Contextualizando O Latim

05/04/2010 • Por • 2,092 Acessos

INTRODUÇÃO

Ao iniciar um estudo da língua latina seria conveniente que se propusessem algumas perguntas do idioma: o que é o latim? Onde e quando foi falado? Como surgiu? Que grau de parentesco teve com outras línguas? Como se deu sua evolução? Por que desapareceu como língua viva? Qual sua importância histórica? Qual o interesse hoje do conhecimento do latim? Considerando todos os aspectos apresentados até então, acredita-se que "o latim não é uma língua morta, porque ela está presente diariamente em nossas vidas" (VIARO, p 2, 1999).

Que mistério é esse que faz com que a língua latina, que foi muito usada desde os temos do império romano, sobreviver até nossos dias? Devido à expansão do Império Romano, o latim era falado na cidade de Roma e arredores no século l a.C., se estendendo até a parte ocidental da Europa, o latim se espalhou de uma forma considerável. Durante a antiguidade, a língua franca da Europa foi o latim. Outra questão importante a acrescentar é que o latim era usadíssimo em toda Roma, e era tido como uma língua oficial de lei, da administração e praticada no cotidiano das pessoas.

Quanto à literatura, pode-se dizer que era comum, tanto que nessa época muitos poetas famosos produziram suas obras e são reconhecidas até hoje.  O latim clássico era a linguagem utilizada na literatura, que era diferente do latim falado, que era chamado de latim vulgar. No decorrer do tempo, o latim vulgar passou a se distanciar do padrão literário e foi evoluindo para as línguas itálicas, românicas modernas tais como o italiano, o francês, o português, o espanhol e outros. Muitas expressões são latinas na área jurídica, porque o sistema jurídico que rege nossas relações sociais é baseado no Direito Romano.

Geralmente, as palavras escritas em latim aparecem em emblemas ou símbolos de instituições. Os lemas de muitas universidades são escritos em latim. Escolas de cunho religioso costumam apresentar o latim, razão pela qual, o latim foi usado pela igreja católica romana até o inicio do século xx.  Provavelmente sirva para explicar todas as passagens bíblicas que estão escritas em latim, na Igreja de São Pelegrino, localizada em nossa cidade, no bairro São Pelegrino. Hoje em dia, a área publicitária também está explorando a língua latina com eficácia. Quem sabe, para dar um ar de satisfação ao produto. Os biólogos também usam a terminologia latina, assim como os paleontólogos e outros cientistas a fim de nomear gêneros e espécies.

Podemos observar então, que utilizamos muito o latim em nosso cotidiano, seja em qual for a relação comunicativa. Não apenas nós, mas todos os que falam línguas oriundas do latim. O latim continua vivo apesar de o considerarem uma língua morta; isso explica que o latim está presente em nosso dia a dia, em diversos produtos, assim como na escrita. Através deste artigo será possível responder às tais perguntas, e será possível:

"aprofundar a investigação acerca da origem e evolução diacrônica da língua portuguesa, descobrir analogias e discrepâncias entre a morfossintaxe latina e portuguesa,e ainda compreender melhor os fenômenos lingüísticos da língua portuguesa" (BORTOLANZA, p.33,1994)

pois o foco é explanar o tema com uma linguagem de fácil entendimento para que todos os amantes da Língua Portuguesa possam compreender esta através da língua – mãe: o latim.

 

1- Língua latina

 O latim é um idioma original da região itálica do Lácio que ganhou grande importância por ser o idioma oficial do antigo Império Romano, ele deu origem a um grande número de línguas européias, denominadas românicas, ou neo – atinas, como o português, o espanhol, o francês, o italiano, o romeno, o galego, o occitano, o rético, o catalão e o dalmático – este, já extinto. Durante séculos depois da Queda do Império Romano, o latim continuou a ser utilizado em toda a Europa como língua culta, por exemplo, atualmente é idioma oficial na Cidade do Vaticano.

1.1 A língua latina e sua formação histórica

 Em meado do século VIII a.C. foi fundada a cidade de Roma, ali havia um estreito parentesco entre o latim e dois outros idiomas falados antigamente na Península Itálica, e essa semelhança fez surgir uma única língua; por outro lado, o confronto de raízes vocabulares existentes no latim com raízes de palavras pertencentes a algumas das antigas línguas faladas na Índia, Pérsia, Grécia, etc., permitiu aos estudiosos do assunto formular a hipótese da existência de uma língua primitiva que teria gerado esses idiomas o "indo – europeu", mas os seus usuários se dispersaram, acarretando profundas modificações como o surgimento de inúmeras línguas; vale ressaltar que muitas dessas línguas estão hoje extintas ou mortas, as remanescentes são faladas em grande parte do mundo ocidental e em algumas regiões do Oriente.

1.2 Evolução do Latim:

Fala-se, portanto, em fases da língua latina, que vão desde as suas primeiras manifestações, ou seja, desde a fundação de Roma representada por algumas inscrições, até a queda do Império Romano do Ocidente ou, mais ou menos, até a invasão dos longos bardos na Itália: Latim pré – histórico (língua dos primeiros habitantes), Latim proto-histórico (aparece nos primeiros documentos), Latim arcaico (aparece em antigos textos literários, é inicialmente pobre, mas tende a enriquecer-se), Latim literário (floresce a partir do segundo quartel do século I a.C é uma língua cultivada, artística, diferente do latim falado, ele se preservou graças a inúmeras obras literárias):

 

"Há sensível dessemelhança entre o latim das obras literárias do século I a.C. e as inscrições cristãs dos primeiros tempos; por essa razão ele se caracteriza conforme a época e as circunstâncias em que foi usado" (FONTANA, p.25, 1987).

Latim vulgar (língua falada pelo povo,) e Latim pós – clássico (nesse período a língua começa a se perder, diminui a distância entre a língua culta e a falada, com as invasões dos povos bárbaros e o esfacelamento do Império Romano, o latim perdeu sua unidade como língua).

1.3 Importância do Latim ontem e hoje

O latim deveu sua importância ao prestígio de Roma, era língua de comunicação e apesar de não ter sido uma língua oficial do império romano, foi sempre uma espécie de língua comum, cujo papel a Igreja se encarregou de acentuar; o latim foi a língua da comunicação universal, da política, da religião, da cultura e da ciência. E hoje, qual sua importância? Por estudar latim na escola/sala de aula? Apesar de serem perguntas um tanto complexas para responder, até porque encontraríamos várias opiniões, discussões sobre o mesmo, passa-se a aceitar o ponto de vista de um autor de nossa atualidade:

"A língua latina tem sido, provavelmente, estudada por um ininterrupto período de tempo mais longo e por um maior número de pessoas, que qualquer outra língua. Por causa de seu prestígio na vida intelectual e religiosa da Europa durante um longo período, mesmo depois que ela deixou de ser falada, sua gramática tem despertado mais curiosidade do que a de qualquer outra língua". (Miguel Barbosa do Rosário, p.5, 2008 apud George Lakoff, 1993).

Além disso, há uma rica literatura deixada pelo mundo romano que não só permite o desfrute de autênticas obras de arte como também estende seu alcance por outras áreas do conhecimento (historiografia, filosofia, antropologia, teoria literária, também pela ciência e pelo teatro, etc.), outro grande motivo da importância do latim na atualidade, é que há mesmo o interesse lingüístico, afinal é a língua-mãe e fornecem-nos explicações para fenômenos aparentemente inexplicáveis de nosso idioma e das línguas-irmãs do português. Em suma, estudar Latim é importante porque desenvolve e aguça a mente, exigindo do estudante memorização, concentração e reflexão, facilita o aprendizado de todas as línguas neolatinas e torna acessível o manuseio de livros de ciências, filosofia, direito, teologia, escritos em Latim, quando esta era a língua da cultura ocidental; também porque o Latim enriquece o vocabulário, melhora a dicção e pronúncia, levando – nos a escrever e a falar com mais clareza e objetividade, e finalmente, estudar "Latim é importante para disciplinar a mente, e adquirir cultura humanística é conhecer e valorizar nossa língua portuguesa" (FURLAN, p.42, 2006).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

            O ensino da língua latina tem atraído cada vez mais não só estudantes de algumas áreas de humanidades, que normalmente a têm como disciplina obrigatória em seu currículo, mas também alunos de outras áreas que apresentam curiosidade e vontade de entrar em contato com essa língua ainda hoje bastante presente em nosso cotidiano. Pode-se citar, por exemplo, também como um possível fator para tamanho interesse, a tradução para o latim de obras "best-sellers" entre jovens, como Harry Potter, além da presença da língua latina em jogos de videogame e em letras de músicas de bandas conhecidas.

Acredita – se que este artigo contribui para que o aluno seja introduzido no aprendizado do latim de forma agradável e profícua, além de despertar o interesse e apreço pela vasta literatura produzida nesta língua durante séculos, que perdurou durante tantos outros, chegando até nós; e que contribui também para que o texto literário deixe de ser pretexto para o ensino gramatical, e sim, para que o acesso aos textos escritos em latim seja o objetivo principal do aprendizado da língua latina. Ao final da abordagem sobre o latim e sua importância, pôde – se conhecer mais sobre a origem, evolução, idiomas oriundos, bem como despertar o senso crítico e opinião própria sobre o Latim, ou seja, é um assunto importante para conhecimento acadêmico, para setores da sociedade, e acredita – se que não é uma língua morta, pois como já foi explicado anteriormente, o latim aparece no nosso idioma e utilizamos despercebidos.

 

REFERÊNCIAS

 

BORTOLANZA, João. Corpus da Poesia Latina de Antônio de Castro Lopes. Tese de Doutorado, UNESP/Assis, 1994, 4 vol.    

CARDOSO, Zélia de Almeida. Iniciação ao Latim. São Paulo, Ática: 1993.

FONTANA, Dino Fausto. Curso de Latim. São Paulo: Saraiva, 1987.

FURLAN, Oswaldo. Gramática básica do latim. Editora da UFSC, 1993.

________ A Língua e Literatura Latina e sua Derivação Portuguesa. Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 2006.

VIARO, Mário Eduardo. Resenha do texto: "A importância do latim na atualidade". São Paulo, Inisa, v.1, n.1, p.7 – 12, 1999.

WILLIAMS, Edwun Bucher. Do latim ao português. Rio de Janeiro: Tempo universitário, 1994.

Perfil do Autor

Dayane Viana Gonçalves

Dayane Viana Gonçalves de Macedo é acadêmica do curso de Licenciatura Plena em Letras da Universidade Vale do Acaraú - UVA no estado do Amapá. É professora da educação infantil e ensino fundamental I há seis anos.