A deficiência do mercado de trabalho para um deficiente físico

Publicado em: 10/12/2013 |Comentário: 0 | Acessos: 24 |

Os estudos históricos da sociedade revelam que, pessoas portadoras de deficiência sempre foram marginalizadas, vivendo num verdadeiro "apartheid" social.

Aqui no Brasil, a evolução da sociedade não foi suficiente para afastar a exclusão e as dificuldades experimentadas pelo deficiente físico, pois ele ainda é ignorado. Assim, faz-se necessário estabelecer leis que obriguem a igualdade entre as pessoas, sejam elas portadoras de deficiência ou não.

Só que estamos em pleno século XXI !! Já é hora de mudarmos a história.

Embora a sociedade tenha evoluído nos últimos anos em relação às necessidades especiais, ainda temos muito que melhorar. Hoje em dia vemos essas pessoas trabalhando em empresas, como supermercados, lanchonetes, restaurantes, farmácias, escolas, mas essa inclusão no mercado de trabalho só existe devido as recentes leis que protegem esse segmento social, a exemplo da Constituição de 1988, a Lei 7853/89, o Decreto 3298/99 e a Lei 8.213/91 (Lei de Cotas).

Nos estudos que tenho feito para a minha tese de Mestrado, observo que estas normas por si só não garantem a efetividade da igualdade. Vejo que os portadores de deficiência continuam marginalizados e excluídos do contexto social.

É preciso que as empresas façam valer os interesses dos portadores de deficiência, visando garantir a sua cidadania, sua inclusão social e sua dignidade.

As barreiras arquitetônicas, a falta de informação dos empresários e, acima de tudo o preconceito, ainda tem delegado para estas pessoas, cargos e funções muito abaixo de suas potencialidades. As pessoas com deficiência são muito mais independentes do que imaginamos, mais até do que muito "andante" que conhecemos. Logo, podemos apostar que eles "dão conta do recado" no trabalho.

O Estado e a sociedade precisam se conscientizar que a palavra deficiência não é negativa e sim, designa uma realidade atual. O importante é saber distinguir e ver o indivíduo na deficiência e não a pessoa como um deficiente.

O maior exemplo disso é ver a capacidade dos portadores de necessidades especiais nos jogos paraolímpicos, onde os mesmos atingem recordes e conquistam várias medalhas.

É bom lembrar que os deficientes físicos são iguais a nós em tudo, a única diferença é a mobilidade. A inteligência, a vontade de trabalhar, os sonhos… tudo é igual! Eles são seres humanos e merecem respeito.

Muitos portadores de deficiência são aposentados e recebem um beneficio em dinheiro, mas o valor geralmente não é suficiente para que os mesmos vivam dignamente. Outros trabalham para ter um salário melhor, e ao mesmo tempo em que se ocupam, se sentem mais "úteis".

Algumas empresas alegam que encontram dificuldade em localizar profissionais especializados com deficiência ou até mesmo com o mínimo de preparação paras as vagas disponíveis. Mas é claro!

Os deficientes enfrentam inúmeros obstáculos diariamente, como o preconceito, a dificuldade do acesso pelo transporte público ou pelas vias públicas (falta de rampas, corredores estreitos, entre outros), impedindo que se especializem e se preparem para o mercado de trabalho. Na minha cidade, por exemplo, não existem em bairros populares cursos, escolas ou faculdades adaptadas. As opções para quem quer estudar e se especializar estão longe. Só nos "bairros ricos", que ficam distantes, é onde  esses serviços podem ser encontrados. Mas isso é tema para outro artigo.

Outras empresas, que chamo de desonestas, se aproveitam dessas dificuldades para afirmar veementemente, que não existem pessoas qualificadas. Acessando alguns blogs de pessoas com deficiência, me deparei com anúncios de deficientes que possuem uma ou duas graduações e pós-graduados, oferecendo seus serviços. Isso quer dizer que existem sim, pessoas que estão em processo de qualificação e já são superqualificados prontos para serem grandes líderes e profissionais de sucesso.

Já existem empresas que contratam estes profissionais apenas para que constem num documento, com o objetivo de não ter problemas com a fiscalização trabalhista. Ou escolhem portadores de deficiência leves como surdez ou visão parcial, apenas para evitar a necessidade de reformulações arquitetônicas, fazendo com o que deficiente físico continue a ser um "pseudo inserido" no mundo do trabalho.   E querem chamar isso de inclusão?

É interessante observar a postura, quanto à inclusão de deficientes em países europeus. Na Alemanha e na França existem incentivos especiais para a contratação, contribuição para um fundo destinado à habilitação e reabilitação, assim como incentivos fiscais para as empresas que cumpram cotas. Tudo isso fruto de uma sensibilização e mobilização da sociedade para atender aos direitos dos deficientes. A Espanha se destaca pela existência de agências oficiais de empregos para este seguimento social. Por que isso não pode ser uma realidade brasileira?

Passou da hora de "arregaçarmos as mangas" e tratar os deficientes como pessoas normais, porque eles são normais. Todas as pessoas são diferentes, assim como a cor dos olhos, dos cabelos, a raça, mas são pessoas.

Se você é deficiente, aprenda a contornar os obstáculos que podem surgir na conquista de um emprego. Mantenha-se sempre atualizado, participando de cursos e palestras, além de desenvolver um bom trabalho onde passa.

Se você é empregador, não olhe para uma pessoa com incapacidade física como alguém que dificilmente pode ter um bom desempenho profissional. Não se deixe enganar e acredite que o incentivo que você pode dar a essa pessoa se traduz em produtividade e motivação.

Viver em sociedade não e só pertencer a ela. É promover e oferecer mudanças para fazer um mundo melhor.

Atitude é tudo!

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/gestao-artigos/a-deficiencia-do-mercado-de-trabalho-para-um-deficiente-fisico-6858575.html

    Palavras-chave do artigo:

    mercado de trabalho

    ,

    deficiente fisico

    Comentar sobre o artigo

    Valéria Reani

    Segundo pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisas Sociais da Fundação Getúlio Vargas nos últimos 5 anos, existem hoje no Brasil, aproximadamente 27 milhões de deficientes. Esse número equivale a 14,5 % de toda a população brasileira. Sendo assim, o governo criou um mecanismo para tentar solucionar o problema

    Por: Valéria Reanil Direito> Legislaçãol 24/06/2010 lAcessos: 2,554 lComentário: 1
    Valéria Reani

    Você observou que, o filme "AVATAR", do diretor Canadense, James Cameron já bateu todos os recordes de bilheteria até hoje e que foi considerado um dos grandes filmes de ação dos últimos tempos?Você observou também, que o personagem principal de"AVATAR"é deficiente físico?"Para quem não sabe, AVATAR é a história de um fuzileiro naval paraplégico, Jake Sully (interpretado por Sam Worthington), que é enviado em uma missão à Pandora, um exuberante Éden.

    Por: Valéria Reanil Direito> Doutrinal 12/05/2010 lAcessos: 1,582

    É necessário saber que com fundamento em nossa Constituição Federal, todos tem direito a exercer uma profissão, onde é assegurado a todos acima de toda e qualquer discriminação o deficiente.

    Por: costanzel Direito> Legislaçãol 14/09/2011 lAcessos: 140

    Este trabalho mostra como a literatura de cordel pode ser usada de forma a incluir socialmente os deficientes visuais e também preservar os bens culturais nordestinos tão pouco estudados.

    Por: Maria José Esmeraldo Roliml Literatural 14/12/2008 lAcessos: 8,536 lComentário: 2

    Parceria firmada entre a Semdet- Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho e a empresa Uranet, especializada em prestação de serviços no ramo de call center, inova na inclusão profissional e digital de PCD- Pessoas com Deficiência graças ao sistema de "Home Office".

    Por: Flávia Ghiurghil Press Releasel 17/10/2012 lAcessos: 11

    Dalva Aparecida Lira de Araújo RESUMO: O presente artigo tem por objetivo conhecer os métodos usados pelos professores que atuam nas escolas inclusivas de ensino fundamental e que trabalham com crianças com deficiência auditiva e nunca freqüentaram um curso de libras (Língua Brasileira de Sinais). Trata-se de um estudo bibliográfico onde se conclui que a Libras ainda seja um tabu para muitos professores que ainda não tiveram a oportunidade de conhecê-la dentro da unidade escolar em que atua.

    Por: Dalva Aparecida Lira de Araújol Educação> Ensino Superiorl 21/09/2010 lAcessos: 1,123

    RESUMO: Como Estado Social, o Brasil tem realizado vultosos investimentos em políticas públicas. Neste contexto, surge o incentivo ao programa de aprendizagem, possibilitando ao jovem formação e qualificação profissional e reunindo trabalho e educação. Este trabalho visa realizar uma avaliação teórica dos meios utilizados, incentivos do Poder Público e dos resultados pretendidos com a política de aprendizagem na atualidade.Como política pública de formação moral e social, o trabalho do menor é a

    Por: Dione Inês Zwirtes Rempell Direitol 31/10/2009 lAcessos: 10,854 lComentário: 1

    Aqui daremos um exmplo de como as pessoas com deficiencia sofrem para arrumar um emprego digno.

    Por: Mega Digital Brasill Carreira> Gestão de Carreiral 22/06/2010 lAcessos: 176
    Fábio Araújo de Holanda Souza

    Este trabalho tem por finalidade discorrer sobre os direitos da pessoa com deficiência, fazendo encômios sobre a legislação atual.

    Por: Fábio Araújo de Holanda Souzal Direitol 24/08/2009 lAcessos: 11,263 lComentário: 15

    Seriam os escândalos recentes envolvendo estatais brasileiras equivalentes ao Watergate? Por Cynthia Catlett - Sócia de Forensic Investigations & Dispute Services da Grant Thornton do Brasil-

    Por: Marianal Negócios> Gestãol 22/10/2014 lAcessos: 11

    É muito comum ver eletricistas trabalhando pela cidade para realizar novas instalações ou reparos na fiação elétrica. Este profissional tem um trabalho que exige muita perícia e técnica, precisando também estar equipado com muitos EPIs diferentes: capacete, óculos de proteção, luvas de alta tensão, botas, cinto de segurança e outros.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Gestãol 17/10/2014
    Elisângela da Silva Pereira

    Quando pensamos em empreendedorismo e liderança muitas palavras imediatamente nos vem à cabeça, não é verdade? E pensando nessa pergunta, elaborei um artigo que tentando responder.

    Por: Elisângela da Silva Pereiral Negócios> Gestãol 17/10/2014

    Sempre acompanhamos em jornais, sites e revistas que o mercado demanda muitos tipos de matérias-primas. Alguns dos mais conhecidos é o petróleo, ferro, minérios, entre outros. Por outro lado, vale destacar que a borracha também é muito presente no fluxo industrial, tendo um aproveitamento muito alto devido sua capacidade de ser moldada para finalidades variadas.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Gestãol 16/10/2014

    Falando sobre Gestão de Pessoas e Recursos Humanos, podemos de certo modo analisar que o estilo da Geração X está habituada à política de retenção de funcionários por longo tempo. E a Geração Y é mais descolada à cultura da empresa; chega, presta serviço, contribui para o desenvolvimento e crescimento, mas sai e muda no momento em que percebe a necessidade de crescer e buscar novas oportunidades. Os profissionais Y chegam trazendo novas ideias, visões e renovação.

    Por: Peri da Silva Santanal Negócios> Gestãol 15/10/2014

    Infelizmente, ainda ocorrem negligências na indústria quando se trata de segurança. Enquanto não acontece nada ruim, ninguém toma nenhuma providência. Porém, quando alguém se machuca decorrente ao serviço prestado, começa então uma série de investigações e a culpa é jogada de um lado para outro.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Gestãol 14/10/2014

    Este artigo tem o propósito de orientar o empresário que estiver com a intenção de vender a sua empresa para seguir algumas providências no sentido de facilitar o processo de negociação e, por consequência, agilizar a transação de venda.

    Por: Paulo Strelczukl Negócios> Gestãol 14/10/2014 lAcessos: 13
    Victor Hugo Oliveira dos Anjos

    A tramitação dos Projetos de Lei ou só PL's parece bem simples, no que diz respeito à sua aprovação, ou seu veto. Um PL aprovado na Câmara dos Deputados, por exemplo, deve passar primeiramente nas comissões da casa para aprovação e, em seguida, deve ser enviado para a revisão dos Senadores, e vice-versa.

    Por: Victor Hugo Oliveira dos Anjosl Negócios> Gestãol 13/10/2014 lAcessos: 13
    Alessandra Dultra

    Todos nós sabemos que a profissão de secretariado executivo vem sofrendo mudanças ao longo do tempo. Além das técnicas secretariais, temos que adquirir visão de negócios, ferramentas de motivação, liderança, comunicação, gestão e empreendedorismo. E mais: na ausência do chefe, a secretária precisa contornar conflitos e situações inesperadas, de maneira a não obstruir o fluxo de trabalho.

    Por: Alessandra Dultral Negócios> Administraçãol 02/12/2013 lAcessos: 48
    Alessandra Dultra

    Nos dias atuais, com tantas mudanças e transformações, uma coisa permanece: todos querem o sucesso pessoal e profissional. Devemos ter em mente que o sucesso não é uma loteria. Sucesso é um direito que nós temos. Mas para isso, é necessário muito trabalho. E quando falamos em muito trabalho, não devemos pensar em algo a longo prazo.

    Por: Alessandra Dultral Negócios> Administraçãol 02/12/2013 lAcessos: 32
    Alessandra Dultra

    Profissionais motivados são essenciais para a condução de qualquer departamento dentro de uma empresa. O ideal é que líderes e equipes queiram sempre criar um ambiente favorável, onde todos possam trabalhar juntos por um objetivo comum. O verdadeiro líder é aquela pessoa que tem seguidores atraídos pelo carisma e confiança. Que fazem a equipe ter uma alta produtividade, sem deixar de lado a busca por uma vida com mais qualidade.

    Por: Alessandra Dultral Negócios> Gestãol 09/08/2013 lAcessos: 27
    Alessandra Dultra

    Hoje as redes sociais como Twitter, Facebook, Instagram e Linkedin, fazem parte do nosso dia-a-dia, seja por diversão, amizade ou motivos profissionais. O mais certo é dizer que a internet trouxe o universo para dentro dos nossos computadores e celulares. E por esse motivo, a exposição das pessoas nas redes sociais não para de crescer. Mas as redes sociais nos ajudam ou nos atrapalham? Existem limites sobre o que se publica na rede?

    Por: Alessandra Dultral Negócios> Gestãol 02/08/2013 lAcessos: 39
    Alessandra Dultra

    Aprendemos que trabalho e emprego tem conceitos distintos: que trabalho é qualquer atividade executada, remunerada ou não, e que emprego é um tipo de trabalho remunerado com carteira assinada ou emprego público. Assim, parece que quem tem emprego trabalha menos e ganha mais, e quem tem trabalho, trabalha mesmo. Será que isso é mesmo?

    Por: Alessandra Dultral Negócios> Gestãol 02/08/2013 lAcessos: 30
    Alessandra Dultra

    Artigo baseado no livro Faça o que tem de ser feito, de Bob Nelson, editora Sextante. O que toda empresa espera é que você sempre se esforce a fim de que ela seja bem-sucedida. Do estagiário ao diretor, a ideia é que cada um use seu discernimento para descobrir o que precisa ser feito - e deve fazer isso sem que ninguém lhe peça. Atualmente, o empregado não pode simplesmente cumprir suas tarefas; deve pensar e agir na defesa dos interesses da organização.

    Por: Alessandra Dultral Negócios> Gestãol 02/08/2013 lAcessos: 30
    Alessandra Dultra

    Acredito que todos já ouviram a frase: "Tempo é dinheiro". Então, administrar bem o relógio é fundamental para evitar prejuízos. Para a maioria das pessoas, administrar o tempo é uma espécie de missão impossível. Quem tem tempo não é quem não faz nada: é quem consegue administrar o tempo que tem. Todos nós conhecemos pessoas: um tio idoso, uma vizinha , que pelos nossos padrões não fazem nada o dia inteiro e, no entanto, constantemente se dizem sem tempo.

    Por: Alessandra Dultral Negócios> Administraçãol 28/12/2012 lAcessos: 42
    Alessandra Dultra

    O poder exerce forte fascínio sobre as criaturas, principalmente na vida social. Muitos acham que ter poder é chegar à glória, ao ápice profissional. Desejam ocupar cargos que lhes concedam poder sobre outros indivíduos, porém são poucas as que sabem exercer esse cargo com autoridade.

    Por: Alessandra Dultral Negócios> Administraçãol 28/12/2012 lAcessos: 177
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast