Os Fundamentos do Historicismo

Publicado em: 03/01/2014 |Comentário: 0 | Acessos: 66 |

Os Fundamentos do Historicismo.

 

 Teoria filosófica desenvolvida no final século XIX e no começo do século XX, pelo grande filósofo  Wilhelm Dilthey, historiador alemão. Sua concepção, herdeira do idealismo de Kant e principalmente de Hegel. Procura entender a diferença entre o homem e a natureza.

Com efeito, entre as ciências naturais e humanas denominadas por Dilthey de ciências do espírito ou da cultura. Para ele os fatos humanos são históricos dotados de significações culturais e que precisam ser conhecidos dentro da história nos seus contextos produtivos.

Devem ser estudados com suas características que diferem dos fatos naturais, são entendidos como ciência do espírito ou da cultura e  pode ser usado no entendimento interpretativo, contrariamente, ao método empírico da observação ou experimentação, nesse caso, o método tem que ser da compreensão, no entendimento da causalidade dos fatos.

Todo fato humano é histórico está dentro do tempo, só por ele é possível o entendimento, na linha da subjetividade e da interpretação. Os diversos fatos tem a mesma motivação, possuem as mesmas causas e regras, o mesmo sentido de origem e de valores, devem ser compreendidos na mesma perspectiva.

Com as particularidades históricas, mesmas visões ideológicas do mundo, com um processo causal que é semelhante pelo menos em sintonia com as formas de análise, a cultura que produz os fatos humanos é a mesma que produz a consciência do sujeito para entender os fatos em referência.

O historicismo resultou basicamente de dois grandes problemas: um deles o relativismo em que as ciências humanas queriam usar como metodologia a subordinação da Filosofia a história, por outro lado, as ciências humanas tinham como desejo separar-se da Filosofia.

A Filosofia é o instrumento que compreende os fatos humanos, ajuda na interpretação dos mesmos, como produto cultural, que é diferente do método indutivo especificamente do saber empírico, fundamentado na experiência. O relativismo é a teoria que defende as diversidades das interpretações do mundo produto do espírito humano.

Sendo que o mesmo assenta-se que as leis científicas são validas para determinadas épocas, dentro das suas concepções culturais, o que não pode ser universalizadas de certo modo defende Dilthey.

Os homens e as instituições socioculturais são compreensíveis a sua análise científica formata-se na perspectiva de uma teoria geral da história, mas que considere a visão particular de mundo, de cada povo como etapa de um processo mimético relativo, que passa pelo mecanismo sociocultural próprio dos seus contextos individuais e históricos.

Conhecer é a arte de entender esses momentos, a particularidade da identificação do sujeito com o objeto, no desejo interpretativo diz Dilthey. Entretanto, a relatividade do saber interpretativo por natureza da sua essencialidade, jamais poderá ter caráter absoluto, o mundo é o seu fundamento de análise, na perspectiva da subjetividade.

 O conhecimento puro é algo que não vai além do método indutivo e substancia se apenas ao campo do empirismo, sendo que sua metodologia não admite pelo menos em  análise a interpretação.

Seu campo prende-se a dinâmica da compreensão, tem que ser compreendido e não interpretado, a Filosofia nesse caso essencial à compreensão, ao entendimento exato dos fatos, jamais a sua interpretação. Dilthey.

 

Edjar Dias de Vasconcelos.  

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/os-fundamentos-do-historicismo-6882328.html

    Palavras-chave do artigo:

    o historicismo

    Comentar sobre o artigo

    Edjar Dias de Vasconcelos

    Trata especificamente do historicismo, que a princípio de certo modo não identificaria com as tendências em referências, mas no mundo praxiológico das ideologias, o historicismo articula-se tanto com um como com o outro. Com efeito, as dificuldades de entender as epistemologizações dos seus conteúdos.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 16/02/2014 lAcessos: 23
    Edjar Dias de Vasconcelos

    No entanto, o historicismo serve de base para construção de uma análise marxista, no mesmo sentido como substância aos procedimentos do positivismo, que é o caso especificamente da teoria de Max Weber.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 06/08/2012 lAcessos: 667

    A maior parte dos participantes da Primeira Guerra Mundial consideravam-na a solução de todos os problemas. A euforia em frente a batalha, que todos julgavam que seria rápida e eficaz, logo dissipou-se diante das atrocidades e do fim de uma era que se esvaia....

    Por: LEIDIANE I. M. S. BRAGAl Educação> Ensino Superiorl 24/05/2011 lAcessos: 193

    Sartre é de longe o mais midiático dos filósofos. É por conta dele que temos uma maior compreensão do trabalho de outros pensadores como Nietzsche e Heidegger. Sartre só conseguiu tamanha divulgação por ter sido antes de tudo, um jornalista. Neste artigo eu explico o porquê.

    Por: Jota Fagnerl Literatura> Crônicasl 17/11/2008 lAcessos: 2,357
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O segundo momento da evolução do historicismo efetivou-se com a teoria relativista impregnada no historicismo, que foi desenvolvida pelo grande Teórico Wilhelm Dilthey, grande filósofo que iniciou a escrever suas teorias no final do século XIX e início do século XX.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 17/02/2014 lAcessos: 40
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Uma espécie de salada eclética o uso de todos os elementos, mas não procedeu desse modo por entender uma solução sem consistência, mas Dilthey percebeu o perigo do relativismo total porque leva ao ceticismo absoluto, desse modo não ajuda em nada a questão da elaboração da verdade, como chegar a verdade quando a mesma exige objetividade, sendo impossível tal proposição.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 18/02/2014 lAcessos: 39
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Apesar da ideologia do positivismo ainda prevalecer no meio acadêmico, o que posso dizer de certo modo que a metodologia dessa ideologia não é tão necessária à epistemologia, ou seja, o fundamento das ciências em geral.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/07/2012 lAcessos: 159
    FELLIPE KNOPP

    ou sobre algumas incongruências notáveis de premissas ditas marxistas do discurso histórico

    Por: FELLIPE KNOPPl Educação> Ensino Superiorl 25/05/2010 lAcessos: 227
    Natanael Vieira de Souza

    Afetados e contaminados pelas leituras da historiadora Maria Lígia Coelho Prado e, sobretudo na obra "América Latina no Século XIX. Tramas, Telas e Textos", busquem fazer uma análise dos manuais didáticos do ensino fundamental ou médio no que concerne à temática das independências da América Latina

    Por: Natanael Vieira de Souzal Educação> Ensino Superiorl 05/04/2012 lAcessos: 174
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Categoria de crime cruel. Previsto pela Constituição brasileira. São crimes graves. Considerados hediondos. Que lesa ao povo do Brasil. Que causa horror. Dado ao caráter de crueldade. Tais práticas de violência. Inaceitáveis. Aos padrões da civilização. Moderna.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 30/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Quando acontecer. Recusarei absolutamente tudo. Pois sei o insignificado de cada passo. A grande bobagem. Representam os mundos ideológicos. Sei que não existem os deuses. Os céus foram invenções malignas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 30/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Qual é a diferença fundamental. Entre a Filosofia positivista. Do método científico empirista. O positivismo entende-se por um método. Que buscam as leis gerais. Que determinam os fenômenos naturais.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 30/03/2015

    Os tempos atuais convidam a uma absurda medicalização da vida, parecemos ter perdido a capacidade de enfrentar desde uma simples insônia, até as frustrações, tristezas, lutos ou perdas sem recurso ao uso indiscriminado de fármacos "anestésicos".

    Por: Julia Nascimentol Educação> Ensino Superiorl 26/03/2015

    Professores e orientadores pedagógicos de colégios públicos tem relatado um fenômeno que não é novo, mas que está atingindo proporções alarmantes. Trata-se do verdadeiro massacre que muitos estudantes promovem contra seus colegas mais esforçados, mais focados e mais estudiosos.

    Por: Julia Nascimentol Educação> Ensino Superiorl 26/03/2015

    Por meio da História, diversos pesquisadores se indagavam como se dava o processo de aprendizagem do ser humano e como o cérebro trabalhava para aprender. Para Aristóteles, o cérebro só servia para resfriar o sangue

    Por: MARCIA AP.M.FARIASl Educação> Ensino Superiorl 25/03/2015

    Nosso país sempre teve políticas econômicas e industriais baseadas na abundante fonte de recursos naturais, diversidade da fauna e flora, recursos hídricos e minerais na extensa dimensão territorial (capital natural), assim como grande disponibilidade de mão de obra (capital intelectual e social).

    Por: Julia Nascimentol Educação> Ensino Superiorl 25/03/2015
    REJANE M. DA S. LUZ SOUSA

    Neste artigo, apresenta-se a Psicanálise como sendo um procedimento de investigação dos processos mentais, ou seja, uma modalidade de tratamento onde o terapeuta lida com as noções dos princípios e as leis que regem o inconsciente dinâmico. Logo após, destaca-se a importância de relatar sobre alguns conceitos psicanalíticos como: pulsão, sublimação, transferência para compreender as implicações do processo inconsciente durante a prática pedagógica em um panorama da relação psicanálise X análise

    Por: REJANE M. DA S. LUZ SOUSAl Educação> Ensino Superiorl 25/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Categoria de crime cruel. Previsto pela Constituição brasileira. São crimes graves. Considerados hediondos. Que lesa ao povo do Brasil. Que causa horror. Dado ao caráter de crueldade. Tais práticas de violência. Inaceitáveis. Aos padrões da civilização. Moderna.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 30/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Quando acontecer. Recusarei absolutamente tudo. Pois sei o insignificado de cada passo. A grande bobagem. Representam os mundos ideológicos. Sei que não existem os deuses. Os céus foram invenções malignas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 30/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Qual é a diferença fundamental. Entre a Filosofia positivista. Do método científico empirista. O positivismo entende-se por um método. Que buscam as leis gerais. Que determinam os fenômenos naturais.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 30/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Existe apenas uma pergunta fundamental. A qual é necessária ser respondida. Como originou o mundo. Descartado a hipótese divina. A indelével constituição. Resta tão somente a Física.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 26/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Grande Físico. Magnífico astrônomo. Da cidade de Pisa, na Itália. Nasceu em 15 fevereiro. Ano de 1564. Em 1.574 foi enviado a um convento. Santa Maria de Vallombrosa. Por um período foi seminarista.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 24/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Tudo isso passou e acabou. Como se nada tivesse existido. À distância ficaram os sinais. De um mundo de puro mistério. Sinto no peito a dor. Das coisas imaginadas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatura> Poesial 22/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Eu não tenho ideologia. Não sou petista. Muito menos eleitor do PSDB. Não sou cristão. Também recuso ser marxista. Do mesmo modo não liberal. Jamais seria anarquista. Na verdade não sou nada. Talvez niilista.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    De 1930 a 2015. De Getúlio Vargas a Presidenta Dilma. Pode se dividir em quatro momentos. Significativos. Em uma análise global das manifestações de rua. De 1930 a 1945. A passagem do Estado novo a redemocratização. Pode criticar tudo em Getulio Vargas. Mas não se pode negar o caráter social. De sua política econômica.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/03/2015
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast