Quando usar e quando não usar a vírgula

Publicado em: 01/06/2010 |Comentário: 2 | Acessos: 5,139 |

Embora a maioria das perguntas sobre vírgula seja sobre quando se deve usá-la, começaremos a explicação por em que casos não usar a vírgula. Depois, passaremos aos casos mais freqüentes de uso.

Quando não usar a vírgula:

1. Em hipótese alguma, use vírgulas entre:

SUJEITO                    VERBO                     COMPLEMENTO DO VERBO

Essa regra não tem nenhuma exceção, nem mesmo se o sujeito da oração for enorme e seu fôlego não aguentar chegar até o verbo.

Exs.: 
Certo:
Empresários e gestores de todos as empresas almejam crescer na carreira e alcançar seus objetivos profissionais e pessoais. 
  
Errado: Empresários e gestores de todos as empresas  ,  almejam crescer na carreira e alcançar seus objetivos profissionais e pessoais. (o uso da vírgula separa sujeito do verbo)
 
Errado: Empresários e gestores de todos as empresas almejam  ,   crescer na carreira e alcançar seus objetivos profissionais e pessoais. (o uso da vírgula separa verbo do seu complemento)

2. Não usar vírgula antes de etc., pois se trata de uma abreviatura da expressão latina et cetera, que significa "e outras coisas", "e assim por diante".

Obs.: Também é condenável o uso da conjunção e antes de etc. Estariam sendo usados dois "e", um do português e outro do latim (et = e : et cetera).


Certo:
Os colaboradores fazem diversos cursos de aperfeiçoamento, pós-graduação, MBA etc.  

Errado: Os colaboradores fazem diversos cursos de aperfeiçoamento, pós-graduação, MBA, etc.

Errado: Os colaboradores fazem diversos cursos de aperfeiçoamento, pós-graduação, MBA e etc. 

Quando usar a vírgula:

1. Enumeração de mais de dois elementos:

Ex.: O processo seletivo é composto por (1) teste on line , dinâmica de grupo (2) e entrevista (3).
 
2. Para isolar o aposto explicativo (usar duas vírgulas):

Ex.: O treinamento , fundamental para a capacitação dos profissionais ,  tem ganhado cada vez mais importância nas empresas . (aposto: fundamental para a capacitação dos profissionais)
 
3. Para isolar o vocativo

Ex.: Carlos , por que você ainda não chegou à reunião? (vocativo: Carlos)
 
4. Para marcar a supressão do verbo em uma oração:

Ex.: Eu fiz um curso de Gestão de Projetos; ele , de Comunicação Escrita. (ele fez - verbo suprimido)
 
5. Para separar orações que não apresentam conjunções que as interliguem.

Ex.: Decidiu fazer um curso de MBA fora do país ,  pesquisou ,  encontrou o mais adequado para sua carreira , fez a prova de seleção, foi aprovado.
 
6. Para isolar certas expressões exemplificativas, conformação e conjunções:
Além disso, por exemplo, isto é, ou seja, a saber, aliás, ou melhor, ou antes, com efeito, a meu ver, por assim dizer, por outra, entretanto, no entanto, por isso, logo etc.
 
Ex.: Não sei se faço esse curso no próximo semestre. Ou melhor ,  nem sei se terei as quintas-feiras à noite livres para fazer o curso. (uma vírgula em início de oração)
      Você precisa se dedicar mais ao curso, escrevendo, por exemplo, mais textos e lendo mais os artigos sugeridos. (duas vírgulas quando o termo aparece no meio da oração)
 
7. Antes das conjunções mas, porém, pois, embora:
Sei que você não gosta de estudar quando é feriado ,  mas será preciso finalizar o trabalho o mais urgente possível.

Além de lembrar dessas regras, não esqueça que:

você só pontuará corretamente se dominar o sentido do seu texto. a atenção é fundamental para a correta pontuação.
Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 3 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/linguas-artigos/quando-usar-e-quando-nao-usar-a-virgula-2514380.html

    Palavras-chave do artigo:

    uso da virgula

    ,

    pontuacao

    ,

    virgula

    Comentar sobre o artigo

    O artigo trata do tema ALFABETIZAÇÃO, focando as dificuldades no aprendizado das letras e sons. Toma como referência as autoras Emília Ferreiro 2001) e Magda Soares (2003) que assinalam as dificuldades da criança em processo de alfabetização e propõem uma prática pedagógica consciente da realidade da criança. O estudo tem intenção autobiográfica peritindo uma reflexão sobre a prática do pesquisador-alfabetizador, garantindo a busca de novas abordagens e procedimentos.

    Por: Geraldo Francisco dos Santosl Educação> Educação Infantill 22/04/2011 lAcessos: 6,386
    Adriana M. de Almeida Carvalho

    Esse trabalho tem como objetivo principal mostrar como esses sinais gráficos se empregam na escrita da Língua Portuguesa, por meio da análise em diferentes gramáticas tradicionais. Para isso, fundamentamos nossa pesquisa nos embasamentos dos seguintes gramáticos: Almeida (2005), Bechara (2005), Cegalla (1998), Cunha e Cintra (2007), Faraco, Moura e Maruxo Jr (2007) e Kury (1982).

    Por: Adriana M. de Almeida Carvalhol Educação> Línguasl 23/07/2012 lAcessos: 748

    Ler em voz alta a frase e colocar vírgulas nos trechos em que o leitor respirar. Essa "regra" é muito difundida, mas não é correta.

    Por: Vívian Cristina Riol Educação> Línguasl 01/06/2010 lAcessos: 579

    Aprende-se na escola que não há vírgula antes de "e", mas há casos em que se pode sim utilizar essa combinação.

    Por: Vívian Cristina Riol Educação> Línguasl 01/06/2010 lAcessos: 766

    Uma das maiores dificuldades dos alunos de ensino fundamental, médio e superior é saber se expressar por meio da escrita. Quando chega o momento de prestar um concurso, a maior parte dos alunos fica ansioso com o momento de fazer a produção textual. Isto porque falta confiança e domínio da arte da escrever. Por meio deste texto, você descobrirá como é possível escrever uma boa produção textual.

    Por: Rosianel Educação> Línguasl 16/03/2014 lAcessos: 36
    Alvaro Posselt

    As características do haikai Diante de um haikai, o leitor que desconhece sua forma e suas regras de composição poderá achar muito fácil ou muito simples compor um. Por mais que a simplicidade seja uma das ferramentas do poema japonês, compor um haikai requer não só satisfazer as suas regras, mas também resgatar a vivência de seu autor, na qual estava o "momento do haikai", e isso implica em adquirir experiência com a prática freqüente (MARINS, 2007).

    Por: Alvaro Posseltl Literatura> Poesial 03/09/2009 lAcessos: 256

    Não se pode negar que a geração atual de estudantes, muitas vezes, sai da escola sem conhecer elementos básicos de uso da Língua Portuguesa. Isso acaba trazendo para o mercado profissionais que não lidam bem em situações concretas de escrita. Por este motivo, a comunicação acaba apresentando ruídos que poderiam ser evitados se houvesse um pouco mais de conhecimento por parte dos usuários.

    Por: Profº Baurul Educação> Línguasl 07/01/2012 lAcessos: 565
    Profª Bia Senday

    Também chamada de Fonoestilística, trata dos valores expressivos de natureza sonora observáveis nas palavras e nos enunciados. Fonemas e prosodemas (acento, entoação, altura e ritmo) constituem um complexo sonoro de extraordinária importância na função emotiva e poética, segundo Martins (2000).

    Por: Profª Bia Sendayl Educaçãol 25/08/2014

    Atualmente, em mensagens de e-mails é possível enviar diversos tipos de conteúdos (fotos, figuras, texto, html...), mas não é pelo fato de poder enviar tudo isto que você deve! Deve-se considerar os filtros anti-SPAM dos servidores de e-mails e a própria "aparência" de suas mensagens.

    Por: Júlio Araújol Internet> Marketing na Internetl 18/04/2009 lAcessos: 1,727 lComentário: 4

    O inglês é uma das línguas que possui mais palavras de todos os idiomas. De acordo com a segunda edição do dicionário Oxford English Dictionary, a língua inglesa contém 171 476 palavras atualmente usadas. Apesar do grande número de palavras que possui a língua inglesa, não precisa se desanimar - os linguistas afirmam que para você entender 95% de um texto comum em inglês, precisa conhecer apenas 2500 palavras!

    Por: MariaSl Educação> Línguasl 15/12/2014

    O projeto surgiu da necessidade de encontrarmos uma possível solução para a reutilização de tambores de papelão que seriam descartados no meio ambiente e assim, reduzindo estes materiais e reaproveitando como lixeiras para a nossa escola.

    Por: Sortineide Navarro Segural Educação> Línguasl 04/12/2014

    Este artigo tem o objetivo de enfatizar sobre a importância da linguagem no contexto escolar e também na sociedade, a leitura como princípio de sobrevivência.

    Por: SIMONE BERWIANl Educação> Línguasl 03/12/2014 lAcessos: 11

    Esse artigo estabelece as relações gramaticais com as produções textuais, de que uma depende da outra para ocorrer a comunicação.

    Por: SIMONE BERWIANl Educação> Línguasl 30/11/2014 lAcessos: 11

    Como se sabe, os estudos labovianos procuram explicar uma estreita relação em língua e sociedade por meio de pesquisas sociolinguísticas.

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Apesar de nenhum estudioso da linguagem desconsiderar a existência da variação linguística, foi Willian Labov que conseguiu criar um método que pudesse lidar com a variação, ou com o então chamado caos linguístico de uma forma científica. Esse ponto é claro para Labov, já que para ele "a língua é um conjunto estruturado de normas sociais" (LABOV, 2008, p. 19). Para Tarallo, foi Labov

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Todas as línguas oficiais dos países da Europa ocidental, com exceção do basco, provêm, segundo os linguistas, de uma mesma língua de origem, o indo-europeu, da qual fazem parte, entre outras, as ramificações dos grupos helênico (grego), românico (português, italiano, francês, castelhano, etc.), germânico (inglês, alemão) e céltico (irlandês, gaélico).

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Apesar de a disciplina Sociolinguística existir já há vários anos no curso de Licenciatura Plena em Letras e mesmo nos cursos de Especialização da Universidade do estado de Mato Grosso (UNEMAT), em Alto Araguaia, nos Trabalhos de Conclusão de Curso, ou seja, nas monografias finais, verificam-se poucos trabalhos que versam sobre tal tema.

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Em diferentes esferas de atuação profissional, percebe-se a propagação do mito de que ser profundo conhecedor de um tema basta para falar bem em público. Mas é comum assistir a discursos em público de profissionais experts – seja um diretor de uma área na empresa, um responsável por um importante projeto ou um professor renomado em uma área – e avaliar a mensagem falada como pouco clara ou o orador como pouco envolvido ou preparado.

    Por: Vívian Cristina Riol Negócios> Gerêncial 21/03/2014 lAcessos: 26

    Redigir e-mails em que é preciso negociar, estabelecer acordos ou comunicar algo que irá gerar resistência é sempre um desafio, pois cada escolha de palavras ou de informações pode impactar a relação com o leitor.

    Por: Vívian Cristina Riol Negócios> Gestãol 21/03/2014 lAcessos: 28

    Veja como se diz gol contra, dentre outras palavras recorrentes na transmissão dos jogos da Copa.

    Por: Vívian Cristina Riol Esporte> Futeboll 09/07/2010 lAcessos: 99

    Veja como a comunicação não verbal entre pessoas de diferentes países pode ser muito variada e, até, gerar problemas diplomáticos e de relacionamento.

    Por: Vívian Cristina Riol Carreira> Gestão de Carreiral 23/06/2010 lAcessos: 272

    Evite pontuar seus e-mails com ???? !!!! .... ?!?!?!?. Veja o motivo.

    Por: Vívian Cristina Riol Educação> Línguasl 23/06/2010 lAcessos: 673

    Veja como o ensino de língua pode ser divertido. Profissionais e pesquisadores da língua portuguesa constataram que o humor é uma poderosa arma para ensinar as pessoas a interpretarem e refletirem sobre a linguagem. Uma das maiores fontes humorísticas da língua é a ambiguidade, ou o conhecido duplo sentido. A má colocação das palavras em uma frase e o uso de palavras com mais de um significado são as formas mais utilizadas para provocar esse duplo sentido e, consequentemente, o riso.

    Por: Vívian Cristina Riol Educação> Línguasl 01/06/2010 lAcessos: 1,956

    Ler em voz alta a frase e colocar vírgulas nos trechos em que o leitor respirar. Essa "regra" é muito difundida, mas não é correta.

    Por: Vívian Cristina Riol Educação> Línguasl 01/06/2010 lAcessos: 579

    Aprende-se na escola que não há vírgula antes de "e", mas há casos em que se pode sim utilizar essa combinação.

    Por: Vívian Cristina Riol Educação> Línguasl 01/06/2010 lAcessos: 766

    Comments on this article

    1
    dayane 08/11/2010
    adorei
    1
    SELMA BARRETO 11/06/2010
    UMA REDAÇAO, O QUE VOCE ALMEJA NO CURSO PRE VESTIBULAR
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast