A Influência Da Música Na Aprendizagem Da Língua Estrangeira Nas Séries Iniciais

Publicado em: 17/02/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 4,294 |

Afora o interesse pessoal e profissional da pesquisadora, o tema se propõe a analisar a influência que a música exerce na aprendizagem de uma segunda língua para as séries iniciais de pré a 4ª série em instituições confessionais de ensino, que levam professores e alunos a se estimularem no ensino nessa faixa etária.

Devido à falta de estímulo dos alunos, não correspondendo através das avaliações interesse em estudar e com o não cumprimento das tarefas programadas, o objetivo de aprendizado não está sendo atingido; ao passo que fazendo uso de canções e música os alunos acabam, por assim dizer, fixando em sua memória o conteúdo estudado.

O objetivo proposto é mudar a metodologia de ensino para que a criança passe a gostar da língua inglesa, não ensinar apenas tradução e sim dentro da música a gramática e a pronúncia.

Infelizmente, as salas de aulas tradicionais permitem pouco espaço para os interesses e necessidades individuais das crianças. A não utilização correta de músicas limita os alunos a utilizarem atividades no livro e caderno que para eles são sem atrativo e repetitivo. Eles precisam realizar as tarefas propostas no mesmo espaço e dentro de um tempo delimitado. É comum ao aluno sentir-se enfadado em executar as atividades, o que os motiva são as músicas.

Dentro do contexto de uma aprendizagem de língua estrangeira, o contato que o aprendiz tem com a língua fica como que restrito à sala de aula e esta nem sempre oferece condições ideais para interação e essas oportunidades são na maioria das vezes, situações artificiais em forma de simulações sujeitas à interferência negativa de fatores sociais e afetivos.

Temos como base fundamental, as teorias sócio-psicológicas e sócio-culturais da linguagem e da mente, que tem em Vygotsky, o teórico de maior expressão, sem deixar de levar em consideração estudos de outros pesquisadores. Uma das hipóteses centrais para o trabalho de Vygotsky, são as teorias sobre a interação entre educador e educando em função dos esquemas de conhecimento sobre a tarefa a ser realizada, recursos e suportes de apoio que serão utilizados.

Este projeto foi realizado na investigação dos benefícios de aprendizagem de Língua Inglesa, através da metodologia com a música, sendo um suporte e apoio motivacional para a criança e o adolescente no ensino fundamental e para o professor. Aborda o uso da música que será analisada como meio para o desenvolvimento humano que atuam sobre a Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP) e investiga também o papel do educador e aprendiz nesse cenário e suas implicações no processo de ensino e aprendizado.

A fundamentação teórica deste estudo tem como objetivo investigar os benefícios de Vygotsky e sua contribuição: da teoria para a prática, refletir sobre a teoria de Krashen e analisar Beltran que comenta sobre a qualidade de ensino da língua inglesa na educação infantil.

Os métodos para um aprendizado eficaz descrevendo a metodologia adotada e a contribuição de outras, a elaboração de atividades com a música que foi aplicada para crianças do ensino fundamental sendo a faixa etária entre 4 e 10 anos.

Como se deve avaliar e analisar os benefícios do uso da música no Ensino Fundamental, o desenvolvimento e resultado que trata sobre a diferença na qualidade de ensino através do ambiente e materiais adequados para ministrar a aula, práticas didáticas dentro da realidade em sala de aula, contextualização com a realidade do aluno, coleta de dados e resultados obtidos após o uso da metodologia através da elaboração e aplicação da mesma pela professora pesquisadora.        Dentro das considerações finais será abordado sobre as limitações que são encontradas dentro da sala de aula e as vantagens obtidas através dessa pesquisa em usar aquilo que motiva a criança aprender uma segunda língua. Seguem-se as referências bibliográficas.

O objetivo aplicado em questão discutiu sobre a utilização da música por parte do aprendizado da criança e adolescente no ensino fundamental. Vygotsky (1929/2000: 35) nos explica que as funções psíquicas superiores incluem: a sensação, a percepção, a atenção, a memória e o pensamento do qual nos baseamos para a linguagem. A aquisição de uma segunda língua requer do indivíduo um comportamento além do básico, pois são a partir de uma segunda língua que serão avaliados as habilidades de interação em outros contextos além daqueles que são vividos no dia-a-dia.

As brincadeiras e músicas que são oferecidas à criança devem estar de acordo com a zona de desenvolvimento em que ela se encontra, desta forma, pode-se perceber a importância do professor conhecer a teoria de Vygotsky. No processo do ensino fundamental o papel do professor é de suma importância, pois é ele quem cria os espaços, disponibiliza materiais, participa das brincadeiras, ou seja, faz a mediação da construção do conhecimento.

A desvalorização do movimento natural e espontâneo do aprendiz em favor do conhecimento estruturado e formalizado ignora as dimensões educativas da brincadeira, música e do jogo como forma rica e poderosa de estimular a atividade construtiva do educando. Tornam-se indispensáveis e imprescindíveis que o professor procure ampliar cada vez mais as vivências da criança com o ambiente físico, com brinquedos, atividades visuais e manuais, músicas e brincadeiras com outros alunos.

“As concepções de Vygotsky sobre o funcionamento do cérebro humano fundamentam-se em sua idéia de que as funções psicológicas superiores são construídas ao longo da história social do homem. Na sua relação com o mundo, mediada pelos instrumentos e símbolos desenvolvidos culturalmente, o ser humano cria as formas de ação que o distinguem de outros animais”. (OLIVEIRA, 1992, p. 24)

Esta pesquisa – a ação é de caráter qualitativo, que a pesquisadora realizará na sua própria prática pedagógica.

Foi trazido para os alunos de pré a 4ª séries músicas didáticas em inglês para serem apresentadas, dentro do conteúdo estudado, para assimilação do vocabulário. Ouvimos várias vezes para praticar a pronúncia. Com crianças de pré ao 1º ano foi trabalhada a música junto com brincadeiras e jogos da memória, sempre fazendo mímica, pois os mesmos ainda não lêem e não escrevem. O material utilizado para essas aulas foram CD’s e DVD’s que estimularam os alunos a se interarem no conteúdo.

Para os alunos, foi um momento de descontração e para a professora, foi uma forma de aumentar a motivação do grupo e de tornar suas aulas mais “interessantes”, aproximando-se das expectativas deles.

Foi surpreendente a maneira como se dispuseram em realizar esta atividade, em sua maioria cantaram com uma excelente pronúncia.

Há necessidade de se fazer um trabalho diferenciado neste aprendizado, algo trabalhado em sala de aula. A música cristã pode ser trabalhada também com as turmas e abordar tópicos importantes tais como: Mensagens que levem o amor de Deus e o sacrifício de Jesus para os alunos, a pronúncia, a leitura, a escrita e o ouvir da língua estrangeira. O conceito aqui é trabalhar a gramática de uma maneira prazerosa, pois “a música é um dos estímulos mais potentes para ativar os circuitos do cérebro”. (BELTRAN, 2001, p. 21).

Ela contribui para as ligações neurais no cérebro ativando os neurônios facilitando assim o aprendizado de uma segunda língua.

As atividades lúdicas têm o poder sobre os estudantes de facilitar tanto o progresso de sua personalidade, como o progresso de cada uma de suas funções psicológicas intelectuais e morais. Ademais, a ludicidade não influencia apenas as crianças, ela também traz vários benefícios aos adultos, os quais apreciam aprender algo ao mesmo tempo em que se distraem.

Com base nos objetivos do projeto, nos dados obtidos e no referencial teórico, foi possível chegar às seguintes conclusões:

A formação oportuniza o professor não só o saber da sua sala de aula, mas possibilitam também, conhecer as questões da educação, as diversas práticas analisadas na perspectiva histórico, sócio-cultural.

A pesquisa foi feita com base em atividades realizadas em sala de aula com alunos de Educação Infantil e Ensino Fundamental I, observando que com uma base fraca e sem motivação os alunos apresentaram um bloqueio e rendimento abaixo do esperado. Ao passo que com a metodologia adotada através da música o objetivo para muitos foi atingido.

A  pesquisa possibilitou verificar a distância que existe entre a teoria e a prática concreta em sala de aula. Os alunos admitem uma mudança de atitude após terem tido o conhecimento teórico no processo de formação. Vale ressaltar que, se não houver uma continuidade nos estudos, não haverá uma contínua construção do conhecimento.

Não estamos aqui apenas concluindo um trabalho, ele mostra alguns pontos de partida. Nesse sentido,  sugerimos a possibilidade da escola rever o seu projeto político pedagógico, contemplando o ensino da língua inglesa e as relações do mesmo na escola; a possibilidade de que no projeto político pedagógico, a formação do professor se dê numa perspectiva de formação continuada.  Esse projeto foi de uma representatividade excepcional, não só pelo grande crescimento proporcionado, mas também como quebra de paradigmas, pois, ensinar e aprender podem estar de mãos dadas com o prazer e a satisfação intelectual.

Conclui-se que o papel do pedagogo e do professor é, aliás, de fundamental importância para a difusão e aplicação de recursos lúdicos. O professor ao se conscientizar das vantagens de uma sala ambiente para o ensino da língua estrangeira, adequará a determinadas situações de ensino, utilizando-as de acordo com suas necessidades.  O pedagogo, como pesquisador, estará em busca de ações educativas eficazes.

Assim, o aprendizado se daria em um ambiente mais agradável, pontuado pela coragem de professores e  pedagogos, que não têm medo de se arriscar em sonhar com um ensino de qualidade.

É importante, também observar, conforme a experiência das professoras, que a ênfase na oralidade não deve excluir o trabalho com a modalidade escrita; os alunos sentem necessidade de registrar em seus cadernos os conteúdos trabalhados em sala de aula. Também as expectativas de alguns pais, com relação ao que seus filhos estão fazendo na escola, pressupõem a existência de livros e cadernos que explicitem o que as crianças realmente estão aprendendo nas aulas.

Quanto às atividades, centradas na oralidade, desenvolvidas na sala de aula, algumas recomendações se fazem apropriadas com vistas a facilitar o trabalho do/a professor/a.

No caso da utilização de jogos é importante destacar a necessidade de uma preparação prévia para evitar problemas na sua realização na sala de aula; as regras e os objetivos dos jogos apresentados devem ficar bem claros aos alunos de modo que eles possam desempenhar o conteúdo lingüístico que é solicitado. Todo material extra a ser utilizado no jogo deve estar à disposição dos alunos; cuidados também devem ser tomados quanto à organização do espaço necessário para a realização do jogo.

As canções, as rimas e os poemas também exigem uma preparação, principalmente quanto aos seus aspectos sonoros e rítmicos, uma vez que um dos objetivos principais deste tipo de material é familiarizar os alunos com a sonoridade da língua; os alunos certamente percebem qualquer hesitação por parte do professor o que poderá prejudicar o andamento das atividades propostas.

Vale mencionar que, caso haja acompanhamento de algum instrumento musical, a atividade adquire um caráter extremamente instigante para os alunos; instrumentos de percussão certamente acrescentam colorido especial a este tipo de atividade.

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/linguas-artigos/a-influencia-da-musica-na-aprendizagem-da-lingua-estrangeira-nas-series-iniciais-1870884.html

    Palavras-chave do artigo:

    musica

    ,

    aprendizado

    ,

    professores

    Comentar sobre o artigo

    Este artigo apresenta uma fundamentação teórica analítica para a compreensão dos elementos que norteiam os processos cognitivos de aprendizado. Explorando os conceitos destes processos, e relacionando-os aos dados encontrados na análise dos filmes Escola do Rock (2003), foram gerados alguns princípios que conduzem para a atividade pedagógico-musical.

    Por: Pamela de Bortoli Machadol Educação> Ensino Superiorl 21/07/2012 lAcessos: 181

    Não é raro encontarmos pessoas que se dizem frustadas por não tocarem nenhum instrumento musical. Mas isso não é nenhuma novidade. O fato é que, vivendo nas grandes cidades onde a necessidade e os objetivos profissionais consomem a maior parte do nosso tempo diário, pouco nos sobra para darmos vazão às necessidades artisticas e de satisfação pessoal.

    Por: Escola Virtual de Músical Arte& Entretenimento> Músical 02/09/2010 lAcessos: 378

    A musicalização contribui com a construção de conhecimentos e das múltiplas inteligências do indivíduo. A música não pode ser privilégio de poucos, mas de forma democrática deve chegar a todos, independente de classe social. A música proporciona ao aluno análise crítica e senso reflexivo de diversas opiniões, situações, formas e costumes de diversos povos, regiões e religiões e pode ser usada na construção de conhecimentos. Este trabalho propõe o uso e pesquisa com professores o uso do recurso.

    Por: Carlos Humberto Biagolinil Educação> Educação Infantill 14/08/2010 lAcessos: 3,816

    O objetivo deste trabalho é demonstrar que o uso de recursos didáticos variados e a montagem de espaço lúdico para descobertas da matemática, estão aliados ao desenvolvimento de múltiplas inteligências em crianças de 4 a 6 anos.

    Por: Rosimar Nádila O. Saraival Educação> Educação Infantill 19/10/2010 lAcessos: 1,786
    Luciano de Souza

    Este trabalho aborda aspectos do ensino de música na educação formal, como acontece a aquisição do conhecimento, o desenvolvimento de habilidades específicas levando em consideração o desenvolvimento psicológico da criança, através de pesquisa em políticas educacionais desenvolvidas no Brasil nos últimos 78 anos, tendo como objetivo pesquisa em materiais didáticos que atendam a nova LDB, e na elaboração de propostas pedagógicas para música.

    Por: Luciano de Souzal Educação> Ensino Superiorl 10/09/2009 lAcessos: 6,873 lComentário: 1
    SANDRA VAZ DE LIMA

    A interação e a comunicação entre as pessoas constituem a conseqüência mais visível da linguagem. A criança começa a contar o que fez, começa a dizer o que vai fazer, etc. a partir do exercício da fala, ao mesmo tempo em que a linguagem se desenvolve, a criança estabelece relações com outras crianças e com os adultos, passa a conversar com os outros.

    Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 15/02/2010 lAcessos: 2,298 lComentário: 4

    A música, esta maravilhosa arte, desponta agora novos horizontes e possíveis perspectivas para a educação básica. Nós músicos e educadores musicais fomos contemplados com a lei ordinária nº 11.769, de 18 de agosto de 2008, a qual altera a Lei 9.394, de 20 de Dezembro de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica. Discutir música e educação é um desafio para o qual os setores de ensino e a sociedade em geral devem despertar. Desde épocas remotas a música esteve presente permeando as relações da sociedade.

    Por: jair dos santos gonçalvesl Educaçãol 21/08/2009 lAcessos: 1,634

    Educar para sentir e ter sentido, para cuidar e cuidar-se, para viver com sentido casa instante da nossa vida. Somos humanos porque sentimos e não apenas porque somos pessoas. Como professores, devemos utilizar a música à nosso favor e introduzi-la no nosso cotidiano, pois ela é uma grande aliada nas relações entre as crianças e na fixação dos conteúdos.

    Por: Denise Terra Trocl Educação> Educação Infantill 12/04/2009 lAcessos: 1,066 lComentário: 1
    Juliana Arruda

    Este trabalho tem como objetivo refletir sobre a profissão docente é pensar o professor desde a sua formação, suas concepções, suas lutas, conquistas e aspirações de futuro. Continuamente esquecemos que o professor além de um profissional dedicado a ensinar, também foi estudante e passou por dificuldades que o incentivaram a dedicar-se a educação. Na busca de resgatar as histórias de vida do professor, partindo de suas lembranças da formação inicial e da relação desta formação com a sua atuação

    Por: Juliana Arrudal Educação> Ensino Superiorl 16/12/2011 lAcessos: 162
    Carla Ravaneda

    A importância das regras da norma culta da língua portuguesa, e o papel do professor no estímulo do aluno que está buscando o conhecimento. É necessário o engajamento deste profissional, para que nossas futuras gerações se comuniquem de forma desejável de acordo com as regras normativas.

    Por: Carla Ravanedal Educação> Línguasl 11/09/2014

    Se pretende enriquecer o seu curriculum para que possa ter mais oportunidades de emprego na sua área de formação, saiba como fazê-lo neste artigo.

    Por: Bruno Ferreiral Educação> Línguasl 05/09/2014
    Zilda Ap. S. Guerrero

    Esse texto foi produzido mediante uma reflexão acerca de atividade em sala de aula composta por alunos heterogêneos e aprendizagens múltiplas, tendo em vista a presença de um aluno que era portador de necessidades especiais (Surdez), e como não conhecia a linguagem de sinais, tive que passar por uma experiência muito dolorosa para poder ensinar a Língua Portuguesa para esse aluno. Acredito que se eu conhecesse a prática de ensino com o auxílio da Linguagem de Sinais (LIBRAS), fosse mais fácil.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Línguasl 05/09/2014

    Existem diferentes modalidades de tradução, cada uma adaptada a necessidades concretas. As mais conhecidas são a Tradução Simultânea e a Tradução Consecutiva.

    Por: Ricardo Prates Moraisl Educação> Línguasl 04/09/2014

    Há algum tempo existe a necessidade de aprender o inglês, além de ser fundamental em viagens internacionais agora é também fator diferencial capacitivo no mercado de trabalho.

    Por: mattos andrecl Educação> Línguasl 07/08/2014 lAcessos: 11

    Na língua inglesa é necessário interpretar o que está escrito em um texto, para entender o real significado. Dizer que a tradução nao deve ser feita para português acaba sendo um pouco utópico, tendo em vista a que sempre levar idiomas extrangeiros para a língua nativa é um hábito. Embora não se tenha uma grande noção sobre gramática, é possível decifrar o que está escrito em um texto em inglês através de uma identificação de contexto.

    Por: mattos andrecl Educação> Línguasl 07/08/2014 lAcessos: 12

    Estudar vocabulário é, sem dúvida, chato. Se não trazer resultado (ou seja, se você não conseguir decorar as palavras), e também frustrante e desmotivante. O que fazer então para não perder horas estudando sem conseguir aprender?

    Por: Agnieszkal Educação> Línguasl 03/08/2014

    Falar inglês é o desejo de muitas pessoas, tendo em vista um cenário mundial no qual a melhor forma de comunicação é através deste idioma tido como "universal".

    Por: mattos andrecl Educação> Línguasl 01/08/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast