A Cidade Em Que Jesus Passou

Publicado em: 22/09/2009 |Comentário: 1 | Acessos: 1,018 |

            A cidade do Rio de Janeiro de Jesus nem sempre foi assim. Não havia desenvolvimento e tanta gente a se aglomerar, pobres e ricos, buscando algo inexplicável. Na verdade o lugar não tinha esse nome, chamava-se Rio de Janeiro do Pará. Porque foi arquitetada para ser capital, ser uma cidade maravilhosa. Mas como o Nordeste é muitas vezes esquecido na planilha do governo, a sonhada capital ficou apenas no papel. As obras ficaram pela metade, sem asfalto, sem luz elétrica, sem esgoto, sem condições de vida. Mesmo assim a cidade fantasma atraiu muita gente. Famílias que perdiam suas roças, ficaram sabendo da cidade abandonada que poderia ser o começo de uma nova vida. Retirantes que andarilhavam pela poeira do Pará, também se instalavam na nova cidade.  E principalmente aqueles ditos “foras da lei”, que encontraram ali o refúgio perfeito da sociedade.

            Então o lugar populacionou-se, como o Rio de Janeiro, como a capital que deveria ser. Cada um acomodou-se como podia. Uns terminaram suas casa, outros nem tanto, outros até destruíram mais aquele lugar. Assim nasceu o Rio de janeiro do Pará, com arquitetura inacabada, populosa, atrativa para quem não tinha mais nada na vida e inexistente no mapa das autoridades políticas.

            Rio de Janeiro do Pará tornou-se Rio de Janeiro de Jesus, depois de muitos anos de habitação. Quando o asfalto, a água potável, o esgoto e a luz elétrica começavam a surgir em alguns bairros da cidade. Por conta de políticos que descobriram o novo eleitorado e em suas campanhas presenteavam aquela gente sofrida, para conseguir os votos decisivos, depois sumiam. Acredite quem quiser que a mudança do nome da cidade é atribuída a um menino, cuja história atraiu mais gente sofrida para o Rio de Janeiro do Pará.

            Era uma criança de fazer dó, dizia o povo.Cega de nascença e o parto complicado causou-lhe seqüelas nas pernas. Aos cinco anos apenas engatinhava, muito fraco e doente, talvez também pela escassez de alimento. O único leite que tomou foi o da mãe. A cabra, chamada de ingrata, que alimentou seus oito irmãos, morreu antes de ajudá-lo a crescer, por certo também já não tinha mais forças. Sem comida, o leite da mãe secava rápido, a cabra, mais forte, continuava no sustento dos filhos. Até que um dia seu leite também secou e ela morreu, dizem até que de desgosto, pois enquanto alimentava os filhos de seu dono, seu filhinho morreu de fome.

            O pai e a mãe dessa criança chegaram à nova cidade também atraídos pela esperança de nova vida. Trouxeram consigo já dois filhos, eram mais quatro na favela. E depois foram procriando, até que veio o Pedrinho. “Coitadinho”, diziam todos, “antes morrer do que viver assim”. Mas a família tinha fé e esperança de  que aquele estado era passageiro, no entanto durava cinco anos.

            Aconteceu que aquele ano parecia mesmo trazer boas novas. O quintal deu feijão para comer por dois meses. O poço não secou. A horta resistiu a estiagem. Os meninos encontraram uma cabra perdida na estrada de cana. O pai havia conseguido um emprego fixo em uma fazenda de cana-de-açúcar. Pedrinho estava mais fortinho e já conseguia se equilibrar segurando em um móvel. Só a visão não tinha jeito, “era vontade de Deus”, dizia aquela gente humilde.

            Mas apesar do sofrimento, Pedrinho tinha a inteligência de um adulto, mas claro a inocência de uma criança de cinco anos. Como todo cego sua audição era aguçada e ouvia coisas que ninguém imaginava, talvez fosse por isso tão inteligente.

            Já em meados de Dezembro, sentado a porta de sua casa ouviu duas senhoras falarem sobre um tal de Jesus Cristo. Rastejou rápido e chegou mais perto, as senhoras nem perceberam e continuaram a narrar os milagres de Jesus na Terra. O menino de repente ficou de pé e chamando a atenção das velhas perguntou:

            - Onde posso encontrar esse senhor!

            As senhoras espantadas, pois ainda não haviam tomado conhecimento da criança, passaram apara a ironia:

            - Que isso menino! Jesus já morreu, está junto de Deus, não podemos alcançá-lo.

            - Mas ele iria curar-me, se eu o encontrasse.

            -Você nunca o encontrará e o seu mal não tem cura, é vontade de Deus...

            Então a criança entrou para seu casebre, com um fio de lágrimas nos olhos e outro de esperança no coração. Sua mãe ao ver aquele coraçãozinho aflito, interrogou:

            - O que se passa com o meu Menino-Anjo?

            - Mamãe, eu quero falar com Jesus, pedir para ele curar-me.

            - Meu menino-Anjo, a única forma de falarmos com Jesus é rezando.

            - Mamãe, ensina-me então a rezar ?

            Na noite de Natal, como aquele ano era de fatura para eles, foi possível organizar uma pequena ceia da maneira que a humildade daquela família permitia. Na mesa cheia, mais de gente do que de comida, o pai levanta-se e começa a agradecer a Deus por aquele ano de fartura e pede ajuda para o próximo ano. Pedrinho chama a atenção de todos interrompendo o pai.

            - Papai, eu também sei rezar, a mamãe ensinou-me. Eu quero rezar para Jesus Cristo, pedir para ele vir curar-me.

            Os irmãos começaram a rir, o pai logo ralhou com os meninos. Na face da mãe viam-se duas lágrimas rolarem.

            Ao cantar do primeiro galo a mãe acordou, viu algum movimento junto à cama dos meninos. Pulou logo da cama para colocar Pedrinho novamente entre os irmãos, estava brincando no chão. A mãe sentiu a presença de alguém ali naquele lugar, não eram seus filhos e nem seu marido, era uma presença maior.

            - Mamãe, a senhora é tão linda...

            A mãe no espanto quase soltou a criança no chão. Como ele sabia que ela é bonita. Pôs em sua frente um brinquedo e perguntou se ele via, o menino sorrindo respondeu:

            - Mamãe, eu vejo tudo, Ele curou-me.

            A mãe aos soluços sai gritando pela casa e acordando todos. Logo saiu a família toda para a rua, chamando a todos para ver o milagre. Os lampiões e as poucas lâmpadas iam acendendo-se uma a uma, até que toda cidade andava em procissão louvando o menino que esteve com Jesus. Foi assim que Rio de Janeiro do Pará passou a chamar-se Rio de Janeiro de Jesus, “a cidade onde o Filho de Deus esteve”.

            Até hoje ninguém sabe ao certo a verdade. Mas a casa de Pedrinho virou um santuário e ainda há quem conte fielmente a passagem de Jesus por aquela casa. Essa história intensificou a atenção do povo para a cidade. Veio gente de toda parte do país para morar na cidade de Jesus. Todas as classes sociais, almejando ver o Cristo. Assim a cidade cresceu e progrediu. Saiu da poeira, da escuridão e da insalubridade.

            Os ateus atribuem o desenvolvimento da cidade ao governo e aos grandes fazendeiros que ali se instalaram. Mas ignoram a história de Pedrinho, pois não conseguem explicar o que aconteceu naquela noite de Natal.

 

 

 

 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/literatura-artigos/a-cidade-em-que-jesus-passou-1255776.html

    Palavras-chave do artigo:

    milagre

    Comentar sobre o artigo

    DEUS E O UNICO QUE PODE REALIZAR MILAGRES , NA VIDA DE MARIA , ELE REALIZOU O MILAGRE DA CONCEPCAO E MARIA GEROU JESUS .

    Por: Julio Nerisl Religião & Esoterismo> Evangelhol 01/12/2012 lAcessos: 18
    JOSÉ VALDIR EMÍLIO

    Milagres acontecem todos os dias da nossa vida, mas nós nem notamos tais acontecimentos, pois estamos aterefados com nossos afazeres diários.

    Por: JOSÉ VALDIR EMÍLIOl Religião & Esoterismo> Religiãol 25/05/2010 lAcessos: 197 lComentário: 1
    Odalberto Domingos Casonatto

    Narra a experiência vivida pelo Biblista na participação da minissérie os milagres de Jesus, com estréia no dia 22 de janeiro na TV Record. Serão 18 milagres de Jesus transformados em história (romance) culminando com o milagre. Jesus e os apóstolos aparecem somente no final do episódio, o rosto de Jesus não aparece. No momento dos milagres, aparecerá, aos mão de Jesus e feixes de Luz. Será filmado no Brasil e o elenco é de artistas brasileiros. O Biblista revisou os roteiros dos milagres

    Por: Odalberto Domingos Casonattol Religião & Esoterismo> Evangelhol 11/01/2014 lAcessos: 42
    Ivan Guedes

    Por que Jesus realizou milagres. Os evangelistas selecionam alguns destes milagres para ilustrar que Jesus não era apenas mais um milagreiro, mas o filho de Deus.

    Por: Ivan Guedesl Religião & Esoterismo> Evangelhol 23/10/2010 lAcessos: 200 lComentário: 1
    Odalberto Domingos Casonatto

    No dia 22 de janeiro, a TV Record, iniciou a apresentação da minissérie "Os Milagres de Jesus" 18 capítulos. Academia Filmes se empenhou em filmar os episódios. Aceitou o desafio, utilizando a paisagem brasileira e artista brasileiro. Tive oportunidade, a convite da Academia Filmes, como biblista, reler os 18 episódios, me envolvendo em um trabalho que ocupou 7 meses. O relato abaixo mostra um pouco os bastidores do segundo episódio da série: A Mulher encurvada. Apostamos no sucesso da série.

    Por: Odalberto Domingos Casonattol Religião & Esoterismo> Evangelhol 09/02/2014 lAcessos: 52

    Nos peparamos com milagres todos os dias e mesmo assim ainda questionamos se tem alguem a nos proteger

    Por: Anderson Balderrama dos Reisl Literatura> Ficçãol 18/10/2009 lAcessos: 142
    Prof. JV de Miranda Leão Neto

    Após quase dois anos de estudo comentado sobre o livro "MILAGRES" de CS Lewis, esse autor decide tornar público aquilo que somente seus alunos e grupos virtuais receberam.

    Por: Prof. JV de Miranda Leão Netol Religião & Esoterismo> Religiãol 31/08/2010 lAcessos: 156

    Pode-ser ser deísta e não se crer em milagres É possível acreditar num deus, mas não em milagre? Muitos não crêem nem num nem noutro, porém se sentem constrangidos de dizer que são descrentes na existência de uma força sobrenatural que teria criado o mundo e acompanharia todos os detalhes da vida de bilhões de seres (humanos ou não), desde o nascimento até a morte. Preferem não revelar publicamente a condição de ateu.

    Por: Cleofas Reisl Religião & Esoterismol 26/08/2010 lAcessos: 95
    MONICA GAZZARRINI

    Mesmo que você seja um especialista nas suas funções, não deixe de dar ouvidos ao Senhor Jesus e fazer exatamente o que Ele lhe revela: o milagre e a vitória recebidos serão imensamente maiores do que você, mesmo com todo o seu conhecimento técnico, poderia realizar.

    Por: MONICA GAZZARRINIl Religião & Esoterismo> Evangelhol 07/11/2010 lAcessos: 375
    MONICA GAZZARRINI

    Quando Deus se manifesta em qualquer área da nossa vida, mesmo que não falemos nada, as pessoas ao nosso redor percebem que tivemos as mãos de Deus voltadas para aquela questão.

    Por: MONICA GAZZARRINIl Religião & Esoterismo> Evangelhol 05/12/2011 lAcessos: 33

    Através do ensino de literatura estaremos levando aos nossos alunos ao conhecimento do fenômeno literário em seus aspectos: histórico-estético-cultural, através do contato com os artistas da palavra. Sendo a obra literária reflexo de vida, exteriorização verbal de uma experiência humana, nós, professores, evidentemente faremos uso dela para orientar a educação integral dos nossos alunos.

    Por: Sandra da Silva Cavalaro Zagol Literatural 29/07/2014

    Na poesia, o elemento diferenciador – o verso e tudo que nele se implica -, não deve ser tomado como recurso exclusivo e caracterizado da poesia, pois ela exprime-se por metáforas, tomadas no sentido genérico de figuras de linguagem, isto é, significantes carregados de mais de um sentido, ou conotação. a prosa é genericamente entendida com aposta ao verso.

    Por: Sandra da Silva Cavalaro Zagol Literatural 29/07/2014

    A literatura é uma forma de conhecimento da realidade que se serve da ficção e tem como meio de expressão a linguagem artisticamente elaborada. Esta nossa definição apresenta, de uma forma sucinta, a natureza e a função da literatura, bem como sua diferenciação das ciências e das outras artes.

    Por: Sandra da Silva Cavalaro Zagol Literatural 29/07/2014
    Jeferson Lopes Ribeiro

    Uma introdução ao conto. Uma espécie de continuação de contos de filhos de deuses, como hércules filho de Zeus e Percy Jackson filho de Posseidon.

    Por: Jeferson Lopes Ribeirol Literatural 25/06/2014 lAcessos: 14

    O lançamento da M.books deste mês examina as táticas de combate preferidas pelos alemães e pelos Aliados, em um trabalho conjunto de comando e controle da artilharia, dos tanques, da infantaria e da aviação, que atingiu um nível de sofisticação jamais visto naquela época.

    Por: Patricia Rosa da Silval Literatural 07/05/2014 lAcessos: 21
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Ficção, ficção. Pura ficção. Sem sedição. Como sinérese. Exatamente literária. Diria até delírio. Não existe sujeito. Na concordância nominal. Ausência de ótica.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatural 01/03/2014 lAcessos: 19

    Depoimento autobiográfico inspirado por uma das mais influentes figuras políticas de nosso país: Juscelino Kubitschek.

    Por: lachatrel Literatural 25/02/2014 lAcessos: 21
    Miriam de Sales

    Uma visita a velhos sebos é muito importante para o leitor;lá podemos descobrir até edições raras e livros perfeitos a custo baixo.Uma ideia jocosa sobre como livros vão parar nos sebos vvai diverti-lo,amigo leitor.

    Por: Miriam de Salesl Literatural 26/01/2014 lAcessos: 16

    Narrativa sobre uma suposta cidade que existiu há alguns anos atrás, porém sem nenhum registro encontrado. Apenas desenhos empoeirados em uma exposição teimam em afirmar que a cidade realmente existiu.

    Por: Adriana Paula Martinsl Literatural 24/09/2009 lAcessos: 104

    Comments on this article

    0
    Sofia 22/02/2011
    Puta!
    0
    dril 16/12/2010
    nossa,é jesus morreu mais resusitou au 3 dia ,e ele vem buscar a sua igreja se prepare...
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast