A Influência Da Língua Latina Na Atualidade

Publicado em: 15/04/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 3,780 |

RESUMEN

El presente artículo tiene por finalidad presentar una síntesis histórica de la lengua latina, específicamente, su origen, evolución y diferencias entre el latín clásico y vulgar. En el período de la evolución político-social de Roma.los romanos destinados por su suerte y el coraje de sus bases, conquistaron casi todas las regiones de la Península Ibérica, favoreciendo por intermedio de estas conquistas y viajes la expansión del latín.

Palabras clave: Origen del latín. Latín clásico. Latín vulgar.

INTRODUÇÃO

A língua latina teve origem por volta do século VIII a.C. através de línguas arcaicas faladas no Lácio, região da Itália central, onde se encontra a cidade de Roma. Devido ao processo de ampliação territorial romano e o contato com outros povos, o latim se expandiu e se tornou a língua oficial da República de Roma, do Império Romano. Como ocorre em todo idioma, havia a língua gramaticalmente correta, erudita, utilizada pela nobreza e a outra considerada popular, denominada de latim vulgar.

Uma língua presente na maioria da sociedade na época, adotada principalmente pelas classes menos favorecida: artesãos, soldados, comerciantes, etc. Sem muita dificuldade, essa variante do latim tornou-se uma língua extremamente popular, sendo, introduzida nas escolas, comércios, cartórios e outros. A partir dessa língua falada nas ruas pela plebe, originaram as línguas neolatinas, incluindo o português.

O latim é considerado uma língua morta em nosso país, mas a partir de estudos objetivando a orientação dessas situações equivocadas e demonstrando o quanto ainda está presente em nossa vida, prospera-se um grande incentivo aos jovens procurarem um acesso amplo e prazeroso a essa língua extremamente rica em cultura.

A elaboração do presente artigo foi conduzida por meio de pesquisa laboral, leitura e a análise contextual sobre a historicidade e as variantes que contribuíram para o desenvolvimento e o enriquecimento da própria língua latina, mediando o surgimento das demais línguas românicas e a constante influência que perpassa ainda na atualidade.

Dá-se a importância da realização dessa pesquisa para compreender e reconhecer a influência que as duas variantes em análise, provocam na língua atual, destacando suas características e utilidades peculiares, refletindo, no entanto, duas culturas que conviviam lado a lado, permanecendo até hoje na divisão de classes dentro de uma determinada sociedade.

1- AS ORIGENS HISTÓRICAS DO IDIOMA LATINO

A língua latina teve sua origem por volta do século VIII a. C. no Lácio, região da Península Itálica onde mais tarde foi fundada a cidade de Roma.

Segundo teóricos foram encontradas algumas fontes de comprovoção de registros históricos, como antigas escrituras que já possuiam características da língua latina. É claro que bem diferenciada das épocas posteriores.

Com o processo de difusão territorial romano a língua latina se espalhou por vários cantos do mundo, tornando-se a língua oficial, não somente na cidade de Roma, mas, também de outros povos como: os Asiáticos, Celtas, Acádios, Etruscos etc. Através desses contatos a língua latina sofreu alterações, principalmente na oralidade, transformando-se em uma língua extremamente popular.

Atualmente o latim é considerado uma língua extinta da sociedade de nosso país, mas existem passagens que são citadas por  advogados, juízes, médicos e entre outros, demonstrando o quanto ele ainda está presente em nosso cotidiano.

Infelizmente muitos jovens não têm acesso a essa língua tão rica em cultura, e acabam alienados e privados de um conhecimento tão importante que de alguma forma contribuirá na sua formação acadêmica. Como por exemplo, poucos estudantes sabem que as universidades pontifícias de Roma expedem seus diplomas ainda hoje em latim, assim como a igreja católica ainda utiliza a língua latina na produção dos documentos oficiais do Vaticano, onde ainda são traduzidos e distribuídos para a língua oficial de cada país. Até mesmo no Brasil.

2-ORIGEM E CARACTERÍSTICAS DO LATIM CLÁSSICO

Olatim clássico era usado no Império Romano, teve início a partir do segundo período do século II a.C. ao século II d.C. A idade dourada da literatura latina. Período que foram compostas as memoráveis obras que marcaram a prosa e a poesia latina. É considerada a forma culta, imortalizada nos textos de Virgílio, Horácio, Cícero e outros eminentes escritores.

O latim culto falado era a língua utilizada pelas classes altas de Roma, consideravelmente correta, do ponto de vista gramatical. Como língua falada desapareceu entre os séculos V e VI, devido à extensão do território romano e o aparecimento de novas cidades, levando em consideração a vida cultural e social que elas apresentavam. Este período coincidiu com a queda do Império Romano do Ocidente em 476 d.C., século V e as chamadas invasões bárbaras em 568 d.C, na Europa, no séc. VI.

O latim que chamamos de clássico, caracterizava-se por conter uma linguagem artística, buscando o aperfeiçoamento da língua. Através de estudos aprofundados, dando maior ênfase à estética das palavras, formulando enunciados ainda mais organizados e coerentes, valorizando cada vez mais a cultura elitista da sociedade romana. Silva Neto 1946 faz-se refletir com a seguinte frase: "O único e verdadeiro latim, a língua viva e corrente, da qual a cultura romana criou a língua artística."

De acordo com o ponto de vista gramatical, o latim clássico é uma língua irrepreensível. Sendo assim, não dispõe dos "erros" do latim vulgar. O autor latino Cícero distingue claramente a diferença de formalidade no emprego do latim em uma carta que escreveu ao seu amigo Paetus: "Que pareço eu a ti nas cartas? Não pareço tratar contigo na língua do povo... de fato, costumamos tecer as cartas com as palavras do dia a dia". (Ad Fam., IX, 21)

Não se trata de um purismo árido e conservador em relação aos textos clássicos, mas sim de acreditar que somente através do contato habitual que falantes naturais, fizeram dessa língua antiga o que ainda hoje conseguimos conhecer e compreender. A medida cultural, social, política e religiosa do povo romano no período.

3-ORIGEM E CARACTERÍSTICAS DO LATIM VULGAR

Devido ao processo de ampliação do território romano, a língua latina se dispersou invadindo várias regiões do mundo, tornando-se a língua oficial. Com o passar do tempo gradativamente o latim foi sofrendo alterações, transformando-se na língua que denominou-se de latim vulgar.

O latim vulgar é nada mais do que a "mãe" das línguas indo-européias. E ao tentar ser definido causou inúmeras discussões entre os lingüistas, que de uma forma equivocada ao analisá-la, classificou-a como uma invenção, sendo ela a única fonte verdadeira de existência do mesmo, e que a partir das transformações dessa língua surgiram as demais línguas neolatinas.

A língua em questão, essencialmente falada pela grande massa popular menos favorecida e quase que inteiramente analfabeta do Império Romano. Foi propositalmente ignorada pelos gramáticos e escritores romanos na época, pois, era considerada indigna de consideração. Mesmo sabendo que a língua trata-se de um código, mais ou menos ideológica e influenciada não somente pela família, mas, ainda pelo meio social. Como diria Celso Cunha:

"Nenhuma língua permanece a mesma em todo o seu domínio e, ainda num só local, apresenta um sem-número de diferenciações. (...) Mas essas variedades de ordem geográfica, de ordem social e até individual, pois cada um procura utilizar o sistema idiomático da forma que melhor lhe exprime o gosto e o pensamento, não prejudicam a unidade superior da língua, nem a consciência que têm os que a falam diversamente de se servirem de um mesmo instrumento de comunicação, de manifestação e de emoção." (Pág.48)

A passagem do latim clássico para o latim vulgar foi conseqüência natural da língua, acompanhando as suas necessidades reais de comunicação. Como afirma Maurer Jr. (1959:5): "o latim falado pela plebe romana, embora muito de seus característicos se infiltrassem no seio da classe média e até das classes mais altas, sobretudo na época imperial".

A distinção do latim vulgar e do latim clássico era mínima, em relação à criação desgrenhada entre as classes que apesar das inovações, igualavam-se, devido a grande necessidade de expressão do que servia para o uso da vida cotidiana como: sentimentos,objetos, animais, plantas, etc.

Para complementar essa idéia de distinção entre as duas formas da língua latina falada e escrita, reconhecendo o valor devido do latim vulgar como uma necessidade de democratizar a expressividade. Destaca-se o seguinte trecho de Maurer Jr., O problema do latim vulgar, p.69, onde a questão da diferença entre as duas variantes latinas estão bem explicitadas:

É perfeitamente razoável dizer (...) que a língua falada latina apresenta matizes diversos e uma gradação contínua desde a linguagem inculta dos plebeus proletários dos bairros pobres de Roma até o falar elegante das pessoas mais cultas da alta sociedade. Enquanto, porém, nessa forma elegante a língua falada divergia relativamente pouco da língua dos textos literários – pelo menos na época de Cícero -, nas camadas inferiores da sociedade romana e, mais tarde, na população latinizada do Império, esse latim apresentava outro aspecto: admitia inovações revolucionárias (...).

O latim vulgar, considerada uma língua democrática adotada pela população menos prestigiada, possuía uma homogeneidade bastante vasta para que fosse entendido em seu território demasiado.

É na verdade, uma língua popular que existiu em todas as épocas da história latina. Este latim pertencia a uma população que era muito pouco ou nada escolarizada e que, portanto, não poderia ter sido influenciada pelos modelos literários e pela escola. Pode-se Considerá-la como conseqüência da oralidade de uma população heterogênea, que procurava exteriorizar seus valores culturais e sociais de uma forma inovadora e revolucionista, defendendo a realidade de uma determinada classe, que não se menosprezava, apesar da pouca formalidade e credibilidade daqueles que pertenciam à outras classes.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

É de fundamental importância conhecer a origem da língua latina, divulgar e analisar as duas bases fundamentais que se tornaram presentes na historicidade, apesar de pertencerem à mesma língua seguia estruturas distintas, e o mais importante utilizados até hoje. Dessa forma dá-se a necessidade da importância do estudo do latim, que por uma necessidade em face ao desprezo ou quase abandono dos estudos clássicos e filológicos da língua matriz nas instituições de ensino, nos dias atuais. Tendo em vista os estudos dos conhecimentos teóricos acerca da língua latina, que apesar da escassez de documentos, apresenta-se neste, uma reflexão sobre a influência do latim na contemporaneidade.

A partir da pesquisa laboral, pode-se perceber a existência de duas variedades da língua falada e registrada, onde uma possui, características de uma língua erudita, rica gramaticalmente, denominada de latim clássico. E outra pouco favorecida de recursos gramaticais, mas rica em expressividade, que embora tenha se desenvolvido nas camadas populares foi ainda à responsável pela origem das línguas neolatinas.

Contudo pode-se prosperar que através da referente pesquisa o latim tende não mais ser considerada uma língua extinta da sociedade contemporânea e sim, valorizada e reconhecida. Tomando conhecimento de sua influente presença em nosso cotidiano. Enfim, pode-se dizer que esta pesquisa é de extrema importância para a sociedade conhecer e valorizar a gênese da língua-mãe que hoje não deixa de ser uma herança valiosa no que tange os estudos sobre a língua.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FURLAN, Osvaldo Antônio. Ensino da língua e literatura latina e sua derivação portuguesa. Disponível em: http//www.ofurlan.prof.ufsc.br/latim_linguística.html. Acesso em: 15 Mar. 2010.

VIARO, M. E. A importância do latim na atualidade. Disponível em: www.ffch.usp.br/dlcv/lport/pdf/mviaro018.pdf. Acesso em: 08 Mar. 2010.

PERREIRA, J. A importância do latim no desenvolvimento mental somático do conscienciólogo. www.otimização.sites.com/ceaec/conscientia/index.php/conscientia/article/...214. Acesso em: 04 Mar. 2010

MARTINS. M. C. A língua latina: Sua origem variedades e desdobramentos. Disponível em:http//www.filologia.org.br/revista/36/02.htm. Acesso em: 02 Mar. 2010.

WIKIPÉDIA. Latim. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki.latim. Acesso em: 02 Mar. 2010.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/linguas-artigos/a-influencia-da-lingua-latina-na-atualidade-2159637.html

    Palavras-chave do artigo:

    palavras chave origem do latim latim classico latim vulgar

    Comentar sobre o artigo

    Marilene Costa de Oliveira

    RESUMO O presente artigo pretende divulgar a importância no ensino da língua latina para o curso de letras, uma vez que do latim se originou das línguas neolatinas como o português. O latim serve de instrumento para entender as irregularidades e as exceções da gramática portuguesa, assim como compreender melhor o nosso idioma, que contém mistérios importantíssimos. Tudo porque o que se herdou ao longo de vinte e sete séculos de uso do latim escrito não foi pouco.

    Por: Marilene Costa de Oliveiral Educação> Línguasl 13/04/2010 lAcessos: 7,593

    Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância do latim na formação das palavras em pEste artigo tem por objetivo ressaltar a importância do latim na formação das palavras em português; a herança do latim ainda é visível nos vocabulários que usamos no nosso dia-a-dia, sendo que a língua latina nasceu na península Itálica, região na qual mais tarde fundar-se-ia a cidade de Roma (sobre o mito de Remo e Rômulo). Por ocasião de expansão marítima de Roma o latim também espalhou-se de leste

    Por: Shirleyl Educação> Línguasl 05/06/2010 lAcessos: 9,490

    O trabalho a seguir discuti a origem da língua latina, sua importância e evolução. Sendo esta uma língua pertencente ao grupo itálico da grande família das línguas indo-européias. Falado na cidade de Roma e na província do Lácio, no século I a.C. estendeu-se a toda a Itália e seguidamente à parte ocidental da Europa, desde o atual Romênia até Portugal, vindo dar origem às línguas latinas. Foi língua de literatura e língua franca na Europa inteira durante a antiguidade romana e a idade média.

    Por: Neiva Teles da Silval Educação> Línguasl 12/04/2010 lAcessos: 888
    SÔNIA SILVA ALVES

    RESUMO O presente artigo tem como objetivo analisar a sátira na visão de Horácio, bem como mostrar as características e finalidades da mesma, dentro de uma perspectiva histórica e contextualizada com os aspectos culturais e filosóficos lingüísticos da época, dando ênfase ao sentido pitoresco e político que as sátiras exerciam sobre a percepção e apreciação popular, uma forma de provocar e promover uma visão crítica e estereotipada do cotidiano contemporâneo, sintonizada com as concepções polític

    Por: SÔNIA SILVA ALVESl Educação> Línguasl 27/04/2010 lAcessos: 3,174

    O inglês é uma das línguas que possui mais palavras de todos os idiomas. De acordo com a segunda edição do dicionário Oxford English Dictionary, a língua inglesa contém 171 476 palavras atualmente usadas. Apesar do grande número de palavras que possui a língua inglesa, não precisa se desanimar - os linguistas afirmam que para você entender 95% de um texto comum em inglês, precisa conhecer apenas 2500 palavras!

    Por: MariaSl Educação> Línguasl 15/12/2014

    O projeto surgiu da necessidade de encontrarmos uma possível solução para a reutilização de tambores de papelão que seriam descartados no meio ambiente e assim, reduzindo estes materiais e reaproveitando como lixeiras para a nossa escola.

    Por: Sortineide Navarro Segural Educação> Línguasl 04/12/2014

    Este artigo tem o objetivo de enfatizar sobre a importância da linguagem no contexto escolar e também na sociedade, a leitura como princípio de sobrevivência.

    Por: SIMONE BERWIANl Educação> Línguasl 03/12/2014 lAcessos: 11

    Esse artigo estabelece as relações gramaticais com as produções textuais, de que uma depende da outra para ocorrer a comunicação.

    Por: SIMONE BERWIANl Educação> Línguasl 30/11/2014 lAcessos: 11

    Como se sabe, os estudos labovianos procuram explicar uma estreita relação em língua e sociedade por meio de pesquisas sociolinguísticas.

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Apesar de nenhum estudioso da linguagem desconsiderar a existência da variação linguística, foi Willian Labov que conseguiu criar um método que pudesse lidar com a variação, ou com o então chamado caos linguístico de uma forma científica. Esse ponto é claro para Labov, já que para ele "a língua é um conjunto estruturado de normas sociais" (LABOV, 2008, p. 19). Para Tarallo, foi Labov

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Todas as línguas oficiais dos países da Europa ocidental, com exceção do basco, provêm, segundo os linguistas, de uma mesma língua de origem, o indo-europeu, da qual fazem parte, entre outras, as ramificações dos grupos helênico (grego), românico (português, italiano, francês, castelhano, etc.), germânico (inglês, alemão) e céltico (irlandês, gaélico).

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Apesar de a disciplina Sociolinguística existir já há vários anos no curso de Licenciatura Plena em Letras e mesmo nos cursos de Especialização da Universidade do estado de Mato Grosso (UNEMAT), em Alto Araguaia, nos Trabalhos de Conclusão de Curso, ou seja, nas monografias finais, verificam-se poucos trabalhos que versam sobre tal tema.

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast