Práticas Corporais - Expressão de Você Mesmo

08/11/2011 • Por • 4,603 Acessos

Após um longo inverno...

Caríssimos! Como estão? Praticando muito ou ainda na contemplação de um programa de exercícios físicos? O começo é sempre difícil e manter-se no programa traz seu esforço, mas os benefícios compensam.

Hoje iremos tratar do terceiro conceito que abordamos no último encontro, ou seja, falaremos sobre as Práticas Corporais.  Como é um conceito ainda novo é preciso ter mais atenção e estar disposto a receber conteúdo novo.

As Práticas Corporais vem da discussão das áreas das humanidades, cujo foco central está no sujeito, na pessoa real, aquela que está sujeita às alegrias e dissabores da vida, que tem desejos, aspirações, frustrações, se enamora e suporta a rejeição. Estamos falando de um corpo vivo. Como assim?

Quando estamos tratando de aspectos fisiológicos, anatômicos, força em determinado seguimento, flexibilidade em outro, estamos focando no que alguns autores denominam de estudos pelo corpo morto. Focamos no segmento ou doença, não estamos preocupados na pessoa em si, e este é um primeiro passo para a desumanização, fator predominante na área da saúde, seja ela qual for, medicina, educação física, fisioterapia, etc.

Nas Práticas Corporais o sujeito expressa quem ele é por meio de seus gestos, movimentos e atividades. Ele escolhe o quê, como e quando. O Porquê é a sua identidade com a atividade. Se gostar de dançar, dança. Se são as lutas, ou um período de corrida, folclore, modalidades esportivas, práticas orientais, tanto faz, desde que o sujeito esteja na decisão. O aluno é participante para montar e criar a aula junto com o profissional. Ele expõe seus desejos e o profissional tem as condições técnicas de concretizá-los na medida do possível.

Quando pensamos em programas de saúde pública e promoção da saúde isso é fundamental. Uma razão é a motivação e continuidade ao programa e permanecer ativo, outro é que não se pode ter saúde sem que a pessoa seja o foco central. Esse será o tema dos nossos próximos encontros, mas já posso adiantar que mudar a mirada da doença para a saúde não é assim tão fácil e muitas vezes é preciso abdicar de algumas situações cômodas para nós.

Então, quando falamos de Práticas Corporais, não estamos negando todo o conhecimento biológico e os benefícios pelos programas de exercícios físicos, estamos sim ampliando nossa visão e conhecimento para que seja de forma mais completa, participativa e democrática.

Vamos pensar na seguinte situação; você foi criado em uma comunidade de conflitos e já na sua casa e na sua escola era ensinado algum tipo de arte marcial, ou defesa pessoal, não só como segurança mas como ludicidade e competições esportivas em geral. Você cresceu com isso e vivenciava isso três vezes por semana. Acontece que você e sua família se mudam para um local onde essas práticas são consideradas agressivas e que sua atividade física agora seja a de exercícios de musculação ou natação. Você acha que irá estranhar? Antes você tinha o toque do corpo e agora não mais, antes você combinava o treino com seu parceiro e agora pode ser que fique sujeito às ordens do treinador, antes havia a intenção de manter seus sentidos prontos para a defesa e agora dizem quem isso não vale nada e que não existe a possibilidade de continuar e aprimorar o que já fazia parte de seu cotidiano. Para completar, a roupa que você terá que usar na natação ou na musculação é de uma cor e modelo que você não gosta e não se identifica. Será que você vai continuar por muito tempo, mesmo que todos digam que isso é para sua "saúde"? 

O exemplo acima, dado de forma bastante caricata, é apenas para mostrar que o sujeito é importante e que muitas vezes não é possível chegar aos objetivos estipulados pelas leis e normas porque não levamos em conta a pessoa.

Entretanto, para algumas pessoas, aquelas que estão sem condições físicas para programas de atividades físicas, é necessário um período de treinamento físico para dar suporte aos seus desejos e conseguir realizados sem riscos reais.

Espero que tenham gostado e que tenha sido útil.

Um abraço e até nosso próximo encontro.

Mande seus e-mails para contato@superasampa.com.br, ficaremos muito felizes com sua participação.

Douglas Cerqueira Ferdinando é professor de educação física do Serviço de Geriatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Brasil), mestre em Saúde Pública e proprietário da SUPERAÇÃO – Práticas Corporais para a Saúde.

 

Perfil do Autor

Jonilson Santos

Ajudando as pessoas a viverem melhor naturalmente Você não precisar perder o gosto pelas coisas boas da vida para ter uma vida saudável....