Hebreus 12: 14-15

05/12/2010 • Por • 725 Acessos

Hebreus 12: 14-15

"Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor,

atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados;"

Amado(a),

Apesar de milhões de pessoas serem avisadas pelo próprio fabricante de cigarros: "fumar faz mal à saúde", ainda assim, continuam cometendo suicídio lento e gradativo, agredindo, contaminando e destruindo o "templo do Espírito Santo de Deus" que é seu corpo, alma e espírito, corpo este que lhes foi entregue pelo Senhor para cuidar dele como um tesouro precioso. Ao invés disso, muitas pessoas transformam essa benção em maldição levando para dentro de si mesmas cerca de 5.000 elementos  destruidores contidos na fumaça do cigarro, cujos ingredientes básicos são os venenos abaixo relacionados:

Nicotina: a causadora do vício. Considerada droga pela OMS. Sua atuação no sistema nervoso central é como a da cocaína, com uma diferença: chega entre 2 e 4 segundos mais rápido ao cérebro que a própria cocaína. É uma droga psicoativa, responsável pela dependência do fumante. É por isto que o tabagismo é classificado no Código Internacional de Doenças (CID-10) como grupo dos transtornos mentais e de comportamento decorrentes do uso de substâncias psicoativas. A nicotina aumenta a liberação de catecolaminas, acelerando a freqüência cardíaca, com conseqüente vasoconstricção e hipertensão arterial. Provoca uma maior adesividade plaquetária, e juntamente com o monóxido de carbono leva à arterosclerose. Contribui assim para o surgimento de doenças cardiovasculares. No aparelho gastrointestinal, a nicotina estimula a produção de ácido clorídrico, podendo levar ao aparecimento de úlcera gástrica. Também estimula o sistema parassimpático, o que pode causar diarréia. A nicotina libera substâncias quimiotáxicas, que vão atrair para o pulmão os leucócitos neutrófilos polimorfonucleares, a maior fonte de elastase, que destrói a elastina e provoca o enfisema pulmonar (Orleans e Slade, 1993; Rosemberg, 1996).

Benzopireno: substância que facilita a combustão existente no papel que envolve o fumo;

Nitrosaminas: são compostos químicos cancerígenos de estrutura química R2N-N=O;

Alcatrão: compostode mais de 40 substâncias comprovadamente carcinogênicas que incluem o arsênio, níquel, benzopireno e cádmio. Carcinogênios são substâncias que provocam câncer como os resíduos de agrotóxicos nos produtos agrícolas, como o DDT, e até substâncias radioativas, como é o caso do polônio 210 e do carbono 14, todos encontrados no tabaco;

Metais pesados: como o chumbo e o cádmio. Um cigarro contém de 1 a 2 mg, concentrando-se no fígado, rins e pulmões, tendo meia-vida de 10 a 30 anos, o que leva a perda de capacidade ventilatória dos pulmões, além de causar dispnéia, enfisema, fibrose pulmonar, hipertensão, câncer nos pulmões, próstata, rins e estômago;

Níquel e Arsênico: armazenam-se no fígado e rins, coração, pulmões, ossos e dentes - resultando em gangrena dos pés, causando danos ao miocárdio etc..;

Cianeto hidrogenado: extremamente venenoso devido à habilidade do íon em se combinar com o ferro da hemoglobina, bloqueando a recepção do oxigênio pelo sangue. Mata por sufocamento.

Amônia: utilizado em limpadores de banheiro;

Formol: componente de fluído conservante;

Monóxido de Carbono: é o mesmo gás que sai dos escapamentos de automóveis, e como tem mais afinidade com a hemoglobina do sangue do que o próprio oxigênio, toma o lugar do oxigênio, deixando o corpo do fumante, ativo ou passivo, totalmente intoxicado. (http://www.naofumantes.com.br/cigarrocompo.htm)/ (http://www.tabagismoumadoenca.hpg.ig.com.br/fumaca_cigarro.htm)

Essa fumaça maligna não apenas causa danos irreversíveis ao viciado como contamina a saúde dos não fumantes por poluir o ambiente exposto à essa fumaça destruidora! Deus, obviamente, NÃO SE agrada desse comportamento e está disposto a perdoar, ajudar e fortalecer o indivíduo que se arrepende e se propõe, de corpo, alma e espírito a livrar-se, definitivamente, desse vício maligno!

"Porque Tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para com todos os que Te invocam." (Salmos 86: 5)

Pois bem. Tão destrutiva quanto esse vício maligno, é a amargura no coração do homem!

A mágoa corrói a saúde física e mental do ser humano tanto quanto o cigarro corrói o estômago, os pulmões, o cérebro, os órgãos em geral!

Por isso, a Palavra de Deus todinha está centralizada num tema predominante: perdão.

"Então Pedro, aproximando-se Dele, lhe perguntou: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu hei de perdoar? Até sete?

Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete; mas até setenta vezes sete." (Mateus 18: 21-22)

A mágoa expressa: desgosto, pesar, tristeza, ressentimento, amargura. Amargura, por sua vez manifesta um sabor amargo na boca. É uma sensação física, concreta, que não dá para ser ignorada. Cada vez que a pessoa se lembra da ofensa ou do seu ofensor, sobe aquela sensação de amargor das suas entranhas, uma sensação de acrimônia, azedume, a qual é a reação do corpo produzindo toxinas e lançando-as na corrente sanguínea!

William Shakespeare afirma: "Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra."

Esse veneno corrói o corpo e a alma do magoado, afasta o Espírito de Deus da sua vida e a pessoa deixa de viver as bençãos e as promessas que o Senhor tem preparado para ela porque Deus não atua no meio do caos. E, neste caso, o caos é o próprio coração do ressentido, o qual está contaminado por sentimentos que não procedem do Espírito de Deus mas procedem da carne que é corruptível e pecadora.

Mágoa, raiva, rancor e orgulho são sentimentos intrínsecos, impossíveis de separar.  Mesmo que o magoado não admita isso. Um não sobrevive sem o outro. Cultivar esses sentimentos dentro de si expressa a falta de disposição do homem em perdoar. Quem não se submete ao perdão está sendo orgulhoso, soberbo e insubmisso a Deus. Portanto, ele só tem a perder! Não consegue desfrutar da paz, não desfruta da presença gloriosa do Pai e desenvolve em seu corpo e em sua mente uma série de doenças oportunistas, pois, conforme o apóstolo Paulo previne os membros da Igreja de Cristo:

"A quem perdoais alguma coisa, também eu perdôo; porque, de fato, o que tenho perdoado (se alguma coisa tenho perdoado), por causa de vós o fiz na presença de Cristo;

para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios." (2Coríntios 2: 10-11)

Preste bem atenção, amado(a): "para que Satanás não alcance vantagem" sobre você e sobre mim, é imprescindível que liberemos PERDÃO sobre aqueles que nos ofenderam, Amém?

"Uma pesquisa realizada pela Unicamp, com dezenas de pessoas que sofriam com problemas cardíacos, revelou que 80% delas eram rancorosas e guardavam mágoa. Estudos constatam que o magoado consome uma energia psíquica muito grande. Conseqüentemente, o organismo sofre uma descarga de adrenalina levando o coração a sofrer alteração em seus batimentos. Daí, podem ocorrer diversas outras desordens nesse órgão e não apenas no seu descompasso. O estômago e o intestino também funcionam, muitas vezes, como órgão de choque para aqueles que vivem em função deste sentimento. Na verdade, o acúmulo de mágoa altera todo o metabolismo de uma pessoa.

Segundo o médico Mário Miyazato Filho, o mesmo mecanismo que acelera o coração é responsável também por muitas doenças gastrintestinais. Ele explica que acontece um processo de somatização que pode gerar diversas manifestações difíceis até de se imaginar. A mágoa, segundo ele, gera altas cargas tóxicas, podendo ser a porta de entrada para muitas doenças, uma vez que interfere diretamente no sistema imunológico." (http://www.midiaesaude.com.br/?action=mais&materia=369)

Portanto, muitas doenças do corpo são provenientes de um deplorável estado mental cujo nome é mágoa. Não é à toa que Jesus nos alerta, enfaticamente, para sermos perdoadores, não amado(a)?

A pessoa que alimenta esse "câncer na alma", chamado mágoa, manifesta terríveis e desagradáveis sentimentos em seu dia a dia:

Melancolia (luto interno): num grau acentuado torna-se uma psicose maníaco-depressiva. O amargurado passa a manifestar um comportamento sombrio, triste, desiludido, sem entusiasmo diante dos fatos e das pessoas. A ofensa permanece tão viva e constante em sua memória que a decepção torna-se generalizada e ele passa a não confiar mais em ninguém, não consegue mais transmitir alegria, pois sente que o mundo não merece sua alegria. Só que ele não percebe que o maior punido é ele mesmo!

Frustração: o ofendido sente-se tapeado, malogrado, sente-se falho de alguma forma que nem ele próprio entende. Sente-se impotente e incapaz. Sente-se "vítima" e comporta-se como "vítima", alimentando todo tipo de derrota em sua vida!

Raiva: é a manifestação visível e audível da ira. A boca fala coisas que podem prejudicar outras pessoas, coisas que, depois, não há como voltar atrás. Pode declarar mentiras, torpezas, ameaças, retaliações que, mesmo que não se cumpram, podem vir a comprometer, futuramente, a vida do raivoso ofendido. Por ex., na hora da raiva, a pessoa pode dizer: "eu quero matá-lo!" mesmo que ele não faça isso, caso aconteça algo com o ofensor, a suspeita recairá nele que fez a ameaça!

Rancor: é a raiva silenciosa...fica ali dentro da pessoa, "cozinhando" ora em fogo brando, ora em fogo alto, às vezes, morna, às vezes, fervendo... idealizando a derrota do outro... alimentando sentimento de vingança, onde a raiva passa a ser potencializada pelo ódio e o ódio por atitudes malignas, onde, num determinado momento, a pessoa pode perder o controle sobre a situação e provocar danos irreversíveis para outro(s) e para si mesma!

Orgulho: alguém pode sentir um orgulho sadio de si mesmo. Isto é, você realiza um bom trabalho e sente satisfação pessoal pelo resultado dele. Sem problemas. Isso é natural e saudável.

O problema é o orgulho derivado da mágoa, do ressentimento, do ódio e do rancor. Neste caso, o orgulho é sinônimo de soberba ou seja, arrogância, magnitude, o sentir-se "deus", alguém acima das falhas humanas, não pecador e perfeito! Por isso, nega o perdão ao ofensor. Nega o perdão como forma de demonstrar sua superioridade sobre o outro: "como ele ousou fazer isso COMIGO???"

Nós temos 2 opções: perdoar conforme recomendação de Jesus Cristo e viver com saúde plena e qualidade de vida, gozando da Presença abençoadora do Senhor sobre a nossa vida e de nossos amados OU reter o perdão e arrastar nossa existência administrando problemas... detonados...transtornados... manipulados pelo reino das trevas... somatizando nossas decepções em forma de doenças físicas e mentais e alimentando o inferno em todas as suas formas e manifestações. A escolha é somente NOSSA. Está em nossas mãos.

A mágoa mata! O perdão traz cura, libertação, salvação e vida plena!

Não consegue perdoar?

Ore para que o Deus Forte, o Pai das Luzes, o Maravilhoso Conselheiro, o Pai da Eternidade, o Príncipe da Paz, Jesus Cristo, consiga para você!  Ore para que  ELE venha fazer morada em seu interior, derramar amor, compreensão, sabedoria e paz!

Não deixe sua mente vazia! Encha-a da Palavra de Deus, da adoração, do louvor e da oração. Clame! Declare o perdão (ainda que não sinta) em audível e clara voz! Abençoe seu ofensor e os anjos do Senhor levarão cativos aqueles principados e potestades que pretendiam escravizar a sua vida, a sua saúde e as suas chances de viver feliz e realizado em união com o Senhor e seus amados!

Como está em Provérbios 19:11:

" A sabedoria do homem lhe dá paciência; a sua glória está em esquecer ofensas."

Ótima semana!

Bjos com amor.

 

 

Perfil do Autor

Cláudia Meyer

Casada, 2 filhas, membro da igreja Sara Nossa Terra - Augusta, São Paulo-SP.