Previdência Privada: bom ou ruim?

29/06/2011 • Por • 265 Acessos

De uns tempos para cá, o tema Finanças Pessoais tem virando "moda" no Brasil (vide os diversos espaços que a mídia vem abrindo para o assunto), sendo que as pessoas, muitas delas jovens, estão começando a se preocupar com seu futuro financeiro. Analisando apenas por esse prisma, isso é algo muito positivo. Porém, a formacomo as pessoas estão investindo seu dinheiro também é um assunto importante a ser discutido. Como já escrevi em artigo recente, não é interessante que uma pessoa aloque seus recursos financeiros apenas porque "ouviu falar" que é bom, pois é preciso ter critérios e conhecer bem o investimento escolhido. Nesse contexto, a Previdência Privada é um ótimo exemplo ilustrativo. Muitos indivíduos, na ânsia de garantir uma renda extra no futuro, contratam um plano de previdência privada, nas seguintes condições: 1) Não se preocuparam em verificar as taxas cobradas, rentabilidade passada e forma de tributação;

2) escolha do banco foi pelo critério "é onde tenho conta".

Sou capaz de apostar que a grande maioria das pessoas que possui previdência privada se encaixa nesse perfil. E isso acontece devido a ouvirem, cada vez mais, que é preciso poupar para o futuro, sem que lhes passem pela cabeça a preocupação se a rentabilidade é boa ou não – dizem: "o que importa é guardar". E mais, por não possuírem disciplina, fazem a opção de que o dinheiro seja descontado automaticamente da conta,  senão dificilmente iriam guardar o dinheiro. Depois disso, a cada vez que ouvem falar sobre finanças pessoais, orgulham-se em ter uma previdência privada e julgam estar seguros, financeiramente falando, no futuro. Posso até não discordar da idéia que "guardar alguma coisa é melhor do que guardar nada". Mas para aqueles que buscam administrar bem seu dinheiro, a questão não pode ser vista por essa ótica. Leia atentamente as linhas abaixo. Devemos buscar construir um patrimônio que nos dê certa tranquilidade financeira, sendo isso feito à base de investimentos que tenham boa rentabilidade, pois é ela que fará o bolo crescer mais rapidamente.
Posto isso, ao analisar as rentabilidades históricas de muitos fundos de previdência privada, é possível encontrar coisa muito melhor no mercado. Na maioria dos casos, a baixa rentabilidade se dá por conta de taxas de administração e carregamento, que são um verdadeiro disparate. Pense o seguinte. No futuro, você precisará de um patrimônio (aplicações financeiras, casas alugadas etc) que possa lhe dar segurança financeira, à medida que os frutos desses investimentos (juros, por exemplo) irão arcar com todas suas despesas. Quanto maior a rentabilidade ao longo do tempo, maior será o seu patrimônio e, consequentemente, mais tranquilidade financeira. Foque nesse aspecto e não apenas em "guardar um dinheirinho". Isso porque uma das premissas do sucesso financeiro é escolher bons investimentos. No próximo post de meu BLOG, continuarei o assunto sobre previdência privada, tratando de uma questão técnica: as simulações feitas pelos gerentes de banco na hora de lhe oferecer um plano de previdência. Até mais pessoal, boa sorte em suas finanças e vida pessoal.

Perfil do Autor

Elisson de Andrade

Professor Universitário e doutorando em Economia Aplicada pela Universidade de São Paulo (ESALQ-USP). Cadastre-se no curso de finanças pessoais gratuito em: www.eandrade.com.br