Os Fundamentos do Historicismo

Publicado em: 03/01/2014 |Comentário: 0 | Acessos: 57 |

Os Fundamentos do Historicismo.

 

 Teoria filosófica desenvolvida no final século XIX e no começo do século XX, pelo grande filósofo  Wilhelm Dilthey, historiador alemão. Sua concepção, herdeira do idealismo de Kant e principalmente de Hegel. Procura entender a diferença entre o homem e a natureza.

Com efeito, entre as ciências naturais e humanas denominadas por Dilthey de ciências do espírito ou da cultura. Para ele os fatos humanos são históricos dotados de significações culturais e que precisam ser conhecidos dentro da história nos seus contextos produtivos.

Devem ser estudados com suas características que diferem dos fatos naturais, são entendidos como ciência do espírito ou da cultura e  pode ser usado no entendimento interpretativo, contrariamente, ao método empírico da observação ou experimentação, nesse caso, o método tem que ser da compreensão, no entendimento da causalidade dos fatos.

Todo fato humano é histórico está dentro do tempo, só por ele é possível o entendimento, na linha da subjetividade e da interpretação. Os diversos fatos tem a mesma motivação, possuem as mesmas causas e regras, o mesmo sentido de origem e de valores, devem ser compreendidos na mesma perspectiva.

Com as particularidades históricas, mesmas visões ideológicas do mundo, com um processo causal que é semelhante pelo menos em sintonia com as formas de análise, a cultura que produz os fatos humanos é a mesma que produz a consciência do sujeito para entender os fatos em referência.

O historicismo resultou basicamente de dois grandes problemas: um deles o relativismo em que as ciências humanas queriam usar como metodologia a subordinação da Filosofia a história, por outro lado, as ciências humanas tinham como desejo separar-se da Filosofia.

A Filosofia é o instrumento que compreende os fatos humanos, ajuda na interpretação dos mesmos, como produto cultural, que é diferente do método indutivo especificamente do saber empírico, fundamentado na experiência. O relativismo é a teoria que defende as diversidades das interpretações do mundo produto do espírito humano.

Sendo que o mesmo assenta-se que as leis científicas são validas para determinadas épocas, dentro das suas concepções culturais, o que não pode ser universalizadas de certo modo defende Dilthey.

Os homens e as instituições socioculturais são compreensíveis a sua análise científica formata-se na perspectiva de uma teoria geral da história, mas que considere a visão particular de mundo, de cada povo como etapa de um processo mimético relativo, que passa pelo mecanismo sociocultural próprio dos seus contextos individuais e históricos.

Conhecer é a arte de entender esses momentos, a particularidade da identificação do sujeito com o objeto, no desejo interpretativo diz Dilthey. Entretanto, a relatividade do saber interpretativo por natureza da sua essencialidade, jamais poderá ter caráter absoluto, o mundo é o seu fundamento de análise, na perspectiva da subjetividade.

 O conhecimento puro é algo que não vai além do método indutivo e substancia se apenas ao campo do empirismo, sendo que sua metodologia não admite pelo menos em  análise a interpretação.

Seu campo prende-se a dinâmica da compreensão, tem que ser compreendido e não interpretado, a Filosofia nesse caso essencial à compreensão, ao entendimento exato dos fatos, jamais a sua interpretação. Dilthey.

 

Edjar Dias de Vasconcelos.  

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/os-fundamentos-do-historicismo-6882328.html

    Palavras-chave do artigo:

    o historicismo

    Comentar sobre o artigo

    Edjar Dias de Vasconcelos

    Trata especificamente do historicismo, que a princípio de certo modo não identificaria com as tendências em referências, mas no mundo praxiológico das ideologias, o historicismo articula-se tanto com um como com o outro. Com efeito, as dificuldades de entender as epistemologizações dos seus conteúdos.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 16/02/2014 lAcessos: 23
    Edjar Dias de Vasconcelos

    No entanto, o historicismo serve de base para construção de uma análise marxista, no mesmo sentido como substância aos procedimentos do positivismo, que é o caso especificamente da teoria de Max Weber.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 06/08/2012 lAcessos: 640

    A maior parte dos participantes da Primeira Guerra Mundial consideravam-na a solução de todos os problemas. A euforia em frente a batalha, que todos julgavam que seria rápida e eficaz, logo dissipou-se diante das atrocidades e do fim de uma era que se esvaia....

    Por: LEIDIANE I. M. S. BRAGAl Educação> Ensino Superiorl 24/05/2011 lAcessos: 188

    Sartre é de longe o mais midiático dos filósofos. É por conta dele que temos uma maior compreensão do trabalho de outros pensadores como Nietzsche e Heidegger. Sartre só conseguiu tamanha divulgação por ter sido antes de tudo, um jornalista. Neste artigo eu explico o porquê.

    Por: Jota Fagnerl Literatura> Crônicasl 17/11/2008 lAcessos: 2,339
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O segundo momento da evolução do historicismo efetivou-se com a teoria relativista impregnada no historicismo, que foi desenvolvida pelo grande Teórico Wilhelm Dilthey, grande filósofo que iniciou a escrever suas teorias no final do século XIX e início do século XX.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educaçãol 17/02/2014 lAcessos: 32
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Uma espécie de salada eclética o uso de todos os elementos, mas não procedeu desse modo por entender uma solução sem consistência, mas Dilthey percebeu o perigo do relativismo total porque leva ao ceticismo absoluto, desse modo não ajuda em nada a questão da elaboração da verdade, como chegar a verdade quando a mesma exige objetividade, sendo impossível tal proposição.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 18/02/2014 lAcessos: 37
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Apesar da ideologia do positivismo ainda prevalecer no meio acadêmico, o que posso dizer de certo modo que a metodologia dessa ideologia não é tão necessária à epistemologia, ou seja, o fundamento das ciências em geral.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/07/2012 lAcessos: 143
    FELLIPE KNOPP

    ou sobre algumas incongruências notáveis de premissas ditas marxistas do discurso histórico

    Por: FELLIPE KNOPPl Educação> Ensino Superiorl 25/05/2010 lAcessos: 224
    Natanael Vieira de Souza

    Afetados e contaminados pelas leituras da historiadora Maria Lígia Coelho Prado e, sobretudo na obra "América Latina no Século XIX. Tramas, Telas e Textos", busquem fazer uma análise dos manuais didáticos do ensino fundamental ou médio no que concerne à temática das independências da América Latina

    Por: Natanael Vieira de Souzal Educação> Ensino Superiorl 05/04/2012 lAcessos: 169
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A mente humana funciona por essa mecanicidade. A maioria dos códigos de memória são resultados de equívocos e de ideologias não correspondentes ao mundo da representação, entre sujeito e objeto, como produções culturais.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Com a descoberta. Da teoria da evolução das espécies. E com a remodelação da física quântica. Duas teorias próximas e interligadas. Todas as formas de matéria. Remontam a um átomo mater. A quantificação dos mesmos. As diversidades das formas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 21/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Uma deusa da mitologia grega. Mãe do planeta terra. Toda poderosa. Protetora da natureza. Retrata o livro. James de Lovelock. Renomado cientista. Defensor do meio ambiente. Defende como hipótese. A seguinte tese. Gaia a deusa Terra.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Antes apenas o vazio. Indefinido por essência. O que se entende por natureza. Em uma acepção imemorial. Portanto, o significado do nada. A existência do mistério. Na morfologia cristã. Mesmo no ateísmo. A etimologia agnóstica. Completamente incompreensível. A incausabilidade. Mas, com efeito, apenas tal perspectiva.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 19/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Uma gotícula da sopa primitiva. Bilhões e bilhões de anos. Resultaram em diversidades. Das formas de vida. Do mesmo núcleo. Resultou a nossa existência. Tudo remonta ao único princípio. O fundamento da célula reprodutora. Muita sorte de sermos o que somos. Duas categorias de primatas. Prossimios e antropoides.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 19/12/2014

    Como se estruturou historicamente a Psicomotricidade na cidade de Uberlândia/MG nas décadas de 90 até os dias atuais e quais os principais avanços e dificuldades enfrentadas? Este artigo tem como objetivos conhecer a historia da Psicomotricidade na cidade de Uberlândia/MG.

    Por: JOSE BRAGA GUIMARAES NETOl Educação> Ensino Superiorl 17/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A concentração é natural, não da forma que está sendo efetivada nesse momento histórico do capitalismo. Com maior evidência no século XXI. O que poderá de algum modo ameaçar a democracia.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 17/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A respeito do saber. Em referência a possibilidade do conhecimento. Um gênio da Filosofia Iluminista alemã. Kant. Relata em sua principal obra. Crítica da Razão da Pura. A maior revolução acadêmica. Sua acepção morfológica da teoria do conhecimento. A natureza do sujeito e do objeto. Mecanismo de cognição. Determinando a metodologia do conhecimento. Em suas divisões epistemológicas. Aos diversos campos aplicativos.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 15/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A mente humana funciona por essa mecanicidade. A maioria dos códigos de memória são resultados de equívocos e de ideologias não correspondentes ao mundo da representação, entre sujeito e objeto, como produções culturais.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Com a descoberta. Da teoria da evolução das espécies. E com a remodelação da física quântica. Duas teorias próximas e interligadas. Todas as formas de matéria. Remontam a um átomo mater. A quantificação dos mesmos. As diversidades das formas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 21/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Uma deusa da mitologia grega. Mãe do planeta terra. Toda poderosa. Protetora da natureza. Retrata o livro. James de Lovelock. Renomado cientista. Defensor do meio ambiente. Defende como hipótese. A seguinte tese. Gaia a deusa Terra.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Antes apenas o vazio. Indefinido por essência. O que se entende por natureza. Em uma acepção imemorial. Portanto, o significado do nada. A existência do mistério. Na morfologia cristã. Mesmo no ateísmo. A etimologia agnóstica. Completamente incompreensível. A incausabilidade. Mas, com efeito, apenas tal perspectiva.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 19/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Uma gotícula da sopa primitiva. Bilhões e bilhões de anos. Resultaram em diversidades. Das formas de vida. Do mesmo núcleo. Resultou a nossa existência. Tudo remonta ao único princípio. O fundamento da célula reprodutora. Muita sorte de sermos o que somos. Duas categorias de primatas. Prossimios e antropoides.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 19/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A concentração é natural, não da forma que está sendo efetivada nesse momento histórico do capitalismo. Com maior evidência no século XXI. O que poderá de algum modo ameaçar a democracia.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 17/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A respeito do saber. Em referência a possibilidade do conhecimento. Um gênio da Filosofia Iluminista alemã. Kant. Relata em sua principal obra. Crítica da Razão da Pura. A maior revolução acadêmica. Sua acepção morfológica da teoria do conhecimento. A natureza do sujeito e do objeto. Mecanismo de cognição. Determinando a metodologia do conhecimento. Em suas divisões epistemológicas. Aos diversos campos aplicativos.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 15/12/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A identidade representativa artística funciona a coerência lógica por intermédio da ação fundamental do entendimento, o princípio contraditório. Com efeito, não poderá ser compreendida pelo caminho fenomenológico da redução indutiva.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 14/12/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast