Projeto Político Pedagógico e a LDB 9394/96

Publicado em: 27/03/2011 |Comentário: 2 | Acessos: 10,404 |



O Projeto Político Pedagógico nasceu após a Constituição de 88, para dar autonomia às escolas na elaboração da própria identidade. Esse projeto é o referencial de quaisquer instituições de ensino. Regido pela LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) 9394-96, sancionada em dezembro do mesmo ano possui 92 artigos voltados para a educação. Ou seja, o marco do Projeto Político Pedagógico é a LDB, que intensifica a elaboração e autonomia da construção de projetos diferenciados de acordo com as necessidades de cada instituição.

O artigo 12 da LDB diz: "Os estabelecimentos de ensino respeitando as normas comuns e as do seu sistema de ensino, terão a incumbência de elaborar e executar sua proposta pedagógica".

Está é realmente a afirmação de liberdade, podendo-se constatar que a escola é "livre" para essa elaboração, principalmente no que diz respeito à gestão, já que com ampla autonomia o diretor tornou-se gestor executando variadas funções tais como: escolha do quadro docente (instituições privadas) equipe de colaboração e demais funcionários que contribuem para o funcionamento da escola.

O gestor deve agir de maneira democrática na elaboração desse projeto, integrar a sociedade no ambiente escolar respeitando sempre seu marco referencial, aceitando opiniões do corpo docente e funcionários, com isso pode-se restaurar o senso crítico e participativo de todos. O gestor não é único nessa elaboração, talvez essa seja uma das grandes falhas existentes nos dias atuais.

Planejar e construir um PPP, é ter compromisso com uma educação de qualidade e participativa, é a união entre escola e comunidade, comunidade e escola, pois ambos são indissociáveis. É trilhar um caminho com foco na aprendizagem, participar de opiniões e responder os questionamentos.

Um dos aspectos importantes em relação ao Projeto Político Pedagógico é que pode ser alterado, se não estiver atendendo as necessidades do seu público alvo, que são as realidades educacionais e sociais. E para que essas questões não ocorram faz-se necessário que antes da elaboração haja uma reflexão e conhecimento amplo da classe que será beneficiada com o projeto, uma percepção crítica e harmoniosa de mundo.

Uma instituição que se organiza na elaboração e construção do PPP, certamente será uma instituição em busca do conhecimento, de novas concepções sempre participativas. Além de trabalhar, o gestor e seus colaboradores devem elaborar o Projeto Político Pedagógico embasado nas leis (LDB 9394-96) pondo em prática conteúdo critico e reflexivo.

O Projeto Político Pedagógico não deve ser elaborado apenas para cumprir uma determinação legal, muito menos ficar engavetado ou ausente do cotidiano escolar. A proposta pedagógica é muito mais que isso, é o ápice da educação, é a ponte que liga escola e sociedade, propondo meios para desconstruir paradigmas e concepções pré-formadas, tentando restaurar princípios e construindo novos conhecimentos.

"O projeto é um documento que propõe uma direção política e pedagógica para o trabalho escolar, formula metas, prevê as ações, institui procedimentos e instrumentos de ação." LIBÂNEO (2005, p.345).

Com isso ilustrar o Projeto seria imaginar três pistas: uma no centro com a seta vá em frente espaço para discussões e novas perspectivas, uma curva a esquerda sinalizando um precipício evite generalizações e egocentrismo e uma curva a direita indicando pista escorregadia o trabalho não é individual.

Neste caso um verdadeiro gestor escolherá o centro, contribuindo para o bem da escola respeitando os discentes, docentes pais, responsáveis, funcionários e toda a comunidade que integram o bairro onde a escola está localizada.

Demo em seu livro A Nova LDB Ranços e Avanços (1997), traz provocações interessantes: Como tratar de Lei em educação, já que é um direito e não uma obrigação? Depois nos faz refletir ainda mais questionando os leitores sobre o que é educação e ensino. Será que o ensino não faz parte da educação, ou a educação deixou de ser ensino?

Surgem questionamentos sobre a formação docente, já que o artigo 13 fala sobre os profissionais de educação que devem participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino. Está na lei, mas será que esses profissionais tem acesso realmente a esse trabalho de elaboração e construção? Ou encontram projetos prontos construídos apenas pelos gestores?

O que pensar sobre educação de qualidade em projetos arquitetados e muitas das vezes confundidos como simples projetos pedagógicos de educação? São questões problematizadoras e intrigantes que nos levam a refletir sempre sobre o nosso papel profissional, devemos ser autores de um projeto de qualidade e não sermos apenas atores de roteiros prontos para serem decorados e aplicados.

Será que houve inovação na educação após a LDB? A aprendizagem deve ser continua e prazerosa, inovar é uma arte e não uma obrigação.

A lei deve investir em educação, sobre isso não há duvidas, mas onde está inserido o investimento no profissional de ensino? As campanhas politicas não citam os pedagogos como prioridade. Lutamos por uma educação igualitária e democrática, mas foge um pouco a nossa realidade na Constituição de um país que não investe em pesquisa e não capacita o profissional que com muita dedicação e amor alfabetizou um dia os mesmos políticos que redigem essas leis.

Falar sobre um Projeto Politico Pedagógico, nada mais é do que falar em DEMOCRATIZAÇÂO e PARTICIPAÇÂO de uma comunidade escolar. O projeto faz com que a escola saia da rotina, é uma união perfeita entre escola e sociedade.

 

REFERÊNCIAS:

 

BRASIL, Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Nº 9394/96.

DEMO, Pedro. A Nova LDB – Ranços e Avanços. 14ª Ed. Campinas, SP: Papirus, 1997. – (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).

 

LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, J.F de; TOSCHI. Educação escolar: política, estrutura e organização. 2. Ed. São Paulo: Cortez, 2005.

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/projeto-politico-pedagogico-e-a-ldb-939496-4483851.html

    Palavras-chave do artigo:

    projeto politico pedagogico

    ,

    ldb

    ,

    leis e autonomia

    Comentar sobre o artigo

    Eduardo Luis Ferreira

    Por muito tempo a escola no Brasil não era para todos, e sim, um privilégio para poucos, porém em outros países, desde o século XIX, a educação era obrigatória para todos, enquanto aqui esse fato se deu a partir das últimas décadas do século XX. Desde que reconquistamos o direito de escolhermos nossos governantes pelo voto direto, os projetos político-pedagógicos, a nível estadual, municipal e mais recentemente federal, tem se mostrado uma ferramenta importante para desenvolvimento da educação

    Por: Eduardo Luis Ferreiral Educaçãol 28/07/2010 lAcessos: 2,776

    Tendo em vista propiciar ensino-aprendizagem com qualidade, capaz de reduzir os índices de reprovação e evasão escolar, fortalecer a integração escola/comunidade e promover maior e melhor participação dos pais no desenvolvimento escolar dos filhos, executou-se o Projeto Interventivo que teve como ação principal a criação do Colegiado Escolar enquanto instrumento democrático de articulação da educação desenvolvida na escola.

    Por: Maria das Graças S. S. Seibertl Educaçãol 29/07/2012 lAcessos: 1,210

    Sendo o Projeto Pedagógico um documento referencial para o desenvolvimento de um ensino de qualidade, o estudo aborda a importância da participação do professor na sua elaboração e na sua implementação. A pesquisa se baseia em nossa experiência em educação no Ensino Fundamental e Infantil onde percebemos que não é comum a participação dos docentes nos planos da escola, principalmente, o Projeto "Político" Pedagógico, e que o mesmo quase sempre não está à disposição da comunidade escolar. Assim,

    Por: Neide Pena Cárial Educação> Ensino Superiorl 26/06/2011 lAcessos: 12,957
    FABRÍCIO DE CARVALHO PIMENTA

    O Projeto Político-Pedagógico (PPP) é um instrumento imprescindível para a solidificação da autonomia escolar e organização de um trabalho coletivo que vise a aprendizagem significativa e o sucesso do aluno; um instrumento teórico-metodológico elaborado de forma participativa que serve de bússola para nortear ações que devem ser realizadas da melhor maneira possível para que a escola cumpra sua função educativa. Ele é o responsável pela sistematização do trabalho que a escola desenvolve.

    Por: FABRÍCIO DE CARVALHO PIMENTAl Educaçãol 30/04/2014 lAcessos: 98
    Eliaquim Barbosa Pereira

    Este estudo tem como objetivo Analisar o papel do gestor no contexto escolar da Escola Municipal Profª Edneide Sales Campêlo e Escola Estadual Desembargador Sadoc Pereira identificando sua contribuição para o processo educacional. Essa temática despertou em mim, o interesse e reflexão, uma vez que é uma forma de se compreender o estabelecimento e manutenção de uma prática participativa do gestor escolar e, sobretudo, o equilíbrio das dimensões de gestão escolar. Para tanto, apropriei-me da liter

    Por: Eliaquim Barbosa Pereiral Educação> Ciêncial 27/02/2010 lAcessos: 1,154
    SANDRA VAZ DE LIMA

    Ao se referir as pessoas com Altas Habilidades logo é ressaltado a questão da diferença, sendo comum o posicionamento em relação ao diferente, baseando em valores e expectativas normativas determinadas pelo grupo social do qual se faz parte.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 15/02/2010 lAcessos: 1,885
    Rosimeire Moreira Quintela

    A presente pesquisa pauta-se na organização do trabalho pedagógico escolar, bem como sua legislação. Buscou-se pressupostos teóricos para a aplicação nas instituições e em sala de aula, no que diz respeito à gestão democrática da educação amparada na legislação atual, especialmente na Constituição Federal de 1988 e LDB...

    Por: Rosimeire Moreira Quintelal Educação> Ensino Superiorl 14/01/2012 lAcessos: 818

    A administração escolar tem passado por muitas transformações, no intuito de deixar claro o conceito das instituições de ensino, bem como seu papel, tornar evidente sua autonomia; tem adotado modelo de gestão específico e adaptado ás situações de necessidades existentes.

    Por: Hamilton Hédi Furtadol Educação> Ensino Superiorl 16/09/2012 lAcessos: 237
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    A pesquisa aborda a atuação do gestor escolar dentro das instituições de ensino, de maneira eficiente e eficaz na garantia de uma educação de qualidade, buscando caminhos que visem à constituição de uma sociedade mais justa e igualitária. Buscou-se revelar uma gestão construtiva de uma educação que venha cumprir seu objetivo social. Acredita-se que a gestão do sistema de ensino e das escolas é essencialmente administrar, em níveis diferentes, a elaboração e o acompanhamento do projeto escolar.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Ensino Superiorl 28/05/2011 lAcessos: 470
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Trata-se de uma prática política cruel resultada de regimes políticos de exceção. O cidadão por motivos ideológicos era preso, as vezes transformado em mão de obra escrava, ou simplesmente exterminado.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 03/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Maior filósofo Iluminista. Despertou se do seu nono dogmático. Influenciado profundamente por Hume. Formulou a sua base epistemológica. Da Construção do seu pensamento crítico. Sustentado em teses fundamentais. O que se pode compreender. O que deve ser feito. O que é permitido na compreensão das coisas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 28/02/2015

    Veja como obter log juro composto um método diferente de encontrá-lo,e citações de artigos...

    Por: Edvaldo morais dos santosl Educação> Ensino Superiorl 25/02/2015

    Um das maiores frustrações dos jovens que procuram o primeiro emprego é a condição imposta por muitas empresas de que já tenham exercido a função a que se candidatam, ou alguma semelhante. Isso depõe contra as próprias empresas, como se pretendessem que seus contratados já tivessem sido "treinados" pelo concorrente, já tivessem cometido os erros naturais do aprendizado em outro lugar, e chegassem preparados para desempenhar como autênticos campeões.

    Por: Julia Nascimentol Educação> Ensino Superiorl 25/02/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Apenas cinco milhões de anos. Inexaurivelmente. O suficiente. O universo ficará escuro. O infinito transformará. Em um grande deserto. Frio e árido. Latíbulo.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 24/02/2015

    As tecnologias digitais da informação revolucionaram (e continuam revolucionando) as profissões da comunicação. Ainda que exista uma base teórico-reflexiva que permaneça estável e indispensável, há nova prática e novo saber profissional que, assim como as transformações tecnológicas, mudam continuamente e trazem desafios complexos para a universidade e para o ensino.

    Por: Central Pressl Educação> Ensino Superiorl 23/02/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Somente a Filosofia dá direito ao cidadão ser realmente crítico. Qualquer disciplina, sobretudo, na área do espírito, não poderá ser crítica sem a Filosofia, como instrumento de análise epistemológica. No entanto, a Filosofia é uma disciplina extremamente difícil, complexa e diversa, aplicada em campos variados com fundamentos diferenciados.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/02/2015
    Genilda Vieira Rodrigues

    Este artigo trata-se de um estudo bibliográfico, cujo objetivo foi desvelar a ação supervisora frente a situação indisciplinar discente; considerando aspectos condizentes a função do psicopedagogo na história brasileira, tendo em vista o seu papel de controlar e fiscalizador, como também de cunho participativo; comprometido com o processo de ensinar e aprender, com observância da coerência/incoerência entre as funções atribuídas a este profissional, e a que ele deve realmente desempenhar e sua i

    Por: Genilda Vieira Rodriguesl Educação> Ensino Superiorl 21/02/2015

    O presente artigo é resultante da disciplina Conscienciologia no Curso de Pós-Graduação em Psicopedagogia Clínica, Hospitalar e Institucional Latu Sensu no Instituto Superior de Educação Ocidemnte (ISEO). O que me faz discorrer neste artigo sobre a Importância da Conscienciologia na Formação de Professores é as problemáticas existentes no dia a dia, tais como a valorização do discente para com o docente; docente para discente; troca de papeis da família para com a escola, entre tantos que estão

    Por: Monique Millet de Limal Educação> Ensino Superiorl 21/05/2013 lAcessos: 27

    Comments on this article

    0
    joilson 15/11/2011
    O ppp é fundamental e preciso na educação pois é: escola, comunidade e comunidade escola
    1
    Nubiane 07/09/2011
    O ppp é muito interessante para todos nós, no processo escolar, pois é fundamental.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast