Motivação Como Instrumento De Desempenho Humano

Publicado em: 30/09/2009 |Comentário: 3 | Acessos: 7,697 |

  

CERIOLI, Diego¹

 

RESUMO

Este artigo relata algumas teorias da motivação utilizadas pelos administradores, demonstrando que o fundamento básico da motivação é estimular os funcionários e integrantes da organização. A motivação é o resultado das atitudes adotadas pela administração, voltadas para a satisfação e o bem estar de seus funcionários, tendo como base, recompensas e benefícios oferecidos aos empregados, que podem ser materiais e não materiais. A motivação é abordada em conceitos e teorias, demonstrando a importância do líder gerar a motivação entre a empresa e o empregado como forma de expandir o desempenho humano na organização.

  

PALAVRAS-CHAVE: Motivação, desempenho, resultado.

  

1. INTRODUÇÃO

 

A motivação ainda é um grande desafio para as empresas, pois é o combustível que faz as pessoas funcionarem. É por meio da motivação que ocorrem melhorias nos processos internos, dos produtos, envolvimento e comprometimento. As pessoas tornam-se mais eficientes e possuem maior facilidade de trabalhar em equipe.

Portanto, motivar as pessoas que estão envolvidas em um determinado trabalho é uma maneira muito eficiente de se chegar a um objetivo. Pessoas motivadas tendem a ser mais criativas e produtivas, superando com maior facilidade qualquer tipo de dificuldade.

Como a motivação está diretamente relacionada com as necessidades e desejos das pessoas, sua importância cresce à medida que ocorre um aumento no nível educacional e há uma melhoria na qualidade de vida de um determinado idividuo, grupo ou sociedade.

 

2. OBJETIVOS DA MOTIVAÇÃO

 

A motivação está diretamente relacionada com a compreensão do “porque” do  comportamento humano. Se for conhecida a razão pela qual as pessoas fazem alguma coisa, será possível melhor compreender, prever e influenciar esse comportamento. Apesar de existirem vários fatores que influenciam no desempenho dos empregados, o principal ainda é a motivação – “o processo de induzir uma pessoa ou grupo, cada qual com necessidades e personalidades distintas, a atingir os objetivos da organização, enquanto tenta também atingir os objetivos pessoais” (MEGGINSON, MOSLEY, PIETRI, 1998, p.346). Maximiano (2004, p.227) afirma que “motivação não significa entusiasmo ou disposição elevada; significa apenas que todo comportamento sempre tem uma causa”.

Mesmo a motivação sendo tão individual, assim como a personalidade e o comportamento humano, certos princípios e teorias motivacionais possibilitam ter uma compreensão e previsão mais ampla das reações das pessoas ao realizar uma tarefa.

Segundo Megginson, Mosley e Pietri (1998, p.346), há pelo menos três objetivos da motivação na administração, cada qual exigindo diferentes abordagens, táticas e incentivos:

1. Encorajar empregados potenciais a ingressar na empresa.

2. Estimular os empregados a produzir mais ou a desempenhar suas funções com eficácia.

3. Encorajar os empregados a permanecer na empresa.

  

2.1 Importância da Motivação

 

Segundo autores e conceitos de administração pró-ativa, todas as organizações possuem um recurso natural (humano) que, sendo administrado corretamente, pode trazer resultados surpreendentes de desempenho (NEWSTROM, PIERCE, 2002).

Kohn (apud NEWSTRON, PIERCE, 2002, p.117) argumenta que é comum se acreditar que “as pessoas executarão melhor o trabalho se for prometido algum tipo de incentivo”. Por isso, muitas organizações utilizam formas de remuneração para elevar seus índices de desempenho.

Segundo Daniels (apud NEWSTRON, PIERCE, 2002, p.117) a solução para a produtividade organizacional, pode ser encontrada nas leis do comportamento humano. As pessoas se comprometem com os comportamentos que recebem reforço. Através da administração competente dos reforços, podem-se alcançar os tipos de desempenho individual que resultam no desempenho da organização.

 Daniels (apud NEWSTRON, PIERCE, 2002, p.117) defende “a definição de reforços que funcionem, a fixação de padrões justos para medir desempenho, o estabelecimento de reforços eficazes em todas as áreas da organização e a eliminação das práticas administrativas que não conseguiram destacar o que há de melhor nas pessoas”.

Pfeffer (apud NEWSTRON, PIERCE, 2002, p.117) afirma que “as pessoas devem ser vistas como a via principal para o sucesso organizacional”. Em A Equação Humana, ele sugere entregar aos empregados o controle sobre seu trabalho, dar-lhes oportunidades para usar seu conhecimento e desenvolver relacionamentos de colaboração com seus gerentes. [...] mostra a importância da segurança no emprego, da contratação seletiva, das equipes auto gerenciadas, da remuneração de risco, do treinamento extensivo, da diminuição das diferenças de status e da participação nas informações.

  

REFORÇO COMO FUNDAMENTO DA GESTÃO DO DESEMPENHO

 

O comportamento das pessoas pode ser influenciado pelos administradores antes ou depois da ocorrência. Para isso, eles devem criar no ambiente, condições para que seja possível se destacar o que há de melhor nas pessoas. As ações que são utilizadas antes do comportamento são denominadas antecedentes, pois elas induzem ao início da ação. Já as conseqüências, são responsáveis por alterar a probabilidade de repetição do comportamento.

Daniels (apud NEWSTRON, PIERCE, 2002, p.127) afirma que “a realidade do comportamento humano consiste em que tudo o que as pessoas fazem está relacionado com o que está recebendo reforço”. Quando são obtidos resultados indesejados, é necessário dispor de conseqüências que cessarão os comportamentos que o causaram. Quando os resultados forem satisfatórios, deve-se dispor de conseqüências que lhes darão reforço positivo.

Existem quatro tipos de conseqüências comportamentais, onde duas são usadas para gerar um aumento do comportamento (reforço positivo e negativo), e duas são usadas para causar redução do comportamento (punição e extinção). A extinção pode ser observada quando o realizador faz algo, mas o comportamento não é reforçado e tende a desaparecer. Já a punição é uma conseqüência desagradável que ocorre após algum comportamento indesejado, usada para cessá-lo.

Reforço negativo é a demonstração de que um comportamento desejado evitará uma punição. O reforço negativo serve apenas para que as pessoas atinjam as metas impostas pelos gerentes, mas não consegue manter um alto nível de desempenho, já que elas trabalham apenas para evitar as conseqüências indesejáveis.

O reforço positivo serve para aumentar a ocorrência de um comportamento no futuro. Essa forma de reforço serve para gerar um comportamento adicional sempre que ocorrer alguma mudança favorável no ambiente. Para que o reforço seja utilizado eficientemente ele deve ser dado o mais próximo possível da ocorrência do comportamento.

 

TEORIA DA EXPECTATIVA

 

A teoria da expectativa sustenta a idéia de que as pessoas esforçam-se para alcançar resultados ou recompensas que lhes são importantes, da mesma forma que evitam resultados indesejados. Segundo esta teoria, as pessoas determinam seus comportamentos em função da perspectiva do grau de satisfação ou insatisfação que esses comportamentos podem gerar.

A principal idéia levantada pela teoria da expectativa é que o esforço depende do resultado que se deseja alcançar. Quanto maior o resultado que se deseja, maior será o esforço e, consequentemente, o desempenho será melhor.

Segundo Maximiano (2004, p.279), “o valor percebido dos resultados depende da satisfação ou insatisfação associada a sua obtenção e representa o atrativo que vai desencadear o esforço inicial”. O valor atribuído às recompensas é relativo e varia de uma pessoa para outra. Recompensas muito desejadas geram altos níveis de desempenho, já que necessitam de muito esforço para serem alcançadas.

[...] a crença de que é possível alcançar um resultado ao qual se atribui grande valor leva uma pessoa a realizar os esforços mais intensos [...]. Inversamente, a crença de que é possível alcançar um resultado indesejável leva a pessoa a diminuir o esforço [...]. Da mesma forma, a crença de que é impossível ou difícil alcançar um resultado que, ao mesmo tempo, tem pouco valor não tem influência significativa no nível da motivação (MAXIMIANO,2004, p.280).

De acordo com a teoria da expectativa, pelo fato de todo comportamento depender das recompensas, a melhor maneira de administrar a motivação é administrando as recompensas.

 

HIERARQUIA DAS NECESSIDADES HUMANAS SEGUNDO MASLOW

 

O conceito de hierarquia de necessidades possui dois princípios: um é que as necessidades humanas podem ser classificadas em uma hierarquia de importância, progredindo dos níveis mais baixos até os mais altos. Outro sustenta que, depois de satisfeita uma necessidade, ela não poderá mais ser utilizada como sendo o principal motivador.

Segundo o estudo de Maslow, uma necessidade é mais importante que as demais até que seja satisfeita. Depois de satisfeita, uma necessidade não motiva mais o comportamento. Assim, a próxima mais alta torna-se predominante. As necessidades básicas surgem em primeiro plano e, somente após estarem satisfeitas, as de nível superior tornam-se atraentes. Maslow dividiu as necessidades humanas em cinco grupos, como vemos a seguir:

 (1) Necessidades fisiológicas ou básicas: são as necessidades de nível mais baixo, porém essenciais, como alimento, abrigo, repouso, exercício, sexo e outras necessidades orgânicas.

(2) Necessidades de segurança: necessidades de proteção contra perigos, ameaças ou privações.

(3) necessidades sociais: é a necessidade de amizade, afeto e aceitação pelos colegas e pela sociedade.

(4) necessidades de estima: estão acima das necessidades sociais e relacionam-se às necessidades de autoconfiança, independência, realização, competência, status, conhecimento, reconhecimento e respeito dos colegas.

(5) necessidades de auto-realização: é a procura em executar bem o próprio trabalho, realizando o próprio potencial e o desenvolvimento contínuo de forma a alcançar a realização pessoal.

 De acordo com esta teoria, as pessoas encontram-se em um processo de desenvolvimento contínuo, onde elas tendem a progredir ao longo das necessidades, e buscam atender uma após a outra com o objetivo de alcançar a auto realização. A auto-realização não está, necessariamente, no topo da hierarquia, pois ela depende essencialmente dos motivos internos de cada pessoa, devido a fatores como idade, meio social ou personalidade.

  

TEORIA DOS DOIS FAORES DE HERZBERG

 

Segundo o conceito de Herzberg, existem dois fatores que explicam como o ambiente de trabalho e o próprio trabalho influenciam a motivação e a produtividade dos funcionários. Herzberg classificou esses fatores em:

Fatores econômicos/higiênicos: política empresarial, condições de trabalho, salário, segurança e status.

Fatores motivacionais: oportunidade de crescimento, progresso na carreira, aumento de responsabilidade, reconhecimento pelo trabalho bem feito e satisfação.

Os fatores higiênicos tornam o clima psicológico e material saudável e influenciam a satisfação no ambiente de trabalho e qualquer deficiência desses fatores gera insatisfação nos funcionários.

No entanto, as condições ambientais não são suficientes para criar um estado de motivação para o trabalho. Para que essa motivação ocorra, a pessoa precisa estar sintonizada com seu trabalho e ver nele a possibilidade de exercitar suas habilidades ou desenvolver suas aptidões.

A teoria dos dois fatores afirma que a motivação pelo trabalho é diferente da satisfação com o ambiente de trabalho. Assim, o aumento dos fatores higiênicos/econômicos não substituem os fatores de desenvolvimento pessoal.

Como afirma Herzberg (apud MAXIMIANO, 2004, p.295), as conclusões desses estudos sugerem que os fatores relacionados com a satisfação e a insatisfação no trabalho são diferentes entre si. O oposto de satisfação não é insatisfação, mas não-satisfação; o oposto de insatisfação não é satisfação, mas não-satisfação.

Resumindo, os fatores higiênicos estão associados à satisfação e os fatores motivacionais, à motivação. Motivação vem do trabalho e não do ambiente. Os fatores motivacionais atendem a necessidades que estão no topo da hierarquia das necessidades. Já os fatores higiênicos, atendem suas necessidades básicas.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A motivação no trabalho é a principal preocupação das organizações que buscam continuamente um elevado padrão de desempenho e competitividade. As teorias da motivação tratam das forças que impulsionam o indivíduo para o trabalho e está diretamente relacionada à produtividade.

Há um aumento nos estudos sobre a motivação para o trabalho, pelo desejo dos gerentes de criar um ambiente que consiga manter o homem trabalhando, conforme as expectativas da organização, de forma a atingir o máximo de produtividade. Com o uso de padrões organizacionais de motivação, os indivíduos passam a trabalhar integrados com os objetivos da empresa, tornando-se um  meio para a busca dos fins definidos pela organização.

 

REFERÊNCIAS

  

MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Teoria Geral da Administração: da revolução urbana à revolução digital. 4 ed. São Paulo: Atlas 2004.

EGGINSON, Leon C.; MOSLEY, Donald C.; PIETRI, Paul H. Administração: conceitos e aplicações. 4 ed. São Paulo: Harbra ltda., 1998.

CARPIGIANI, Maria Adelaide. A Estande do Administrador: uma coletânea de leituras obrigatórias. 5 ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.

RIBEIRO, Lair. Criando e Mantendo Sucesso Empresarial. Rio de Janeiro: Objetiva ltda., 1995.

RODRIGUES, Ana Beatriz; CELESTE, Priscila Martins.  Gestão de Pessoas, Não de Pessoal. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/gerencia-artigos/motivacao-como-instrumento-de-desempenho-humano-1284152.html

    Palavras-chave do artigo:

    motivacao

    ,

    desempenho

    ,

    resultado

    Comentar sobre o artigo

    A partir de uma revisão de literatura que possui como objeto de estudo a motivação e a mudança, este artigo científico pretende abordar o processo de mudança organizacional à luz dos aspectos motivacionais e de comunicação organizacional, tendo como base a percepção dos autores acadêmicos e a opinião de pessoas envolvidas, no intuito de indicar quais as ações que deveriam ser adotadas por uma Instituição de modo a facilitar o processo de mudança e estimular a adesão dos servidores .

    Por: Carlos Coutol Negócios> Gestãol 19/03/2012 lAcessos: 1,898

    Este artigo pretende reflectir sobre o desafio de saber lidar com o capital intelectual, motivando-o, e fazendo com que ele se sinta satisfeito e feliz no local de trabalho e no desempenho da sua actividade laboral. O objectivo é alcançar maior qualidade e produtividade, elevando a performance da organização. Através de uma pesquisa bibliográfica, foram recolhidas contribuições de diversos autores, sobre os conceitos e factores inerentes à motivação, bem como das principais teorias.

    Por: Paula Costal Negóciosl 21/10/2010 lAcessos: 6,107 lComentário: 1

    O presente artigo trata dos principais fatores motivadores para os colaboradores e como os líderes podem atuar nas empresas, de forma que mantenham a equipe sempre com um objetivo principal, que é a melhora na relação fornecedor e consumidor dos produtos. O foco principal são micro e pequenas empresas, com a aplicação de teorias para a ascensão da empresa no âmbito em que está inserida, buscando utilizar-se disso para atender a necessidade de todos.

    Por: João G. S. Stadlerl Negócios> Administraçãol 22/09/2013 lAcessos: 103

    Após o período entre 1930 a 1950, conhecida como revolução industrial, o Brasil, passou a ter grande desenvolvimento em suas atividades industriais, inaugurando grandes companhias e criando novas indústrias, como o passar do tempo, além das novas tecnologias criadas e implantadas nas mesmas, passou a notar como um diferencial de mercado, o capital social, o ser humano como ferramenta fundamental e estratégica, para obter melhores resultados. Dentre vários mecanismos, foi desenvolvido,para que pu

    Por: ALEX OSTAl Negócios> Gestãol 20/07/2010 lAcessos: 3,481

    Este artigo visa entender como a motivação e a criatividade dos funcionários podem gerar crescimento para a organização através das estratégias de endomarketing. Procura mostrar a importância de saber aplicar o endomarketing nas organizações de maneira inteligente e, com isso, gerar vantagem competitiva no atual cenário.

    Por: André Coelhol Negócios> Gestãol 27/10/2008 lAcessos: 36,702 lComentário: 2

    O que se pode perceber nos novos dias é que o marketing interno é um forte instrumento de mudança e motivação e uma estratégia eficaz para o alcance de objetivos corporativos, com reflexos diretos no aprimoramento da qualidade de relacionamentos da organização. É interessante observar que quando a empresa desenvolve adequadamente o conceito de marketing interno, um dos primeiros reflexos observados como melhoria efetiva não se situa no interior da organização, mas sim em seu exterior, nas relaçõ

    Por: Nayara Barbosa Soares Soutol Negócios> Gestãol 27/10/2008 lAcessos: 40,885 lComentário: 4
    Francimar Germano

    A motivação nas vendas e suas estratégias de sucesso com os venderes. O papel da motivação dentro das vendas e porque motivas uma equipe de venda.

    Por: Francimar Germanol Negócios> Administraçãol 18/04/2012 lAcessos: 143

    A questão feedback carrega consigo uma série de equívocos e mal entendidos. Um dos principais conceitos que prejudicam a forma de aplicar feedback é considerar que: Feedback positivo e elogio são a mesma coisa, ou que o Feedback negativo é bronca. Gostaria então de exercitar a aplicação do feedback em relação a motivação da equipe e considerando os conceitos da liderança situacional.

    Por: Eduardo Varelal Negócios> Gestãol 11/07/2014 lAcessos: 30

    O Artigo Científico a ser apresentado teve como objetivo mostrar o que é Motivação, como causar a Motivação nas pessoas, como é o processo Motivacional nas Organizações. Nas Organizações a Motivação é muito importante, pois é através dela que os funcionários trabalham felizes, se sentem valorizados, se não houver a Motivação a produtividade não será boa, quando se há Motivação a produtividade aumenta levando a Organização a um grande sucesso.

    Por: Arlete Luiza de Souzal Educação> Ensino Superiorl 02/11/2014 lAcessos: 39

    Muitas pessoas, por diversos motivos pode acabar por não ter conhecimento sobre qual seria a diferença entre uma cozinha industrial, e qual seria a cozinha convencional, ou seja, aquela que acaba por ser utilizada nas casas, assim como também que podem acabar por atender tanto a famílias, ou até mesmo a pequenas empresas que podem funcionar dentro de casas.

    Por: anamarial Negócios> Gerêncial 15/10/2014
    Robson

    Customer Relationship Management (CRM). Gestão de Relacionamento com o cliente. A maneira como tratamos nossos clientes e como coletamos dados relacionados ao porque ele vem ao nosso encontro é muito importante. E muitas empresas não valorizam este momento mágico que é QUANDO O CLIENTE ESTÁ NO SEU ESTABELECIMENTO.

    Por: Robsonl Negócios> Gerêncial 02/09/2014 lAcessos: 35
    Ricardo Mallet

    São os vendedores e os políticos que dominam efetivamente a arte da persuasão. E também uma grande variedade de trapaceiros profissionais, até porque suas vidas dependem diretamente disso. E se os líderes pudessem utilizar (de forma ética e responsável) as mesmas técnicas desses profissionais para aumentar o engajamento das suas equipes?

    Por: Ricardo Malletl Negócios> Gerêncial 28/07/2014

    Em diferentes esferas de atuação profissional, percebe-se a propagação do mito de que ser profundo conhecedor de um tema basta para falar bem em público. Mas é comum assistir a discursos em público de profissionais experts – seja um diretor de uma área na empresa, um responsável por um importante projeto ou um professor renomado em uma área – e avaliar a mensagem falada como pouco clara ou o orador como pouco envolvido ou preparado.

    Por: Vívian Cristina Riol Negócios> Gerêncial 21/03/2014 lAcessos: 26
    Ricardo Mallet

    Mal administrado, um conflito que poderia ser oportunidade de melhoria e inovação, poderá ser o estopim que detonará atos de vingança e traição. Vamos estudar esse roteiro e entender por quê.

    Por: Ricardo Malletl Negócios> Gerêncial 20/01/2014 lAcessos: 26

    FRANQUIAS DE ALIMENTAÇÃO As franquias de alimentação apresentaram o segundo maior faturamento do franchising em 2012, registrando R$ 20 bilhões e um avanço de 17,6% em faturamento, em relação a 2011.

    Por: Thiago Franklinl Negócios> Gerêncial 13/01/2014 lAcessos: 21
    Noscilene Santos

    No início do século XXI, estudos realizados por Hersey & Blanchard, deram origem a liderança situacional, baseado em modelos já conhecidos como a teoria de Maslow, Hetzberg, Douglas Mcgregor e muitos outros. Para os autores, a ação do líder deve estar relacionada ao grau de maturidade do colaborador, que consiste na capacidade de estabelecer objetivos, aceitar responsabilidades e na habilidade em desempenhar tarefas, mantendo em foco as diretrizes estabelecidas pela empresa.

    Por: Noscilene Santosl Negócios> Gerêncial 30/11/2013 lAcessos: 35
    Bruna Azevedo

    Modelo é adotado por empresas que desejam focar em seus negócios e aumentar rentabilidade

    Por: Bruna Azevedol Negócios> Gerêncial 14/11/2013 lAcessos: 57

    Nas Finanças Empresariais, a política de dividendos ocupa um lugar central entre as políticas de investimento e de financiamento, e a gestão operacional das empresas. É um tema igualmente importante para os investidores individuais, interessados na rentabilidade dos seus capitais e na gestão das suas carteiras.

    Por: Diego Ceriolil Finanças> Investimentosl 18/11/2010 lAcessos: 4,168

    As companhias que utilizam a abertura de capital têm como objetivo captar recursos dos investidores visando financiar seus projetos de investimentos e ampliar sua competitividade no mercado. Por isso o mercado de capitais proporciona desenvolvimento econômico tornando-se relevante para todo o país.

    Por: Diego Ceriolil Finanças> Investimentosl 18/11/2010 lAcessos: 807

    No atual cenário econômico, muitas vezes as empresas para se manterem competitivas no mercado, necessitam do aporte de capital advindo de terceiros para subsidiar suas atividades operacionais e, proporcionar a maximização do lucro, com base em um bom gerenciamento de seus recursos. Neste contexto, o presente artigo tem o objetivo de identificar quais produtos e serviços financeiros são mais utilizados pelas empresas e como ocorre o relacionamento destas com as instituições bancárias. Foi realiza

    Por: Diego Ceriolil Finanças> Créditol 18/11/2010 lAcessos: 4,517

    O objetivo deste estudo é analisar as diversas faces que o estilo de gerenciamento das empresas possui, já que o cenário econômico, político e social sofreria grandes mutações caso houvesse somente uma das modalidades de gerenciamento, podendo ser apenas a administração pública ou administração privada.

    Por: Diego Ceriolil Notícias & Sociedadel 27/11/2009 lAcessos: 22,358 lComentário: 5

    Um dos maiores desafios encontrados pelas organizações, refere-se à formação de preços. De um lado estão os clientes, que buscam produtos de alta qualidade pelo menor preço e, de outro, estão as empresas, que desejam vender pelo maior preço ao menor custo possível. A dificuldade está em alinhar estas duas forças, pois nem sempre trabalhar com eficácia operacional e oferecer preços baixos é suficiente.

    Por: Diego Ceriolil Finançasl 26/11/2009 lAcessos: 1,242 lComentário: 2

    Devido à diversidade de produtos e a exigência por parte dos clientes de serem atendidos, de acordo com suas expectativas e necessidades, não há como manter uma regularidade entre a produção e a demanda. O processo de armazenagem proporciona manter um equilíbrio entre a produção e o cliente, visando atender as necessidades previstas e imprevistas.

    Por: Diego Ceriolil Negócios> Gestãol 01/10/2009 lAcessos: 31,529 lComentário: 7

    Este trabalho tem por objetivo, trazer alguns conceitos sobre atividades de serviços, e a importância desta para as organizações, no atual canário econômico, sendo uma ferramenta fundamental para ganhar vantagem competitiva frente ao mercado globalizado e tão competitivo.

    Por: Diego Ceriolil Negócios> Atendimento ao Clientel 30/09/2009 lAcessos: 2,428

    Esse trabalho tem por objetivo apresentar os tipos de dominação que foram estudados por Max Weber. Ele define a dominação como oportunidade de encontrar uma pessoa determinada que esteja pronta a obedecer, pois a dominação se faz necessária para se manter em ordem a sociedade e tudo que gira em torno dela.

    Por: Diego Ceriolil Notícias & Sociedadel 30/09/2009 lAcessos: 68,509 lComentário: 4

    Comments on this article

    0
    mauricio 13/02/2011
    Conheçam minha estória de vida, através da motivação deixei de ser um assalariado para ser um empresário de sucesso através de internet ! hoje ensino pessoas a atingirem seu sucesso. Acesse meu site: www.mente-milionaria.com
    0
    diego cerioli 03/02/2010
    obrigado Renato, espero ter transmitido informações importantes pois a motivação faz-se necessaria não só nas empresas mas em qualquer ambiente em que haja pessoas...
    0
    Renato Gonçalves 20/01/2010
    artigo muito bom, mostra como a motivação influencia no desempenho das pessoas...
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast