Falando a respeito de previdência privada

13/09/2010 • Por • 126 Acessos

A respeito do tema, admirei-me ao perceber que ainda não explanei nada a respeito da previdência privada - eu estava certo de que já o tinha feito! Desta forma não vamos atrasar e dizer a respeito de o negócio com a amplitude necessária, ok?

Em termos gerais, exato, compensa, porém depende de como alguém ambiciona considerar a previdência privada e de qual modelo de previdência privada você escolhe, bem como talvez já entenda, existe dois tipos: PGBL ( aproveitada por aqueles que são tributados na fonte, similar ao de quem se encontra no modelo de contrato de trabalho CLT e reduz do IRPF) e a VGBL (que também é usada pelo primeiro grupo e trata-se da preferida de quem é profissional liberal, não é obrigado a pagar tributos ou usa a declaração simplificada).

PGBL? VGBL? Do que se trata isso?

Eu, por acaso, não estou no momento no regime de trabalho CLT, o que me obriga a não poder ter um PGBL (que pode ser entendido como Plano Gerador de Benefício Livre). Há uns meses atrás não possuía nenhuma previdência privada, mas decidi que deveria preparar uma aplicação financeira a grande prazo (perceba que não comentei aposentadoria), o que me fez selecionar por ter um VGBL (que quer dizer Vida Gerador de Benefício Livre).

O VGBL não possibilita a dedução do Imposto de renda de pessoa física, porém quando eu for resgatar pagarei imposto de renda somente sobre a rentabilização, e no caso do PGBL há a oportunidade de deduzir do Irpf, entretanto no momento do resgate ocorrerá incidência de Imposto de renda sobre todo o capital principal, não apenas a respeito de os ganhos. Qual é o melhor jeito de criar sua previdência? Varia de acordo com o tempo que manterá o investimento, bem como do objetivo desejado.

Perfil do Autor

Christiano Lima Santos

Christiano é blogger e atualmente está empenhado em mostrar como Anunciar no Google, Criar Blogs e encontrar bons Notebooks e Desktops.