PRECONCEITO: LINGUÍSTICO OU SOCIAL

Publicado em: 29/07/2010 |Comentário: 0 | Acessos: 1,956 |

PRECONCEITO: LINGUÍSTICO OU SOCIAL?

Leide Vilma Pereira Santos

O preconceito lingüístico, entre tantos preconceitos já existentes no nosso país, diz respeito ao fator social, o qual distingue e separa classes sociais, estigmatizando ou prestigiando falantes da língua portuguesa, ou seja, língua materna, sendo concebido como forma de preconceito a determinadas variedades lingüísticas. Para a lingüística os chamados erros gramaticais não existem nas línguas primitivas, salvo por patologias de ordem cognitivas. Segundo os lingüistas a noção de correto imposta pelo ensino tradicional da gramática normativa, originando assim um preconceito contra as variantes. O sociólogo Nildo Viana, foi quem primeiro apresentou uma visão marxista deste fenômeno, relacionando-o com a educação escolar e a dominação de classe como se questionado pesquisadores deste tema. Para Viana a linguagem é um fenômeno social e está ligada ao processo de dominação, tal como o sistema escolar, que é a fonte da dominação lingüística. A ligação indissolúvel entre linguagem escrita e educação com os processos de dominação declara o autor, é a fonte do preconceito lingüístico, pois a língua escrita veiculada pela escola se torna a língua padrão e esta transforma-se norma geral que todos devem seguir, mais seu modelo está  entre os setores privilegiados e dominantes da sociedade.

Este tema é freqüentemente abordado, pois é de grande importância para a educação, pois tem como objetivo valorizar e conscientizar da existência das variedades lingüísticas, sendo a língua portuguesa como qualquer outra língua heterogênea,  mutável. É perceptível a influência que a língua, um fator social, tem na vida das pessoas. O modo de falar e escrever diz ou pode dizer até mesmo de onde o falante se origina e em qual classe está inserido. Assim como o modo de se vestir, andar, a cor da pele e do cabelo, o nível social do falante. A fala e a escrita de nosso cotidiano não devem ser confundidas como sendo a mesma coisa, porque fala é inerente a pessoa, enquanto a escrita pode ou não ser aprendida. Diante disso, é preciso enfatiza que língua é identidade e cultura, mas também é poder e isso vale ainda mais numa sociedade desigual, que tem na competição um dos traços mais característicos de sua sociabilidade o que contribui, diretamente na formação de preconceitos e nas disputas em seu interior. Entretanto, através dos Parâmetros Curriculares Nacionais - PCNS (1997, p 31) de língua Portuguesa, um referencial para educação brasileira, temos ciência de que a questão não é falar certo ou errado, mas saber qual o modo de falar, para ser  utilizado, atentando para as características do contexto de comunicação, ou seja, sabendo adequar o registro as diferentes situações interativas, sendo que as instituições oficiais encarregadas de planejar a educação no país reconhece a realidade lingüística preenchida pela diversidade. A variação é constitutiva das línguas humanas, ocorrendo em todos os níveis, pois ela sempre existiu independente de qualquer ação normativa, todavia quando se fala em língua portuguesa esta se falando de uma unidade que se constitui em muitas variedades. Esta variação lingüística tem como objeto no ensino de línguas, uma educação lingüística voltada para a construção da cidadania numa sociedade verdadeiramente democrática, pois não se pode desconsiderar os modos de falar dos diferentes grupos sociais, pois constituem elementos fundamentais de identidade cultural da comunidade e dos indivíduos e que denegrir ou condenar uma variedade lingüística equivale a denegrir e condenar seres humanos que falam como se fossem deficientes ou menos inteligentes. Portanto, este assunto se tornou referencia no âmbito educacional, despertando polêmica, referente à forma de falar e se expressar das pessoas, contudo somos a favor de uma educação lingüística de inclusão social e pelo conhecimento e valorização da diversidade cultural brasileira, pois a educação exige os maiores cuidados, porque influi sobre toda a vida.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/linguas-artigos/preconceito-linguistico-ou-social-2925879.html

    Palavras-chave do artigo:

    preconceito

    Comentar sobre o artigo

    O presente artigo tem como objeto de estudo uma abordagem a qual busca analisar a opinião de docentes do Ensino Fundamental I em relação ao uso da norma não padrão do português em sala de aula, principalmente na relação professor/aluno, a partir de questionários feitos com os mesmos. Observa-se que um trabalho nesta perspectiva é de extrema importância para que os docentes possam refletir como está sendo expandido o preconceito linguístico nos dias de hoje, principalmente em sala de aula.

    Por: Silvio Nunes da Silva Júniorl Educação> Línguasl 16/12/2013 lAcessos: 378
    Italo Batista

    O presente trabalho tem como objetivo analisar, por categorias, preconceitos e discriminações contidas no gênero Piada sobre nordestinos. As piadas, embora pareçam neutras, reforçam uma séria de ideologias, de um sujeito discursivo que revela como as vozes de uma determinada cultura vêem os nordestinos brasileiros, é o que Fernandes (2007) chama de heterogeneidade. As análises...

    Por: Italo Batistal Educação> Línguasl 23/06/2011 lAcessos: 1,291

    Este artigo faz referências ao preconceito linguístico que atua no Brasil, tema que abre caminhos a uma reflexão sobre a variação linguística presente nas línguas, analisando este fenômeno na Língua Latina. Dá ideias para a construção de novos caminhos e esperanças a uma sociedade, ainda massacrada pelas desigualdades regionais, afirmando que a humanidade só avança significativamente quando universaliza conquistas sociais e culturais.

    Por: susi cabral de souzal Educação> Ensino Superiorl 13/04/2010 lAcessos: 1,202
    Gisele Leite

    Difícil de detectar, difícil de punir e ainda mais penoso de combater. A autora faz digressões em diversas áreas definindo o preconceito na tentativa de definhá-lo.

    Por: Gisele Leitel Direitol 27/10/2009 lAcessos: 4,279

    O presente ensaio refere-se ao preconceito de crianças com necessidades especiais, relatando a inclusão dessas na escola e no meio social. Citando que essas crianças são capazes de realizar muitas atividades, sendo que deficiente é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as posições de outras pessoas ou da sociedade em que vive.

    Por: Rosirene Abadia de S. Macedol Educação> Ensino Superiorl 26/11/2014

    Um estudo recentemente publicado numa revista médica especializada em obesidade (Journal of Obesity) confirma a existência de uma menor afinidade por parte dos médicos em relação aos seus pacientes obesos, sendo que, na medida em que o IMC (índice de massa corporal) do paciente se eleva menor é a simpatia e a atenção que a classe médica tende a demonstrar durante uma consulta médica. As causas, soluções e a prevenção de preconceitos contra os obesos são explicadas neste artigo.

    Por: Alfredo Toledo e Souzal Saúde e Bem Estar> Nutriçãol 05/05/2013 lAcessos: 41

    A escola sendo um ambiente social interativo, necessita de atitudes que visem à formação de cidadãos com valores, de forma a respeitarem as pessoas e suas diferenças.

    Por: Degmar Augusta da Silval Educação> Ciêncial 29/10/2008 lAcessos: 40,439 lComentário: 10
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    Por meio de reflexão detalhada sobre alguns aspectos do uso da língua, Marcos Bagno (2002), conduz o leitor a questionar e mesmo analisar o preconceito linguístico resultante de um embate histórico entre língua e gramática normativa, fato que preocupa tanto linguistas quanto profissionais que trabalham com o ensino da língua materna.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Ensino Superiorl 10/11/2013 lAcessos: 222

    Este artigo tem por objetivo em apresentar um projeto sobre o racismo e o preconceito racial, os quais levam à discriminação, à marginalização e à violência. Uma vez que é baseado unicamente nas aparências e na empatia. Em nossa sociedade o preconceito é desenvolvido a partir da busca, por parte das pessoas preconceituosas, em tentar localizar naquelas vítimas do preconceito o que lhes "faltam" para serem semelhantes à grande maioria. O preconceito racial é caracterizado pela convicção da existê

    Por: Marta Nunes e Sirleide Carvalhol Educação> Línguasl 28/12/2011 lAcessos: 2,139
    HUMBERTO BELTRAN

    POR MAIS QUE SE TENTE CONTEMPORIZAR , O PRECONCEITO ESTÁ EVIDENTE EM TODOS OS SETORES DA NOSSA SOCIEDADE.

    Por: HUMBERTO BELTRANl Literatura> Crônicasl 24/02/2012 lAcessos: 246

    O inglês é uma das línguas que possui mais palavras de todos os idiomas. De acordo com a segunda edição do dicionário Oxford English Dictionary, a língua inglesa contém 171 476 palavras atualmente usadas. Apesar do grande número de palavras que possui a língua inglesa, não precisa se desanimar - os linguistas afirmam que para você entender 95% de um texto comum em inglês, precisa conhecer apenas 2500 palavras!

    Por: MariaSl Educação> Línguasl 15/12/2014

    O projeto surgiu da necessidade de encontrarmos uma possível solução para a reutilização de tambores de papelão que seriam descartados no meio ambiente e assim, reduzindo estes materiais e reaproveitando como lixeiras para a nossa escola.

    Por: Sortineide Navarro Segural Educação> Línguasl 04/12/2014

    Este artigo tem o objetivo de enfatizar sobre a importância da linguagem no contexto escolar e também na sociedade, a leitura como princípio de sobrevivência.

    Por: SIMONE BERWIANl Educação> Línguasl 03/12/2014 lAcessos: 11

    Esse artigo estabelece as relações gramaticais com as produções textuais, de que uma depende da outra para ocorrer a comunicação.

    Por: SIMONE BERWIANl Educação> Línguasl 30/11/2014 lAcessos: 11

    Como se sabe, os estudos labovianos procuram explicar uma estreita relação em língua e sociedade por meio de pesquisas sociolinguísticas.

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Apesar de nenhum estudioso da linguagem desconsiderar a existência da variação linguística, foi Willian Labov que conseguiu criar um método que pudesse lidar com a variação, ou com o então chamado caos linguístico de uma forma científica. Esse ponto é claro para Labov, já que para ele "a língua é um conjunto estruturado de normas sociais" (LABOV, 2008, p. 19). Para Tarallo, foi Labov

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Todas as línguas oficiais dos países da Europa ocidental, com exceção do basco, provêm, segundo os linguistas, de uma mesma língua de origem, o indo-europeu, da qual fazem parte, entre outras, as ramificações dos grupos helênico (grego), românico (português, italiano, francês, castelhano, etc.), germânico (inglês, alemão) e céltico (irlandês, gaélico).

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Apesar de a disciplina Sociolinguística existir já há vários anos no curso de Licenciatura Plena em Letras e mesmo nos cursos de Especialização da Universidade do estado de Mato Grosso (UNEMAT), em Alto Araguaia, nos Trabalhos de Conclusão de Curso, ou seja, nas monografias finais, verificam-se poucos trabalhos que versam sobre tal tema.

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Ser professor é uma das profissões mais antigas e mais importantes, tendo em vista que as demais, na sua maioria, dependem dela. Já Platão, em sua obra A República, alertava a importância do papel do professor na formação do cidadão. Professor é um individuo que ensina uma ciência, uma arte, técnica ou outro conhecimento

    Por: Leide Vilmal Educaçãol 30/09/2010 lAcessos: 1,177

    A existência de figuras lendárias, como as divindades da mitologia grega, muito tem a ver com a realidade da vida dos povos que delas tomavam conhecimento ou dela dedicavam suas oferendas e preces. "Hefesto é o fogo personificado, se é pequeno e mirrado ao nascer é porque o fogo começa sempre por uma faísca, se é precipitado do céu a terra, é alusão ao raio, finalmente é deformado e tem as pernas tortas porque a chama nunca apresenta linhas retas. Vernant (2000)."

    Por: Leide Vilmal Educaçãol 30/09/2010 lAcessos: 584

    As tirinhas, são narativas curtas, desenvolvidas geralmente em três quadros, no nosso caso são onze quadros, pois esta foi uma tirinha especial de Carnaval. Ao leitor, é exigido o conhecimento prévio, são caracterizados com o auxilio dos dialogos somados a elementos visuais, mais especificamente pela inferência sugerida no ultimo quadrinho: alguém deve se sentir como o personagem, já que ele se sente como outra pessoa. O desfecho inesperado, é o que provoca o efeito de humor

    Por: Leide Vilmal Educação> Línguasl 19/08/2010 lAcessos: 6,187

    Os personagens negros vêm ao longo do tempo sendo representadas de maneira estereotipadas, nos diversos meios de comunicação como novelas, obras literárias, teatro, cinema, dentre outros, sendo o objetivo fazer uma analise de como o negro é representado na literatura de Monteiro Lobato, focalizando a problematização nos personagens de Tia Anastácia, Tio Barnabé e o próprio Saci, pois discutir essa questão sobre o racismo possibilita ampliar o debate, presente na sociedade e na ficção.

    Por: Leide Vilmal Educação> Educação Infantill 19/08/2010 lAcessos: 963 lComentário: 2

    Os personagens negros vêm ao longo do tempo sendo representadas de maneira estereotipadas, nos diversos meios de comunicação como novelas, obras literárias, teatro, cinema, dentre outros, sendo o objetivo fazer uma analise de como o negro é representado na literatura de Monteiro Lobato, focalizando a problematização nos personagens de Tia Anastácia, Tio Barnabé e o próprio Saci, pois discutir essa questão sobre o racismo possibilita ampliar o debate, presente na sociedade e na ficção.

    Por: Leide Vilmal Educação> Línguasl 11/08/2010 lAcessos: 1,540 lComentário: 1
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast