O PROCESSO EDUCACIONAL COMO TRANSFORMAÇÃO CIDADÃ

20/01/2011 • Por • 2,286 Acessos

O PROCESSO EDUCACIONAL COMO TRANSFORMAÇÃO CIDADÃ

 

 

Lucivanda Mira Coêlho[1]

 

RESUMO

 

O processo ensino-aprendizagem apresentado no mundo contemporâneo, globalizado e tecnológico, requer dos docentes, a cada dia, o desenvolvimento de seus conhecimentos e o aprimoramento em suas metodologias para que contenham um elevado teor de dinamismo e que possam despertar nos alunos as competências ainda não descobertas nestes, e os transforme em seres críticos, responsáveis e reflexivos, com a capacidade de contribuir na transformação de uma sociedade mais igualitária.

 

 

Palavras-chave: Metodologias, educador, educando, conhecimento, transformação

 

ABSTRACT

 

The Learning-Teaching process present in the contemporary world, globalizated and technologic, apply for teachers, each day more, the development of their knowledge and the improving of their methodologies for keeping a high tenor of dynamism and may to awake in the students the competences still not discovered, and transform they in critic humans beings, responsible and reflexives, with capacity to contribute in the transformation of a more just society.

 

 

Keywords: Methodologies, educator, learner, knowledge, transformation

 

INTRODUÇÃO

 

Elaborei este trabalho para deixar uma contribuição referente á educação brasileira, e orientar que no processo educacional existe a possibilidade de novas mudanças, e que nós educadores, os educandos e todas as autoridades relacionadas á educação possuem a autonomia de práticas que levam a transformação educacional de gerações atuais e futuras.

E, afirmar que o papel do professor vai estar sempre em evidência, por somente este ser dotado de afetividade, indispensável no processo ensino-aprendizagem, que a alta tecnologia não pode nos proporcionar.

Escolhi este tema "O processo educacional como transformação cidadã", porque acredito que o individuo quando obtém conhecimentos por meio da educação na escola, e em seu meio social, adquire o desenvolvimento que o ser humano necessita e a capacidade de fazer transformações que nos leve a um mundo globalizado e informatizado, sem esquecer que a humanidade aguarda por pessoas de bom senso para o desenvolvimento do país.

O objetivo deste trabalho é alertar que estamos vivendo um momento em que o mundo está em acelerado processo de mudança, exigindo das pessoas atuações dinâmicas, habilidades e competências para que continuem incluídas neste processo de ampla competitividade, e que somente o conhecimento e a prática adequada são a ponte para um desenvolvimento promissor.

DESENVOLVIMENTO

 

O processo ensino-aprendizagem desenvolveu-se com o objetivo de atuar diretamente sobre a humanidade, com o intuito da construção do saber, e, como consequência a transformação do indivíduo, tornando-o cidadão consciente com capacidade de atuar na minimização do estado de pobreza, das diferenças sociais, e, ser agente ativo na obtenção da justiça social.

Para que isto ocorra, cabe ao professor o papel de se dismistificar do papel de professor autoritário e de escola impositora de obrigações. Se o professor atuar desta maneira os educandos entenderão que o processo de aprendizagem é apenas imposto, quando deverão perceber que o importante é o incentivo a busca do conhecimento, que desenvolve no educando o amadurecimento da personalidade positiva de cada indivíduo.

Na atualidade, o processo ensino-aprendizagem deve ser ministrado com afetividade, demonstrando ao educando a necessidade do respeito e do trabalho em grupo.

Antunes (2007, p.14) afirma sobre a importância do "aprender a viver juntos, a viver com os outros".

Para que isto possa verdadeiramente acontecer é essencial que os professores tenham coragem de desvestir a escola de sua fisionomia de quartel e deixar de ser um disfarçado campo de competições para, aos poucos, ir se transformando em um verdadeiro centro de descoberta do outro e também um espaço estimulador de projetos solidários e cooperativos, identificados pela busca de objetivos comuns. Essa missão é bem mais difícil de ser começada do que ser concluída e em diferentes pontos e lugares existem experiências extraordinárias da descoberta do outro a partir da descoberta de si mesmo. Os caminhos do autoconhecimento e da autoestima são os mesmos da solidariedade e da compreensão.

 

Porém, para que as mudanças na educação verdadeiramente aconteçam, é necessário que as autoridades educacionais dêem os primeiros passos para investimentos voltados especificamente para estes desenvolvimentos educacionais.

Á princípio, a formação e capacitação de professores deve ser um alvo  repensado e trabalhado dentro de uma nova didática, pois a clientela estudantil do mundo contemporâneo encontra-se em elevado grau de desenvolvimento tecnológico, passíveis de serem constantes questionadores.

Neste contesto, pode-se dizer que a relação educando-educador é importante para a construção de qualquer proposta escolar a ser desenvolvida, são agentes básicos no processo educativo, é através desta interatividade que podemos dar um novo sentido a expressão educando-educador, pois a palavra educar cabe tanto ao educando como também ao educador, por ser um processo de reciprocidade entre seres humanos que se encontram em contínua atividade de construção do saber.

Antunes (2007, p.29) relata que "a escola, dessa maneira, não é apenas importante pelo que ensina, mas pelas relações sociais que oportuniza."

Desta forma, o aluno em sala de aula trás consigo a disponibilidade de novas discussões, novos aprendizados em seu mundo empírico que o levam a aprender a fazer leitura critica do seu dia a dia, assim como, através de diálogos interdisciplinares o professor também adquiri novos conhecimentos, passando neste momento a ser um "educando" disponível a adquirir novas informações.

Através do processo educacional, o ser humano deve observar com muito afinco a palavra "consciência", e colocá-la em prática, pois através dela ele é levado a moldar-se de forma que se encaixe e se adapte no contexto mundial, o papel da ação humana será sempre atuar na transformação do mundo em toda sua diversidade.

Segundo Costa (2008, p.53):

Educar é criar espaços. Essa afirmação nos remete à visão do educador como um criador de condições para que a educação aconteça. Criar espaços, nesse sentido, não é apenas a atuação do educador na escolha e na estruturação do lugar em que o processo educativo vai se desenvolver. Criar espaço é criar acontecimentos. É articular o espaço, tempo, coisas e pessoas para produzir momentos que possibilitem ao educando ir, cada vez mais, assumindo-se como sujeito, ou seja, como fonte de iniciativa, responsabilidade e compromisso.

Educar assim, é estar empreendendo no desenvolvimento e fortalecimento do "eu", sendo que, é este que irá praticar as ações atribuídas para o seu próprio crescimento como cidadão consciente e ativo, para em seguida, atuar na transformação social do mundo contemporâneo.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A pesquisa realizada para a elaboração do artigo "O processo educacional como transformação cidadã" deu ciência da importância do conhecimento e do processo de desenvolvimento do indivíduo como pessoa cidadã.

E afirmar que, o desenvolvimento de cada cidadão se dá na relação mútua entre professor-aluno-escola, assim como as metodologias adotadas e aplicadas pelos educadores de forma que ocorra a apreensão de conhecimentos e desenvolvimento pessoal.

É com estas práticas que podemos dizer que estamos formando cidadãos preparados para um futuro promissor e com pensamento crítico, com competências para fazer verdadeiras transformações no futuro.

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

DEMO, Pedro. Saber Pensar, 2ª edição – São Paulo – Editora Cortez : Instituto Paulo Freire, 2001.

COSTA, Antonio Carlos Gomes da, Aventura Pedagógica: caminhos e descaminhos de uma ação educativa. 2ª edição – Belo horizonte – Ed. Modus Faciendi, 2001,

MEC, UNESCO. Educação: um tesouro a descobrir. 9ª edição – São Paulo – Cortez, Brasília-DF. 2004.

ANTUNES, Celso, Como desenvolver as competências em sala de aula. 7ª edição - Petrópoles, RJ - Editora Vozes, 2007.

 

 

 

[1] Graduada em Letras. Especializada em Docência do Ensino Superior - IMMES

Perfil do Autor

Lucivanda Mira Coêlho

Graduada em Letras - Especializada em Docência do Ensino Superior