Toque Terapêutico no Processo da Humanização

Publicado em: 09/05/2013 |Comentário: 0 | Acessos: 44 |

1. Introdução:

Um paciente necessita de cuidados não só técnicos, mas também humanizados, assim fará uma grande diferença, na sua qualidade de vida. Dentre as ações humanizadas está o toque terapêutico, prática indispensável, tratamento que contribui positivamente na recuperação do paciente. Assim, a referida pesquisa bibliográfica, de caráter qualitativo, traz uma abordagem acerca do toque terapêutico como sendo uma necessidade à evolução da saúde do paciente.

2. Desenvolvimento:

O toque terapêutico é uma técnica desenvolvida inicialmente nos EUA, na década de 70, posteriormente analisados em vários estudos experimentais que demonstram a virtude do toque terapêutico. Faz-nos sentir melhor conosco mesmo e com o ambiente a nossa volta, provoca mudanças fisiológicas mensuráveis naquele que toca e naquele que e tocado. O toque físico não é apenas agradável, é necessário. O toque, no entanto, vai além de um mero contato físico.

O toque terapêutico não só é feito de cuidados técnicos, mas também cuidados humanizados, expressa para o paciente que percebe sua comunicação. Os pacientes podem aprender a identificar os sentimentos, respeito do outro prestando atenção nas palavras expressas, e na expressão facial e no toque durante os cuidados. É recomendado usar a habilidade quando o objetivo for realmente acessar o sentimento pelo paciente, como por exemplo: Quando o paciente reclama de dor. Os pacientes têm que ser orientados e encorajá-los a sentir-se bem.

Segundo Jeremy Holmes, "o papel do terapeuta consiste em uma técnica da maioria dos toques terapêuticos de tempos limitados". O uso do toque pode ajudar os pacientes conectar sentimentos e comportamentos interpessoais e alerta o paciente a superar barreiras.

Um toque pode proporcionar um comportamento ativo trazendo grandes resultados no paciente, isso é muito gratificante ver pacientes recuperados com os cuidados de um profissional com os cuidados humanizados. O terapêuta é um aliado explícito do paciente, ele expressa cordialidade e uma relação positiva com o paciente.

      As relações interpessoais são fundamentadas na comunicação e esta vai além das palavras escritas ou faladas. A comunicação pode ocorrer de maneira verbal ou não-verbal. A enfermagem ao cuidar necessita estabelecer não só a comunicação verbal, pois a não verbal está alem do que se pode ver: a postura, os gestos, o olhar, tom de voz e a maneira de tocar.

Quando o silêncio se impõe é fundamental para comunicarmos com os que cuidamos, demonstrando que importamos com eles, não só com a doença, mas mostrando ser solidários, compreensivos e, além disso, humanizados.

        Sá relata que "a aplicação do toque terapêutico estimula a produção celular, processos de cicatrização, relaxamento muscular e influências sinápticas que permite uma conduta elétrica estável dos estímulos nervosos". O paciente visando que há um cuidado técnico e havendo ali um cuidado humanizado é estimulado a melhorar.

De acordo com Silva, "temos que tocar no paciente, quando ele se sentir sozinho, isolado, quando ele sentir dor, quando ele estiver com sua autoestima baixa".

 Já foi comprovado que a aceitação do toque terapêutico tende-se a ser maior quando os pacientes são recebidos por meio dele.

  

3. Considerações Finais:

O toque terapêutico quando utilizado com humanização alivia o sofrimento do paciente, reduz a ansiedade e possibilita interação afetiva e fundamental para o desenvolvimento do paciente. O cuidado não é apenas um toque de mãos, mas apresenta um ato de atitude do profissional, visando o paciente qual for a sua condição, transmitindo o sucesso de sua recuperação.

4. Referências Bibliográficas:

ANGELOTTI, Gildo. Terapia cognitiva comportamento no tratamento da dor. 1. ed. São Paulo: Casa do psicólogo, 2007.

POTTER, Perry. et al. Fundamentos da enfermagem.7. ed. São Paulo:  Reme,1998.

SÁ, Ana Cristina de. O cuidado emocional da saúde. 2. ed. São Paulo: Robe editorial, 2003.

 SILVA, Maria Júlia Paes da. Comunicação tem remédio.1. ed. João Pessoa:  Edição Loyola, 2004.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/toque-terapeutico-no-processo-da-humanizacao-6587701.html

    Palavras-chave do artigo:

    respeito

    ,

    cuidado humanizado

    ,

    toque terapeutico

    Comentar sobre o artigo

    Neusa Amorim

    RESUMO A presente monografia teve como propósito conhecer e analisar a prática pedagógica desenvolvida no ambiente hospitalar e a atuação do Pedagogo numa ala pediátrica do Hospital de Base Ari Pinheiro, localizado no município de Porto Velho-RO, suas dificuldades e os demais aspectos de sua atuação. A presente pesquisa percorreu caminhos já trilhados por alguns autores como Fonseca (2003); Justi; Fonseca; Souza (2011); Mattos; Mugiatti (2008); entre outros, os quais foram utilizados para fund

    Por: Neusa Amoriml Educação> Ensino Superiorl 26/08/2011 lAcessos: 1,847

    Este artigo trata da importância da postura do professor universitário no desenvolvimento do aluno e como uma Filosofia Confessional influencia neste propósito. Para isso verificamos o papel das Instituições confessionais protestantes no processo da Educação Universitária do país. Para melhor conhecimento foi realizada uma pesquisa exploratória em forma de entrevista com alunos de uma Instituição confessional Protestante com o objetivo de saber qual a relação que eles têm com seus professores.

    Por: JACKSON ROBERTO DE ANDRADEl Educação> Ensino Superiorl 22/10/2014

    RESUMO Uma só palavra ou teoria não seria capaz de abarcar todos os processos e experiências históricas que marcaram a formação do povo brasileiro. Marcados pelas contradições do conflito e da convivência, constituímos uma nação com traços singulares que ainda se mostram vivos no cotidiano dos vários tipos de "brasileiros" que reconhecemos nesse território de dimensões continentais. A primeira marcante mistura aconteceu no momento em que as populações indígenas da região entraram em

    Por: Joiciane de Sousa Santosl Educação> Ensino Superiorl 21/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Dado ao caráter emergencial da fome generalizada, povos africanos têm que se alimentar de animais portadores de tais vírus, que são mortais ao organismo humano, como cobras, ratos, morcegos e o chimpanzé.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/10/2014 lAcessos: 11
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Motivado pelo conflito contra os ingleses com objetivo de controlar o norte da França, o referido monarca, formou um grande exercito, sustentados por impostos cobrados no território nacional.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 20/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Em toda minha vida. Apenas sonhei. Em não ser. O que sou. Não teria nem mesmo preposição. Axiomática. Desejo ser diferente. O que de fato não sou. Serei todos os meus sonhos perdidos. Esquecidos no mimetismo.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 19/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    O que vejo no mundo político. Uma guerra indelével. Na defesa de duas tendências. Ambos as forças políticas. Defende o mesmo modelo. Fundamentado no liberalismo econômico. Nao existe ideologia de esquerda no Brasil. Apenas uma acepção imperscrutável. Ao silêncio da ignorância nacional.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 18/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Ver e perceber. Apenas a parcialidade da compreensão. E que poderá ser sempre a distorção. Como de fato costuma ser. Dado a natureza do mundo representativo. Significando o desejo do engano. As fantasias dos sonhos.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 17/10/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    A respeito da teoria da evolução formulada por Charles Darwin 1809-1882, quem melhor organizou a ideia de como as espécies evolui a partir uma das outras, na superação de elos inferiores, criando as diversidades das mesmas.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Educação> Ensino Superiorl 17/10/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast