Relação Entre Chefe E Empregado

Publicado em: 20/10/2009 |Comentário: 1 | Acessos: 8,475 |

O funcionário popularmente conhecido como "puxa-saco" e o patrão autoritário. Dois clichês que perduram com o passar dos anos nas corporações. Mas será que eles ainda realmente existem? A concepção da relação entre o chefe e empregado vem se alterando no universo corporativo e os profissionais e empresas devem se enquadrar a essa nova realidade, formada pela colaboração entre as partes, comunicação clara e trabalho em equipe.

Qualquer excesso na convivência entre superior e subordinado poderá ser entendido como bajulação. Portanto, a educação e a etiqueta profissional devem prevalecer na interação. "O profissional subordinado deve respeitar seu superior, mas não deve se submeter quando encontrar uma melhor solução. Deve, respeitosamente, apresentar sua opinião e esperar a devolução do seu superior", afirma Fátima Sanchez, gerente de desenvolvimento de pessoal da Personal Service, empresa especializada em Facilities Management e Soluções em Gestão de Recursos Humanos. "O puxa-saco é um bajulador em potencial e é tão presente que até tem dia de comemoração, dia 13 de setembro", completa.

É completamente possível interagir com o chefe sem ser visto como puxa-saco. Isso ocorre a partir do momento em que se coloca a marca pessoal nos trabalhos realizados, conquistando resultados concretos e significativos. É importante um diálogo aberto, levando em contas as opiniões transmitidas e compartilhando as suas. Profissionais com boa relação com seus chefes geram resultados positivos, propiciam desenvolvimento, reconhecimento, diretrizes claras e expectativas alinhadas. "Há pesquisas que apontam que um dos principais motivadores de boas performances dos colaboradores de uma empresa é a qualidade de relacionamento com o líder imediato. Não há melhor contexto de trabalho para o desenvolvimento profissional de um colaborador", explica Priscila Azevedo, psicóloga com especialização em orientação profissional e carreira.

Uma comunicação transparente é ferramenta essencial para essa relação. Para muitos, a maior dificuldade é superar a barreira que, supostamente, existe com o empregador. Um diálogo regado de bom senso e postura profissional podem gerar excelentes resultados, melhorando o relacionamento e a confiança. "É preciso um bom grau de conhecimento do outro para entender os motivos da barreira. Uma boa conversa franca e honesta com o chefe pode valer a pena", explica Fátima Sanchez. Para ela, é necessário saber dos pontos fortes e fracos que impactam na relação sem que haja "puxa-saquismo". Às vezes é isso que incomoda na relação com chefe

Não existe regra para quem deve tomar partido para um diálogo mais livre, a fim de criar um canal mais aberto. Dividir sucessos diários e dificuldades podem ajudar a melhorar o desempenho e permite que o superior tenha mais liberdade de dar feedbacks, por exemplo. "O papel do líder é estimular seu funcionário e desenvolvê-lo. Para isso deve conhecê-lo, saber seus objetivos, sonhos e fatores de motivação. Para que isto ocorra, é imprescindível que o líder se comunique com seus liderados", afirma Luciano Amato, Diretor Executivo da Training People, empresa especializada em treinamentos e palestras gerenciais, comportamentais, de segurança do trabalho e diagnóstico da área de atendimento ao cliente.

O interessante é que o líder possa propiciar um ambiente de facilitação para o diálogo, de forma que seus colaboradores sintam-se à vontade para interagir, perguntar, dividir e confiar. "Para o colaborador, o melhor é não se isolar e compartilhar ideias e iniciativas de valor agregado para a equipe ou para o trabalho com seu superior. Já para o líder, aumentará sua credibilidade e força, e os colaboradores não se sentirão acuados ou negativamente pressionados", aponta Priscila Azevedo.

Luciano Amato apontas falhas clássicas de um profissional sem o devido preparo para cargo de liderança:

- não comunicar claramente as metas para área;

- não dar feedback constante;

- não treinar sucessores por questão de insegurança;

- assumir créditos de idéias de liderados perante seus superiores;

- manter-se distante dos liderados sem criar uma política de portas abertas;

- não estimular a criatividade, autonomia e desenvolvimento tornando os liderados dependentes.

"É importante lembrar a importância do papel do líder nos resultados e retenção de talentos, pois segundo pesquisa do Instituto Gallup, mais de dois terços das pessoas se demite dos ‘chefes' e não das empresas", informa o diretor.

Fonte: Empregos Catho Online

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/gestao-de-carreira-artigos/relacao-entre-chefe-e-empregado-1360412.html

    Palavras-chave do artigo:

    empregos

    ,

    deficientes

    ,

    catho online

    Comentar sobre o artigo

    Está previsto em lei que empresas devem contratar pessoas portadoras de deficiência e, por sinal, esta lei vai fazer 18 anos em 24 de julho. Mesmo prestes a completar a maioridade, empresas ainda encontram muitas dificuldades para cumprirem esta legislação. Por outro lado, os deficientes também esbarram em inúmeros problemas para serem inseridos na sociedade e no mercado de trabalho.

    Por: cathoonlinel Carreira> Gestão de Carreiral 07/10/2009 lAcessos: 261

    (*) Karin Parodi Com tantas ferramentas onlines à disposição e o tempo cada vez mais escasso para interagir com quem as integra, não é difícil ouvir de quem é convidado a participar de mais uma rede social questionamentos sobre a validade de um convite ou outro. O debate é válido e sempre bem-vindo, principalmente em meio a plataformas que tomam tempo e pouco, ou quase nada, entregam ao usuário.

    Por: ana paulaignaciol Carreira> Gestão de Carreiral 28/10/2014

    Escutar é uma habilidade que precisa ser desenvolvida, pois não nascemos com ela. Este teste vai lhe dizer se você tem a habilidade de escutar.

    Por: Ernesto Bergl Carreira> Gestão de Carreiral 27/10/2014

    Está na hora de deixar meu emprego? Você já se fez essa pergunta alguma vez? Caso afirmativo, você não está sozinho. Uma pesquisa da Gallup Organization feita em 2013 revela que nada menos que 79% dos profissionais brasileiros se dizem desmotivados no trabalho.

    Por: Ernesto Bergl Carreira> Gestão de Carreiral 13/10/2014 lAcessos: 14

    Olá Pessoal, como vocês estão? Bom! Para ter sucesso profissional depende de vários fatores essenciais para tal objetivo. Muitos querem o sucesso mas nem todos estão dispostos a pagar o preço. Aquela velha máxima "aqui se planta , aqui se colhe" é tão atual quanto o nosso cotidiano, quanto as nossas vidas. Por isso para ter sucesso não existe nenhum segredo, fórmula mágica ou coisa do tipo. É preciso coragem, acreditar sempre e nunca desistir.

    Por: Eduardo Fonsecal Carreira> Gestão de Carreiral 07/10/2014 lAcessos: 11
    Portais Imobiliarios

    Liderar indica poder e atrair qualquer pessoa. No mundo corporativo, muitos associam liderança a um salário maior, à autonomia e à capacidade de dar ordens. No entanto, comandar uma equipe é um desafio que exige conhecimento e postura. Nenhum líder nasce pronto

    Por: Portais Imobiliariosl Carreira> Gestão de Carreiral 02/10/2014 lAcessos: 11
    Portais Imobiliarios

    Até que ponto vale a pena manter um profissional capacitado e de sucesso porém enquenqueiro e problemático com os demais colegas?

    Por: Portais Imobiliariosl Carreira> Gestão de Carreiral 01/10/2014

    Marketing pessoal é o conjunto de práticas, atitudes e conceitos cujo objetivo é estabelecer uma relação eficaz entre o profissional e o mercado de trabalho.

    Por: Ernesto Bergl Carreira> Gestão de Carreiral 09/09/2014 lAcessos: 23
    Portais Imobiliarios

    O processo de aprendizagem deve ser contínuo na vida de qualquer profissional. Aqueles que param de estudar, acabam ficando para trás no mercado de trabalho.

    Por: Portais Imobiliariosl Carreira> Gestão de Carreiral 08/09/2014 lAcessos: 12

    Desde 2001, o Datafolha realiza anualmente a pesquisa Top of Mind, que revela quais são as marcas mais lembradas pela população brasileira. Para a edição de 2009, o instituto de pesquisa, pertencente ao Grupo Folha, entrevistou 5.667 brasileiros com idade a partir de 16 anos e de diferentes classes sociais e graus de escolaridade, em 161 municípios.

    Por: cathoonlinel Internetl 04/02/2010 lAcessos: 573

    A motivação é o primeiro passo para o sucesso da organização. Funcionários satisfeitos com seu trabalho e que se sentem respeitados e reconhecidos por aquilo que desenvolvem tornam-se parceiros de negócio, fazem muito além do que as suas obrigações e se preocupam com o andamento da empresa. Todos precisam estar motivados!

    Por: cathoonlinel Internetl 27/01/2010 lAcessos: 452

    m 1997, quando a Internet estava surgindo no Brasil, o recém-formado engenheiro de computação Adriano Arruda foi contratado por Thomas Case, fundador da consultoria de Recursos Humanos brasileira Catho para criar o website da empresa. Voltada a recolocação de executivos no mercado de trabalho, a consultoria havia sido criada em 1977 pelo norte-americano que, ao se mudar para o Brasil a trabalho, acabou sendo demitido.

    Por: cathoonlinel Carreiral 14/01/2010 lAcessos: 377

    No mercado de trabalho, o conhecimento é uma das armas mais poderosas para profissionais de todos os níveis e áreas alcançarem seus objetivos de crescimento, seja conseguir uma promoção, seja conseguir uma nova oportunidade no mercado de trabalho. É cada dia mais comum nos depararmos com altos executivos que voltaram aos bancos escolares em busca de aperfeiçoamento e especialização, assim como profissionais que enfrentam concorridos vestibulares para se arriscarem numa nova profissão.

    Por: cathoonlinel Carreira> Gestão de Carreiral 14/01/2010 lAcessos: 336

    Se a sua idéia é arrumar um emprego pela Internet, a primeira coisa a fazer é deixar o curriculum, pronto, à mão, para preencher as fichas virtuais que vai encontrar nos sites dos headhunters e nas home pages das empresas.

    Por: cathoonlinel Carreiral 14/01/2010 lAcessos: 667

    Uma recente pesquisa realizada pelo Grupo Catho, entre os meses de maio e julho deste ano em todo o Brasil, revelou que o período de desemprego para aqueles que procuram uma recolocação no mercado é 26 dias menor quando essa busca é feita pela Internet. O questionário, composto por 348 perguntas, foi respondido por mais de 31 mil profissionais. A pesquisa mostrou também que, por meio de indicações, os candidatos levam quase sete dias a mais para conseguir uma vaga. Já as contratações em regime

    Por: cathoonlinel Carreiral 14/01/2010 lAcessos: 387

    As empresas estão mais criteriosas na escolha de seus profissionais. Ao anunciar uma vaga de emprego, a empresa busca no candidato muitos fatores...

    Por: cathoonlinel Negócios> Gestãol 30/11/2009 lAcessos: 814

    Mês de dezembro: férias, comemorações e também a melhor e mais adequada época para retomar contatos perdidos durante o ano. Mas como o tempo acaba distanciando as pessoas e tornando a reaproximação, muitas vezes, uma tarefa difícil, conversamos com a consultora de etiqueta corporativa Lícia Egger-Moellwald para dar algumas dicas de como manter essa reaproximação sem ser indelicado ou exagerado demais.

    Por: cathoonlinel Carreiral 25/11/2009 lAcessos: 191

    Comments on this article

    1
    cristiano 05/08/2010
    gostei do artigo e tenho uma dúvida : Um chefe de um setor deve chamar seus subordinados de "meus funcionários", sendo que ele não é o propietário da empresa?
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast