A Relação Da Evolução Do Pensamento Estratégico Com A Forma De Gerenciamento De Academias De Ginástica

Publicado em: 26/04/2009 |Comentário: 3 | Acessos: 5,515 |

  Academias de ginástica, segundo a definição dos descritores em Ciências da Saúde (DeCS, 2004) são: Instalações que têm programas que pretendem promover e manter um estado de bem-estar físico para ótimo desempenho e saúde. O nome Academia originou-se do filósofo Platão (427-347 a.C.), que escolheu, como local para fundar sua escola de filosofia, era um bosque que levava o nome de um legendário herói grego, Academos. Assim, a escola recebeu o nome de Academia, nesta época era o local de ensino e aprimoramento de filosofia, matemática e ginástica (GAARDER, 1995). Nos anos 30 sugiram as primeiras academias no Brasil Toscano (2001), ainda sem esquemas de organização administrativa, baseando-se intuitivamente, os gestores das academias de ginástica desenvolviam seus trabalhos, assim como os instrutores também o faziam, levando em consideração a precariedade de informações, tecnologia e estudos, na área da educação física e gerencial. Com os eventos e desenvolvimento das comunicações e da tecnologia da informação cresce o número de empresas que oferecem serviços ou produtos semelhantes de forma mais organizada e melhor estruturada, aumentando consequentemente a concorrência. Um dos principais aspectos desse advento é o fácil acesso dos consumidores às várias opções de compras. Ao mesmo tempo em que aumenta o número de empresas prestadoras do mesmo tipo de serviço no mercado. O mercado, que por sua vez caracteriza-se por um grupo de compradores reais e potenciais de um produto que realizam transações com uma classe específica de produtos e onde acontecem as relações de compra e venda, e sofre constantes e expressivas alterações a todo momento. Dessa forma o planejamento estratégico torna-se importante fator ao qual o núcleo corporativo deverá estar atento para então minimizar, e até mesmo extinguirem a evasão e migração de clientes para outras empresas que fornecem serviços similares, entendendo as necessidades e desejos do consumidor.

O planejamento estratégico, “é o processo de desenvolvimento e manutenção de um ajuste estratégico entre os objetivos e capacidades da organização e as diversas oportunidades de mercado. Baseia-se no desenvolvimento de uma missão clara da empresa, objetivos de apoio, um sólido portfólio de negócios e estratégias funcionais coordenadas.” Kotler & Armstrong (1995). O ato de planejar ações futuras inicia-se com análises de percepção do ambiente em que a empresa está inserida, bem como o ambiente interno. Em vez de observarem e reagirem, as gerências de academias de ginástica atualmente tomam à frente e atuam de forma a afetar o comportamento do público, objetivando a fidelização de seus clientes.

O PENSAMENTO ESTRATÉGICO E SUA EVOLUÇÃO

Os primeiros cursos de administração surgiram nos EUA, com a criação da Wharton School, em 1881, mas no Brasil somente na década de 50, iniciou-se de fato o ensino de administração. Nessa época os EUA, já formava em torno de 50 mil bacharéis, 4mil mestres e 100 doutores, por ano, em administração. O que nos leva a crer que a supremacia americana em termos administrativos e processos gerenciais atual, advém de sua história de pioneirismo. Dessa forma, a primeira fase do pensamento estratégico em 1950, baseava-se em um controle financeiro onde a alta administração da empresa aprovava ou desaprovava qualquer ação.

O foco da administração dos anos cinquenta baseava-se nos objetivos e resultados organizacionais (abordagem neoclássica). No ano de 1954, Peter Drucker, então neoclássico, publicou um livro chamado The Practice Of Management, no qual, apresentava o que era a administração por objetivos, na qual superior e subordinado acordavam suas metas em estreita consonância com objetivos de cada departamento. Utilizando o enfoque “top down”, no qual o executivo principal era o grande estrategista. Uma de suas grandes características dessa fase de administração por objetivos acabava por inibir a capacidade empreendedora e conseqüentemente a formulação de estratégias.

A segunda fase foi a do planejamento a longo prazo que tinha suas bases na suposição de que seria possível prever o futuro especulando sobre uma variedade de projeções e curvas de experiência.

A hipótese passou a ser visto como grande incentivo à criatividade, mesmo que não se adequassem perfeitamente às situações.

A empresa para realizar esse tipo de planejamento deveria ser capaz de prever cenários do seu campo de atuação e estratégias com lógica em planos passados e futuros com o mesmo padrão dos que obtiveram êxito.

A terceira fase foi a da escola do planejamento estratégico surgida em 1970, trazendo a técnica mais utilizada nessa época, a análise swot, desenvolvida em Harward, relacionando a avaliação do ambiente interno (forças e fraquezas) da empresa mediante o ambiente externo (ameaças e oportunidades). A ação deve fluir da razão, onde as estratégias eficazes derivam de um processo do pensamento humano rigidamente formulado. Somente após totalmente estruturado as estratégias eram implementados, fazendo distinção entre pensamento e ação.

Na quarta fase, a da escola da administração estratégica nos anos 80, as ferramentas de análises se aperfeiçoam mais se tornando também flexíveis às condições vigentes.

Com a introdução do conceito de cadeia de valor, por Porter (1986), que presume que uma organização pode ser segmentada em atividades primárias e de suporte.

A escola de gestão estratégica é a quinta fase da evolução do pensamento estratégico que também afetou diretamente a forma de gerenciar academias de ginástica. Surgida nos anos 90, com as mudanças em ritmo cada vez mais acelerado, essa escola dá ênfase a uma visão mais integrada e menos centralizada das funções administrativas. As funções relacionam-se dinamicamente entre si para atingir um objetivo. A organização estratégica, a

coordenação estratégica e a direção estratégica compõem o núcleo do sistema, onde a organização é uma estrutura formal de autoridades, a coordenação é responsável por julgar esforços coletivos e a direção orienta as operações à serem executadas.

A gestão estratégica competitiva é o novo tipo de gerenciamento de academias de ginástica do novo milênio.

Uma visão integrada entre as escolas anteriores pela necessidade de adaptação às constantes mudanças e nova ordem social, política e econômica. A natureza complexa e imprevisível de novos cenários faz com que a definição de estratégia tome forma acima de tudo de aprendizado. A busca da sobrevivência no mercado obriga a empresa a lançar mão de diversas formas de investimentos para alcançar o objetivo de se manter em uma boa posição no segmento a que se propõe.

 

  • Objetivos - Estabelece as grandezas numéricas, determina tempo / espaço.

  • Metas - Etapas ou “objetivos intermediários” em ordem de prioridades; é o “caminho” a ser percorrido para chegar ao alvo (objetivo).

  • Planejamento operacional - Estabelece os processos e a metodologia para o trabalho diário.

  • Políticas - Definem ações mecanicistas ou automáticas para a empresa funcionar bem no dia-a-dia.

  • Organograma - Estabelece a posição dinâmica dos órgãos que compõe o todo sinérgico da empresa.

  • Hierarquia - Estabelece a ordem nas transações diárias, bem como a esfera de responsabilidade de cada colaborador. (Rios, Luiz Oliveira; 98).

 

Para melhor compreensão das intervenções estratégicas atuais é necessário que tenhamos noções dos desejos e necessidades dos clientes que procuram esses serviços. A pesquisa realizada por Brooks, em 1994, (onde 48% dos indivíduos iniciam suas atividades físicas em academias preocupados com aparência; 26% por motivações de saúde; 16% bem-estar; 10% outros) nos apresenta resultados onde podemos comprovar que praticamente a metade dos indivíduos que iniciam suas atividades físicas tem como principal objetivo a parte estética (Benito Olmos 2006).

O Brasil está em segundo lugar no mercado mundial, tendo ultrapassado, no ano passado, a Itália, hoje em terceiro lugar. Os Estados Unidos lideram em termos de quantidade de academias.

O mercado brasileiro movimentou cerca de 90% do total de U$1,4 bilhão de toda a América Latina em 2007. O setor faturou U$18,5 bilhões nos Estados Unidos em 2007 e U$ 61,5 bilhões em todo o mundo.

Apesar do crescimento de 70% do número de academias no último ano (chegando a cerca de 12,7mil), o país ainda ocupa a oitava posição entre os recordistas em número de praticantes, com apenas quatro milhões de adeptos a atividades físicas orientadas.

A definição da missão orientada para o mercado das maiores redes de academias são em grande parte, a venda de estilo de vida saudável, a socialização em um ambiente familiar, limpo e agradável. Um corpo atlético e esbelto. O oferecimento de entretenimento com segurança e variedade de atividades para atendimento para públicos com objetivos diferenciados.

Quanto às definições orientadas para o produto, seria a prestação de serviços referentes à melhoria da saúde, condicionamento físico e estético. “Antigamente quem fixava a estratégia da organização era o dono da empresa,

os sócios, os dirigentes de cúpula das organizações, e, eventualmente executivos de nível gerencial e chefias por delegação”. Walter Lerner, (1998). A fixação dos modelos organizacionais será estabelecida, monitorados, influenciados e atualizados diretamente pelo consumidor, e indiretamente pelos seus dependentes.

“Caíram as fronteiras e os mercados ficaram sem limites. A globalização está mudando radicalmente a postura das empresas, banindo a acomodação e exigindo uma revisão de estratégia e posicionamento.

A concorrência está na esquina e do outro lado do mundo, oferecendo qualidade e preços igualmente atraentes a todos os consumidores”. Simone Andretti,(1998).

De acordo com Kotler & Armstrong, o planejamento estratégico é o processo pelo qual se desenvolve e mantém-se uma referência estratégica entre os objetivos e capacidades da empresa e as mudanças de suas oportunidades do mercado. Portanto podemos afirmar que o planejamento estratégico é uma ação fundamental para inicialização dos processos de tomadas de decisões da empresa como um todo. Não somente grandes corporações, como também empresas de pequeno porte devem pensar adiante de forma sistemática.

“O planejamento estratégico é a base do planejamento de uma empresa. Depende de uma missão clara para a empresa, da definição de objetivos, de um bom portfólio de negócios, e da coordenação de estratégias funcionais.” Kotler & Armstrong, (2004). Ou seja, definir estratégias que maximizem os resultados e minimizem os problemas.

O melhor portfólio de negócios é aquele que se adapta às forças e às fraquezas da empresa diante das oportunidades do ambiente. A empresa deve analisar seu portfólio corrente de negócios e decidir que negócios devem receber maior ou menor volume de investimentos, e desenvolver estratégias de

crescimento para acrescentar novos produtos ou novos negócios ao portfólio.” (Kotler, 2000).

 

DIFERENTES TIPOS DE ESTRATÉGIAS UTILIZADAS ATUALMENTE

A verdade é que a mudança sempre houve e sempre haverá”. Barros Neto (2002).

Dentro desse contexto, a escolha de um tipo de estratégia a ser seguida pela empresa é sem dúvida uma escolha que repercutirá durante um tempo considerável no desempenho da companhia no mercado, porém uma eventual combinação de estratégias é utilizada no momento certo pela gerência de academias atualmente.

Estratégia de sobrevivência

Quando não há outro tipo de alternativa a empresa assume uma posição defensiva e conservadora. Muitos aspectos que enfraquecem internamente e grandes ameaças externas, podendo trazer resultados desastrosos. Os investimentos são reduzidos ao máximo, geralmente são extintas pelo mercado que se encontra cada vez mais agressivo.

Pode-se utilizar esse tipo de estratégia por meio de:

  1. * Redução de custos - Redução de pessoal, diminuição de compras, leasing de equipamentos, diminuir custos de promoção e outros.

  2. * Desinvestimento - Mudando a linha de investimentos para produtos e serviços com maior demanda e lucros.

  3. Liquidação do negócio - Em último caso, quando não há outra saída senão fechar o negócio.

Estratégia de manutenção - Nesse caso, a empresa identifica ameaças, porém apresenta pontos fortes o suficiente para além de sobreviver, manter sua posição. Apresenta-se de duas formas:

  1. * Estratégia de estabilidade - Estado de equilíbrio estável.

  2. * Estratégia de especialização e nicho - Procura dominar apenas um segmento, concentrando esforços em preservar algumas vantagens competitivas.

Estratégia de crescimento - Geralmente na situação favorável, onde tem-se lançamento de novos produtos e serviços, aumento do volume de vendas.

  1. Estratégia de inovação - A empresa antecipa-se a seus concorrentes com lançamentos, devendo ter acesso rápido e direto às informações.

  2. Estratégia de internacionalização - Estendendo suas atividades para fora do país, processo lento e arriscado, porém interessante para grandes empresas.

  3. Estratégia de joint venture - Estratégia para entrada em um novo mercado, onde duas empresas se se associam para a produção de um produto ou prestar serviços. Normalmente uma entra com capital e outra com a tecnologia.

  4. Estratégia de expansão - expansão dos negócios.

O plano estratégico define a missão e os objetivos gerais da empresa. Dentro de cada unidade de negócio o marketing ajuda a realizar objetivos estratégicos gerais.” (KOTLER; ARMSTRONG 2005). Existindo fatores que deverão estar sob seu controle, são eles: Produto, preço, praça e promoção. Tendo como alvo principal os consumidores escolhidos através de processos de mensuração, previsão da demanda, segmentação do mercado, definição de mercado e posicionamento de mercado.

Podemos afirmar que o marketing é uma ação posterior ao planejamento de estratégias. Primeiro são desenvolvidos amplos planos estratégicos gerais, depois traduzidos em planos de marketing e outros planos para cada divisão, produto e marca.

A atuação do departamento de marketing das grandes empresas, que oferecem serviços de atividades físicas, está no sentido de agregar valores ao produto e vender muito mais que meros movimentos executados de forma cadenciada, em ambientes muitas vezes fechados. Vender a idéia de socialização e estilo de vida torna-se cada vez mais atraente para esses grandes empresários do 'mundo fitness'. Eventos e projetos sociais também fazem parte do planejamento de divulgação e venda do serviço junto à comunidade do entorno.

O endomarketing, (voltado para o ambiente interno da empresa) Como afirma Simone Adretti (2000), “é muito importante para considerar os funcionários de todos os níveis hierárquicos como parceiros da direção da empresa, mantendo-os informados sobre objetivos e metas, tornando-os ativos e conhecedores das estratégias adotadas pela instituição”.

Uma tendência muito forte atualmente é o canal de marketing “on-line”, ou, marketing do futuro como define Antomar Marins e silva (2003). Grande parte

dos investimentos das grandes empresas tem sido em comunicação. Dentre outras vantagens, os donos de academias, citam a importância primordial ao acesso rápido de informações referentes ao produto, tais como: preço, qualidade, desempenho e disponibilidade. Outras vantagens seriam: adaptações rápidas às condições do mercado, fazendo alterações de preços, ofertar novos produtos, efetuar vendas agregadas, modificar descrições, etc. Os custos menores também constitui, na visão da maioria dos empresários, mais uma vantagem a ser considerada, visto que a veiculação de catálogos são muito mais baratos.

Uma vez conquistada a fidelidade do cliente, este deverá realmente receber tratamento preferencial, de modo que mantenha acesa a chama da fidelidade. A academia que conta com uma clientela fiel geralmente apresenta um volume de vendas reduzido. Nesse contexto uma nova concorrência direta (novo entrante), encontrará dificuldades de conquistar uma parte do mercado, já dominado e “cativo”. O investimento em promoções, divulgação e vendas deverá ser alto, e assim inicia-se uma concorrência que beneficiará aqueles que se utilizam dos serviços em questão.

Hoje, compreender os clientes não é o suficiente, a vantagem competitiva é alcançada através de ofertas que satisfaçam as necessidades do público-alvo e superem ofertas concorrentes. Da mesma forma, em que as empresas atuais que oferecem serviços relacionados à atividade física, devem identificar os clientes com suas necessidades e desejos, deve-se no mercado atual avançar para uma análise da concorrência. Segundo kotler & Armstrong, o que as empresas precisam saber a respeito de seus concorrentes,

primeiramente sobre quem são, quais são seus objetivos, estratégias, pontos fortes e fracos, bem como seus padrões de reação. Secundariamente é fundamental obter informações sobre as ações, produtos, preços, canais de distribuição e promoções da concorrência. A figura 1.1 mostra como deverá ser os principais procedimentos para análise da concorrência:

 

RELAÇÃO ENTRE AS MUDANÇAS DO MERCADO COM

DIFERENTES PLANEJAMENTOS ESTRATÉGICOS DE

ACADEMIAS

 

Os custos em termos de tempo e dinheiro para pôr em prática um sistema eficiente de inteligência competitiva são elevados, por esse motivo a organização necessita ir além de simples projeções futuras dos acontecimentos. Hoje a antecipação de cenários e de que realmente é importante para a construção do futuro. Segundo Schwartz (1991), a projeção de cenários permite visualizar um ambiente no qual a complexidade é a maior característica. Estar preparado para mudanças e descontinuidades é fundamental para manter uma postura competitiva em um ambiente de imprevisibilidade.

Analisando e compreendendo o ambiente externo, e segmentando-o em ambiente geral e ambiente setorial, temos:

  • Análise do ambiente geral_

Estando relacionado aos aspectos demográficos, tais como: tamanho e taxa de crescimento da população, pirâmide populacional, composto étnico e principais grupos liguísticos, distribuição de renda.

Econômico: Evolução dos índices de preços, taxas de juros, níveis de emprego e renda no país, internacionalização da economia.

Sociopolítico: Traços culturais, atitudes e hábitos da população.

Tecnológico: Investimentos a pesquisa e desenvolvimento (P&D), inovações e aplicação de conhecimentos.

  • Análise do ambiente setorial_

Apesar de a maioria das empresas do ramo da educação física não seguirem exatamente um modelo preestabelecido, empiricamente, os procedimentos de análises desse setor enquadram-se no modelo proposto por Porter (1980). Analisando a indústria e as cinco forças competitivas:

  • Indústria- A lucratividade e compreensão de rentabilidade entre competidores na mesma indústria.

  • Cinco forças competitivas- O grau de rivalidade entre as empresas (sendo esse um dos únicos aspectos citados historicamente); ameaça de novos entrantes; ameaça de produtos substitutos; poder de barganha (negociação) dos consumidores.

A análise da oscilação do mercado são vinculadas a um determinado período. De acordo com Schwartz (1991), os cenários são formulados a partir de tendências constatadas pelas análises do ambiente geral e setorial, determinando assim diferentes rumos que o ambiente do negócio pode tomar.

Em um mapeamento geral, podemos citar como pontos principais de oscilação do mercado afetando diretamente as academias de ginástica:

  • Relações capital-trabalho_ Tendências sindicalistas do país, formas de participação do trabalhador na gestão organizacional, expectativas do trabalhador quanto à remuneração, novas demandas de recrutamento e seleção.

  • Economia_ Crescimento nos próximos anos, relação sobre políticas de crédito e juros.

  • Consumidores, mercado e produto_ Ambiente competitivo futuro, modelos de negócios apropriados, expectativas e comportamentos dos consumidores, relacionamento com os consumidores, tendências relativas aos direitos do consumidores.

  • Sociedade e política_ Intervenções do estado na economia, tendências relativas à proteção do meio ambiente e da população em geral.

  • Tecnologia_ Atuais mudanças no campo da tecnologia afetando modelos de negócios, avanços da biotecnologia.

Atualmente não se procura prever exatamente futuros acontecimentos, mas sim compreender as consequências de possíveis mudanças.

Segundo Naisbitt (1990), conhecer as mega tendências e acompanhá-las de perto, é requisito essencial para todos que buscam excelência de resultados, não somente a sobrevivência.

A análise do ambiente interno é de igual importância para uma ação eficiente, pois dentre outros evidencia os potenciais da organização, recursos dos quais a empresa dispõe para alcançar seus objetivos e principalmente características do ponto de vista estratégico.

Uma das ferramentas para analisar e relacionar oportunidades e ameaças presente no ambiente externo com as forças e fraquezas mapeadas no ambiente interno é a matriz SWOT, sigla de strengths, weaknesses, opportunites and threats (forças, fraquezas, oportunidades e ameaças).

 

NOVAS PERSPECTIVAS PARA ANÁLISES DE

CENÁRIOS E PLANEJAMENTOS FUTUROS PARA

GESTÃO DE ACADEMIAS DE GINÁSTICA

 

Segundo Serra, Torres e Torres, uma administração estratégica adequada

para uma academia de ginástica deverá apresentar em seu conteúdo:

  • Uma visão e missão clara e objetiva voltada aos benefícios de seus clientes.

  • Os valores deverão ser de acordo com a qualidade de vida e incentivo às atividades físicas e desportivas.

  • Análise do contexto atual. Com descrição e oportunidade do negócio; evolução do setor; localização, instalações e equipamentos; organização gerencial.

  • Planejamento estratégico:

Analisando o ambiente externo: tendências; acontecimentos atuais no macroambiente econômico; tendências do macroambiente econômico; acontecimentos atuais no macroambiente cultural; tendências do macroambiente cultural; acontecimentos atuais no macroambiente social e demográfico; tendências do macroambiente social e demográfico; acontecimentos atuais no macroambiente tecnológico; tendências do macroambiente tecnológico; acontecimentos atuais no macroambiente e no meio ambiente; tendências do macroambiente e do meio ambiente.

Cenários. A elaboração de no mínimo três cenários tendo como foco o impacto do macroambiente futuro sobre o negócio da academia e sua prestação de serviços. As incertezas como, aumento da violência fixando a população em casa; o estresse aumentando a procura por atividades físicas.

  • Análise setorial. Pela análise e classificação da rivalidade entre concorrentes; barreira à entrada de novos concorrentes; poder de barganha dos clientes; ameaça de substituição.

  • Fatores de sucesso.  

Análise interna pela matriz Swot.

  • Definição do tipo de estratégia genérica da empresa.

  • Balanced scorecard (objetivos, metas e estratégias). ex.:

 

 

CONCLUSÃO

 

A formulação das estratégias de academias de ginástica deverá estar ajustada à visão de futuro. Estando inicialmente ligado às competências da empresa, e adaptando-se às mudanças e incertezas do ambiente externo (mercado).

A estratégia competitiva constitui como item fundamental para gerenciamento de academias de ginástica atualmente. Vimos a definição dos objetivos no formato top-down, de cima para baixo, da alta administração para os demais colaboradores, que assumem posição passiva, em uma abordagem antiga.

Com desenvolvimento das mudanças, vemos novas formas de comandar o negócio nesse ramo, são eles:

* Botton-up, quando os colaboradores têm participação mais ativa.

* Ownership, onde a gestão estratégica competitiva leva ao comprometimento e senso de propriedade por parte de todos.

Por estarem presentes na nossa sociedade e poderem influenciar a saúde dos seus frequentadores acredita-se que as academias de ginástica mereçam ser alvos de mais estudos.

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

 

ANDRETTI, Simone, Administração de Negócios, ano XI; nº21, COAD, 1998.

 

BARROS NETO, João Pinheiro de, Teorias de administração: Curso compacto: Manual prático para estudantes & gerentes profissionais / João Pinheiro de Barros Neto. -Rio de Janeiro : Qualymark Ed., 2001.

 

LERNER, Walter, Administração de Negócios, ano XI; nº20, COAD, 1998.

 

LOBATO, David Menezes, Estratégia de empresas / David Menezes Lobato, Jamil Moysés Filho, Maria Cândida Sotelino Torres, Murilo Ramos Alambert Rodrigues.- 8 ed. - Rio de Janeiro : Editora FGV, 2006.

 

MARINS E SILVA, Antomar, Administração de Negócios, ano XI; nº18, COAD, 1998.

 

MOSSO, Mario Manhães./ Administração e modelo de gestão- sistemas e cibernética. HP Comunicação Editora.

 

NEDER VINICIUS, Jornal do Comércio/ Mercado se consolida,2008.

 

OLIVEIRA RIOS, Luiz, Administração de negócios, ano XI; nº20, COAD, 1998.

 

 

OLMOS, Benito; Gerenciamento Esportivo, /parte 4. Edição 20. revista bimestral Super treino, 2007.

 

PORTER, Michael E., Vantagem Competitiva, Campus, Rio de Janeiro, 1992.

 

KOTLER, Philip & ARMSTRONG, Gary, Princípios de Marketing(7ª edição), Prentice hall do Brasil, 1995.

 

ZÜHLSDORFF, Nuno, Administração de Negócios, ano XI; nº20, COAD, 1998.

 

 

 

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 4 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/gestao-artigos/a-relacao-da-evolucao-do-pensamento-estrategico-com-a-forma-de-gerenciamento-de-academias-de-ginastica-886505.html

    Palavras-chave do artigo:

    academias de ginastica

    ,

    gerenciamento

    ,

    evolucao

    Comentar sobre o artigo

    Hilsa Flávia A Coutinho

    Este estudo teve o propósito de conhecer parte da realidade dos problemas de saúde enfrentados por trabalhadores em sua jornada profissional, sendo enfatizado a responsabilidade e papel que a empresa representa na saúde de seus funcionários.

    Por: Hilsa Flávia A Coutinhol Saúde e Bem Estarl 28/10/2011 lAcessos: 230
    Karen Reis

    O mercado de jogos digitais, também conhecido como mercado de games tem crescido de forma acelerada no país do futebol. Nas últimas décadas é apontado como o setor mais dinâmico do campo das tecnologias de informação e comunicação, conquistando os quatro cantos do planeta. Segundo o IBOPE, de cada 13 brasileiros, 10 jogam em computadores. O setor movimenta mais de R$ 1 bilhão por ano e a maior concentração, cerca 35% de empresas de jogos independentes (Indie Games) estão na Capital Paulista...

    Por: Karen Reisl Tecnologia> Jogosl 03/09/2012 lAcessos: 60
    Conceito W Sistemas

    A nota fiscal de serviço eletrônica (NFS-e) é uma obrigação na esfera municipal que já está presente em mais de 300 municípios brasileiros. Ao contrário da NF-e (mercantil/federal/estadual), a NFS-e (serviços/municipal) não possui um padrão nacional. Cada cidade pode adotar um modelo, e adequar o funcionamento conforme suas necessidades. Esta contextualização é fundamental para justificar que não há uma resposta "absoluta" para a pergunta acima. A resposta pode variar conforme cada cidade.

    Por: Conceito W Sistemasl Press Releasel 09/06/2011 lAcessos: 115
    Jonas Alfredo da Silva Santos

    RESUMO Este trabalho de conclusão de curso foi desenvolvido através de revisão bibliográfica, aplicação e pesquisa de campo, nomeado como "Projeto Aventura Educacional" que consiste na realização das atividades de aventura nas escolas públicas, tendo como objetivo atividades multidisciplinares que potencializam e contribuem com os valores culturais e sociais que se agregam ao processo de ensino com conhecimentos práticos das matérias curriculares.

    Por: Jonas Alfredo da Silva Santosl Educação> Educação Infantill 07/08/2011 lAcessos: 172

    como reagimos aos conflitos que noa incomodam no dia a dia? Como deveríamos agir?

    Por: José Carlos Maron Jr.l Negócios> Gestãol 18/09/2014

    ERP é uma ferramenta que dinamiza e agiliza os processos de uma empresa, tornando possível ganhar mais tempo, eliminar atividades redundantes e o desperdício de recursos materiais e operacionais, permitindo uma gestão mais eficiente.

    Por: Priscila Falchi - Sisprol Negócios> Gestãol 18/09/2014

    Foi a partir da década de 1990 que o cenário mercadológico observou o surgimento do conceito de gerenciamento da cadeia de suprimentos, que tem como objetivo integrar os agentes de produção, sendo possível melhorar a qualidade dos serviços. Aumentar a eficácia de sua linha de produção é o sonho de qualquer empreendedor. Afinal, quem não quer ver seus funcionários produzirem até 30% a mais? A terceirização de serviços permite que a sua equipe foque em o que realmente importa.

    Por: Jean Webbl Negócios> Gestãol 17/09/2014

    Em plena retração de mercado e dificuldade das empresas em crescerem e expandirem os seus negócios, a redução de custos passa a ser uma preocupação e fator de extrema importância para a maioria das empresas. Reduzir custos nem sempre é tarefa fácil e demanda esforços por parte de todos os membros de uma organização. Nesse sentido, um sistema ERP pode ser uma ferramenta de grande apoio.

    Por: Priscila Falchi - Sisprol Negócios> Gestãol 17/09/2014

    Quando uma empresa necessita adquirir um sistema ERP muitas são as dúvidas e dificuldades para definir a escolha, por isso, é necessário estar atento aos critérios necessários para garantir a melhor decisão.

    Por: Priscila Falchi - Sisprol Negócios> Gestãol 17/09/2014

    Analisando os conflitos existentes nos ambientes organizacionais, podemos concluir que nosso sistema emocional é o grande responsável pelas nossas vitórias e fracassos. O medo nos paralisa.

    Por: José Carlos Maron Jr.l Negócios> Gestãol 16/09/2014

    Como conviver com os intermináveis e estressantes conflitos que aparecem nos ambientes profissionais? Como ser feliz convivendo ao lado deles?

    Por: José Carlos Maron Jr.l Negócios> Gestãol 16/09/2014

    Todas as vantagens de ter implementado numa empresa, independentemente que seja uma grande média ou pequena, um software de gestão. Como, com uma simples e completa ferramenta, se pode tirar o máximo partido das capacidades de uma empresa e dos que lá trabalham.

    Por: marial Negócios> Gestãol 16/09/2014 lAcessos: 11
    Enyo Mendes

    Segundo Estélio Dantas (2003), o treinamento físico promove reações do organismo. Essas reações podem ser classificadas em três grupos: 1_ Alterações bioquímicas 2_ Alterações sistêmicas 3_ Alterações gerais

    Por: Enyo Mendesl Esportel 28/10/2009 lAcessos: 890
    Enyo Mendes

    O custo para a não observação desse importante ítem poderá ser a morte. Custo alto que muitos atletas pagaram. Devido ao treinamento programado de forma incorreta, ou talvez a não programação do mesmo. Segundo McArdle (1996), podem ser toleradas uma queda de 10ºC, e uma elevação de 5ºC na temperatura corporal profunda. Notando-se assim que nosso organismo é mais tolerante quando se trata de temperaturas mais baixas.

    Por: Enyo Mendesl Esportel 28/10/2009 lAcessos: 2,021
    Enyo Mendes

    Em meio a essa grande jornada de treinamento, na qual nos lançamos, vemos que as coisas não são muito simples como pensávamos. A essa altura do campeonato, envolvidos com repetições, número de séries, execução dos movimentos, enfim. São muitas variáveis e você deve estar se perguntando se tudo vai dar certo...

    Por: Enyo Mendesl Esportel 26/04/2009 lAcessos: 7,259 lComentário: 6
    Enyo Mendes

    A imagem veiculada através das mídias de notáveis físicos de pessoas belíssimas está cada vez mais em alta, talvez pelo desejo da maioria das pessoas de se tornarem assim. Trazendo para muitos uma obsessão pela imagem corporal de um físico atlético. Hoje acompanhamos mudanças que esses novos tempos nos traz, mudanças essas que hoje são capazes de modificar até mesmo geneticamente um ser humano antes do seu nascimento.

    Por: Enyo Mendesl Saúde e Bem Estarl 10/04/2009 lAcessos: 986
    Enyo Mendes

    RESUMO Atualmente, define-se saúde como um estado de completo bem-estar físico, mental e social. Sendo a educação física ligada diretemante com o físico e indiretamente com os outros dois ítens, a análise da contribuição ideal dos tipos de exercícios mais adequados se faz necessário. O estudo visa analisar e estabelecer ligação direta entre a associação de dois tipos de exercício físico, a musculação (ou treinamento com pesos), e a natação. esclarecendo as melhores formas de organização do treino.

    Por: Enyo Mendesl Esportel 10/04/2009 lAcessos: 16,703 lComentário: 6

    Comments on this article

    0
    vhivy 06/01/2011
    ACREDITE !!!
    Acredite em si mesmo e você poderá ter uma renda extra através da Internet, trabalhando em casa com seu computador.
    Esse método funciona
    Esse método foi analisado e aprovado em matéria pela REVISTA EXAME.
    É UM SISTEMA DE AJUDA MÚTUA.
    O investimento é irrisório: R$ 12,00 (doze reais) não custa tentar.
    Quando você quer saber se uma laranja é doce, você tem que experimentar certo?
    Esse programa permanece próspero por causa da HONESTIDADE dos participantes. Todos crescem nesse sistema de COOPERATIVA.
    Veja o relato de uma pessoa que acreditou no programa: Meu nome é Elias, sou um pequeno empresário. Recebi pelo correio eletrônico uma informação inusitada. É claro, ela veio espontaneamente. Simplesmente pegaram meu nome / e-mail em algum cadastro de mala direta ou de algum provedor. GRAÇAS A DEUS POR ISSO. Li atentamente. Pensei porque não tentar. Pior do que estava não poderia ficar. Segui as instruções corretamente, com honestidade, obediência e integridade. Acreditem em pouco tempo consegui pagar minhas dívidas.
    Lembre-se: O seu investimento: Somente R$ 12,00 (doze reais).
    Por favor, siga estas diretrizes exatamente como descritas.
    Aqui estão os passos fáceis para o sucesso:
    1º Passo – Envie R$ 2,00 (dois reais) para cada um da lista abaixo. Coloque num envelope e deposite no caixa eletrônico (deposito por envelope), ou se preferir transfira na conta bancária diretamente.
    1º) A (Banco Bradesco) Agencia; 3860-0 - Cta. Poupança: 2403531-1
    2º) JT (Banco do Brasil) Agencia: 0959-2 - Cta Corrente: 12490-3
    3º) LM (Banco Bradesco) Agência: 3477-0 - Cta Corrente: 0006562-5
    4º) RAL (Banco do Bradesco) Agência: 2606-9 - Cta Corrente: 0017655-9
    5º) LBMF (Caixa Econômica) Agência: 0219 - operação 013 - Cta Poupança: 5760-9
    6º) VF (Banco Bradesco) Agência: 3285-9 - Cta Corrente: 0082758-4
    2º Passo – Elaborar uma nova lista de participantes: Tire o nome do 1º participante da lista e eleve uma posição acima o 2º vai para 1º, o 3º vai para 2º, assim sucessivamente e coloque seu nome, seu banco, sua agência e conta corrente ou poupança no 6º da lista.
    Lembre-se retira o 1º nome e não o último.
    OBS. Não mude a seqüência dos nomes. Assim todos os participantes terão chances. Não tente colocar em lugar diferente, pois não funcionará.
    3º Passo – Mude o que você quiser, mas tente manter sua mensagem o mais parecida possível com essa, ou poste essa mesma. Poste seu artigo modificado para pelo menos 200 fóruns ou newgroups diferentes. A UOL diz em sua homepage que existe mais de 20.000 newgroups, informe-se lá na parte de fórum. Você pode usar também os fóruns do Google, Ubbi, Hotmail, Terra, Cadê, Brturbo, Uol, etc. Lembre-se as suas postagens em fóruns são mais visitadas no mesmo dia por milhares de pessoas o que dizer que você pode postar várias vezes em um mesmo fórum em dias diferentes, divulgue em uma homepage: QUANTO MAIS VOCÊ POSTAR / ENVIAR EMAIL MAIS CHANCES TERÁ.
    VAI DEPENDER ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE DE VOCÊ
    Para você copiar esta mensagem:
    Selecione o Texto (Ctrl T) e após selecionar, copiar o texto (Ctrl C). Abra o Word ou bloco de notas ou wordpad e colocar o texto (Ctrl V) altere os dados na relação de depósitos (tirando o 1º da lista e subindo os de baixo e colocando o seu NOME, BANCO, AGÊNCIA E CONTA na 6ª posição). Para finalizar salve este arquivo. Para colocar o texto deste arquivo no FORUM E NEWGROUPS é só copiar (Ctrl C) e colar (Ctrl V) na mensagem a ser enviada para os FORUM e NEWGROUPS.
    Agora você pode se perguntar de onde e que sai o dinheiro que receberei? Pois bem, entenda o seguinte, milhares de pessoas estão plugadas diariamente na Internet e receberá direta ou indiretamente esta mesma proposta. Elas desejarão como você ganhar dinheiro.
    Acredite funciona mesmo. É só você investir R$ 12,00 e seguir rigorosamente as instruções.
    Ao depositar os Dois Reais (R$ 2,00) na conta de cada um você estará abrindo a energia (de dar e receber) Ajuda Mútua.
    É Doando que se Recebe
    1
    Marcondes Marrom 16/05/2010
    foi realizado anteriormente
    1
    Marcondes Marrom 16/05/2010
    muito bom o artigo do professor Enyo. Serviu de auxilio para outros artigos, assim como, emprego dessas ferramentas para as academias.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast