Como abrir uma igreja

02/03/2012 • Por • 924 Acessos

Iniciando um Ministério

Iniciar um ministério é mais que simplesmente abrir um local de pregação da palavra.

É começar uma Obra que não é de homens, mas de Deus.

Para isso é preciso seguir alguns procedimentos e normas, para que a Igreja tenha reconhecimento público, identidade jurídica e idoneidade.

Estes processos são todos fundamentais, inclusive para o bom funcionamento da própria igreja.

O Código Civil Brasileiro dá regulamentações às Organizações Religiosas quanto a sua fundação e forma de registro. A Prefeitura é responsável pela liberação do Alvará de Funcionamento.

O Brasil é um Estado laico de direito, e como tal, não interfere na forma de organização e administração das igrejas. Isso quer dizer que a Diretoria da Igreja é responsável pela organização administrativa da igreja, sua hierarquia, forma de ingresso, e etc. Não há interferência do Estado nas decisões de um ministério religioso.

Contudo, o bom senso nos alerta da necessidade de planejamento, seriedade e transparência para a abertura de toda e qualquer obra dedicada a propagação da Palavra de Deus.

Igrejas sem registro e licenciamento

Acontece que muitos pastores, a maioria, eu digo, preocupa-se em executar sua função ministerial, o que é louvável, e ignora que a igreja, como entidade jurídica, precisa de administração.

Por isso, temos dentro do ministério as funções de secretário, tesoureiro, vice-presidente. Sem falar nas funções de apoio eclesiástico.

Numa igreja todos são responsáveis por uma determinada função.

Mas como delegar poderes a alguém que desconhece o exercício de sua função e responsabilidades relativas a ela?

Como iniciar um ministério então, sem conhecer o que é preciso do ponto de vista Administrativo e de Direito?

É claro que a maior responsabilidade de um pastor é quanto a vida espiritual de suas ovelhas. Logo, não é de se estranhar que ele não domine os tramites jurídicos para legalização de seu ministério. Pois seu ímpeto é o de salvar almas, mostrar a Elas o caminho para Deus. O Pastor não é um Administrador, Contador ou Advogado, ele é um Servo de Deus.

Então como tratar dos aspectos jurídicos, administrativos e contábeis que envolvem a Igreja?

Não raras são as vezes que é um Pastor se vê obrigado a contratar um Escritório ou Profissional competente para realizar estas tarefas.

Mas há ainda um empecilho. Há taxas que são cobradas para o devido registro dos documentos da obra, e os honorários devidos ao profissional contratado.

O valor para abertura e legalização de uma Organização Religiosa, do seu registro até o licenciamento chegam a R$ 1.800,00. O que para um pequeno ministério é muito.

Muitos pastores iniciam seu chamado de abertura de igreja com recursos exclusivamente seus, e acabam deixando a legalização da obra para depois.

É fato que o profissional contratado para realizar a legalização da obra deva ser remunerado por seu trabalho, e justo.

Porém alguns profissionais no exercício de suas funções uma maneira de trabalhar para a Obra de Deus.

Entendem que mais que o retorno financeiro, é o retorno de seu auxílio a administração da igreja o mais importante e gratificante. Auxiliam os pastores e demais administradores da obra em todos os passos do processo, dando inclusive treinamento para as funções de Secretário e Tesoureiro.

Estes profissionais tornam-se mais que simples contratados, mas parceiros e colaboradores essenciais para a Administração da Igreja.

Onde encontrar estes profissionais?

Há muitas empresas que se prestam ao auxílio administrativo das igrejas, mas poucas são as que se preocupam em atender as expectativas reais dos fundadores da obra.

Limitam-se a registrar a Organização, entregar o CNPJ ao Pastor, e mais nada.

Deixam o Pastor Presidente a deriva, sem orientações quanto as suas funções administrativas.

Não se interessam em auxiliar o fundador da obra quando o trabalho para que foram contratados finda.

São profissionais que prezam o dinheiro e não a obra de Deus.

Na internet vemos muitos anúncios, alguns cobrando mais, outros menos.

Como escolher o bom profissional?

Mais importante que o preço que este cobra, é o seu nível de comprometimento com a Obra de Deus.

É claro que profissionais sérios precisam cobrar para que possam prestar um bom trabalho. Mas avalie outros pontos:

·          Forma de Contrato. O Profissional fornece um contrato por escrito estabelecendo valores, formas de pagamento, prazos, serviços a serem prestados, e etc?

·          O profissional entende que mais que simplesmente realizar a abertura legal do ministério, ele deve auxiliar em sua administração, até que os responsáveis legais estejam devidamente preparados para o exercício de suas atribuições?

·          O profissional é transparente quanto ao que está cobrando? Ele deixa claro o que são taxas e o que são os seus honorários?

·          Ele dá treinamento aos dirigentes da igreja?

·          Ele encara Organização Religiosa como uma empresa ou uma Obra Divina?

Estamos aqui para ajudar, você pastor, a legalizar sua igreja. Entendemos as dificuldades para abertura e administração de uma obra. E mais, entendemos que o nosso trabalho não termina com a legalização da igreja. Ele apenas começa, pois formamos uma parceria  onde há Consultoria em todos os assuntos relacionados a Administração da Igreja.

Entre em contato conosco sem compromisso.

Temos planos de pagamento para pequenas igrejas.

Perfil do Autor

Rosangela

Contadora especializada em Organizações Religiosas. Contato: registrodeigrejas@gmail.com 11 3715-1101