Previdência Privada

07/05/2010 • Por • 458 Acessos

A previdência privada é uma poupança de longo prazo que tem como principal objetivo evitar que a pessoa sofra uma redução drástica de renda  na época de sua aposentadoria, ou como comumente ouvimos falar "uma forma de assegurar um futuro tranquilo e de assegurar o padrão de vida desejado", já que por exemplo: o teto máximo de contribuição da previdência social é de R$ 3416,54 para 2010, sendo assim por mais  que o salário em questão seja maior, poderá somente contribuir até esse limite de valor e se aposentar recebendo o referente ao mesmo.

A maior vantagem da previdência privada é o benefício fiscal, pois ele adia o pagamento do imposto de renda para o momento do resgate da aplicação. Ou seja, enquanto  se acumula capital não se paga imposto, podendo ate mesmo reinvestir a quantia que seria a do imposto, diferentemente do que acontece quando se aplica numa poupança por exemplo, outra característica e que a retirada de dinheiro antes do tempo acordado acarreta uma multa.

Ao aderir a um plano de previdência privada, é preciso definir quanto e quando irá começar a receber a aposentadoria complementar, a partir desta escolha é que deverão ser feitas as  contribuições, podendo elas serem mensais e ate mesmo anuais. As mais comuns, são as contribuições mensais porque é mais fácil programar o valor no orçamento.

As escolhas mais comuns em termo de contribuições, são as de o benefício definido, onde o participante contribui de acordo com o que quer receber, e a contribuição definida onde o participante recebera o correspondente ao que ele contribuiu.

Além da aposentadoria, é possível optar pelo recebimento do benefício por invalidez, pensão para cônjuge e filhos e pecúlio,  a única forma de previdência que não aceita este tipo de beneficio, e a conhecida como aporte único, que envolve somas provenientes de venda de imóveis, herença entre outros.