A pessoa certa, no lugar certo. Inclusive o dono!

Publicado em: 12/08/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 249 |

Acho interessante que vez por outra, sem que eu espere, algum acontecimento faz com que me venha à mente frases ou fatos da minha infância. Funciona como um gatilho. Claro que isto não é um privilégio meu: músicas e cheiros, além de lugares e pessoas parecidos são capazes de despertar, em qualquer um de nós, lembranças esquecidas há tempos. Não tem nada de errado com isto, a não ser, talvez, a constatação de que estamos tendo memórias cada vez mais antigas.

Aconteceu de novo estes dias, num dos estabelecimentos comerciais da nossa cidade. Logo na entrada observei um dos gestores da empresa realizando uma atividade, que não vamos classificar de pequena, mas que poderia, sem dúvida, ser realizada por uma pessoa menos qualificada.

Foi neste momento que me recordei de ter ouvido alguém dizer, (não me recordo onde ou quem): "Não se deve usar um canhão para matar uma mosca". Comecei então a divagar sobre o que havia entendido, na época, da expressão: na verdade não tive dificuldade em compreender a frase. Apesar de criança, percebi, perfeitamente, que seria um grande um exagero a utilização de uma arma tão poderosa, para eliminar um inseto tão pequeno. Poderíamos, entretanto, afirmar que muitos e, talvez eu e você estejamos incluídos, nos que usariam esta arma para matar uma mosca, dependendo, principalmente, do lugar onde ela estivesse repousando. Perdoem-me, mas, não resisti à brincadeira.

Analisando esta expressão, no contexto atual, chego à conclusão que em alguns momentos podem até ser necessário que um gestor de empresa pegue no cabo de uma vassoura para varrer um chão de loja, ou de fábrica, por exemplo. Mas, seria um caso extremo. Uma necessidade, jamais uma rotina. A menos que ele seja um líder demagogo, mas, não vamos discutir este assunto hoje, vamos focar no que se espera de um gestor. Teoricamente, que ele se atenha a atividades ditas mais complexas, tais como, acompanhar a evolução da estratégia adotada pela empresa. Se alguma coisa precisa ser mudada. E, acredite, sempre precisa. Como me dizia um professor: "Planejamento tem de ser feito a lápis, jamais a caneta."

A metáfora, didaticamente, adotada servia para deixar bem claro que, o que é planejado, muitas vezes, não acontece como se espera. Vou citar Lúcio Costa, o urbanista que contribuiu na construção de Brasília, que disse: "A única coisa do planejamento é que as coisas nunca ocorrem como foram planejadas." Logo, um gestor precisa estar atento para identificar as necessidades de mudanças, de adequações que o planejamento necessite. Seria difícil para o gestor fazer isto do chão de loja, ou de fábrica.

Bem verdade que existem pessoas, e, muitos gestores e empresários estão incluídos, que não gostam de mudanças. Imagine então mudar um planejamento em plena execução. Contudo, para corroborar comigo cito Pubilius Syrus, um estrangeiro que de escravo, se tornou mestre no Império Romano: "O plano que não pode ser mudado não presta."

Um gestor atualizado e consciente deve manter uma harmonia entre as atividades desenvolvidas no escritório e no chão de loja, ou fábrica. Contudo, jamais deve esquecer o que as pessoas esperam dele. E neste universo de expectativa não se inclui varrer o chão.

Na verdade esta atitude observada no gestor evidencia um dos grandes desafios das organizações: colocar a pessoa certa, no lugar certo. Ocorre que para uma organização obter sucesso não é suficiente apenas que possua em seus quadros os melhores profissionais, mas, que consiga colocar os melhores profissionais, nos lugares que eles venham desenvolver todo o seu potencial. Incluem-se, principalmente, os gestores e os proprietários da organização.

Agora vamos mexer num verdadeiro vespeiro: nem sempre um bom gestor, com o passar dos anos, continua sendo um bom gestor. Nem todo proprietário de empresa é um bom gestor. E, o que mais preocupa as empresas de gestão familiar, a sucessão: nem sempre o filho de gestor competente, será um gestor competente. O problema é identificar isto e ter coragem para tomar uma atitude. Porque, muitos empresários entendem que a sua empresa é como um reinado, precisa ter como gestor o seu filho. Nem sempre esta atitude é a melhor. Pelo menos, não para a organização.

Pior que insistir com um gestor incompetente pelo fato de ser ele o herdeiro da organização é só mesmo não se preocupar com o próprio processo de sucessão. Infelizmente o homem tem uma existência curta e quando ela é diminuída por uma fatalidade, não é raro empresas desapareçam do mercado, justamente porque não havia uma preocupação do gestor com a sua sucessão. O contrário também acontece, conheço empresas que após uma sucessão realizada, sem o menor planejamento, deslanchou no mercado conseguindo crescer consideravelmente. Mas, infelizmente, esta opção é a exceção e não a regra.

O mais prudente para uma empresa, independente do seu porte ou seguimento é que consiga ter os melhores profissionais, nos lugares certos e se o dono não for um bom gestor, contrate um. Não tem problema nenhum nisto. Afinal, ser rei de um reino falido, não deve ter a menor graça.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/gestao-artigos/a-pessoa-certa-no-lugar-certo-inclusive-o-dono-3027202.html

    Palavras-chave do artigo:

    sucessao

    ,

    pessoa certa no lugar certo

    ,

    gestao familiar

    Comentar sobre o artigo

    O trabalho fundamenta-se no estudo do Direito Sucessório, no que tange os regimes de bens disciplinados pelo Código Civil Brasileiro.

    Por: Susane da Costa Pachecol Direito> Legislaçãol 16/06/2014

    O Sistema Franchising encontra-se em expansão no Brasil. Um dos motivos que colaboram para este crescimento é o fato do sistema de franquias se tratarem de um formato que envolve recursos de terceiros em favor da marca. Contudo o desempenho da franquia também é resultante das decisões do franqueado, assim, uma dependência de ambos os lados nesse tipo de negócio.

    Por: Carlal Negócios> Gestãol 11/08/2014
    Jonas Alfredo da Silva Santos

    RESUMO Este trabalho de conclusão de curso foi desenvolvido através de revisão bibliográfica, aplicação e pesquisa de campo, nomeado como "Projeto Aventura Educacional" que consiste na realização das atividades de aventura nas escolas públicas, tendo como objetivo atividades multidisciplinares que potencializam e contribuem com os valores culturais e sociais que se agregam ao processo de ensino com conhecimentos práticos das matérias curriculares.

    Por: Jonas Alfredo da Silva Santosl Educação> Educação Infantill 07/08/2011 lAcessos: 174
    Jonas Alfredo da Silva Santos

    Este Trabalho Cientifico fora baseado no projeto Aventura Educacional, desenvolvido 2009 SANTOS, na escola da rede Publica CEU GUARAPIRANGA, qual através de revisão bibilografica e observação discute os critérios de desenvolvimento motor, cognitivo e educacional dos alunos participantes do mesmo. Assim tendo como sua base cientifica o desenvolvimento motor e qual fora o desenvolvimento dos alunos expostos a atividades de aventura com objetivo multidisciplinar. Jonas Alfredo da Silva Santos

    Por: Jonas Alfredo da Silva Santosl Educação> Educação Infantill 07/08/2011 lAcessos: 650

    Seriam os escândalos recentes envolvendo estatais brasileiras equivalentes ao Watergate? Por Cynthia Catlett - Sócia de Forensic Investigations & Dispute Services da Grant Thornton do Brasil-

    Por: Marianal Negócios> Gestãol 22/10/2014 lAcessos: 12

    É muito comum ver eletricistas trabalhando pela cidade para realizar novas instalações ou reparos na fiação elétrica. Este profissional tem um trabalho que exige muita perícia e técnica, precisando também estar equipado com muitos EPIs diferentes: capacete, óculos de proteção, luvas de alta tensão, botas, cinto de segurança e outros.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Gestãol 17/10/2014
    Elisângela da Silva Pereira

    Quando pensamos em empreendedorismo e liderança muitas palavras imediatamente nos vem à cabeça, não é verdade? E pensando nessa pergunta, elaborei um artigo que tentando responder.

    Por: Elisângela da Silva Pereiral Negócios> Gestãol 17/10/2014

    Sempre acompanhamos em jornais, sites e revistas que o mercado demanda muitos tipos de matérias-primas. Alguns dos mais conhecidos é o petróleo, ferro, minérios, entre outros. Por outro lado, vale destacar que a borracha também é muito presente no fluxo industrial, tendo um aproveitamento muito alto devido sua capacidade de ser moldada para finalidades variadas.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Gestãol 16/10/2014

    Falando sobre Gestão de Pessoas e Recursos Humanos, podemos de certo modo analisar que o estilo da Geração X está habituada à política de retenção de funcionários por longo tempo. E a Geração Y é mais descolada à cultura da empresa; chega, presta serviço, contribui para o desenvolvimento e crescimento, mas sai e muda no momento em que percebe a necessidade de crescer e buscar novas oportunidades. Os profissionais Y chegam trazendo novas ideias, visões e renovação.

    Por: Peri da Silva Santanal Negócios> Gestãol 15/10/2014 lAcessos: 11

    Infelizmente, ainda ocorrem negligências na indústria quando se trata de segurança. Enquanto não acontece nada ruim, ninguém toma nenhuma providência. Porém, quando alguém se machuca decorrente ao serviço prestado, começa então uma série de investigações e a culpa é jogada de um lado para outro.

    Por: Thiago Castriottol Negócios> Gestãol 14/10/2014

    Este artigo tem o propósito de orientar o empresário que estiver com a intenção de vender a sua empresa para seguir algumas providências no sentido de facilitar o processo de negociação e, por consequência, agilizar a transação de venda.

    Por: Paulo Strelczukl Negócios> Gestãol 14/10/2014 lAcessos: 13
    Victor Hugo Oliveira dos Anjos

    A tramitação dos Projetos de Lei ou só PL's parece bem simples, no que diz respeito à sua aprovação, ou seu veto. Um PL aprovado na Câmara dos Deputados, por exemplo, deve passar primeiramente nas comissões da casa para aprovação e, em seguida, deve ser enviado para a revisão dos Senadores, e vice-versa.

    Por: Victor Hugo Oliveira dos Anjosl Negócios> Gestãol 13/10/2014 lAcessos: 13
    Cícero Gomes

    Muitos defendem que os consumidores buscam é preço. Mas será que uma pequena empresa deveria embarcar nesta, contagiosa, tendência que o varejo vive, mesmo não tendo poder de barganha junto aos seus fornecedores?

    Por: Cícero Gomesl Negócios> Administraçãol 12/08/2010 lAcessos: 169
    Cícero Gomes

    Atendimento ao Cliente somente poderá oferecer o retorno na integridade do seu potencial se, e somente se, ele for o adorno final a um conjunto de atitudes necessárias e indispensáveis tomadas por uma organização.

    Por: Cícero Gomesl Negócios> Atendimento ao Clientel 05/04/2010 lAcessos: 203
    Cícero Gomes

    Ouvir é muito mais que apenas uma coleta de informações para se fechar uma venda. Como o processo de venda tornou-se cíclico, vender ganha uma nova estratégia: Relacionamento.

    Por: Cícero Gomesl Negócios> Vendasl 04/04/2010 lAcessos: 1,750
    Cícero Gomes

    Como as pessoas, as empresas se comunicam e não estou me referindo a campanhas publicitárias, mas de atitudes simples e, muitas vezes, diárias que refletem o que as organizações pensam sobre o mundo que as rodeia.

    Por: Cícero Gomesl Negóciosl 29/03/2010 lAcessos: 443
    Cícero Gomes

    A cada dia que passa, fica mais claro que nós, vendedores, deixamos de ser consultores de um processo de venda, para nos tornarmos consultores de um processo de compra. O poder não está mais com as organizações, mas, nas mãos dos clientes e conquistar a confiança dele é fundamental para se ter sucesso como um profissional de Vendas.

    Por: Cícero Gomesl Negócios> Vendasl 29/03/2010 lAcessos: 384
    Cícero Gomes

    Ouve uma época e não muito distante dos dias atuais, em que, o que mais se buscava em um profissional ou em uma empresa, era a competência em realizar determinada tarefa ou em oferecer determinado produto. Será que as coisas continuam assim?

    Por: Cícero Gomesl Marketing e Publicidadel 28/03/2010 lAcessos: 117
    Cícero Gomes

    Todo mundo sabe que funcionário feliz trabalha mais e melhor, é mais produtivo, causa menos quebras operacionais, por conseqüência dá mais lucro, fala bem da empresa, às vezes até mesmo "briga" por ela. Então porque não se preocupar com o insatisfeito?

    Por: Cícero Gomesl Marketing e Publicidade> Marketing Pessoall 26/03/2010 lAcessos: 584
    Cícero Gomes

    Conhecer a Cultura de uma Organização deveria ser, obrigatoriamente, a primeira tarefa de um novato, em todos os níveis hierárquicos, principalmente os Táticos e Estratégicos

    Por: Cícero Gomesl Marketing e Publicidade> Marketing Pessoall 26/03/2010 lAcessos: 222
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast