Reflexões sobre tendências pedagógicas na prática docente

Publicado em: 19/11/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 3,023 |

Zeila Miranda Ferreira

Em 1999, realizamos nossa pesquisa de mestrado numa Instituição de Ensino Superior de Minas Gerais. Entre outros aspectos a serem investigados, buscamos observar quais seriam as principais tendências ou concepções pedagógicas identificadas na ação docente de seis professores do curso noturno de Pedagogia. Um docente era egresso do curso de Filosofia, um era formado em História (um), dois em Pedagogia, um em Psicologia e um em Sociologia.

Verificamos que os professores pesquisados tinham posturas, ações e atitudes pedagógicas muito parecidas, embora em um ou outro momento, uns adotaram procedimentos didático-pedagógicos diferenciados na sala de aula. Explicando melhor, independente da tendência pedagógica identificada pelo professor como fundamentadora do seu trabalho, as suas práticas na sala de aula foram muito semelhantes aos dos outros colegas em relação ao processo de transmissão e de comunicação de informações e conteúdos.

Assim, os comportamentos dos docentes foram parecidos quanto às metodologias adotadas, as atividades propostas, o modo como desenvolveram os conteúdos durante suas aulas. Também, na forma como utilizaram os recursos e estratégias didáticas, as avaliações, na maneira como atendiam e "respondiam" à atuação e participação dos alunos e ao tipo de relacionamento com esses na escola.

As constatações remeteram às características definidas por SAVIANI (1983), como integrantes da abordagem tradicional de ensino, já que aos professores, na maior parte do tempo, trabalharam numa perspectiva estática, livresca, memorística, de transmissão de conteúdos compartimentados. Os alunos eram passivos, recebedores da matéria e posteriormente, reproduziram-na em provas e avaliações.

Na opinião dos professores - não partilhada pelos alunos - eles faziam um trabalho reflexivo, eficiente, com abertura, dinamismo e flexibilidade. Aliás, visavam o melhor ensino e o melhor desempenho do educando. No entanto, como já foi dito, os procedimentos de ensino-aprendizagem dos docentes revelaram que suas ações práticas assim como as condutas dos alunos, ainda estavam arraigadas aos princípios e características da escola tradicional de ensino.

Entretanto, os docentes enfatizaram as concepções progressistas/humanistas de educação, ou seja, o discurso de escola que parte das necessidades dos alunos, que dá oportunidade para a difusão de idéias, a troca de experiências e de conteúdos significativos, articulados com a realidade, a fim de construir conhecimentos e produzir transformações sociais.

Os professores evidenciaram idéias bem discrepantes em relação à sua prática pedagógica. De um lado, os docentes pareciam ter um quadro teórico, atualizado, que lhes apontava as oportunidades de modificar a aula e seu desempenho docente. De outro, um quadro real com educadores, escola, currículo, prática e procedimentos didático-pedagógicos tradicionalistas, o que tornou incoerentes o discurso teórico e prático. Dava para perceber que parecia difícil aos professores o "rompimento" com tal sistema. Mesmo quando arriscaram alguma atividade mais crítica, inovadora, obtiveram a participação e o interesse dos alunos na sala de aula, mas não persistiram e não deram continuidade ao processo transformador.

É comum encontrarmos nos dias atuais, em qualquer nível de ensino, em instituições escolares públicas e particulares, contexto e resultados semelhantes àqueles observados por nós, em 1999. Então, continuamos a questionar: porque os professores têm dificuldade para colocar em prática as concepções transformadoras da prática? O que lhes falta para trabalhar na perspectiva da aprendizagem significativa, dialógica, do respeito mútuo, da criatividade, da iniciativa própria e do espírito crítico do estudante?

SAVIANI (1983, p. 65) explicou assim tais contradições:

"Os professores têm na cabeça o movimento e os princípios da escola nova. (...) porém, (...) a realidade em que atuam é tradicional. (...) A essa contradição se acrescenta uma outra: além de constatar que as condições concretas não correspondem à sua crença, o professor se vê pressionado pela pedagogia oficial que prega a racionalidade e a produtividade do sistema e do seu trabalho, isto é, ênfase nos meios (tecnicismo). (...) Aí está o quadro contraditório em que se encontra o professor: sua cabeça é escolanovista, a realidade é tradicional (...)"

Não há dúvidas de que as formas de ensino e suas "imagens" ficam "gravadas" na memória social dos envolvidos com a educação, assim como os seus reflexos. Afinal, as construções simbólicas do passado ficam impressas e são reproduzidas na sensibilidade pessoal, profissional, histórica e cultural de cada indivíduo. Na docência, isso não é diferente. Verifica-se que nos diversos níveis educacionais, a educação e seus atores vêm carregando por anos a fio a interferência dos aspectos tradicionais no ensino, ainda vivos e presentes na escola, dirigindo e fundamentando a prática dos professores.

Nesse sentido, é fundamental que os currículos dos cursos de formação inicial e contínua, sejam elaborados visando dar ao docente, oportunidades de desenvolver e construir de forma crítica, global e contínua os diversos âmbitos do saber. Cabe-lhe o conhecimento sobre os sujeitos que educa, sobre a dimensão cultural, social, política, profissional e didático-pedagógica da educação. Ainda, cabe estudo, análise, pesquisa para identificar, compreender e explorar as dificuldades do percurso. Também, fazer a reflexão sobre a própria prática, para tomar decisões conscientes, fazer a opção conceptual de homem, de mundo e de educação que fossem mais adequadas para dirigir, organizar e transformar sua ação pedagógica. Assim o professor poderá ter critérios e conhecimentos para refletir acerca da própria prática, compreender, analisar e dominar as abordagens e processos pedagógicos que embasam o ensino-aprendizagem.

Espera-se a conscientização dos educadores, uma vez que seu desempenho está relacionado ao saber-fazer-bem, ao desenvolvimento de suas funções com qualidade e eficiência. Isso exige, entre tantos desafios que envolvem a vida do educador, compreender que o querer, o dever, o saber e o poder articulam-se no desenvolvimento de sua prática docente, das competências, da profissionalidade e da ética profissional.

 

Bibliografia

SAVIANI, Dermeval. Tendências e correntes da educação brasileira. In:TRIGUEIRO, D.M. (org). Filosofia da educação brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

LIBÂNEO, J.C. Tendências pedagógicas na prática escolarANDE. n.6. p.11-19. 1984.

VÁZQUEZ, A. S.. Filosofia da praxis. São Paulo: Paz e Terra, 1990.

* Texto original, extraído da dissertação de mestrado da autora, sob o título: A prática Pedagógica: investigando o saber docente do professor do curso de Pedagogia. Dissertação de Mestrado. Centro Universitário do Triângulo (UNITRI). Uberlândia, MG. 2001.

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/reflexoes-sobre-tendencias-pedagogicas-na-pratica-docente-3697248.html

    Palavras-chave do artigo:

    pratica docente

    ,

    tendencias pedagogicas

    ,

    formacao de professores

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo tem como principal objetivo descrever o método autobiográfico e as histórias de vida de professores na perspectiva do pensamento reflexivo como algo pertinente na formação de professores. Procura também mostrar como os trabalhos com narrativas, em pesquisas qualitativas, evoluíram da década de 80 para os dias atuais. E, através de estudos de alguns clássicos que utilizam o método autobiográfico e as histórias de vida, faz algumas reflexões acerca da formação de novos professores.

    Por: Lourival da Silva Lopesl Educação> Ensino Superiorl 05/06/2011 lAcessos: 2,624

    Este é um Trabalho de Conclusão de Curso de Pedagogia da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Universitário de Rondonópolis do Instituto de Ciências Humanas e Sociais – UFMT/CUR/ICHS.O interesse pela temática foi despertado por meio da minha participação ativa no Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID, nas atividades da prática na sala de aula na escola pública conveniada e, ao mesmo tempo, nas disciplinas estudadas no curso de Pedagogia durante os anos de forma

    Por: Roselene Batista Gill Educaçãol 26/11/2014 lAcessos: 12
    Antonio Reinaldo Santos Alves

    Os estudos sobre Formação de professores, necessitam contemplar discussões que associam a formação e a prática docente, afim de preparar o educador para a realidade das salas de aula. Recomenda-se, portanto no percurso formativo do professor, sua formação inicial e continuada, oferecer reflexões e debates, sobre quais competências e habilidade este profissional precisa ter para bem construir estratégias metodologias.

    Por: Antonio Reinaldo Santos Alvesl Educação> Ensino Superiorl 05/11/2011 lAcessos: 2,312
    vanessa de fatima silva moura

    Ao se considerar relevante o aprofundamento e o conhecimento em relação à formação docente para o uso de novas tecnologias educacionais. Percebe-se que a formação de professores para a utilização das novas Tecnologias de Informação e Comunicação, de forma específica os computadores, que têm contribuído na educação e aprimoramento da pratica educativa, que deve ser pautada pela compreensão das possibilidades e limites deste instrumento na concretização do papel educativo da escola.

    Por: vanessa de fatima silva moural Educaçãol 18/07/2011 lAcessos: 1,545

    Na rotina diária, o professor explicita entre outros, o que pensa sobre o aluno, o conhecimento, a escola, as relações professor-aluno, a aprendizagem, o ensino, os procedimentos pedagógicos e a avaliação. Suas ações, atitudes e comportamentos são orientados por pressupostos teórico-metodológicos que fundamentam toda a sua prática e De acordo com a aplicação daqueles no processo ensino-aprendizagem, é que vão sendo estabelecidas as abordagens, as tendências e os modelos pedagógicos educativos.

    Por: Zeila Miranda Ferreiral Educaçãol 15/11/2010 lAcessos: 2,178

    RESUMO A insuficiência da preparação dos futuros professores quanto ao domínio dos conteúdos da matéria a ensinar se manifesta, principalmente, em dificuldades para reelaborar os conteúdos científicos, adequando-os à promoção de aprendizagem de seus futuros alunos. Isso torna o ensino da Biologia muito mais complicado do que era para ser, pois os professores sendo formados de uma maneira inadequada reflete em uma educação não apropriada, descontextualizada e que não transmite algo significati

    Por: Marcia Amelia Gaspar Matosl Educação> Ciêncial 16/07/2010 lAcessos: 2,054

    Apresentação de algumas questões referentes à formação docente universitária, mas precisamente, identificar as atitudes na prática docente que o transforme em um intelectual transformador. Para isso, foi tomado como base legal a legislação atual sobre a formação de professsor universitário. Destacou-se os processos seletivos nas universidades de âmbito públicas e privadas no Munícipio de Niterói, do Estado do Rio de Janeiro. Evidenciou-se as concepções de docente como intelectual transformador.

    Por: Ana Paula Moreira Machadol Educação> Ensino Superiorl 21/05/2009 lAcessos: 12,929 lComentário: 6
    Ilma Aparecida Gonçalves

    Este trabalho busca investigar os conflitos, condições de trabalho e o bem estar dos professores, bem como verificar seus suas angústias e, principalmente, sua autoestima no cotidiano escolar. Com o interesse de conhecer e mostrar a realidade docente, o presente estudo verifica se as condições de trabalho e saúde relacionam-se com a com a construção da práxis docente. Os resultados demonstraram que há uma precariedade nas condições de trabalho docente e algumas considerações a mais.

    Por: Ilma Aparecida Gonçalvesl Educação> Ensino Superiorl 21/06/2010 lAcessos: 809 lComentário: 1
    José Elias de Jesus

    A Educação a Distância tem se tornando a grande possibilidade de aprimoramento cultural e profissional de muitos brasilerios. Entretanto, este modelo de aquisição do conhecimento carece de profissionais de educação, docentes principalmente, com facilidades de apropriação do uso das TICs - Tecnologias de Informação e Comunicação. Este artigo aborda estas deficiências, bem como apresenta a visão de docentes que vivenciam esta Modalidade de Ensino e Aprendizagem.

    Por: José Elias de Jesusl Educação> Educação Onlinel 25/07/2011 lAcessos: 331
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Trata-se de uma prática política cruel resultada de regimes políticos de exceção. O cidadão por motivos ideológicos era preso, as vezes transformado em mão de obra escrava, ou simplesmente exterminado.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 03/03/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Maior filósofo Iluminista. Despertou se do seu nono dogmático. Influenciado profundamente por Hume. Formulou a sua base epistemológica. Da Construção do seu pensamento crítico. Sustentado em teses fundamentais. O que se pode compreender. O que deve ser feito. O que é permitido na compreensão das coisas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 28/02/2015

    Veja como obter log juro composto um método diferente de encontrá-lo,e citações de artigos...

    Por: Edvaldo morais dos santosl Educação> Ensino Superiorl 25/02/2015

    Um das maiores frustrações dos jovens que procuram o primeiro emprego é a condição imposta por muitas empresas de que já tenham exercido a função a que se candidatam, ou alguma semelhante. Isso depõe contra as próprias empresas, como se pretendessem que seus contratados já tivessem sido "treinados" pelo concorrente, já tivessem cometido os erros naturais do aprendizado em outro lugar, e chegassem preparados para desempenhar como autênticos campeões.

    Por: Julia Nascimentol Educação> Ensino Superiorl 25/02/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Apenas cinco milhões de anos. Inexaurivelmente. O suficiente. O universo ficará escuro. O infinito transformará. Em um grande deserto. Frio e árido. Latíbulo.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 24/02/2015

    As tecnologias digitais da informação revolucionaram (e continuam revolucionando) as profissões da comunicação. Ainda que exista uma base teórico-reflexiva que permaneça estável e indispensável, há nova prática e novo saber profissional que, assim como as transformações tecnológicas, mudam continuamente e trazem desafios complexos para a universidade e para o ensino.

    Por: Central Pressl Educação> Ensino Superiorl 23/02/2015
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Somente a Filosofia dá direito ao cidadão ser realmente crítico. Qualquer disciplina, sobretudo, na área do espírito, não poderá ser crítica sem a Filosofia, como instrumento de análise epistemológica. No entanto, a Filosofia é uma disciplina extremamente difícil, complexa e diversa, aplicada em campos variados com fundamentos diferenciados.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 22/02/2015
    Genilda Vieira Rodrigues

    Este artigo trata-se de um estudo bibliográfico, cujo objetivo foi desvelar a ação supervisora frente a situação indisciplinar discente; considerando aspectos condizentes a função do psicopedagogo na história brasileira, tendo em vista o seu papel de controlar e fiscalizador, como também de cunho participativo; comprometido com o processo de ensinar e aprender, com observância da coerência/incoerência entre as funções atribuídas a este profissional, e a que ele deve realmente desempenhar e sua i

    Por: Genilda Vieira Rodriguesl Educação> Ensino Superiorl 21/02/2015

    O presente artigo pretende analisar o telejornal como recurso didático-pedagógico e tecnológico a ser utilizado por professores do Ensino Fundamental em sala de aula. Tal uso, na perspectiva de construção de conhecimentos contribui para a formação de alunos telespectadores críticos e autônomo.

    Por: Zeila Miranda Ferreiral Educação> Ciêncial 27/11/2010 lAcessos: 474

    Em seu livro, a autora Christine Hine faz a apresentação da investigação que realizou durante os alguns anos e esclarece acerca das concepções, conceitos iniciais da metodologia etnográfica até a escolha do objeto de estudo e de pesquisa por meio da etnografia virtual.

    Por: Zeila Miranda Ferreiral Educação> Ciêncial 20/11/2010 lAcessos: 544

    Ressaltamos a importância dos conhecimentos pedagógicos para o professor da básica para efetivar uma ação pedagógica competente, reflexiva e inovadora. Diante do contexto atual, torna-se urgente rever as propostas de formação inicial dos professores, transformando-as num saber-fazer permanente.

    Por: Zeila Miranda Ferreiral Educação> Ensino Superiorl 19/11/2010 lAcessos: 5,630 lComentário: 1

    A Educação a Distância (EaD), oferece substanciais possibilidades de contribuir com a ressignificação da educação escolar e da formação de professores. Pode oferecer ao docente, oportunidade de estudo, atualização, qualificação, investimento em sua formação contínua em qualquer tempo e lugar, por meio de metodologias diversificadas e mediadas por recursos tecnológicos.

    Por: Zeila Miranda Ferreiral Educação> Ensino Superiorl 19/11/2010 lAcessos: 678

    Refletimos acerca da prática pedagógica do professor-tutor em EaD, do ponto de vista do trabalho do professor, uma atividade educativa, técnica, produtiva, socialmente útil e transformadora, que promove o homem como ser social.

    Por: Zeila Miranda Ferreiral Educação> Ensino Superiorl 18/11/2010 lAcessos: 1,486

    Na rotina diária, o professor explicita entre outros, o que pensa sobre o aluno, o conhecimento, a escola, as relações professor-aluno, a aprendizagem, o ensino, os procedimentos pedagógicos e a avaliação. Suas ações, atitudes e comportamentos são orientados por pressupostos teórico-metodológicos que fundamentam toda a sua prática e De acordo com a aplicação daqueles no processo ensino-aprendizagem, é que vão sendo estabelecidas as abordagens, as tendências e os modelos pedagógicos educativos.

    Por: Zeila Miranda Ferreiral Educaçãol 15/11/2010 lAcessos: 2,178

    O texto trata do estilo cognitivo compreendido como meio preferido por uma pessoa para processar a informação. O estilo cognitivo é normalmente descrito como uma dimensão da personalidade que influencia atitudes, valores e a interação social. Teoricamente, os estilos cognitivos e de aprendizado podem ser usados para prever que tipos de estratégias ou procedimentos didáticos seriam mais efetivos para um dado indivíduo em sua aprendizagem.

    Por: Zeila Miranda Ferreiral Educaçãol 15/11/2010 lAcessos: 1,741

    Comments on this article

    1
    rosa 28/11/2010
    cara, to perdida. não consigo terminar um trablho sobre as tendencias pedagogicas. ta muito dificil.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast