiração. Os dentes e a língua são órgãos relevantes para a trituração dos alimentos.

 O aparelho fonador está dividido em três grupos: sistema respiratório, articulatório e fonatório significativos para o processo sonoro da pessoa humana.

O ser humano é capaz de produzir uma variação de diferentes sons, porém, nem todos são utilizados para fins lingüísticos, pelo fato de a língua funcionar como um segmento na composição de palavras.

 

1. DIFERENÇA ENTRE FONOLOGIA E FONEMA

                                                                                    

A fonologia opera com a função de organização dos sons em sistema em determinada língua.

Nossa percepção da fala sofre influência do sistema fonológico, por exemplo, um falante do português sabe muito bem produzir sons com o caráter [p] ele sabe que este som ocorre com palavras como, pata, pingo, e se logo em seguida usamos [b] da mesma forma criaremos palavras como, bata, bingo, sendo que a mudança só ocorre de forma fonológica.

A gramática de uma língua informa quais as unidades fonológicas e as diferenças dos traços fonéticos segmentais ou supra-segmentais.

Seguimentos são denominados unidades mínimas que constituem o sistema lingüístico. 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Diante das exposições da fonética e da fonologia é importante frisar que ambas são distintas e interdependentes. Pois, não se pode estudar separadamente, sendo de fato que a fonologia não sofre alterações por estudar sistemas abstratos, tanto nas regras universais, como também aquelas que caracterizam as diferenças entre as línguas. Ao contrário da fonética, que sofre alterações ao uso original dos sons. Entretanto estas devem ser estudadas juntas, para que haja compreensão e interiozação das mesmas no contexto da língua, no âmbito social.

 

REFERÊNCIAS  

CALLOU, Dinah. Iniciação á fonética e a fonologia, Rio de janeiro, Ed.10ª,2005

RIO TORTO, Graça Maria de Oliveira e Silva, – Fonética, fonologia morfologia do português : conteúdos e metodologia – ed. Colibri, 1956.

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/o-objeto-da-fonetica-e-da-fonologia-3201320.html

    Palavras-chave do artigo:

    palavras chave aparelho fonador fala fonetica fonologia som

    Comentar sobre o artigo

    Bruno Gomes

    Diante das semelhanças e diferenças conceituais entre Fonética e Fonologia vê-se necessário o estudo de ambas as partes. Em um esboço sucinto e objetivo, percebe-se que, tanto pelo aspecto fonológico quanto fonético, o objetivo é estudar os sons. O ponto que discerne as duas ciências concentra-se na forma com a qual os aspectos sonoros são levados em conta.

    Por: Bruno Gomesl Educação> Ensino Superiorl 02/06/2010 lAcessos: 4,138 lComentário: 5

    Esta pesquisa teve como propósito o estudo do dilema da teoria social, através de pesquisa qualitativa e, uso de técnicas bibliográficas e documental, baseados nos trabalhos científicos de Dalbosco (2010), Carvalho (2013), Lília (2009), Morigi (2004), Netto (2012 e Maia apud Connell (2009).

    Por: Carlos Queirozl Educação> Ensino Superiorl 27/09/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Foi exatamente em tal contexto social e político que se desencadeou o cenário do Romantismo naquele país, possibilitando o nascimento de várias obras literárias, fundamentais ao desenvolvimento do Romantismo.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 24/09/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Não resultamos diretamente deles, mas parentes próximos. Numa acepção moderna, primos, o que significa muito para a comparação das espécies, a ponto de afirmar que, geneticamente, somos a mesma espécie.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 23/09/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Há uma arte projetiva. A linguagem é o mecanismo auxiliar. Da metodologia de projeção. Naturalmente. Não se projeta de qualquer forma. Porque são milhares de projeções. O que é o conhecimento fenomenológico. Em parte pelo menos. Produção de uma ilusão do entendimento.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/09/2014
    Carla Ravaneda

    A importância da boa formação da docência brasileira, aspectos determinantes na graduação, a importância do estágio supervisionado nos cursos de licenciatura.

    Por: Carla Ravanedal Educação> Ensino Superiorl 11/09/2014 lAcessos: 14
    Zilda Ap. S. Guerrero

    O modelo de aluno que temos hoje em sala de aula, nem de longe lembra- nos os moldes dos alunos dos tempos da escola tradicional, não e somente nas escolas públicas, mas também em diversas escolas particulares e de grande renome no mercado educacional. No entanto, há uma forte contradição entre as aulas ministradas em sala de aula; as quais na grande maioria recheadas de conteúdo e parca praticidade, e quase ausência de contextualização das aulas. Urge então mudanças didáticas na escola atual.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Ensino Superiorl 10/09/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O artigo tem como objetivo explicar a funcionalidade do mundo dos vírus. Para tal é necessário uma análise de suas principais características, a definição fundamental da mecanicidade funcional evolutiva dos parasitas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 08/09/2014
    Ana Paula Assaife

    Este artigo analisa as dificuldades encontradas pelos docentes em sala de aula para o uso das tecnologias voltadas para educação. Estudos sobre a modernidade mostra que esta dificuldade é muito comum nas universidades públicas do Estado do Rio de Janeiro. Temos por objetivo analisar os impactos da modernidade sobre a universidade e seus desafios. .Conceituar Modernidade e estudar novas prácticas para o l uso da tecnologia no processo ensino/aprendizagem.

    Por: Ana Paula Assaifel Educação> Ensino Superiorl 04/09/2014 lAcessos: 18
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast