A Importância Do Planejamento E Controle Financeiro Para O Desempenho Empresarial

Publicado em: 14/04/2008 |Comentário: 5 | Acessos: 135,970 |

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO PARA O DESEMPENHO EMPRESARIAL

Planejar é uma das tarefas mais importantes em nossa vida. Saber qual profissão escolher, onde passar as férias, o que fazer no final de semana, quanto pagar por um vestido, qual restaurante jantar... o sucesso ou fracasso de cada ação na vida é fundamentalmente baseado em planejamento, não muito diferente, no mundo corporativo, as empresas num ambiente extremamente competitivo onde é preciso apresentar respostas rápidas às demandas do mercado, com preços competitivos e qualidade certificada. Num contexto tão turbulento como o do século XXI, em que o mercado se encontra numa situação que PETERS (1987) classificou como caótica, dado o nível de competição entre as empresas, a visão pró-ativa do executivo que planeja os rumos de sua empresa se torna uma questão fundamental. Afinal, a falta de direcionamento claro pode induzir a organização a trilhar caminhos obscuros e danosos, colocando-a em grandes dificuldades, ou até mesmo lavá-la à falência, fato que impulsionam as empresas cada dia mais a elevação de seus níveis de profissionalismo e produtividade, colocando os gestores incansavelmente a procura de alternativas para superar os desafios encontrados dia a dia.

O planejamento se faz necessário em todas as atividades da empresa, mas principalmente nas atividades da área financeira, uma gestão financeira eficaz tornou-se atualmente um fator crítico de sucesso. Inicialmente é preciso entender o que significa gestão, para permitir o seu correto emprego no contexto do planejamento. O termo Gestão deriva do latim gestone, que significa gerir, gerencia, administração. Para Perez Junior, Pestana e Franco (1995, p. 12): "Administrar é planejar, organizar, dirigir e controlar recursos, visando atingir determinado objetivo.

HALLORAN (1994, p. 22), sobre o planejamento financeiro, presume a sua elaboração e resume: "embora as projeções financeiras sejam apenas uma estimativa, elas tornam-se mais concretas à medida que você colhe um numero maior de informações". Tal estimativa, segundo ZDANOWICZ (1998, p. 22), leva a projeção financeira ser procedida de atitudes dentro da empresa: Projeção para o futuro – a apresentação do orçamento determinará as novas condições de trabalho como as estimativas: das vendas, dos custos de aquisições de matéria prima, das contratações de mão de obra, dos demais custos indiretos de fabricação e das despesas operacionais da empresa. Desta forma, a projeção para o devera especificar o quanto e quando as atividades deverão concretizar-se, considerando, em parte, o presente para projetar o futuro [...]. ROSS et al. (1995:522) afirmam: "O planejamento financeiro determina as diretrizes de mudança numa empresa. É necessário porque (1) faz com que sejam estabelecidas as metas da empresa para motivar a organização e gerar marcos de referência para a avaliação de desempenho, (2) as decisões de investimento e financiamento da empresa não são independentes, sendo necessário identificar sua interação, e (3) num mundo incerto a empresa deve esperar mudanças de condições, bem como surpresas."

Nesse contexto, planejamento financeiro é o processo formal que conduz a administração da empresa a acompanhar as diretrizes de mudanças e a rever, quando necessário, as metas já estabelecidas. Assim, poderá a administração visualizar com antecedência as possibilidades de investimento, o grau de endividamento e o montante de dinheiro que considere necessário manter em caixa, visando seu crescimento e sua rentabilidade. GITMAN (1987:250) afirma: "Os planos financeiros e orçamentos fornecem roteiros para atingir os objetivos da empresa. Além disso, esses veículos oferecem uma estrutura para coordenar as diversas atividades da empresa e atuam como mecanismo de controle estabelecendo um padrão de desempenho contra o qual é possível avaliar os eventos reais."


Orçamento é uma ferramenta de gestão que explicita as intenções da empresa em termos financeiros. O orçamento é uma ferramenta adotada para o controle de suas finanças, sendo que contempla duas das funções básicas propostas por TAYLOR (1978): o planejamento e o controle. HORNGREN (2000, p. 125) define orçamento como "expressão quantitativa de um plano de ação futuro da organização para um determinado período". MEYER apud TUNG (1975) define de forma mais detalhada, descrevendo o orçamento da seguinte forma: [...] A gestão orçamentária se apóia em previsões, função das condições internas e externas da empresa. A partir dessas previsões, os responsáveis pela empresa recebem atribuições – programadas e meios – para um período limitado em valor e quantidade. Em períodos regulares, é efetuados um confronto entre esses orçamentos e as realizações, a fim de realças as diferenças que se verificarem. A explicação e a exploração dessas defasagens constituem o controle. (MEYER apud TUNG 1975, p. 22). "O sucesso e a solvência de uma empresa não podem ser garantidos meramente por projetos rentáveis e pelo aumento das vendas. "A crise de liquidez", isto é, a falta de caixa para pagar as obrigações financeiras sempre põe em perigo uma companhia." GROPELLI e NIKBAKHT (1998:365).

Neste contexto, o fluxo de caixa tem-se apresentado como uma das ferramentas mais eficazes na gestão financeira das empresas, como afirma ZDANOWICZ (1998:19): "O fluxo de caixa é o instrumento que permite ao administrador financeiro planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros de sua empresa para um determinado período." O fluxo de caixa possibilita ao gestor programar e acompanhar as entradas (recebimentos) e as saídas (pagamentos) de recursos financeiros, de forma que a empresa possa operar de acordo com os objetivos e as metas determinadas, a curto e a longo prazos. A curto prazo para gerenciar o capital de giro e a longo prazo para fins de investimentos.

Na visão de WELSCH (1996:255-256), o planejamento e o controle de disponibilidades normalmente devem estar relacionados a três dimensões temporais diferentes: 1) Planejamento a longo prazo quando a ocorrência de fluxos corresponde às dimensões dos projetos de investimento e à dimensão temporal do plano de resultados a longo prazo (geralmente de cinco anos). 2) Planejamento a curto prazo quando a ocorrência de fluxos está enquadrada no plano anual de resultados. 3) Planejamento operacional, em que as entradas e saídas de caixa são projetadas para o mês, a semana ou o dia seguinte.

O planejamento financeiro a longo prazo busca conhecer antecipadamente o impacto da implementação de ações projetadas sobre a situação financeira da empresa, indicando ao gestor se haverá excesso ou insuficiência de recursos financeiros. O planejamento financeiro a curto prazo reflete a preocupação de estimar detalhadamente as entradas e saídas de dinheiro geradas pela própria atividade da empresa. E o planejamento operacional destina-se ao controle preciso das disponibilidades, a fim de minimizar os encargos financeiros dos empréstimos e maximizar os rendimentos das aplicações dos excessos.

Sendo assim, o Planejamento Financeiro torna-se uma ferramenta importante para quantificar em termos financeiros os anseios declarados no planejamento estratégico, nos planos táticos e operacionais.
Nota-se que o planejamento financeiro, além de indicar caminhos que levam a alcançar os objetivos da empresa, tanto a curto como a longo prazo, cria mecanismos de controle que envolvem todas as suas atividades operacionais e não-operacionais. O planejamento e o controle orçamentário, quando realizado juntamente com o controle financeiro, possibilitam mudanças táticas rápidas para tratar de eventos estranhos ao processo administrativo, os quais colocam em risco o alcance das metas estabelecidas. Aumentos inesperados no índice de inadimplência no recebimento de créditos ou dificuldades na obtenção de recursos de terceiros são rapidamente identificados. Com um controle financeiro eficaz, a empresa poderá sempre adotar uma postura proativa em relação a tais eventos. Para WELSCH (1996, p. 41) controle "é simplesmente a ação necessária para verificar se os objetivos, planos, políticas e padrões estão sendo atendidos".

A gestão financeira, para ser eficaz, precisa estar sustentada e orientada por um planejamento de suas disponibilidades. Para isso o gestor precisa de instrumentos confiáveis que o auxiliem a otimizar os rendimentos dos excessos de caixa ou a estimar as necessidades futuras de financiamentos, para que possa tomar decisões certas e oportunas. A sobrevivência e o crescimento da empresa são conseqüências de um planejamento que envolve volume de vendas com margens de lucros que remunerem de forma satisfatória o capital investido e um plano de recebimentos e pagamentos intercalados com boa margem de segurança do primeiro para o segundo, garantindo assim a viabilidade e a permanência da empresa no mercado.
A gestão financeira necessariamente passa pela elaboração de seu planejamento, que muitas vezes existe informalmente dentro da cabeça do pequeno e médio empresário, ou na intuição da experiência.

Henrique Ronne Grodiski
h.grodiski@hotmail.com

Referências Bibliográficas

FIGUEIREDO, S.; CAGGIANO, P. C. Controladoria: Teoria e Prática. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1997.

HALLORAN, J. W. Porque os Empreendedores Falham. Tradução Kátia Aparecida Roque. São Paulo: Makron Books, 1994.

ZDANOWICZ, J. E. Planejamento Financeiro e Orçamento. 2. ed. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 1998

ROSS, S. A.; WESTERFIELD, R. W.; JAFRFE, J.F. Administração Financeira. Tradução por Antonio Zorato Sanvicente. São Paulo: Atlas, 1995.

GITMAN, Lawrence J. Princípios de administração financeira. 3. ed. São Paulo: Harbra, 1987

TAYLOR, Frederick W. Princípios de Administração Científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 1978

HORNGREN, Charles T. Contabilidade de Custos. 9. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2000.

TUNG, Nguyen H. Orçamento Empresarial no Brasil: para empresas industriais e comerciais. 1. ed. São Paulo: Edições Universidade Empresa, 1975.

GROPPELLI, A. A. e NIKBAKHT, Ehsan. Administração Financeira. Tradução de André Olimpio Mosselman Du Chenoy Castro. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 1998.

WELSCH, Glenn Albert. Orçamento empresarial. Tradução e adaptação à terminologia contábil brasileira de Antônio Zoratto Sanvicente. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1996.

Henrique Ronne Grodiski
h.grodiski@hotmail.com

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 30 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/gestao-artigos/a-importancia-do-planejamento-e-controle-financeiro-para-o-desempenho-empresarial-386410.html

    Palavras-chave do artigo:

    planejamento financeiro

    ,

    gestao financeira

    ,

    financas

    Comentar sobre o artigo

    Neste artigo procuramos despertar o leitor para a importância do planejamento financeiro pessoal, abordando aspectos como: Calculo do Valor da divida, como lidar com casos de despesa maior do que a receita, calculo de juros e despesa financeira, comprar parcelado de forma correta e aproveitando oportunidades, bem como a importância da formação da poupança.

    Por: Adilson Kochl Finanças> Finanças Pessoaisl 16/07/2010 lAcessos: 825

    Conteúdo desenvolvido pelo IDORT/SP ajudará os participantes a atuarem de maneira assertiva nas corporações

    Por: Polyanna Rochal Press Releasel 14/10/2009 lAcessos: 600

    Este trabalho tem por finalidade apresentar de forma clara e objetiva o papel da gestão financeira dentro das empresas seja elas de pequeno, médio ou de grande porte. Apresenta também as principais variáveis existentes na gestão financeira e as principais são: risco, retorno, taxas de juros de ações e a sua importância dentro da gestão financeira das empresas.

    Por: FRANCISCA SOARESl Negócios> Administraçãol 25/11/2011 lAcessos: 570

    Esse artigo tem como finalidade discorrer sobre gestão financeira e sua importância dentro da empresa; Sua relação e relevância com os demais departamentos dentro da organização, como também relataremos seus departamentos internos.

    Por: Marli Soares de Andradel Negócios> Gestãol 28/11/2014 lAcessos: 18

    O trabalho a seguir apresentado tem como objetivo explanar conceitos e a importância da Gestão Financeira dentro de qualquer empresa independente do porte envolvendo Planejamento, Controle e Análise da conjuntura financeira das empresas com o objetivo de melhorar os resultados financeiros.

    Por: Janaina de Paula Souzal Finanças> Investimentosl 28/11/2014 lAcessos: 23
    michelly bonifacio

    A maioria das pequenas e médias empresas nasce de empreendedores que trabalharam por muitos anos em determinado segmento, e, portanto, obterão conhecimento e domínio do negócio. Mas, quando o assunto é Finanças, falta o conhecimento necessário. A isso, chamamos de o famoso calcanhar de Aquiles. Para gerenciar as financias, o melhor é implementar um Sistema ERP Integrado.

    Por: michelly bonifaciol Negócios> Administraçãol 24/09/2014 lAcessos: 24

    O presente trabalho procura analisar a estrutura de capital e seus reflexos nos resultados da empresa, mostrando razões para utilizar capital próprio ou de terceiros num determinado empreendimento, mesmo em tempos de crise financeira como o que estamos vivendo. Diante da crise, pessoas e empresas têm que buscar saídas criativas e inovadoras que nem sempre são pensadas ou buscadas em tempos de afluência. Em tempos de crise, empresas e pessoas empreendem mudanças que não teriam coragem de fazer e

    Por: ALAELSON CRUZ DOS SANTOSl Finanças> Créditol 24/09/2009 lAcessos: 2,252

    Algumas informações sobre como iniciar na carreira de finanças, vagas de emprego e algumas dicas.

    Por: Michael Youngl Carreira> Gestão de Carreiral 08/11/2010 lAcessos: 197

    O estudo faz-se por entender o tema principal abordado, a Gestão Financeira, que tem como objetivo mostrar o quanto é importante um gestor qualificado numa instituição,fornecendo teorias inovadoras, análises mais profundas, trazendo a melhor administração possível para a empresa, com o objetivo alcançar metas e, consequentemente crescimento a empresa.

    Por: Brena Santos de Souzal Negócios> Gestãol 14/11/2014 lAcessos: 35
    Cleber Silva

    Esse processo de autoconhecimento pode ser demorado e demanda muita paciência por parte do empreendedor, ele leva a vida inteira, e temos sempre que estar de mentes abertas para novos conceitos, crenças e valores, portanto, estar ciente de quem somos nos trará a tranquilidade na hora de sabermos que queremos ser.

    Por: Cleber Silval Negócios> Gestãol 24/01/2015
    Nori Lucio Jr

    Para garantir que o cliente tenha uma experiência previsível com a Marca através da aquisição de seus produtos e serviços, o primeiro passo é mapear todos os "pontos de contato" com o cliente, que devem ser monitorados de forma sistêmica por indicadores que registram situações que exigem intervenções e correção imediatas.

    Por: Nori Lucio Jrl Negócios> Gestãol 23/01/2015
    Nori Lucio Jr

    TUDO COMEÇA COM UMA PESQUISA BEM ELABORADA O entendimento psicográfico do público alvo precede o estudo demográfico. Na prática, primeiro você entende o comportamento de compra do cliente para depois encontrar onde está sua maior concentração.

    Por: Nori Lucio Jrl Negócios> Gestãol 23/01/2015
    Nori Lucio Jr

    O processo de construção da Marca deve seguir uma trajetória planejada e portanto não tolera cortes de caminho. A fórmula é simples mas exige austeridade e cuidado com a coerência na manutenção do posicionamento e consistência na comunicação com os diversos públicos-alvo.

    Por: Nori Lucio Jrl Negócios> Gestãol 23/01/2015
    Nori Lucio Jr

    Investir na Marca vale a pena. A Marca é o mais importante ativo da sua empresa. Em um processo de avaliação - valuation - da empresa, o reconhecimento - awareness - da sua Marca é determinante no processo de composição do preço para uma eventual aquisição por outra empresa.

    Por: Nori Lucio Jrl Negócios> Gestãol 23/01/2015

    O tema abordado neste artigo é o Empreendedorismo. O conceito de empreendedorismo, a visão do empreendedor, a regulamentação da LC/2006, o direito empresarial e as demais peças chaves desse trabalho se relacionam diretamente com a contabilidade, seus princípios e convenções. A estrutura conceitual básica da Contabilidade junto aos seus elementos que são: as demonstrações contábeis e suas características qualitativas são aplicáveis a um elenco de modelos contábeis que se encaixam.

    Por: Aline Samara Pereira Fonsecal Negócios> Gestãol 20/01/2015
    Portugal Murad

    Quando novos empreendedores começam a desenvolver seus negócios, ou empresas de todos os portes iniciam novos projetos, usualmente vários temas relacionados à propriedade intelectual são considerados. Alguns aspectos, que deveriam ser objeto de cuidado comercial e análise jurídica especializada, entretanto, usualmente são ignorados.

    Por: Portugal Muradl Negócios> Gestãol 20/01/2015
    Walter Gassenferth

    O artigo mostra, passo a passo, a melhor maneira de estabelecer um escritório de processos que transfira conhecimentos, metodologias, ferramentas e infraestrutura para uma empresa visando apoiar a organização a trabalhar por processos, e não só por função.

    Por: Walter Gassenferthl Negócios> Gestãol 19/01/2015 lAcessos: 933

    Em pauta nas reuniões dos líderes mundiais o aquecimento global e busca por energias alternativas com o encarecimento do petróleo e seu esgotamento nos próximos anos o Brasil entra no cenário mundial como a grande potência energética através do desenvolvimento do etanol e biodiesel. Na busca de soluções que contribuam para a melhoria ambiental e redução do aquecimento global e devido às características geográficas do do País o setor sucroalcooeiro ganha Notoriedade na economia.

    Por: Henrique Ronne Grodiskil Finançasl 14/04/2008 lAcessos: 3,824

    Como conseqüência, as organizações vêm realizando mudanças em seus procedimentos internos e externos, incorporando inovações continuadas, buscando assim, adaptar-se aos ambientes da globalização.

    Por: Henrique Ronne Grodiskil Negócios> Gerêncial 14/04/2008 lAcessos: 21,799 lComentário: 1

    Comments on this article

    1
    Mariane 08/11/2011
    Qual a importancia da gestão e planejamento financeiro nas organizaçoes e a importância do contador para sua realização.
    0
    Maria Helena Eduardo Nsiansoki 13/10/2011
    Parabéns primeiramente pelo artigo. A minha questão é a seguinte: Qual é a importância da análise e do controle financeiro para a performance empresarial?
    1
    Tatiane 24/09/2011
    Qual a influencia da Gestão Financeira na área de Marketing?

    Desde já gradeço pela atenção e colaboração,

    2
    marcosbrandão 20/10/2010
    tenho q fazer um trabalho sobre controle de adm
    me ajude.........POR FAVORRRRR!!!!!!!!!!!!!!!
    4
    Martha A Oliveira 04/02/2009
    Este artigo está muito bem fundamentado e o assunto é e será sempre muito relevante,pois orçamento é o alicerce para o sucesso não só de empresas, mas também de famílias e pessoas, pois temos sempre que saber o que temos em mãos para decidir onde e como iremos chegar.
    Parabéns.
    Ms.Martha A Oliveira
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast