Gestão De Custos E De Riscos Em Projetos

Publicado em: 14/06/2009 |Comentário: 0 | Acessos: 4,575 |

A gestão de custos em projetos é tarefa árdua e árida para os gerentes de projetos, incluindo variáveis que devem ser consideradas: (1) nem sempre quem fez a estimativa dos custos no passado é o mesmo profissional que gerencia o projeto no momento; (2) nem sempre as estimativas são realistas, ou seja, muitas vezes para viabilizar uma aprovação interna subestimam-se intencionalmente alguns custos do projeto, ou, no caso de projeto vendido por empresa de consultoria a cliente, a mesma “infração” ocorre com vistas a ganhar o negócio; (3) por vezes, os sistemas de informação disponíveis como instrumental de apoio ao gerente de projetos são precários, obsoletos e pouco confiáveis; e, (4) falta de cultura interna (inclusive, dos sponsors de projetos) para utilização de indicadores de desempenho de custos em projetos.

A lista ainda poderia ser estendida. Um dos itens que causa preocupação é a questão do valor de contingência para o projeto. O tema está associado a riscos, que representa algo que pode ou não ocorrer em um projeto. Dado importante: um risco é algo que ainda não ocorreu (se tivesse ocorrido seria realidade e não risco) e que tem alguma chance de acontecer (se a probabilidade fosse zero, o risco não existiria mais).

O que não se pode negligenciar é que se um risco ocorre, com certeza, trará uma série de prejuízos ao projeto em termos de tempo, qualidade e custos. Os riscos podem ter sua origem na área de Recursos Humanos, como: perda de profissionais-chave no projeto, atrasos no processo de contratação de mão de obra, verba para treinamento e capacitação não aprovada, subcontratação planejada no desenho do projeto não autorizada pela corporação devido à crise atual, etc. Os riscos podem também ter sua origem em alterações de preços (passagens aéreas, hotéis, aluguéis de veículos, etc.), na variação cambial, no custo emergencial para adequar a voltagem elétrica em um stand em uma feira internacional, etc.

Por outro lado, os riscos previstos podem ser gerenciados através de abordagens já conhecidas, como: evitar o risco (avoidance) reduzindo o impacto ou a probabilidade de ocorrência (mitigation), contratar um seguro para o risco (transference) e elaborar planos de contingência, o qual é disparado caso o risco de torne realidade (acceptance). Todo risco, diante de suas características, do impacto que pode causar no projeto e da probabilidade de ocorrência, deve ter uma abordagem específica. Estes dois fatores (impacto e probabilidade) determinam o grau de severidade de um risco. Nas best practices do PMI (Project Management Institute), ainda há a abordagem do acceptance passive, ou seja, mesmo sabendo que o risco existe, opta-se intencionalmente por nada fazer... (talvez orar, para os crédulos).

Mas, o que chama atenção na questão de riscos em projetos é como eles são “orçados”, ou seja, como é calculado o valor da contingência. Vê-se que empresas adotam como padrão determinados percentuais com base em suas experiências passadas, tais como: 5%, 8% ou 10%. Não há metodologia alguma que defina estes patamares, apenas a experiência prévia e vivência profissional de gerentes e diretores de projetos. Aí, resta “ficar na torcida” para que os riscos não ocorram, ou caso ocorram, que haja contingência financeira suficiente para suportá-los.

O cálculo do valor da contingência deveria ser apurado através do somatório dos produtos entre probabilidade do risco ocorrer pelo impacto financeiro que pode causar ao projeto — para cada um dos riscos identificados. Por exemplo: se há risco de atraso na contratação de um profissional de comunicação, trazendo um impacto de 40 mil reais ao projeto em função do não cumprimento pontual do processo de divulgação — com probabilidade de 15% disso acontecer —, então a contingência deveria ser de 6 mil reais. Evidentemente que o impacto financeiro (os 40 mil reais) pode ser calculado com razoável nível de precisão, entretanto, a probabilidade (os 15%) é algo mais intuitivo, com base na experiência dos profissionais que identificaram o risco, o qualificaram e o quantificaram.

O montante final de contingência, que é o somatório da verba estimada para cada risco, suporta os custos (ou parte) dos riscos que se tornam realidade no transcorrer do projeto. O maior problema é relativo aos riscos não-identificados ou não-previstos que surgem de repente, sem prévio aviso e que causam danos consideráveis ao projeto.

Assim, gerenciar riscos não é tarefa fácil para o gerente de projetos, sobretudo porque é algo dinâmico, ou seja, novos riscos podem ser identificados em tempo de execução do projeto, bem como deixar de existir. Porém, há uma certeza: trabalhar com quantificação financeira de riscos e seu gerenciamento é mais profissional, seguro e preciso que trabalhar com os convencionais 5%, 8% ou 10%, propiciando ao gerente de projetos uma gestão financeira mais sólida e mais realista. Só assim a gestão de custos do projeto terá uma integração efetiva com a gestão de riscos.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/ger-de-projetos-artigos/gestao-de-custos-e-de-riscos-em-projetos-970991.html

    Palavras-chave do artigo:

    gestao de projetos

    ,

    gerenciamento de projetos

    ,

    gestao de custos gestao de riscos

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo realizou um estudo exploratório da utilização da Gestão de Projetos na Internacionalização de Empresas. Buscou-se analisar o que significam os dois conceitos através de visões de vários autores. O objetivo foi trazer à tona a utilidade e a correlação entre dois saberes do conhecimento que, atualmente, fazem parte do cotidiano das empresas. Analisou-se o planejamento correto e os riscos positivos e negativos de uma empresa estar fora do país. Foram trazidos conceitos propostos pela Ge

    Por: Quintiliano Campomoril Negócios> Ger. de Projetosl 19/05/2011 lAcessos: 668

    Este trabalho tem como objetivo apresentar a evolução do gerenciamento de projetos e dos negócios. Além de mostrar ao leitor como as boas práticas de gestão de projetos podem colaborar para o sucesso de novos negócios.

    Por: Mayana Ramos Machadol Negócios> Gestãol 25/01/2011 lAcessos: 898 lComentário: 1
    Kleiton Kuhn

    Todos nós notamos que atualmente o mercado não está mais tão disposto a pagar por qualidade quanto a quinze anos atrás. Na verdade o cliente exige a qualidade a baixo custo, exige que o fornecedor conheça seu negócio e o negócio do seu cliente, exige que a solução, serviço ou produto a ser entregue seja aderente, flexível, robusto e estável. Os tempos são outros, a concorrência aumenta e os modelos de gestão por projetos em alguns mercados se consolida a cada dia como a solução para atingir(...)

    Por: Kleiton Kuhnl Negóciosl 14/09/2009 lAcessos: 779
    Armando Terribili Filho

    Um depoimento do autor do livro "Gerenciamento de Projetos em 7 passos: uma abordagem prática" que visa apresentar de forma sucinta e objetiva um passo a passo no Gerenciamento de Projetos para profissionais com qualquer nível de experiência. Um manual de referência para aqueles que querem conhecer mais da área, sejam estudantes, professores ou profissionais de mercado. Livro com diagramação diferenciada, apresentando exemplos, resumo de pontos importantes e 25 artigos escritos pelo autor.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 27/08/2011 lAcessos: 348
    LUIZ ALBERTO DA SILVA

    Este artigo tem o objetivo de demonstrar os riscos da implementação de arte marcial em comunidade carente sem infraestrutura básica e de demosntrar como se deve mitigar esses riscos para que os praticantes e professores possam praticar tal atividae utilizando o C.H.A(Conhecimento, Habilidade e Atitude). Os levantamentos foram com os órgãos públicos da Comarca de Cidade Ocidental-GO, com o Poder Judiciário, Policias Civil e Militar, Comunidade e Mestres da Arte Marcial.

    Por: LUIZ ALBERTO DA SILVAl Negóciosl 30/03/2010 lAcessos: 586

    Este artigo aborda a importância da gestão da qualidade na gestão de projetos. Apresenta as definições da qualidade adotadas pelo Guia PMBOK e a ISO 9000, assim como os processos da gestão da qualidade sugeridos pelo PMBOK (planejamento, garantia e controle da qualidade). Por fim, aborda-se a questão dos comitês de qualidade e sua importância no gerenciamento de projetos.

    Por: Ana Luiza Cunhal Educação> Ensino Superiorl 21/12/2012 lAcessos: 177
    Armando Terribili Filho

    A cada dia, as exigências para o gerenciamento de projetos se sofistica em termos de habilidades, competências e ferramentas. Assim, o gerente de projetos além de conhecer as boas práticas contidas no PMBOK do PMI, deve sim assumir uma postura de profissional reflexivo, pesquisador e crítico.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/01/2010 lAcessos: 475
    Paulo Henrique Cunha, PMP

    O Grupo de Processos de Iniciação é composto por dois processos de gerenciamento de projetos: Desenvolver o Termo de Abertura do Projeto e Identificar as Partes Interessadas. Mas antes disso é preciso pensar em uma série de fatores que influenciarão no sucesso do seu projeto, como a Estrutura Organizacional, Nível de Apoio e Comprometimento da Direção, Fatores do Ambiente Externos, Metodologia e Ferramentas Adequadas, Planejamento Estratégico e Comprometimento da Equipe do Projeto.

    Por: Paulo Henrique Cunha, PMPl Negócios> Ger. de Projetosl 26/08/2011 lAcessos: 519
    Armando Terribili Filho

    Portfólio de projetos com base no PMBOK (Project Management Body of Knowlege) do PMI é um conjunto de projetos ou programas e outros trabalhos agrupados para facilitar o gerenciamento para atender aos OBJETIVOS ESTRATÉGICOS DE NEGÓCIOS. Assim, o gerente de portfólio deve ser profissional experiente e com sólida vivência em gerenciamento de projetos, devendo monitorar o progresso de cada projeto e do portfólio em várias dimensões, a fim de atingir os resultados planejados.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 15/02/2012 lAcessos: 82
    Jean Carlos Bitencourt

    Não precisamos ler a Bíblia inteira para garantir a salvação, basta extrair dela o que há de melhor e aplicar. Não precisamos implementar todo o frameworks do PMBook para garantir que seus projetos alcancem o sucesso. É claro que faz-se necessário que o Gerente de Projeto seja conhecedor das complexidades das atividades para definir qual prática irá usar para garantir a qualidade e o sucesso do Projeto adaptando o método utilizado à realidade de cada Projeto.

    Por: Jean Carlos Bitencourtl Negócios> Ger. de Projetosl 29/01/2013 lAcessos: 66

    Usado para a composição de lençóis e mantas de borracha, o Neopreno é um elastômero sintético policloropreno, polímero do cloropreno. Foi o primeiro composto de borracha sintético a ser produzido em massa.

    Por: Thiago Fonsecal Negócios> Ger. de Projetosl 25/11/2014
    Luciano Scaburi

    Verifica-se a importância da oferta de alimentação escolar para melhorar a qualidade do aprendizado e assimilação de conteúdos escolares. O ambiente de trabalho – cozinha – é de extrema importância para que sejam elaborados e produzidos cardápios de qualidade nutricional adequada para os alunos. Visto que este ambiente é propício a acidentes de trabalho, ocasionando principalmente lesões por queimaduras, este artigo avaliará as cozinhas que o governo federal oferta em seus projetos-padrão.

    Por: Luciano Scaburil Negócios> Ger. de Projetosl 24/11/2014

    Trabalhar no segmento industrial demanda organização e habilidade de planejamento. Neste contexto, vários fatores são importantes para que gerentes, diretores e outros consigam decidir ações a serem tomadas. Abaixo, você confere alguns exemplos de onde os dados técnicos são importantes.

    Por: Thiago Fonsecal Negócios> Ger. de Projetosl 24/11/2014

    O objetivo deste trabalho é o estudo dos princípios e finalidades dos edifícios Verdes e a sua implementação na cidade de Fortaleza-CE. A elaboração deste artigo foi baseada em dissertações, revistas, artigos, jornais e livros buscando um maior conhecimento a cerca da construção de edifícios Verdes e do incentivo a implementação desses na cidade de Fortaleza- CE.

    Por: Marcela Oliveira Martinsl Negócios> Ger. de Projetosl 12/11/2014

    Fabricantes devem sempre se preocupar com os dados técnicos de um produto. Muitas vezes, clientes mais exigentes perguntam por essas informações e querem respostas imediatas. Para especialistas, os dados técnicos acabam sendo os diferenciais para a escolha de determinado material, pois assim é possível constatar a superioridade ou inferioridade em relação a um concorrente.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Ger. de Projetosl 07/11/2014

    Ajudar o cliente saber como ele pode usar de uma forma mais produtiva o que você vende sempre é um bom negócio. Quanto mais complexo é um produto, mais a ajuda da fabricante e de especialistas será necessária para ensinar ao consumidor tudo que aquela ferramenta ou serviço pode oferecer.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Ger. de Projetosl 24/10/2014

    Durante algumas atividades industriais, é uma consequência que alguns trabalhadores acabem ficando expostos a riscos em relação a sua integridade física. Para evitar danos à saúde, existem os EPIs. Tratam-se dos equipamentos de proteção individual. Consistem em equipamentos como capacetes, botas, luvas, cinturão de segurança, cadeira suspensa, entre outros.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Ger. de Projetosl 20/10/2014
    Beatriz Cristina Gernhardt

    Entenda como melhorar o desempenho e eficiência no gerenciamento de projetos da sua empresa para satisfazer seus clientes e aumentar sua competitividade. Veja as estratégias que recomendamos para que seus projetos sejam entregues dentro do prazo e orçamento previsto e se torne um gerente preparado para reagir às mudanças rapidamente e tomar melhores decisões.

    Por: Beatriz Cristina Gernhardtl Negócios> Ger. de Projetosl 26/09/2014 lAcessos: 64
    Armando Terribili Filho

    Artigo que aborda alguns métodos de Planejamento e Gestão de Carreira com base em reconhecidos autores espanhóis e brasileiros, com destaque para: Método 4D, Autocoacghing e 5 ferramentas essenciais, respectivamente de autoria de Fabio Gonzalezz H., Perdro Amador e Heitor Bergamini. Planejar a sua carreira é hoje uma necessidade: saber "onde" se quer chegar, conhecer os requisitos necessários de conhecimento, habilidades e networking, estabelecer e monitorar um realista Plano de Ação.

    Por: Armando Terribili Filhol Carreira> Gestão de Carreiral 05/12/2014
    Armando Terribili Filho

    A sigla "CHA" representa Conhecimento, Habilidades e Atitudes. Na atualidade, as contratações de gerentes de projetos têm caminhado pela busca de profissionais certificados e/ou profissionais pós-graduados na área. Esses requisitos (conhecimento/habilidades) têm se mostrado necessários, mas não suficientes. Há necessidade de "atitude": criatividade, equilíbrio emocional, imparcialidade, trabalho em equipe, disponibilidade, empenho, agilidade, entusiasmo, colaboração e ética.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 12/12/2013 lAcessos: 55
    Armando Terribili Filho

    Os oito passos para criação de um novo negócio, englobando a realização de pesquisa de mercado com o potencial cliente, investigação da legislação vigente, a análise do mercado, a elaboração do plano de marketing, do estudo de viabilidade econômico-financeira, o plano operacional, a análise de riscos e o cronograma para implantação.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Pequenas Empresasl 16/02/2013 lAcessos: 175
    Armando Terribili Filho

    Quando se fala em melhoria, pode-se pensar em várias abordagens distintas: melhoria pontual, melhoria contínua e reengenharia. Confira!

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 44
    Armando Terribili Filho

    O uso adequado das técnicas/ferramentas pode ser fundamental para o sucesso de um projeto, seja no seu planejamento ou na execução.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 103
    Armando Terribili Filho

    O grande desafio na gestão de equipes virtuais em projetos era o da aspecto da "dispersão geográfica", com profissionais trabalhando em outras cidades, outros países e até, outros continentes. Com as novas tecnologias, isto foi sendo superado. Os dois novos desafios para o gerente de projetos na atualidade são: a dispersão temporal e a inclusão de clientes/fornecedores na participação de equipes virtuais. Confira!

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 87
    Armando Terribili Filho

    Com base neste artigo, pode-se perceber a importância de se realizar um planejamento de custos detalhado e realista, para todos os projetos. Os casos reais apresentados no artigo, evidenciam essa importância.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 53
    Armando Terribili Filho

    As organizações têm, em geral, sistemas de premiação, que nem sempre são utilizados como poderiam e deveriam. Neste artigo além de conceitos sobre o tema, são apresentados casos reais.

    Por: Armando Terribili Filhol Negócios> Ger. de Projetosl 16/02/2013 lAcessos: 38
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast