A Fofoqueira

Publicado em: 07/11/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 6,880 |

A FOFOQUEIRA


Durante três dias Raquel, a fofoqueira do bairro, observou a vizinha Valéria que morava na casa antiga, na frente da sua. Rua sem saída.  Os vizinhos comentavam que Valéria havia enlouquecido. Fazia três anos que perdera o marido e um ano da morte da mãe.  Valéria passou muito tempo de luto e tristeza. Dois meses atrás se havia aventurado numa viagem turística ao Nordeste, junto com uma prima. Voltou de bom humor, mas nos últimos dias falava sozinha, gesticulava, ria... Teria alguma visita?


Essa tarde de sábado Valéria ria muito.


– Ela enlouqueceu!.. – gritou  Raquel.  – Venha, querido, venha e olhe... O marido relutou um pouco, mas como a esposa continuava: Venha, venha. Ele deixou o jornal e levantou–se trabalhosamente da poltrona onde estava esparramado. Aproximou–se da janela. Olhe lá, olhe João  parece que está falando com alguém.. mas Valéria está sozinha desde que a mãe morreu. Falarei com ela. Talvez precise de um médico, de um psiquiatra ou de terapia, sei lá...


 Raquel pegou o telefone:  – Olá,Valeria? Você está bem? 


– Feliz com meu noivo nordestino – respondeu rindo Valeria.


Raquel, curiosa,  continuou a  espiar pela janela. Querido, venha, venha ver. Venha por favor... O marido novamente deixa o jornal de lado e se aproxima a passos vagarosos até a janela.


– Olhe – disse a mulher – Valeria fala e ri sozinha!..


– Sozinha, não! Com seu noivo imaginário, ironiza o marido. Volta a sentar–se na poltrona e pega o jornal.


– Eu vou falar com ela – enfatiza Raquel.


Minutos depois Raquel aperta com força a campainha.  Abre-se a porta.


 – Este é Armando, meu noivo – grita Valeria desde a cozinha.  Só nesse momento Raquel repara no anão de pijama azul, na ponta dos pés, segurando–se na maçaneta da porta. Sorridente,  o anão a convida a entrar. Raquel fica paralisada ao lado da porta.


Armando insiste:


 – Sente-se vizinha, pode pegar um pedaço de bolo. Eu mesmo fiz.


– Aqui está o chá mate – disse contente Valéria. Coloca a chaleira na mesa, agacha-se e  abraça o anão. Ele, sempre sorridente, dá um beijão na boca da namorada. Depois sobe na escadinha que está ao lado da mesa e serve um pedaço de bolo para dona Raquel.


Raquel sem palavras senta–se na cadeira e pega o pratinho com o bolo. Acanhada, não sabe o que dizer. Os três ficam em silêncio. Raquel, tentando ser agradável pergunta: – É bolo de laranja?


No dia seguinte, Raquel falava com Adelaide, a  velhinha do sobradinho amarelo, quando vê passar Valéria, de mãos dadas com Armando. Os dois, sorridentes, cumprimentam e continuam seu passeio. Sem poder conter-se, Raquel murmura para Adelaide: Como ela pode sair com um homem tão pequeno?


A velhinha, muito jocosa, emenda:  segundo ouvi dizer, Armando é pequeno só de estatura dona Raquel, só de estatura.


Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ficcao-artigos/a-fofoqueira-632669.html

    Palavras-chave do artigo:

    humor

    ,

    conto

    ,

    causo

    Comentar sobre o artigo

    Miriam de Sales

    UM PASSEIO HILÁRIO POR UM BRASIL QUE ESTÁ MORRENDO;O BRASIL DE JAGUNÇOS,CORONEIS,TABARÉUS,GENTE SIMPLES,MAS,DE GRANDE ACUIDADE,EMBORA SEMI-ANALFABETA. ESTÓRIAS CURTAS E DELICIOSAS PARA LEMBRAR ESSES TEMPOS E COSTUMES QUE ESTÃO DESAPARECENDO.

    Por: Miriam de Salesl Literatural 13/09/2009 lAcessos: 542 lComentário: 1
    Miriam de Sales

    ELE FAZIA UM HUMOR SADIO,NÃO APELATIVO,INTELIGENTE E ENGRAÇADO. CRIOU PERSONAGENS INESQUECÍVEIS E AINDA HOJE É LIDO E DEGUSTADO POR SEUS FIÉIS ADMIRADORES. VAMOS LEMBRÁ-LO!

    Por: Miriam de Salesl Literatural 15/08/2009 lAcessos: 885

    O presente artigo tem como objetivo reconhecer a importância da literatura infantil e incentivar a formação do hábito de leitura na idade em que todos os hábitos se formam, isto é, na infância, é o que este artigo vem propor. Neste sentido, a literatura infantil é um caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, emoções e sentimentos de forma prazerosa e significativa

    Por: Sandra Maria dos Reis Bernardol Educação> Educação Infantill 31/10/2012 lAcessos: 572
    Miriam de Sales

    NÃO É BEM UM ARTIGO NEM É APENAS POESIA,COMO ALGUNS SENADORES ESTÁ EM CIMA DO MURO.MAS,CUMPRIRÁ SUA FUNÇÃO:"MALHAR" O CONSELHO DE ÉTICA E FAZER O LEITOR RIR.

    Por: Miriam de Salesl Notícias & Sociedade> Polítical 05/08/2009 lAcessos: 202
    Miriam de Sales

    Meti os peitos tamanho 44, publiquei em sites,escrevi e publiquei livros e ...descobri o blog. Hoje tenho comprovadas cerca de 800.000 leituras na rede.Sei que comparando com os monstros da Internet é pouco,mas,é minha vitória e...faz um bem!

    Por: Miriam de Salesl Internet> Blogsl 09/09/2010 lAcessos: 62
    Miriam de Sales

    ADORO ESCREVER ESTÓRIASBEM HUMORADAS,CONTENDO CRÍTICAS SOCIAIS E LEVANDO O LEITOR Á DIVERSÃO ,CLARO,MAS,TAMBÉM,Á REFLEXÃO.

    Por: Miriam de Salesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 07/08/2009 lAcessos: 114
    RONALDO VAZ

    Trata-se de uma análise psicológica do grande poeta português FERNANDO PESSOA, uma análise poético-filosófica... É ficção, mas tem toda a lógica de uma "verdade"

    Por: RONALDO VAZl Literatura> Ficçãol 26/02/2015 lAcessos: 11
    Magdiel Dantas

    Para dar inicio aos bons ventos que estão passando pelo Vida Experimental, estamos começando uma série de post's nomeada de Literatura Nacional. O foco dessa série é mostrar um pouco sobre livros nacionais e apresentar aos jovens fãs de literatura estrangeira que aqui, no nosso país, também se escreve coisa muito boa! O primeiro livro a ser mostrado por nós, do V.E, é do jornalista carioca Jorge Lourenço. Se você ainda não conhece esse livro, caro leitor, saiba que deveria.

    Por: Magdiel Dantasl Literatura> Ficçãol 19/02/2015
    Profª Bia Senday

    Refletir sobre o gênero é depositar o olhar sobre o mundo, considerando com propriedade o caráter biológico, o cultural, o histórico, o social, o ideológico, o religioso. Nesse sentido, o gênero apresenta-nos uma função analítica que traz à luz conflitos entre homens e mulheres e define formas de representar a realidade social e de intervir nela.

    Por: Profª Bia Sendayl Literatura> Ficçãol 03/02/2015
    Profª Bia Senday

    Machado tece suas narrativas de modo que seus leitores, mesmo os "distraídos", vão aderindo ao pacto de leitura, na tentativa de buscar os deciframentos para as situações que lhes são postas. Isso faz parte da estratégia machadiana em colocar o seu leitor a par dos questionamentos do ser humano e dos reveses da vida.

    Por: Profª Bia Sendayl Literatura> Ficçãol 03/02/2015
    Profª Bia Senday

    As obras da fase realista de Machado de Assis têm como cenário a cidade do Rio de Janeiro do final do século XIX e inicio do século XX; seus personagens são representantes autênticos da sociedade burguesa vigente na época, as narrações são sempre conduzidas por protagonistas masculinos o que nos leva a crer que a mulher é sempre mostrada a partir de um ângulo que revela a visão do homem a respeito da condição feminina.

    Por: Profª Bia Sendayl Literatura> Ficçãol 03/02/2015
    Profª Bia Senday

    No Brasil do Segundo reinado (de 1840 a 1889), impera o conhecido "parlamentarismo às avessas", quando o Imperador D. Pedro II escolhe o senador ou o deputado para o cargo de primeiro-ministro, com a complacência do Partido Liberal e do Partido Conservador, que se revezavam no poder, sempre segundo os interesses da oligarquia agrária. O romance realista começa com o fim do romance romântico, opondo-se criticamente a ele, sendo, sem dúvida à crítica ao romantismo.

    Por: Profª Bia Sendayl Literatura> Ficçãol 03/02/2015
    Profª Bia Senday

    Resumo Comentado de Algumas das principais obras Machadianas, tais como: Memória Póstuma de Brás Cubas, Dom Casmurro e Quincas Borba.

    Por: Profª Bia Sendayl Literatura> Ficçãol 03/02/2015
    JORGE FLOQUET

    Hoje a tarde , falei com um João. E foi assim! Puxa, João que bom te ver assim! Assim, como? Sóbrio! Afirmei. Sabe, tenho saudades: Itaparica, Rio de Janeiro. Não muito dos velhacos! Que velhacos, João? Os da Academia! Agora sei, João. Da Academia Brasileira de Letras, não é? Certamente! Acho que foi isso que me enterrou de vez! Afirmou Ubaldo, em espírito! Que nada! Quem te enterrou foi a "manguaça". A branquinha! Não foi? Deixa para lá. Agora não posso mesmo! Claro que pode! Não me enrola !

    Por: JORGE FLOQUETl Literatura> Ficçãol 22/01/2015

    Análise das características do conto e da crônica, dois gêneros literários que não tem limites muito definidos.

    Por: Isabel Furinil Literatural 13/10/2013 lAcessos: 52

    Tive oportunidade de entrevistar Reinaldo Polito, escritor e professor da área de comunicação. Seus livros já venderam 1.000.000 de exemplares. Ele fala do difícil começo como escritor e de seu caminho para o êxito.

    Por: Isabel Furinil Psicologia&Auto-Ajuda> Auto-Ajudal 06/04/2010 lAcessos: 275

    O comentário de Boris Casoy deixou as pessoas chocadas. Isso me fez lembrar...

    Por: Isabel Furinil Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 12/01/2010 lAcessos: 107

    O rapaz acha que era muito inteligente e zombava dos nerds até que...

    Por: Isabel Furinil Literatura> Ficçãol 16/05/2009 lAcessos: 373

    Sempre achei estranho pessoas de gerações diferentes inciar um namoro e...

    Por: Isabel Furinil Literatura> Crônicasl 16/05/2009 lAcessos: 269

    As crianças de uma escola hostilizam um menino que está na aula de balé. Mas será que essa situação vai continuar?..

    Por: Isabel Furinil Literatura> Ficçãol 07/11/2008 lAcessos: 1,151 lComentário: 4

    Para gostos diferentes livros diferentes. A leitura maçante afasta os leitores. Desde crianças podemos gostar de ler se nos dão a possibilidade de escolher os livros.

    Por: Isabel Furinil Literatura> Crônicasl 30/10/2008 lAcessos: 525

    Os pais ficam preocupados quando os filhos gostam de leituras como gibis. Será que ler gibis prejudida?

    Por: Isabel Furinil Literatura> Crônicasl 30/10/2008 lAcessos: 1,196 lComentário: 6
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast