A ÉTICA NOS PROCESSOS DE CAPACITAÇÃO E SELEÇÃO DE TALENTOS

Publicado em: 09/01/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 758 |

 Para falar sobre ética no processo seletivo de uma empresa, necessário se torna saber o que é ética. De forma simples podemos dizer que é o modo de ser de uma pessoa, seu caráter que deriva em um conjunto de valores morais, bem como, princípios que fundamentam a boa conduta humana na sociedade. A principal função da ética no processo de capacitação e seleção de talentos e dar um perfeito equilíbrio para que esse funcionamento na administração privada – podendo ser aplicada na pública também – evitando que haja prejuízo para qualquer candidato. E, o bom exemplo na administração pública é a proibição, hoje, do famigerado nepotismo. Devendo ser entendida como um sentimento de justiça social em vez de leis.

Para que uma empresa possa aplicar essa justiça, equilibrada, em suas escolhas é necessário que a mesma esteja construída e constituída  em uma sólida base de valores morais condizentes com a realidade sociocultural da nossa sociedade com esteio em nossos valores históricos e culturais.

Uma seleção ou uma busca de talentos que não segue esse caminho da justiça e do equilíbrio foge dos princípios morais básicos, e desde logo, esse comportamento pode ser classificado de antiético.

Através do processo de capacitação e de seleção, é possível identificar e contratar talentos, que buscam empresas com diferencial no mercado ou que ele seja o diferencial. Para que a empresa encontre o profissional desejado, é necessário que o profissional de recursos humanos esteja apto a cumprir essa tarefa. Experiência, competências relacionadas ao comportamento, conhecimento da política da empresa são algumas ferramentas que bem aplicadas poderão evitar futuros problemas para a empresa, além de evitar a contratação de profissionais que, na sua função  não tenha o devido valor moral, impedindo-o de se aplicar consistentemente em beneficio da empresa contratante.

A capacidade aliada ao seu bom comportamento com sólidas bases axiológicas faz com que o profissional que seleciona responsável pelo setor de recursos humanos da empresa, eficiente no momento que se propõe a obter resultados positivos para a organização faz do profissional da área a responsabilidade em buscar e reter pessoas de forma justa

A mentalidade das empresas em buscar talentos baseados, única e exclusivamente, nos tópicos da competitividade e produtividade que, na sua maioria tendem a crescer na base do "puxar o tapete" do colega, manipulando pessoas, vivendo em permanente estado de ansiedade e ocupando a mente com valores irrelevantes em detrimento de outros mais éticos, obrigando aos seus talentos a incorporarem a política ultrapassada da empresa começa a mudar, começando a priorizar outros elementos que visam um bom desempenho na sua atividade, tais como: aptidão de trabalhar em equipe, a criatividade.

Um profissional capacitado e de alto nível também avalia, quando o seu processo de seleção, o comportamento da empresa a que ele se candidata e, essa avaliação começa pelo profissional que se apresenta para contratar e reter talentos que, acima de tudo, deve um alto grau de profissionalismo, pois nesse momento ele é a vitrine da empresa. Um recrutador incapaz e despreparado, tende, na maioria das vezes a ser antiético, pois não vai se preocupar com a boa qualidade do entrevistado e passará para o mesmo uma imagem errada da empresa, tornando por consequência uma propaganda negativa da mesma,  já que essa atitude  demonstra o  total descomprometimento e respeito a sua função.

A ética vem conquistando dia a dia espaço cada vez mais necessário e sólido dentro do universo das corporações e, para especialistas, o departamento de Recursos Humanos é o setor que fortalece mais e mais essa  tendência, já a partir do processo de recrutamento, seleção e por consequência natural do processo a contratação de talentos

Além disso, por lidar com pessoas - o objetivo central da ética - e por se ser um setor transversal da empresa, pois se relaciona com todas as outras áreas das empresas, a área de recursos humanos desempenha fundamental posição, sendo de uma necessidade imperiosa a elaboração de um bom e completo Código de Ética na empresa.

Assim sendo, posso concluir que em um processo de captação e seleção de talentos é de extrema importância que a condução seja feita por profissionais com notável grau de competência e qualificação, capazes de, com ética e respeito a empresa, tornar esse processo viável para uma boa contratação, como fala a boa doutrina, promovendo um aprendizado rápido do selecionado evitando longos períodos de capacitação e um rápido processo de  adaptação, essas vantagens evitam problemas e prejuízos futuros advindos de uma  escolha errada.

Integrando rapidamente o contratado a função e cultura da empresa elevando o potencial humano mediante escolha sistemática dos melhores talentos e melhoria do nível das relações humanas pela elevação do alto padrão moral que a empresa se dispõe a ter.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/gestao-artigos/a-etica-nos-processos-de-capacitacao-e-selecao-de-talentos-4002339.html

    Palavras-chave do artigo:

    etica

    ,

    talentos

    Comentar sobre o artigo

    Marizete Furbino

    Em um mundo globalizado, onde a competitividade é extremamente acirrada, a conduta do profissional faz toda diferença e possui o poder de estabelecer as regras do jogo; portanto, o profissional que possui uma conduta ética ao exercer sua profissão irá não apenas destacar-se dos demais, mas posicionar-se no mercado com um diferencial, o que irá contribuir e muito para que o mesmo permaneça no mercado por um longo tempo, tendo sua carreira, além de consolidada, respeitada.

    Por: Marizete Furbinol Carreiral 14/03/2008 lAcessos: 4,383

    A ética no serviço público deve disseminar essa cultura ética de como se proceder com a coisa pública, até chegarmos a ponto, de não termos mais necessidade de serem utilizados elementos legais para moldar ou fiscalizar as ações dos serviços públicos numa transparência tal que haja confiança e qualidade no seu bojo, como elemento básico de desenvolvimento político, econômico e social, gerando o retorno desejado dos nossos impostos.

    Por: Marta Nunes e Sirleide Carvalhol Negócios> Administraçãol 29/10/2012 lAcessos: 245

    O objetivo deste texto é refletir sobre a Ética nas Empresas no sentido de motivar ações, mudanças de conduta, e uma reavaliação do código de Ética aplicado pelas Empresas.

    Por: Lucimara Terral Negócios> Administraçãol 09/10/2008 lAcessos: 186,019 lComentário: 6
    Marizete Furbino

    Para as organizações do séc. XXI a ética não é mais uma opção e sim uma exigência de mercado. Através da ética, a organização realiza seu diferencial, ganhando respeito, confiança e credibilidade, portanto, tornou-se uma questão de sobrevivência.

    Por: Marizete Furbinol Negócios> Administraçãol 12/01/2009 lAcessos: 5,947

    Assistindo à uma interessante palestra de Ewaldo Endler, presidente da IMB Brasil, tive a oportunidade de refletir sobre minha história no mundo corporativo. A palestra falou de assunto especial, maravilhoso e intrigante que relatarei abaixo. Segundo a Revista Forbes, em 2007 foi realizada pesquisa em um universo de 7000 executivos que questionava aos mesmos: “Quais são os fatores de retenção de talentos?”

    Por: Dill Casellal Negócios> Gestãol 15/07/2008 lAcessos: 2,147

    Pela primeira vez, o estado de São Paulo, se prepara para reunir Poetas Del mundo, que vão se encontrar em um dos mais nobres espaços culturais, do País.

    Por: Elizabeth Misciascil Press Releasel 05/11/2009 lAcessos: 136
    Juliana Ulguim

    O comportamento das organizações mudou excepcionalmente nos dias de hoje, a globalização e a revolução tecnológica são as razões para um novo cenário, as quais as empresas devem adaptar-se. No contexto deste cenário, repleto de mudanças intensas, o presente trabalho possui como objetivo identificar e analisar os níveis de competências profissionais que as organizações estabelecem como prioritárias para sua força de trabalho.

    Por: Juliana Ulguiml Negócios> Administraçãol 28/10/2012 lAcessos: 190

    DEUS DEU PELO MENOS UM DOM A CADA PESSOA , ESTE DOM PRIMEIRAMENTE TEM QUE ENGRANDECER ESTE DEUS .

    Por: Julio Nerisl Religião & Esoterismo> Evangelhol 11/11/2012 lAcessos: 44

    Futebol e sua evolução, suas facetas, pseudo-craques, tendências e novos conceitos contemporâneos.

    Por: CAMUS DOS SANTOSl Literatura> Crônicasl 06/03/2011 lAcessos: 21

    É muito comum ver eletricistas trabalhando pela cidade para realizar novas instalações ou reparos na fiação elétrica. Este profissional tem um trabalho que exige muita perícia e técnica, precisando também estar equipado com muitos EPIs diferentes: capacete, óculos de proteção, luvas de alta tensão, botas, cinto de segurança e outros.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Gestãol 17/10/2014
    Elisângela da Silva Pereira

    Quando pensamos em empreendedorismo e liderança muitas palavras imediatamente nos vem à cabeça, não é verdade? E pensando nessa pergunta, elaborei um artigo que tentando responder.

    Por: Elisângela da Silva Pereiral Negócios> Gestãol 17/10/2014

    Falando sobre Gestão de Pessoas e Recursos Humanos, podemos de certo modo analisar que o estilo da Geração X está habituada à política de retenção de funcionários por longo tempo. E a Geração Y é mais descolada à cultura da empresa; chega, presta serviço, contribui para o desenvolvimento e crescimento, mas sai e muda no momento em que percebe a necessidade de crescer e buscar novas oportunidades. Os profissionais Y chegam trazendo novas ideias, visões e renovação.

    Por: Peri da Silva Santanal Negócios> Gestãol 15/10/2014

    Infelizmente, ainda ocorrem negligências na indústria quando se trata de segurança. Enquanto não acontece nada ruim, ninguém toma nenhuma providência. Porém, quando alguém se machuca decorrente ao serviço prestado, começa então uma série de investigações e a culpa é jogada de um lado para outro.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Gestãol 14/10/2014

    Este artigo tem o propósito de orientar o empresário que estiver com a intenção de vender a sua empresa para seguir algumas providências no sentido de facilitar o processo de negociação e, por consequência, agilizar a transação de venda.

    Por: Paulo Strelczukl Negócios> Gestãol 14/10/2014 lAcessos: 12
    Victor Hugo Oliveira dos Anjos

    A tramitação dos Projetos de Lei ou só PL's parece bem simples, no que diz respeito à sua aprovação, ou seu veto. Um PL aprovado na Câmara dos Deputados, por exemplo, deve passar primeiramente nas comissões da casa para aprovação e, em seguida, deve ser enviado para a revisão dos Senadores, e vice-versa.

    Por: Victor Hugo Oliveira dos Anjosl Negócios> Gestãol 13/10/2014 lAcessos: 13

    Para se ter e desenvolver isso uma boa instrução e atualização em sua formação em cursos técnicos, atualização, graduação e pós-graduação ter um contato com professores comprometidos e com profissionais especializados em suas áreas

    Por: Peri da Silva Santanal Negócios> Gestãol 13/10/2014 lAcessos: 13

    Este artigo trata de providências que devem ser tomadas pelo empresário que deseja vender a sua empresa. Enfatiza a importância da informação que se deve apresentar ao comprador sobre a empresa, a qual deve obrigatoriamente ter consistência e credibilidade. E ressalta que a melhor forma de disponibilizar tais dados é através dos instrumentos contábeis.

    Por: Paulo Strelczukl Negócios> Gestãol 13/10/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast