Tradição Gramatical E Ensino De Língua Portuguesa: Desafios E Perspectivas

Publicado em: 03/02/2010 |Comentário: 1 | Acessos: 1,496 |

Sabemos que muitas práticas de ensino de Língua Portuguesa têm sido insuficientes e falhas, fato que tem sido amplamente debatido nos centros acadêmicos de todo país. Na verdade estamos assistindo à ultrapassagem dos limites de uma realidade em que a gramática era - e ainda é, em muitos casos - prescrita de forma unilateral e autoritária.

Esta prática exige dos alunos a memorização e o labor por meio de exaustivos exercícios de fixação; de maneira que, no ano seguinte, já nem suspeitam sobre as regras aprendidas na série anterior. Em analogia propícia, comparamos o fato ao rompimento devastador, mas já previsto, de uma grande represa. Imagine as conseqüências para os que "dela" necessitam!

A iminência dos estudos lingüísticos tem nos proporcionado uma reflexão complexa e inovadora acerca das práticas educacionais. As propostas de discussão sobre algumas mudanças essenciais estão amparadas no debate ora travado pela sociolingüística, que atesta a relação indissociável da sociedade com a língua.

Em seu Ensino de português: do primeiro grau à universidade Muriee (2001) discute as práticas de ensino até então levadas a caba, bem como, os conceitos desta disciplina em uso na sociedade. No capítulo Reflexões sobre o ensino/aprendizagem de gramática, inicia o texto falando sobre a regra gramatical, que os alunos apreendem no dia-a-dia, em contato com um conjunto de imposições e um conjunto de liberdades.

Assim, observando-se a necessidade de uma aprendizagem significativa e contextualizada, a autora discute a necessidade do ensino da gramática. Para ela, existem distinções entre a língua oral e a escrita, lembrando que a oralidade é precedente, já que é contextualizada e instantânea, ao contrário da escrita, que é mais organizada, polida e elaborada, mesmo que seja uma transcrição da fala.

Muriee enxerga uma necessidade explícita de criação de uma gramática da oralidade, que leve em consideração os processos de interlocução, o contexto situacional e a essência fundamentalmente dialógica da comunicação verbal. Tudo isto, com vistas a uma aproximação entre a fala e a escrita, possibilitando a construção de textos escritos e orais nos mais diversos gêneros.

Acerca dos tipos de gramática, a autora enumera as seguintes:

1)     Gramática normativa, que pressupõe uma forma correta, única, que deve ser seguida, sem questionamento da realidade do educando, seu contexto sociocultural, valorizando o acerto e repudiando o"erro" etc.;

2)     Gramática descritiva, que pressupões a regra que é seguida, isto é, o trabalho é feito com base na língua como ela realmente é usada pelos escritores e falantes. Assim, o que era "errado" passa a ser considerado diferente; e

3)     Gramática internalizada, aquela que admite que as regras e estruturas básicas da língua estão na cabeça do indivíduo e que, portanto, ele já sabe, restando-lhe apenas descrer e sistematiza-los.

Com relação às metodologias, Muriee diz que é necessário aprender o sistema como ele se realiza, como funciona, conhecer o uso efetivo da linguagem e estimular a pesquisa, a análise e a síntese do material utilizado. Mas é preciso levar em conta, ainda, as necessidades diagnosticadas e aquilo que é relevante ou não para o aluno.

Ela também aborda a questão dos resultados contrários obtido pelos profissionais ao utilizarem uma metodologia antiquada e tradicional, baseada na utilização exclusiva da nomenclatura, na esperança de formar bons usuários da língua nas suas instâncias de comunicação (oral, escrita).

Com efeito, deve-se procurar levar o aluno a compreender a complexidade e a funcionalidade da Língua Portuguesa em qualquer das variantes que ela possa se manifestar. Enfim, o monopólio estabelecido pela tradição pedagógica acaba comprometendo as relações semânticas e pragmáticas da língua, causando distorção em relação ao que é e ao que não é relevante e significativo para os educandos. Panorama este que deve ser transformado com urgência, a fim de cumprir a verdadeira finalidade do ensino da Língua Portuguesa.

Referência

MURRIE, Zuleika de Felice (org). O ensino de português: do primeiro grau à universidade. São Paulo: Contexto, 2001.

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/linguas-artigos/tradicao-gramatical-e-ensino-de-lingua-portuguesa-desafios-e-perspectivas-1817863.html

    Palavras-chave do artigo:

    ensino de lingua materna

    ,

    linguistica

    ,

    tipos de gramatica

    Comentar sobre o artigo

    Cristiane Cardoso da Silva

    Esse artigo discute o papel da escola no ensino da língua portuguesa e as dificuldades de aprendizagem, na qual, o professor ao ministrar suas aulas trabalha de formas descontextualizadas com a realidade do aluno, dificultando sua compreensão da norma culta e, passam a temer as aulas. Sendo que, os maiores problemas encontrados pelos alunos são a escrita e a interpretação de texto por falta da leitura.

    Por: Cristiane Cardoso da Silval Educação> Línguasl 02/06/2009 lAcessos: 15,134 lComentário: 2

    Visando uma didática eficaz e que desperte o interesse do alunado do ensino médio noturno, esta pesquisa discutirá formas para se trabalhar com esta clientela sob a perspectiva sociointeracionista de Bakhtin, pois o processo de ensino/aprendizagem se dá na interação aluno/professor e aluno/sociedade, na assimilação das práticas sociais. Uma vez que o ensino não se faz e nem se dá na homogeneidade.

    Por: elizandral Educação> Línguasl 03/12/2010 lAcessos: 556
    Ribamar Pinho

    Língua Portuguesa: O Ensino de Gramática em uma perspectiva Textual, aborda a importância do papel da gramática, em especial na escola, a qual tem sido, muitas das vezes, apegado às regras da gramática normativa. O ensino da gramática apresenta constante problemas, tanto no ensino fundamental quanto no ensino médio, por se tratar de um ensino muito complexo, que visa o desenvolvimento do educando. A gramática é considerada para os brasileiros, o manual da Língua Portuguesa.

    Por: Ribamar Pinhol Educação> Línguasl 05/07/2011 lAcessos: 3,927

    Essa pesquisa pretende analisar as dificuldades enfrentadas pelos alunos na aplicação da gramática na produção textual e descrever a aplicação da norma culta por parte dos alunos. Verificou-se que o ensino de português está voltado para regras gramaticais ultrapassadas e não tem desenvolvido nos alunos a habilidade comunicativa em todas as suas nuances. Pretende-se assim, subsidiar os professores que desejam pautar sua atuação pedagógica numa proposta efetivamente funcional da língua.

    Por: islene dos santos roquel Educação> Línguasl 06/10/2013 lAcessos: 65
    Madah Costa

    O artigo perpassa pelas causas que dificultam o relacionamento entre o saber acadêmico - científico e a prática diária nas escolas, visando justamente refletir sobre essas dificuldades, discutindo à luz de Bagno, Travaglia e outros estudiosos o tema proposto, sob uma perspectiva mais ampla, bem como todos os aspectos que consolidam a importância deste estudo.

    Por: Madah Costal Educação> Ensino Superiorl 30/01/2013 lAcessos: 210
    Zilda Ap. S. Guerrero

    Este artigo surgiu da necessidade de se trabalhar as variações da língua sem preconceito linguístico, pois em uma sociedade como a nossa não há como negar a influência de vários povos na constituição da Língua Portuguesa. Dessa forma acreditamos que a divulgação desse material muito será útil para disseminar a inexistência da cultura do certo ou errado dentro da LP, pois somos milhões de brasileiros compartilhando a mesma língua e com toda certeza ela apresenta muitas variações.

    Por: Zilda Ap. S. Guerrerol Educação> Línguasl 08/09/2012 lAcessos: 140
    Paulo Roberto Frantz Bonilla

    O presente trabalho tem por objetivo oferecer uma contribuição para o desenvolvimento da prática da leitura de textos, em especial propagandas televisivas, nas aulas de Língua Portuguesa dos ensinos fundamental e médio, uma vez que a leitura é condição básica para acesso à cultura e à participação do indivíduo nos diferentes espaços sociais.

    Por: Paulo Roberto Frantz Bonillal Educação> Línguasl 13/09/2009 lAcessos: 3,408
    Anne Kelly

    Estamos em uma era cuja informação é alcançada em poucos segundos com o auxílio de apenas um clique: a era da internet. Praticamente todos nós estamos inseridos nesse contexto cibernético e com nossos educandos não seria diferente: estão tão ou mais conectados que nós, docentes. O "problema" é quando esses alunos resolvem escrever textos em uma linguagem inédita: o internetês.

    Por: Anne Kellyl Educação> Línguasl 30/03/2014 lAcessos: 28

    A análise do livro didático é uma atividade que deve ser promovida constantemente pelo professor, a fim de melhorar sempre sua prática docente. Escolher o melhor material a aplicar em sala de aula, mais do que isto, saber discernir os que abordam os conteúdos da melhor forma possível. Este estudo buscou analisar o livro didático Trajetórias da palavra de Celina Diaféria e Mayra Pinto, Língua Portuguesa, do 9º ano do ensino fundamental. Como este material didático se compromete com o ensino de

    Por: Vanuire de Almeida Xavierl Educação> Línguasl 07/07/2013 lAcessos: 68

    O inglês é uma das línguas que possui mais palavras de todos os idiomas. De acordo com a segunda edição do dicionário Oxford English Dictionary, a língua inglesa contém 171 476 palavras atualmente usadas. Apesar do grande número de palavras que possui a língua inglesa, não precisa se desanimar - os linguistas afirmam que para você entender 95% de um texto comum em inglês, precisa conhecer apenas 2500 palavras!

    Por: MariaSl Educação> Línguasl 15/12/2014

    O projeto surgiu da necessidade de encontrarmos uma possível solução para a reutilização de tambores de papelão que seriam descartados no meio ambiente e assim, reduzindo estes materiais e reaproveitando como lixeiras para a nossa escola.

    Por: Sortineide Navarro Segural Educação> Línguasl 04/12/2014

    Este artigo tem o objetivo de enfatizar sobre a importância da linguagem no contexto escolar e também na sociedade, a leitura como princípio de sobrevivência.

    Por: SIMONE BERWIANl Educação> Línguasl 03/12/2014 lAcessos: 11

    Esse artigo estabelece as relações gramaticais com as produções textuais, de que uma depende da outra para ocorrer a comunicação.

    Por: SIMONE BERWIANl Educação> Línguasl 30/11/2014 lAcessos: 11

    Como se sabe, os estudos labovianos procuram explicar uma estreita relação em língua e sociedade por meio de pesquisas sociolinguísticas.

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Apesar de nenhum estudioso da linguagem desconsiderar a existência da variação linguística, foi Willian Labov que conseguiu criar um método que pudesse lidar com a variação, ou com o então chamado caos linguístico de uma forma científica. Esse ponto é claro para Labov, já que para ele "a língua é um conjunto estruturado de normas sociais" (LABOV, 2008, p. 19). Para Tarallo, foi Labov

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Todas as línguas oficiais dos países da Europa ocidental, com exceção do basco, provêm, segundo os linguistas, de uma mesma língua de origem, o indo-europeu, da qual fazem parte, entre outras, as ramificações dos grupos helênico (grego), românico (português, italiano, francês, castelhano, etc.), germânico (inglês, alemão) e céltico (irlandês, gaélico).

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Apesar de a disciplina Sociolinguística existir já há vários anos no curso de Licenciatura Plena em Letras e mesmo nos cursos de Especialização da Universidade do estado de Mato Grosso (UNEMAT), em Alto Araguaia, nos Trabalhos de Conclusão de Curso, ou seja, nas monografias finais, verificam-se poucos trabalhos que versam sobre tal tema.

    Por: Pollleyka Fraga dos Santosl Educação> Línguasl 30/11/2014

    Trata-se de uma Atividade Avaliativa elaborada para os alunos do Curso de Cadista, oferecido em Nanuque-MG. O trabalho torna-se relevante, uma vez que possibilita a reflexão das pessoas que atuam na área de Gestão de Recursos Humanos, sobre as estratégias relacionadas à Motivação e à Qualidade de Vida no Trabalho – QVT.

    Por: RENATO PEREIRA AURÉLIOl Negócios> Administraçãol 28/02/2014 lAcessos: 46

    A atual situação em que se encontra a educação no país revela a ineficiência claramente constatada em relação à formação de leitores e escritores efetivos, capazes de compreender não apenas os enunciados escritos, mas também outros de natureza não-verbal. Nesta perspectiva, tona-se necessário que a escola promova ações capazes de colaborar para a redução deste problema. Com efeito, o Projeto Viva Linguagem! torna-se relevante quando se pensa que os indivíduos necessitam cada vez mais, utilizar

    Por: RENATO PEREIRA AURÉLIOl Educação> Línguasl 18/05/2011 lAcessos: 382

    Comments on this article

    0
    thaina 06/10/2010
    oi eu sou soudeira e quero aruma um namorado !!! e eu tenho 10 anos .
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast