O serviço social e o meio ambiente

11/11/2010 • Por • 5,951 Acessos

o serviço social e o meio ambiente

Raliana Carneiro de Oliveira

 

 

Todos têm o direito ao  meio  ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo para as presentes e futuras gerações.art. 225 da  Constituição Federal (BRASIL,1988)

 

 

Para a politica  nacional  do meio  ambiente, Lei n.6.938/81, meio  ambiente é:" conjunto de condições leis  e  influências e interações  de  ordem físicas, quimicas e biologiacas, que  permitem abrigar  e  reagir  a  vida em todas  as  suas formas" (BRASIL,1981).

A consciência  ecológica surge  diante  da  ameaça à qualidade  de  vida da população mundial, pois  a  expanção da  tecnologia e o crescimento  demográfico têmlevado a deterioração dos  recursos  ambientais. O desenvolvimento tecnológico e industrial tem provocado problemas de poluição do ar,das águas e do  solo, devastação da  vegetação,como se  a natureza tivesse  o poder de inesgotabilidade de  seus recursos, e a conservação ambiental é  questão de sobrevivencia.

Para garantir a qualidade de vida e dos direitos básicos das populações, depende diretamente da qualidade do meio ambiente em que elas estão inseridas, estas são umas das  aspirações do serviço social.

As políticas sociais  setorias constituem complexos sistemas públicos e privados de direitos e proteção social, estas foram pensadas pela óptica sistêmica, porem  estão inseridas pelo  conflito e cotradiçoes e  são envolvidas  por interesses econõmicos  e antagônicos.

O  assistente  social é  um dos mais diversos profissionais que  atuam  na  esfera  das  políticas sociais,que  possui a grande  responsabilidade  de adquirir  uma ampla compreenção sobre  as suas  constituições  e contradições, para  que  por  meio  do  seu  agir  profissional, consiga  fazer valer  e  avançar  os direitos dos oprimidos em detrimento da opressão histórica imposta pelos  opressores.

As mediações articuladoras da ação técnico-profissional do assistente  social possibilita  ao  cidadão comuma capacidade crítica para questionar e até mesmo modificar sua própria realidade.

Em trabalhos com populações residentes em regioes ameçadas pela destruição do meio  ambiente,o serviço  social articulá-las na luta pela garantia do direito à moradia, pela preservação ambiental e pelo desenvolvimento sustentado, respeitando-se as especificidades das culturas locais.

Uma forma integrada de atender a relação complexa entre meio ambiente e urbanização é relacioná-la com a qualidade de vida com a população local, onde convêm observar atentamente de que forma ocorrem as articulações políticas em torno dos serviços sócio-ambientais, entre os quais, saneamento, moradia, trabalho, alimentação, educação, lazer, transporte, abastecimento e entre outros aspectos. Todos estes aspectos, por sua vez possuem conexão com a questão ambiental.

A complexidade está sempre próximo ao universo do serviço social, pois envolve o relacionamento entre homem e espaço, organizando as relações sociais de acordo com a inserção de cada indivíduo no local onde vive e no ambiente socialmente construído. É uma questão complexa que envolve, simultâneo, inúmeros aspectos da realidade e sua abordagem tem sido problemática, inclusive, para as administrações públicas. Diante de problemas ambientais, diversas secretarias acabam sendo acionadas  como as de Habitação, Saúde, Meio Ambiente, Planejamento etc. E muitas vezes as soluções são de caráter pontual, porque perdem de vistas a natureza sistêmica da questão.

 

[...] O Assistente  social atua como coadjuvante da prática dos  setores populares, no  sentido de sugerir alternativas concretas de enfrentamento dos conflitos , decorrentes das dinâmicas da correlação de forças, tendo  em vista o encaminhamento de soluções que viabilizem o atendimento de suas demandas, bem como seu fortalecimento enquanto classes organizadas (SILVA, 2007,p.185). 

Conscientizar sobre importância da preservação do meio ambiente. Este é o objetivo sócio-educativo. Mostrar a importância da preservação do meio ambiente para garantir qualidade de vida às gerações futuras, esse é um dos principais objetivos do serviço social na área do meio ambiente.

Segundo Sposati (2007, p,39):

A política  profissional do assistente  social é implementadora das políticas sociais e dos  serviços  sociais, e  é uma expressão especializada das praticas  social  que  se insere na  dinâmica contraditória das relações sociais.

A degradação ambiental tem sido um fator que tem preocupado bastante a sociedade, pois é desse meio que a própria sociedade precisa para viver.

A geração de lixo cresce aceleradamente no dia-a-dia, isso se explica devido ao aumento populacional, a produção de bens materiais e conseqüentemente a elevação do consumo. Essa quantidade exacerbada de resíduos sólidos tem provocado sérios impactos a esfera terrestre. Junto com o lixo, vem a fome, a miséria, o desemprego, o desabrigo, dentre outras mazelas. Todas essas mazelas são resultados das desigualdades sociais.

Nesse meio supracitado, surgem os catadores de lixo, que são pessoas que vivem desse lixo, pois catam e vendem aquilo que ainda pode ser reciclado, outros em condições de vida mais subumana, se alimentam desses detritos.

Nesse contexto, compreende-se que tal desperdício associado a miséria é o resultado de falta de planejamento sócio-ambiental e sócio-econômico. Pois se houvesse tal planejamento, os produtos seriam consumidos antes de vencerem, não sobrariam nas prateleiras e nem faltariam na mesa das famílias.

Diante do exposto, percebe-se a importância do planejamento para que haja uma harmonia entre meio ambiente e sociedade.

No entendimento de que o lixo gera emprego e renda e quando tratado de forma ambientalmente correta promove qualidade de vida, torna-se perceptível que a reciclagem é uma forma totalmente compatível com o que se espera do equilíbrio e do desenvolvimento que envolve os três pilares: social, econômico e ambiental.

Assim sendo, compreende-se que a adoção de medidas ambientalmente corretas é uma maneira de mitigar as desigualdades sociais. Nesse pensamento, pode-se asseverar que o lixo é uma oportunidade de desenvolvimento sócio-ambiental. O Assistente Social é um ator fundamental na elaboração de políticas sociais voltadas para essa questão.

Outra problemática que aflige fortemente o Brasil é a deficiência em saneamento básico, os esgotos á céu-aberto, por exemplo,  são verdadeiras fontes de doenças, poluição dos recursos hídricos, dentre outros malefícios, tanto ao homem como ao meio.

Nesse caso, o Assistente Social por ser um agente que tem o papel de planejar, elaborar, mediar e formular as políticas públicas, pode junto com a sociedade organizada buscar formas de atuação onde se possa reverter tal quadro.

Uma vez elaborado um projeto e que de fato seja posto em prática, certamente o profissional da área de Serviço Social estará cumprindo a sua incumbência.

Muitas vezes o profissional fica impedido de pôr em prática projetos relacionados ao meio ambiente, por serem de custos elevados, por falta de interesse do poder público, dentre outros fatores.

Diante desse entendimento compreende-se importância da participação de todos no processo de transformação social, onde se busque a existência de vida digna.

 

 

 

 

CONCLUSÃO

 

 

O profissional do serviço social só vem acrescentar na multiprofissional de preservação ao meio ambiente.

O assistente social esta ligado diretamente a questões como habitação saúde e o meio ambiente além de questoes sociais epolíticas, o seu trabalho de conscientização ajuda a demostrar  a população e os governates qual a  importancia do trabalho de preservação, por possuir profissionais com  formação acadêmica com conhecimentos em econômia e políticas sociais, antropológia, psicologia e de formação técnica em projetos fatos estes que facilita o estudo e a elaboração de projetos a fim de propiciar soluções para o melhor convívio entre a populção seu desenvolvimento sua subsistência e preservação.