Dos Direitos do Acionista

Publicado em: 08/12/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 139 |

Dos Direitos do Acionista

Em uma sociedade anônima, a qual tem seu capital aberto, os acionistas de uma empresa ao investirem o seu dinheiro na mesma devem ter alguma garantia, haja vista que para se investir um dinheiro em algo, é necessário garantir o menor risco possível, com as maiores vantagens possível, sendo esse o assunto tratado no artigo 109 da Lei da Sociedade Anônima, como é visto nos seus incisos:

I - Participar dos lucros sociais;

II - Participar do acervo da companhia;

III - Fiscalizar a gestão dos negócios sociais;

IV - Preferência para a susbcrição de valores mobiliários;

V - Direito de retirada.

Entretanto, o direito de retirada não é absoluto, tendo em vista que só possui esse direito aquele que for dissidente, ou seja, de opinião contrária a decisão de uma assembléia por exemplo, tendo ele (o acionista) que usufruir desse direito em um prazo de 30 dias. Mesmo assim, não será feito em qualquer hipótese, apenas em que a própria lei estabelecer, como por exemplo:

Criação de ações preferenciais ou aumento de classe de ações preferenciais existentes, sem guardar proporção com as demais classes de ações preferenciais, salvo se já previstos ou autorizados pelo estatuto; alteração nas preferências, vantagens e condições de resgate ou amortização de uma ou mais classes de ações preferenciais, ou criação de nova classe mais favorecida; fusão da companhia; incorporação em outra; participação em grupo de sociedades; mudança de objeto da companhia; cisão da mesma...

Sendo assim, terá direito ao reembolso, que nada mais será do que o valor patrimonial, salvo se no estatuto for previsto algo diferente.

Por ser um rola não taxativo, o Estatuto ou assembléia não podem excluir ou reduzir tais direitos.

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/legislacao-artigos/dos-direitos-do-acionista-3811151.html

    Palavras-chave do artigo:

    dos direitos do acionista sociedade anonima

    Comentar sobre o artigo

    Sociedade Anônima: Noção histórica e breve visão sobre Ações e a Responsabilidade Civil Conceito, Histórico, A Sociedade Anônima no Brasil, Características, Espécies de Sociedades Anônimas

    Por: Anna Carolina Ubyrantan Bispol Direito> Doutrinal 10/12/2010 lAcessos: 1,807

    A lei 6404/76 surgiu para conceder celeridade ao mecanismo de crescimento corporativo das S.A’s ou sociedades anônimas, regulando minuciosamente as transformações do status quo da companhia, as relações entre os acionistas e a divulgação dos resultados, de maneira transparente e objetiva. Seu escopo era o de incentivar a entrada de empresas familiares, maximizando suas operações, tornado-as mais rentáveis. A lei reconheceu as peculiaridades de cada acionista e estabeleceu seus direitos básicos e

    Por: Renato Zampieri Martinsl Direitol 26/10/2009 lAcessos: 3,409

    O presente artigo aborda o tema dos órgãos da sociedade anônima a partir da análise do levantamento de dados bibliográficos, a abordar a necessidade da organização interna nesta sociedade; conceito, competência, convocação, quórum de instalação, quórum das deliberações e espécies da Assembléia Geral; administração da Companhia; normas comuns ao Conselho de Administração e à Diretoria; Conselho de Administração; Diretoria; Composição, funcionamento, requisitos, impedimentos, remuneração, competên

    Por: Bianca Guimarãesl Direito> Doutrinal 11/08/2012 lAcessos: 2,925

    RESUMO DAS CARACTEÍSTICAS DAS SOCIEDADES ANÔNIMAS E ALGUMAS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS

    Por: Melina Vieira Morellil Direitol 15/12/2010 lAcessos: 606

    Trata-se de um artigo que aborda a forma de amparo legal da sociedade anonima, distinguindo-a das demais sociedades empresárias e destacando-a no sentido do aumento da sua demanda em razão das suas especificidades. O artigo traz à baila uma forma alternativa de normatização positivada pela Lei que é o acordo dos acionistas e neste diapasão também destaca a peculiaridade desta sociedade em relaçaõ às demais espécies de sociedades empresárias.

    Por: marcia danielle ribeiro diasl Direito> Legislaçãol 14/12/2010 lAcessos: 393
    Bruno Oliveira

    O presente artigo visa abordar, brevemente, a discussão acerca de temas ligados à Sociedade Anônima, que embora em menor número em relação a Sociedade Limitada, é tão ou mais importante do que a Sociedade Limitada, uma vez que possui fundamental papel no mercado financeiro atual.

    Por: Bruno Oliveiral Direitol 21/11/2010 lAcessos: 2,373 lComentário: 1

    As sociedades anônimas ou companhias como podem ser chamadas são reguladas pela Lei nº 6.404,de 15 de dezembro de 1976 – Lei das S.A. Sua natureza jurídica, constitui pessoa jurídica de direito privado, nos termos do art. 16, II, do Código Civil de 2005, mesmo que constituída com capitais públicos, em todo ou em parte (Sociedades de Economia Mista), e qualquer que seja o seu objeto, ela será sempre mercantil e se regerá pelas leis do comércio.

    Por: Clelia Maria Bortoletto Nunesl Direitol 18/11/2010 lAcessos: 713
    Robson Zanetti

    Tem-se constatado com muita freqüência a confusão feita com relação a aplicação supletiva da Lei das Sociedades Anônimas à sociedade limitada, segundo o novo Código Civil. A confusão reside no fato em se tomar como sinônimos os termos da aplicação "supletiva" com aplicação "subsidiária" da Lei das Sociedades Anônimas à sociedade limitada. Desta forma, nos propomos a resolver essa questão nesse artigo.

    Por: Robson Zanettil Direitol 07/05/2010 lAcessos: 724

    O trabalho busca Relatar as mudanças ocorridas com a publicação da lei 11.638 de 28 de Dezembro de 2007 cuja finalidade maior era possibilitar a eliminação de algumas barreiras regulatórias que impediam a inserção total das companhias abertas no processo de convergências contábil internacional, além de aumentar o grau de transparência das demonstrações financeiras em geral, inclusive em relação às chamadas sociedades de grande porte não constituídas sob a forma de sociedade por ações.

    Por: Daniel Mendes da Silval Negócios> Administraçãol 20/06/2012 lAcessos: 302

    As normas processuais a respeito da conexão, da continência e da litispendência destinam-se, em primeiro lugar, a evitar o conflito de julgados. A esse respeito, afirma Gomes Júnior (2005) que conexão e a continência, que se caracterizam por serem formas de modificação ou prorrogação legal de competência (pois advêm da lei), evitam que o conflito lógico de julgados possa levar a uma difamação ou descrença no Poder Judiciário.

    Por: Fabiana Zanonl Direito> Legislaçãol 28/11/2014

    O presente trabalho tem como finalidade analisar a consonância do mecanismo da carona no Sistema de Registro de Preços com os princípios constitucionais norteadores da atuação da Administração Pública e com os princípios regentes da licitação contidos na Lei nº 8.666 de 1993. Apresentar-se-á o mecanismo coloquialmente conhecido na doutrina como carona, instituído pela regulamentação do SRP, percorrendo alguns conceitos e definições acerca do instituto, dispondo uma análise apurada do mecanismo.

    Por: DANTE CRISTINOl Direito> Legislaçãol 26/11/2014 lAcessos: 14

    ). Idealizado para viabilizar um maior grau de segurança dentro dos estabelecimentos prisionais, além de coibir a consecução da prática criminosa por indivíduos condenados que já cumpram pena em regime fechado ou que estejam presos cautelarmente, o chamado RDD diverge opiniões, sendo considerado uma afronta a diversos princípios constitucionais regentes do Direito Penal e Processual Penal pátrio por seus opositores. De outra banda, temos os que defendem o referido regime de disciplina carcerária

    Por: Raquel Guerral Direito> Legislaçãol 26/11/2014

    A adoção por homoafetos é um tema que trás muitas discussões na sociedade brasileira. O setor mais conservador e religioso da sociedade é avesso a essa possibilidade por parte de casais de homossexuais, justificando sua resposta com um embasamento religioso. O fato é que no Brasil ainda não existe uma lei que regule esse ato por parte desses casais.

    Por: Bruno Souzal Direito> Legislaçãol 26/11/2014
    Marina Ferreira Pacanhella

    O presente artigo vem tratar sobre o Ativismo Judicial, sendo um produto da Morosidade do Legislativo, que por motivos intrínsecos a própria atividade politica limita a produção eficaz de leis quanto a matérias controversas, que deixam situações desprotegidas. Neste cenário se encontra o Poder Judiciário que por meio das grandes demanda intentadas pela população que clamam seu direitos ainda não normatizados, não sendo possível a omisso do magistrado ao caso concreto dá-se o ativismo judicial.

    Por: Marina Ferreira Pacanhellal Direito> Legislaçãol 25/11/2014

    Artigo 306 "dirigir sob a influência de álcool ou substância análoga" Conceitua a legislação, extravagante, lei 9503/97, no seu artigo, 1º " O trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres do território nacional, aberta à circulação pública rege-se por este código." Estabelece o artigo 306 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro) que "dirigir veículo automotor sob a influência de álcool ou qualquer outra substância que cause dependência".

    Por: eugenioluiz de paulal Direito> Legislaçãol 25/11/2014

    A presente pesquisa discorre sobre os impactos negativos causados pelo cyberbullying, especialmente o sofrimento imposto às suas vítimas, que cada vez mais são atingidas por atos acobertados pelo anonimato da internet, principalmente das redes sociais. Essas situações humilhantes, causados pelo cyberbullying, afetam de forma significativa as vítimas, tanto que muitas acabam se isolando do mundo exterior, ficando doentes, levando algumas ao extremo de atentarem contra a própria vida. Assim, no de

    Por: Edinamar Aparecida I. da Costal Direito> Legislaçãol 25/11/2014

    A presente pesquisa discorre sobre os impactos negativos causados pelo cyberbullying, especialmente o sofrimento imposto às suas vítimas, que cada vez mais são atingidas por atos acobertados pelo anonimato da internet, principalmente das redes sociais. Essas situações humilhantes, causados pelo cyberbullying, afetam de forma significativa as vítimas, tanto que muitas acabam se isolando do mundo exterior, ficando doentes, levando algumas ao extremo de atentarem contra a própria vida. Assim, no de

    Por: Edinamar Aparecida I. da Costal Direito> Legislaçãol 25/11/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast