PRECONCEITO: LINGUÍSTICO OU SOCIAL

Publicado em: 29/07/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 1,990 |

PRECONCEITO: LINGUÍSTICO OU SOCIAL?

Leide Vilma Pereira Santos

O preconceito lingüístico, entre tantos preconceitos já existentes no nosso país, diz respeito ao fator social, o qual distingue e separa classes sociais, estigmatizando ou prestigiando falantes da língua portuguesa, ou seja, língua materna, sendo concebido como forma de preconceito a determinadas variedades lingüísticas. Para a lingüística os chamados erros gramaticais não existem nas línguas primitivas, salvo por patologias de ordem cognitivas. Segundo os lingüistas a noção de correto imposta pelo ensino tradicional da gramática normativa, originando assim um preconceito contra as variantes. O sociólogo Nildo Viana, foi quem primeiro apresentou uma visão marxista deste fenômeno, relacionando-o com a educação escolar e a dominação de classe como se questionado pesquisadores deste tema. Para Viana a linguagem é um fenômeno social e está ligada ao processo de dominação, tal como o sistema escolar, que é a fonte da dominação lingüística. A ligação indissolúvel entre linguagem escrita e educação com os processos de dominação declara o autor, é a fonte do preconceito lingüístico, pois a língua escrita veiculada pela escola se torna a língua padrão e esta transforma-se norma geral que todos devem seguir, mais seu modelo está  entre os setores privilegiados e dominantes da sociedade.

Este tema é freqüentemente abordado, pois é de grande importância para a educação, pois tem como objetivo valorizar e conscientizar da existência das variedades lingüísticas, sendo a língua portuguesa como qualquer outra língua heterogênea,  mutável. É perceptível a influência que a língua, um fator social, tem na vida das pessoas. O modo de falar e escrever diz ou pode dizer até mesmo de onde o falante se origina e em qual classe está inserido. Assim como o modo de se vestir, andar, a cor da pele e do cabelo, o nível social do falante. A fala e a escrita de nosso cotidiano não devem ser confundidas como sendo a mesma coisa, porque fala é inerente a pessoa, enquanto a escrita pode ou não ser aprendida. Diante disso, é preciso enfatiza que língua é identidade e cultura, mas também é poder e isso vale ainda mais numa sociedade desigual, que tem na competição um dos traços mais característicos de sua sociabilidade o que contribui, diretamente na formação de preconceitos e nas disputas em seu interior. Entretanto, através dos Parâmetros Curriculares Nacionais - PCNS (1997, p 31) de língua Portuguesa, um referencial para educação brasileira, temos ciência de que a questão não é falar certo ou errado, mas saber qual o modo de falar, para ser  utilizado, atentando para as características do contexto de comunicação, ou seja, sabendo adequar o registro as diferentes situações interativas, sendo que as instituições oficiais encarregadas de planejar a educação no país reconhece a realidade lingüística preenchida pela diversidade. A variação é constitutiva das línguas humanas, ocorrendo em todos os níveis, pois ela sempre existiu independente de qualquer ação normativa, todavia quando se fala em língua portuguesa esta se falando de uma unidade que se constitui em muitas variedades. Esta variação lingüística tem como objeto no ensino de línguas, uma educação lingüística voltada para a construção da cidadania numa sociedade verdadeiramente democrática, pois não se pode desconsiderar os modos de falar dos diferentes grupos sociais, pois constituem elementos fundamentais de identidade cultural da comunidade e dos indivíduos e que denegrir ou condenar uma variedade lingüística equivale a denegrir e condenar seres humanos que falam como se fossem deficientes ou menos inteligentes. Portanto, este assunto se tornou referencia no âmbito educacional, despertando polêmica, referente à forma de falar e se expressar das pessoas, contudo somos a favor de uma educação lingüística de inclusão social e pelo conhecimento e valorização da diversidade cultural brasileira, pois a educação exige os maiores cuidados, porque influi sobre toda a vida.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/linguas-artigos/preconceito-linguistico-ou-social-2925879.html

    Palavras-chave do artigo:

    preconceito

    Comentar sobre o artigo

    O presente artigo tem como objeto de estudo uma abordagem a qual busca analisar a opinião de docentes do Ensino Fundamental I em relação ao uso da norma não padrão do português em sala de aula, principalmente na relação professor/aluno, a partir de questionários feitos com os mesmos. Observa-se que um trabalho nesta perspectiva é de extrema importância para que os docentes possam refletir como está sendo expandido o preconceito linguístico nos dias de hoje, principalmente em sala de aula.

    Por: Silvio Nunes da Silva Júniorl Educação> Línguasl 16/12/2013 lAcessos: 476
    Italo Batista

    O presente trabalho tem como objetivo analisar, por categorias, preconceitos e discriminações contidas no gênero Piada sobre nordestinos. As piadas, embora pareçam neutras, reforçam uma séria de ideologias, de um sujeito discursivo que revela como as vozes de uma determinada cultura vêem os nordestinos brasileiros, é o que Fernandes (2007) chama de heterogeneidade. As análises...

    Por: Italo Batistal Educação> Línguasl 23/06/2011 lAcessos: 1,335

    Este artigo faz referências ao preconceito linguístico que atua no Brasil, tema que abre caminhos a uma reflexão sobre a variação linguística presente nas línguas, analisando este fenômeno na Língua Latina. Dá ideias para a construção de novos caminhos e esperanças a uma sociedade, ainda massacrada pelas desigualdades regionais, afirmando que a humanidade só avança significativamente quando universaliza conquistas sociais e culturais.

    Por: susi cabral de souzal Educação> Ensino Superiorl 13/04/2010 lAcessos: 1,236
    Gisele Leite

    Difícil de detectar, difícil de punir e ainda mais penoso de combater. A autora faz digressões em diversas áreas definindo o preconceito na tentativa de definhá-lo.

    Por: Gisele Leitel Direitol 27/10/2009 lAcessos: 4,289

    O presente ensaio refere-se ao preconceito de crianças com necessidades especiais, relatando a inclusão dessas na escola e no meio social. Citando que essas crianças são capazes de realizar muitas atividades, sendo que deficiente é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as posições de outras pessoas ou da sociedade em que vive.

    Por: Rosirene Abadia de S. Macedol Educação> Ensino Superiorl 26/11/2014

    Um estudo recentemente publicado numa revista médica especializada em obesidade (Journal of Obesity) confirma a existência de uma menor afinidade por parte dos médicos em relação aos seus pacientes obesos, sendo que, na medida em que o IMC (índice de massa corporal) do paciente se eleva menor é a simpatia e a atenção que a classe médica tende a demonstrar durante uma consulta médica. As causas, soluções e a prevenção de preconceitos contra os obesos são explicadas neste artigo.

    Por: Alfredo Toledo e Souzal Saúde e Bem Estar> Nutriçãol 05/05/2013 lAcessos: 48

    A escola sendo um ambiente social interativo, necessita de atitudes que visem à formação de cidadãos com valores, de forma a respeitarem as pessoas e suas diferenças.

    Por: Degmar Augusta da Silval Educação> Ciêncial 29/10/2008 lAcessos: 40,697 lComentário: 10

    Este artigo tem por objetivo em apresentar um projeto sobre o racismo e o preconceito racial, os quais levam à discriminação, à marginalização e à violência. Uma vez que é baseado unicamente nas aparências e na empatia. Em nossa sociedade o preconceito é desenvolvido a partir da busca, por parte das pessoas preconceituosas, em tentar localizar naquelas vítimas do preconceito o que lhes "faltam" para serem semelhantes à grande maioria. O preconceito racial é caracterizado pela convicção da existê

    Por: Marta Nunes e Sirleide Carvalhol Educação> Línguasl 28/12/2011 lAcessos: 2,168
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    Por meio de reflexão detalhada sobre alguns aspectos do uso da língua, Marcos Bagno (2002), conduz o leitor a questionar e mesmo analisar o preconceito linguístico resultante de um embate histórico entre língua e gramática normativa, fato que preocupa tanto linguistas quanto profissionais que trabalham com o ensino da língua materna.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Ensino Superiorl 10/11/2013 lAcessos: 252
    HUMBERTO BELTRAN

    POR MAIS QUE SE TENTE CONTEMPORIZAR , O PRECONCEITO ESTÁ EVIDENTE EM TODOS OS SETORES DA NOSSA SOCIEDADE.

    Por: HUMBERTO BELTRANl Literatura> Crônicasl 24/02/2012 lAcessos: 254
    junior amorim

    Hoje vim publicar algo diferente, ao invés de falar sobre algum fato histórico ou tecnologias do futuro, venho trazer ao conhecimento de todos, algumas dicas que tem me ajudando bastante na prática da língua inglesa. Estarei deixando alguns vídeos que achei interessantes e darei alguns macetes que também estão trazendo uma grande praticidade. Primeiramente gostaria de dizer que não sou um craque no idioma, mas sempre que tenho um tempinho sobrando, aproveito para praticar as técnicas

    Por: junior amoriml Educação> Línguasl 24/03/2015
    Luciana Virgília

    A língua escrita e falada pelos brasileiros é considerada esquizofrenia linguística, pois não corresponde à realidade vivida. Uma parcela ínfima da população brasileira detém a aquisição da norma-padrão enquanto a maioria da população só conhece e utiliza o vernáculo materno diferente dos padrões e rigores da Língua Portuguesa.

    Por: Luciana Virgílial Educação> Línguasl 23/03/2015
    Luciana Virgília

    As línguas mudam a cada momento, o que se falava no século passado não são mais ditas, hoje em dia. As línguas nascem, crescem, reproduzem e morrem. Ao longo da história das línguas muitas já morreram e não existem mais, mas deixaram o seu legado, é o caso do latim.

    Por: Luciana Virgílial Educação> Línguasl 23/03/2015
    Luciana Virgília

    O trabalho tem como objetivo mostrar a linguagem e sua variação linguística dentro dos aspectos da língua que envolvem a norma culta, a norma padrão e a linguagem coloquial, passando a sofrer influência do estruturalismo, dos neogramáticos, da pragmática, da linguística textual, histórica e aplicada, e do próprio funcionalismo.

    Por: Luciana Virgílial Educação> Línguasl 23/03/2015 lAcessos: 12

    Em uma escola internacional, o som das conversas e das brincadeiras de crianças e adolescentes é ritmado pela diversidade: "learning", "aprendizaje" e "apprentissage" enriquecem os significados de "aprendizagem", em um ambiente no qual, de forma natural e espontânea, a interação em duas ou mais línguas é incentivada.

    Por: Central Pressl Educação> Línguasl 23/03/2015

    Muitas pessoas após chegarem à idade adulta vêm como desafio a necessidade de continuar evoluindo na aprendizagem de línguas a fim de conhecer novas culturas, fazer viagens ou simplesmente aprender um novo idioma. Tal tarefa tem se mostrado um verdadeiro desafio para os adultos, pois o processo de aprendizagem mostra-se lento, em virtude de diversos fatores como registrados neste trabalho. Neste artigo, apontamos alguns estudos sobre o tema, analisando os fatores que demonstram esta dificuldade

    Por: LUCÍDIO CARVALHOl Educação> Línguasl 21/03/2015
    Edson Luis Rezende Junior

    O artigo aqui apresentado consiste em um fragmento de uma iniciação científica (Apoio: PIBIC – Processo 20337) - EXPERIÊNCIAS DE APRENDIZAGEM DE ESPANHOL/LÍNGUA ESTRANGEIRA MEDIADAS PELO TELETANDEM, desenvolvida durante os anos de 2012 e 2013. Seu objetivo é descrever as reais contribuições do projeto Teletandem à discentes do curso de letras, alunos do grupo de espanhol como língua estrangeira, da UNESP / ASSIS.

    Por: Edson Luis Rezende Juniorl Educação> Línguasl 07/03/2015 lAcessos: 20

    O Ielts e o Toefl são exames internacionais de proficiência em inglês, isto é, eles servem para determinar o quanto você é capacitado para ingressar em uma faculdade em outro país. Para se preparar para esses exames os alunos devem fazer um curso de inglês para aprimorar cada vez mais seu inglês e chegar ao ponto de conseguir realizar estes exames internacionais.

    Por: mattos andrecl Educação> Línguasl 04/03/2015

    Ser professor é uma das profissões mais antigas e mais importantes, tendo em vista que as demais, na sua maioria, dependem dela. Já Platão, em sua obra A República, alertava a importância do papel do professor na formação do cidadão. Professor é um individuo que ensina uma ciência, uma arte, técnica ou outro conhecimento

    Por: Leide Vilmal Educaçãol 30/09/2010 lAcessos: 1,214

    A existência de figuras lendárias, como as divindades da mitologia grega, muito tem a ver com a realidade da vida dos povos que delas tomavam conhecimento ou dela dedicavam suas oferendas e preces. "Hefesto é o fogo personificado, se é pequeno e mirrado ao nascer é porque o fogo começa sempre por uma faísca, se é precipitado do céu a terra, é alusão ao raio, finalmente é deformado e tem as pernas tortas porque a chama nunca apresenta linhas retas. Vernant (2000)."

    Por: Leide Vilmal Educaçãol 30/09/2010 lAcessos: 597

    As tirinhas, são narativas curtas, desenvolvidas geralmente em três quadros, no nosso caso são onze quadros, pois esta foi uma tirinha especial de Carnaval. Ao leitor, é exigido o conhecimento prévio, são caracterizados com o auxilio dos dialogos somados a elementos visuais, mais especificamente pela inferência sugerida no ultimo quadrinho: alguém deve se sentir como o personagem, já que ele se sente como outra pessoa. O desfecho inesperado, é o que provoca o efeito de humor

    Por: Leide Vilmal Educação> Línguasl 19/08/2010 lAcessos: 6,606

    Os personagens negros vêm ao longo do tempo sendo representadas de maneira estereotipadas, nos diversos meios de comunicação como novelas, obras literárias, teatro, cinema, dentre outros, sendo o objetivo fazer uma analise de como o negro é representado na literatura de Monteiro Lobato, focalizando a problematização nos personagens de Tia Anastácia, Tio Barnabé e o próprio Saci, pois discutir essa questão sobre o racismo possibilita ampliar o debate, presente na sociedade e na ficção.

    Por: Leide Vilmal Educação> Educação Infantill 19/08/2010 lAcessos: 970 lComentário: 2

    Os personagens negros vêm ao longo do tempo sendo representadas de maneira estereotipadas, nos diversos meios de comunicação como novelas, obras literárias, teatro, cinema, dentre outros, sendo o objetivo fazer uma analise de como o negro é representado na literatura de Monteiro Lobato, focalizando a problematização nos personagens de Tia Anastácia, Tio Barnabé e o próprio Saci, pois discutir essa questão sobre o racismo possibilita ampliar o debate, presente na sociedade e na ficção.

    Por: Leide Vilmal Educação> Línguasl 11/08/2010 lAcessos: 1,566 lComentário: 1
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast