O casamento para pessoas de baixa renda é gratuito

Publicado em: 11/01/2012 |Comentário: 0 | Acessos: 1,706 |

O casamento civil para casais de baixa renda é totalmente gratuito. Apesar de pouco divulgado, esse direito é assegurado por nosso atual Código Civil, o qual confere essa prerrogativa a quem não possui condições financeiras. No Brasil o matrimônio é o ato mais solene praticado pelo ser humano, o qual consiste na união entre duas pessoas que perdurará por toda vida, onde são feitas promessas e acordos recíprocos de fidelidade e amor, estabelecendo uma comunhão de vida e de interesses.

Este ato nupcial é muito comum em nossa sociedade, porém existem casais que não efetivam o casamento, vindo a morar com seus parceiros em regime de união estável, muitas vezes não porque acham melhor, mas porque não possuem condições para custear as despesas com o cartório.

No entanto, deve ser dito que muitos casais que não oficializam este ato formal, não têm o conhecimento de que a lei brasileira resguarda a possibilidade de se unirem matrimonialmente de forma gratuita.

Para ter direito a este benefício, basta que o casal se dirija a um Cartório de Registro Civil e preencha uma declaração de baixa renda. É um procedimento simples e que qualquer pessoa que declare não possuir condições para custear o casamento, pode ser beneficiada com tal gratuidade.

Deve ser ressaltado que a "habilitação para o casamento, o registro e a primeira certidão serão isentos de selos, emolumentos e custas, para as pessoas cuja pobreza for declarada, sob as penas da lei" (art. 1512, parágrafo único do Código). Os casais de baixa renda, somente terão que pagar o Juiz de paz cujo valor gira em torno de R$ 27,00 (vinte sete reais).

Contudo, cabe advertir aos casais que pretendem se valer do benefício da gratuidade do casamento, que a emissão de declaração falsa incidirá em crime de falsidade, devendo ser preenchida somente se não tiver a real condição de arcar com os custos do cartório.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/legislacao-artigos/o-casamento-para-pessoas-de-baixa-renda-e-gratuito-5563372.html

    Palavras-chave do artigo:

    casamento e gratuito e baixa renda

    Comentar sobre o artigo

    Estudo sobre o instituto da Barriga de Aluguel como prática frequente em vários países com o objetivo de averiguar como o direito brasileiro e o direito comparado solucionam os conflitos decorrentes dessa prática, bem como demonstrar algumas questões éticas que surgem nos conflitos dela decorrentes, principalmente quanto ao aspecto oneroso que, por muitas vezes, está presente nesse tipo de relação. Busca entender, ainda, o papel da bioética e do biodireito nesses conflitos.

    Por: Marília Oliveira Martinsl Direitol 17/09/2014 lAcessos: 123
    ANTONIO GILSON DE OLIVEIRA

    SAIBA DE ONDE VEIO A IDÉIA DE BAIXAR JUROS, IMPOSTOS, PRIVILEGIAR A CLASSE BAIXA RENDA E MICROEMPREENDEDORES A CRISE FINANCEIRA JÁ ERA CONHECIDA EM OUTURBRO DE 2007 O SUBPRIME JÁ ESTAVA NA PAUTA DE BUSCH. QUE ESTAVA PROTELANDO PARA NAO COMPROMETER A CORTE AMERICA

    Por: ANTONIO GILSON DE OLIVEIRAl Notícias & Sociedade> Polítical 08/01/2010 lAcessos: 126

    Na usucapião especial urbana , encontram-se os requisitos gerais como posse ininterrupta, pacífica e com animus domini. O prazo para usucapir é de 5 anos. O requisito da moradia é obrigatório para que os efeitos da usucapião urbana sejam caracterizados na prática, esta modalidade de usucapião também é conhecida como constitucional urbana. Na modalidade individual, o tamanho máximo do imóvel para ser usucapido é de 250 m²; já na modalidade coletiva, os imóveis deverão ser maiores do que 250 m².

    Por: Klency de Araujol Direito> Legislaçãol 05/06/2014 lAcessos: 19

    A usucapião familiar surgiu em 2011. Através dela, o cônjuge ou o companheiro, que deixa o imóvel da família, perde a sua fração em relação à propriedade do bem. O prazo é de apenas dois anos. A usucapião familiar não será concedida aos imóveis com tamanho superior a 250 m². As famílias que possuem outro imóvel urbano ou rural também não poderão obter a propriedade através dessa modalidade. O indivíduo só obterá a propriedade uma vez através da usucapião familiar.

    Por: Klency de Araujol Direito> Legislaçãol 05/06/2014 lAcessos: 22
    edivaldo coelho da silva

    O técnico de segurança do trabalho frente a assistência em processos de insalubridade e periculosidade

    Por: edivaldo coelho da silval Direito> Legislaçãol 18/12/2014

    As normas processuais a respeito da conexão, da continência e da litispendência destinam-se, em primeiro lugar, a evitar o conflito de julgados. A esse respeito, afirma Gomes Júnior (2005) que conexão e a continência, que se caracterizam por serem formas de modificação ou prorrogação legal de competência (pois advêm da lei), evitam que o conflito lógico de julgados possa levar a uma difamação ou descrença no Poder Judiciário.

    Por: Fabiana Zanonl Direito> Legislaçãol 28/11/2014

    O presente trabalho tem como finalidade analisar a consonância do mecanismo da carona no Sistema de Registro de Preços com os princípios constitucionais norteadores da atuação da Administração Pública e com os princípios regentes da licitação contidos na Lei nº 8.666 de 1993. Apresentar-se-á o mecanismo coloquialmente conhecido na doutrina como carona, instituído pela regulamentação do SRP, percorrendo alguns conceitos e definições acerca do instituto, dispondo uma análise apurada do mecanismo.

    Por: DANTE CRISTINOl Direito> Legislaçãol 26/11/2014 lAcessos: 17

    ). Idealizado para viabilizar um maior grau de segurança dentro dos estabelecimentos prisionais, além de coibir a consecução da prática criminosa por indivíduos condenados que já cumpram pena em regime fechado ou que estejam presos cautelarmente, o chamado RDD diverge opiniões, sendo considerado uma afronta a diversos princípios constitucionais regentes do Direito Penal e Processual Penal pátrio por seus opositores. De outra banda, temos os que defendem o referido regime de disciplina carcerária

    Por: Raquel Guerral Direito> Legislaçãol 26/11/2014

    A adoção por homoafetos é um tema que trás muitas discussões na sociedade brasileira. O setor mais conservador e religioso da sociedade é avesso a essa possibilidade por parte de casais de homossexuais, justificando sua resposta com um embasamento religioso. O fato é que no Brasil ainda não existe uma lei que regule esse ato por parte desses casais.

    Por: Bruno Souzal Direito> Legislaçãol 26/11/2014
    Marina Ferreira Pacanhella

    O presente artigo vem tratar sobre o Ativismo Judicial, sendo um produto da Morosidade do Legislativo, que por motivos intrínsecos a própria atividade politica limita a produção eficaz de leis quanto a matérias controversas, que deixam situações desprotegidas. Neste cenário se encontra o Poder Judiciário que por meio das grandes demanda intentadas pela população que clamam seu direitos ainda não normatizados, não sendo possível a omisso do magistrado ao caso concreto dá-se o ativismo judicial.

    Por: Marina Ferreira Pacanhellal Direito> Legislaçãol 25/11/2014

    Artigo 306 "dirigir sob a influência de álcool ou substância análoga" Conceitua a legislação, extravagante, lei 9503/97, no seu artigo, 1º " O trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres do território nacional, aberta à circulação pública rege-se por este código." Estabelece o artigo 306 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro) que "dirigir veículo automotor sob a influência de álcool ou qualquer outra substância que cause dependência".

    Por: eugenioluiz de paulal Direito> Legislaçãol 25/11/2014

    A presente pesquisa discorre sobre os impactos negativos causados pelo cyberbullying, especialmente o sofrimento imposto às suas vítimas, que cada vez mais são atingidas por atos acobertados pelo anonimato da internet, principalmente das redes sociais. Essas situações humilhantes, causados pelo cyberbullying, afetam de forma significativa as vítimas, tanto que muitas acabam se isolando do mundo exterior, ficando doentes, levando algumas ao extremo de atentarem contra a própria vida. Assim, no de

    Por: Edinamar Aparecida I. da Costal Direito> Legislaçãol 25/11/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast