O Trabalhador Rural X Previdencia Social

Publicado em: 23/08/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 34,390 |

O TRABALHADOR RURAL x  PREVIDENCIA SOCIAL.

 

     

 

O art. 51 da Instrução Normativa/INSS/DC nº 96 de 23/10/2003, dispõe:

 

Art. 51. O trabalhador rural(empregado, contribuinte individual ou segurado especial), enquadrado como segurado obrigatório do RGPS, pode requerer aposentadoria por idade, no valor de um salário mínimo, desde que comprove o efetivo exercício da atividade rural, ainda que de forma descontínua, em número de meses igual á carência exigida.

 

 

                                   A aposentadoria de acordo com  o art. 51 do Regulamento da Previdência Social “ a aposentadoria por idade, uma vez cumprida a carência exigida, será devida ao segurado que completar”:

 

65 (sessenta e cinco) anos de idade, se homem, ou 60(sessenta) anos de idade se mulher,

reduzidos esses limites para

60 anos para homem e

55 anos para mulher

 

Esta redução se dá se os requerente for trabalhadores rurais, respectivamente, homem e mulheres, bem como para os segurados garimpeiros que trabalhem, comprovadamente, em regime de economia familiar.

 

                                   Prescreve o parágrafo único do art. 51 do RPS:

 

                                   “Parágrafo Único: a comprovação do efetivo exercício de atividade rural será feita em relação aos meses imediatamente anteriores ao requerimento do beneficio, mesmo que de forma descontinua, durante período igual ao da carência exigida para a concessão do beneficio, observado o disposto no art. 182”.

 

Os documentos apresentados em nome de terceiros, sobretudo quando dos pais ou cônjuge, consubstanciam início de prova material do labor rural. Se o §1º do art. 11 da lei de Benefícios define como sendo regime de economia familiar aquele em que membros da família exercem” em condições de mútua dependência e colaboração”, é certo que os atos negociais da entidade respectiva, via de regra, serão formalizado não de forma individual, mas em nome do pater familiae, que é quem representa o grupo familiar perante terceiros, função esta exercida, normalmente, pelo genitor ou cônjuge masculino.

 

                          Ocorre que ao requerer o pedido de Aposentadoria por idade( rural) junto a Previdência Social,  o instituto  dificulta o Maximo  solicita inúmeros documentos onde o trabalhador rural não tem condições de apresentar.

 

                          As provas que o trabalhador rural possui ao requerer seu pedido de Aposentadoria são: certidão de casamento onde consta a profissão de lavrador, testemunhas comprovando que exerce a atividade rural, quando o requerente é solteiro pode provar através do certificado de reservista ,certidão eleitoral onde consta a profissão de lavrador , também serve como prova a certidão de casamento dos pais, por último mencionamos a prova via sindicato dos trabalhadores rurais , este por fim deveria auxiliar o trabalhador rural , mas ocorre que há sindicatos rurais que dificulta o máximo para expedir a declaração de atividade rural.

 

          Constata-se que vários Sindicatos dos Trabalhadores rurais não vem defendendo a classe dos trabalhadores, visto que, a hora em que o trabalhador mais necessita do apoio dos Sindicatos, este apoio não é obtido.

 

 O INSS exige dos trabalhadores rurais ao  completarem a idade para se aposentar como trabalhador rural ou como bóia-fria, uma declaração comprovando a atividade, mas o sindicato dificulta o máximo possível , sendo que o trabalhador rural acaba desistindo de solicitar aposentadoria via sindicato  mesmo tendo contribuindo com as mensalidades obrigatórias. Não restando outra alternativa ao trabalhador, este socorre  ao judiciário para obter a aposentadoria.

Quando o trabalhador rural não  consegue o beneficio via Previdência Social este opta pela Justiça a tramitação segue 1ª instância até a última instância junto ao TRF na maioria das vezes o processo fica na fila para julgamento, mesmo tendo a preferência nos julgamentos conforme a Lei nº. 10.173, de 09 de Janeiro de 2001, instituiu o direito dos litigantes idosos a uma preferência de tramitação a ser observada nos procedimentos em que figure pessoa de idade igual ou superior a sessenta e cinco anos como parte ou interveniente ( arts). 1.211-A, 1.211-B, 1.211-C ( Estatuto do idoso), reduziu para sessenta anos ( art. 71, caput). A nova regra beneficia, pois tanto o autor como o réu e, ainda, o terceiro interveniente. Uma vez requerido o favor legal do idoso, mediante petição acompanhada da prova de idade, caberá ao juiz ordenar ao cartório as providências tendentes a fazer com que o andamento do feito tenha preferência sobre os demais (art. 1.211-B)

A razão do tratamento especial é intuitiva: o litigante idoso não tem perspectiva de vida para aguardar à lenta e demorada resposta jurisdicional e, por isso, merece um tratamento processual, mas célere, a fim de poder, com efetividade, se prevalecer da tutela jurisdicional.

Como bem sabemos a lei foi criada para beneficiar os idosos perante a justiça, mas ocorre que na pratica não é aplicada à lei, basta verificar junto ao Tribunal de Justiça de 1ª instância e Tribunal Regional Federal, Tribunal este que revisa a maioria dos casos de pedido de Aposentadoria por idade, existe processo em que estão a mais de 03 anos com o relator sem perspectiva de julgamento, mesmo que o autor solicite preferência no julgamento o processo continua dormindo sem um desfecho.

Constata de que a lei 10.173 que veio para beneficiar os idosos não esta sendo levado a sério, pois os processos estão dormindo aguardando julgamento, enquanto isso aos idosos só resta à esperança de que a esperada aposentadoria possa ser concedida ainda em vida.

Não bastasse a dificuldade junto a Previdência social que dificulta  a obtenção da aposentadoria por idade rural, não tendo   outra alternativa para o trabalhador rural   requer  o beneficio via judiciário , mas ai encontramos outro fator que vai em favor da autarquia  e contra o trabalhador rural,  com a  idade avançada  a demora é tanta para julgar o processo que muita das vezes o requerente vem a falecer sem ver a tão sonhada aposentadoria.

 

                            O Judiciário deveria priorizar os pedido de aposentadoria na forma de mutirão para respeitar os direitos dos idosos que estão a espera da sonhada aposentadoria , visto que estes idosos merecem um tratamento com mais dignidade.

 

                            Sérgio Francisco Furquim

                            Presidente 56ª Subseção OAB/MG

 

 

Avaliar artigo
5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 5 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/legislacao-artigos/o-trabalhador-rural-x-previdencia-social-533844.html

    Palavras-chave do artigo:

    o trabalhador rural

    Comentar sobre o artigo

    Trabalhador rural: é uma pessoa física que trabalha em propriedades rurais, prestando serviço em caráter não eventual ao empregador.

    Por: costanzel Direitol 09/09/2011 lAcessos: 179

    O objeto de nosso estudo pertence ao âmbito do Direito do Trabalho, e esta relacionado aos períodos de descanso que são encontrados durante a jornada de trabalho. No presente trabalho, abordaremos os principais aspectos do intervalo para descanso e refeição dos trabalhadores urbanos, realizando um enfoque especial ao intervalo dos trabalhadores rurais, conforme sua legislação especifica. O cerne da questão do presente estudo consiste em buscar qual a legislação aplicável aos trabalhadores rurais, uma vez que a Lei 5.889 de 1973 estabelece que o intervalo deve ser de acordo com os usos e costumes da região, sem fixar o período, e em contrapartida, o artigo 71 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, reza que o intervalo mínimo é de uma hora, para uma jornada superior a seis horas de trabalho.

    Por: André Luiz Vetarischil Direitol 19/09/2009 lAcessos: 2,488

    Trazer as definições mais genérica de segurado do Regime Geral da Previdência Social, trazendo conceitos mais amplos, que estão relacionados às categorias de segurado de uma forma em geral. Posteriormente, analisar o segurado especial e as características importantes que o tornam diferente das outras espécies de segurados obrigatórios, dando um enfoque ao trabalhador rural.

    Por: Rafael Gomes Alvesl Direito> Doutrinal 04/06/2014 lAcessos: 25
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    O Sindicato dos Trabalhadores Rurais tem o papel de representar e defender os direitos do trabalhador e da trabalhadora rural, e para que ele seja forte e continue na luta em defesa dos direitos trabalhistas, no combate do trabalho infantil e escravo, da Previdência Rural, da Educação e Saúde para o campo, da Reforma Agrária e do Fortalecimento da Agricultura familiar, é preciso que o trabalhador e a trabalhadora rural associem-se e participem do seu sindicato, pagando em dia suas contribuições

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Direito> Doutrinal 26/10/2010 lAcessos: 1,652

    O artigo aborda as aposentadorias de uma classe de trabalhadores bastante sofrida, que é dos trabalhadores rurais.

    Por: João Paulo Teixeiral Finanças> Créditol 11/12/2013 lAcessos: 18

    O Dia do Trabalhador Este dia é especialmente importante, porque é nessa data que lembramos o esforço humano para modificar a natureza e explorá-la para o progresso da humanidade.

    Por: Marta Nunes e Sirleide Carvalhol Educaçãol 30/11/2013 lAcessos: 28

    A tarde de 5ª feira, dia 29 de outubro de 2009, marcou a história recente da política do Rio Grande do Sul. Neste dia, a sede da Federação Anarquista Gaúcha (FAG) em Porto Alegre foi alvo de uma batida policial civil, que devidamente munida de mandado de Justiça (estadual, por suposto), partira em diligência para este endereço. O motivo, uma entrada de queixa crime por calúnia, injúria e difamação de parte da própria governadora de estado, a economista Yeda Rorato Crusius (PSDB), que entrara como pessoa física.

    Por: Lisandra Arezil Notícias & Sociedade> Polítical 09/11/2009 lAcessos: 113
    Mario Fernando Calheiros Barbosa de Souza

    Se entendermos as massas como a única força capaz de findar a hegemonia do capital, entenderemos a necessidade de conter sua participação nas tomadas de decisões do país. Para barrar a acessão das massas a elite cria um mito que serve a seus interesses até hoje. Nesse mito, as massas no Brasil são inertes, e não reagem à opressão que lhes é imposta, ele gera uma doutrina que reza pelo distanciamento do povo dos movimentos políticos do país.

    Por: Mario Fernando Calheiros Barbosa de Souzal Educação> Ensino Superiorl 27/08/2009 lAcessos: 955

    O Salário-Família, teve o seu inicio em nosso país na década de 1930, com a Lei nº 185 de janeiro de 1936, e ainda pelo Decreto Lei nº 399 de abril de 1938, e também através de inúmeras outras leis, que se fizeram necessárias para a regulamentação do respectivo benefício.

    Por: costanzel Notícias & Sociedadel 09/09/2011 lAcessos: 63

    A aposentadoria das pessoas com deficiência, constatou-se que a legislação em relação às pessoas com deficiência vem sofrendo constantes alterações e adequações necessárias, e que a consciência das pessoas com relação à deficiência gradativamente vai se modificando, de modo que se verifica como é possível o tratamento igual entre os seres humanos, evitando-se qualquer discriminação. Outrossim, são avaliados os graus de deficiência previstos em lei, a sabe

    Por: Edson Leandro da Silval Direito> Legislaçãol 27/10/2014

    Examina-se os Regimes Previdenciários em vigor no Brasil, bem assim, analisa-se as aposentadorias no Regime Geral de Previdência Social.

    Por: Edson Leandro da Silval Direito> Legislaçãol 27/10/2014

    Trabalham-se os conceitos de pessoa com deficiência e de habilitação e reabilitação da pessoa com deficiência. Após, aborda-se a evolução histórica natural e legislativa de proteção à pessoa com deficiência.

    Por: Edson Leandro da Silval Direito> Legislaçãol 26/10/2014

    O bem de família ocupa posição importante no Direito Privado Contemporâneo. O instituto recebe, no ordenamento jurídico brasileiro, duplo tratamento legal, tanto na Lei 8.009/1990 quanto no Código Civil de 2002 (Lei nº 10.406/2002).

    Por: João Alós Müllerl Direito> Legislaçãol 25/10/2014

    Abordo neste artigo como ocorre o processo de execução; quais os requisitos mínimos exigidos para se formar um título executivo, assim como as formas de fraude existentes em nosso ordenamento jurídico quando da realização de uma execução

    Por: Arthur Langl Direito> Legislaçãol 23/10/2014

    Definitivamente as cotas universitárias foram um dos assuntos que geraram mais polemica nos últimos anos dentro da vida publica brasileira. Serviram de cabo eleitoral para muitos políticos e querendo, ou não, modificaram o panorama das instituições de ensino público no país.

    Por: Bruno Souzal Direito> Legislaçãol 23/10/2014

    Breve explicação em torno do tema licitações públicas, descrevendo um pouco do seu significado, a legislação utilizada, as modalidades previstas além dos seus tipos.

    Por: Guilhermel Direito> Legislaçãol 21/10/2014

    Durante anos houveram estudos para que fossem criados meios de proteger os homens e mulheres que precisavam de cuidados especiais, principalmente no momento em que chegasse à idade avançada. Estas pessoas durante toda vida trabalharam e buscaram cuidar de seus familiares, e não poderiam nas fases mais avançadas de idade se sentir abandonados e em situação de vida indigna.

    Por: MAIARA NANCI MICHELONl Direito> Legislaçãol 21/10/2014
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    A vida e sua e você que escolhe o caminho que deseja seguir. A vida e uma dádiva de Deus a vida e para ser vivida

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Notícias & Sociedadel 12/10/2014 lAcessos: 14
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    Temos que enfrentar sem medo só assim este excesso de poder por parte destas pessoas que acha que pode tudo vai acabar, mas só vai acabar se nós não acovardarmos e sim enfrentar com determinação sem medo de represália.

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Direito> Doutrinal 21/09/2014 lAcessos: 13
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    O advogado há de se empenhar com todas as suas energias, para reforçar, em nosso país, o conceito da activae civitatis, a cidadania ativa, única maneira de construirmos uma sociedade altaneira, dinâmica, justa, próspera e solidamente comprometida com os ideais da liberdade, da justiça e do Direito.

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Direito> Doutrinal 20/06/2011 lAcessos: 231
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    ATÉ QUANDO TEREMOS QUE CONVIVER COM O PESSIMO ATENDIMENTO POR PARTES DE ALGUNS SERVIDORES PÚBLICOS QUE VÊ O ADVOGADO COMO INTRUSO NA REPARTIÇÃO. OAB DEVE COIBIR ESTES ABUSOS NAS REPARTIÇÕES PÚBLICAS.

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Direito> Doutrinal 20/06/2011 lAcessos: 148
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    Com este aumento nos vencimentos dos Deputados e Senadores, constata que a maioria da população brasileira vem recebendo tratamento desigual, visto que a maioria recebe apenas um salário mínimo de R$ 510,00 enquanto os Deputados e Senadores irão receber-R$ 26.723,13,- 52,39 salários mínimos. A sociedade deve mobilizar para que não aconteça uma INJUSTIÇA SOCIAL

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Direito> Doutrinal 27/12/2010 lAcessos: 135
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    1- Após a realização das eleições Senadores, deputados, vereadores eleitos ao aceitar cargo de confiança licenciando para assumir secretarias ou outras pastas perdem o mandato, visto que estes foram eleitos para cumprir mandatos que lhe foram conferidos seja de Vereador, Deputado ou Senador, e o partido pelo qual foi eleito deve indicar a substituição.

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Direito> Doutrinal 23/11/2010 lAcessos: 118
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    COMBATENDO A PRÁTICA DE ABUSO DE AUTORIDADE CASO VOCÊ: Tenha sido vítima ou conheça alguém que foi vítima de qualquer tipo de violência praticada por AGENTES DO ESTADO , tais como: Espancamentos, torturas, prisão ilegal, invasão de domicílio, homicídios e ameaças. SAIBA QUE:

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Direitol 28/10/2010 lAcessos: 296 lComentário: 1
    SERGIO FRANCISCO FURQUIM

    O Sindicato dos Trabalhadores Rurais tem o papel de representar e defender os direitos do trabalhador e da trabalhadora rural, e para que ele seja forte e continue na luta em defesa dos direitos trabalhistas, no combate do trabalho infantil e escravo, da Previdência Rural, da Educação e Saúde para o campo, da Reforma Agrária e do Fortalecimento da Agricultura familiar, é preciso que o trabalhador e a trabalhadora rural associem-se e participem do seu sindicato, pagando em dia suas contribuições

    Por: SERGIO FRANCISCO FURQUIMl Direito> Doutrinal 26/10/2010 lAcessos: 1,652
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast