Franklin Távora

Publicado em: 04/09/2008 |Comentário: 0 | Acessos: 4,862 |

FRANKLIN TÁVORA

Franklin Távora, um grande escritor cearense que escreveu uma obra importantíssima enfocando a vida dos índios brasileiros, e principalmente os silvícolas cearenses. Em sua obra “Os índios do Jaguaribe” ele conta detalhes e nuanças sobre os índios da região jaguaribana no hinterland cearense. Franklin Távora (João F. da Silveira T.), advogado, jornalista, político, romancista, teatrólogo, nasceu em Baturité, CE, em 13 de janeiro de 1842, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 18 de agosto de 1888. É o patrono da Cadeira n. 14, por escolha do fundador Clóvis Beviláqua. Franklin Távora migrou muito cedo para a cidade de Recife no vizinho estado de Pernambuco. Na segunda metade do século XIX, Franklin Távora sabe aproveitar-se da crise do Romantismo, inaugurando, na literatura e no pensamento brasileiros, novos caminhos em direção ao Realismo e ao Naturalismo.

Cumprindo esse movimento, ele encontra as contradições de quem vive uma época de transição. As obras de Franklin se dividem em duas etapas: as de recife e as cariocas (Rio de Janeiro). Na segunda metade do século XIX, Franklin Távora sabe aproveitar-se da crise do Romantismo, inaugurando, na literatura e no pensamento brasileiros, novos caminhos em direção ao Realismo e ao Naturalismo. Cumprindo esse movimento, ele encontra as contradições de quem vive uma época de transição. Na  fase literária recifense eatão as seguintes obras: Trindade maldita (contos, 1861); Os índios do Jaguaribe (romance, 1862); A casa de palha (romance, 1866); Um casamento no arrabalde (romance, 1869); Um mistério de família (drama, 1862) e Três lágrimas (drama, 1870). Existe em discussão de quem foi o primeira escritor indianista do Brasil.

A maioria afirma ter sido José de Alencar com o lançamento do livro Iracema. Três anos antes de Alencar lançar Iracema, Franklin Távora teria presenteado o conterrâneo com um volume do livro, Os índios do Jaguaribe, e José de Alencar teria dito que aquele livro ainda teria que ser bastante descascado. Por esse motivo, muitos estudiosos afirmam que Franklin Távora foi o primeiro romancista indianista do Brasil. “Por um lado, privilegiando uma observação direta da realidade, ele abdica do privilégio da sonhadora imaginação romântica para o processo criador”. Nesse sentido, ele incorpora a técnica cientificista como propiciadora de novas conquistas para a manifestação das percepções do mundo e sonhará com uma sociedade industrializada que venha transformar a natureza tão celebrada pelos românticos em uma onda progressista de novas tecnologias. Por outro lado, ele será o primeiro a dar voz teórica e prática a um regionalismo que vê no Nordeste e no Norte do Brasil, supostamente mais puro do que o Sul e o Sudeste, a possibilidade de alcançar uma literatura eminentemente nacional.

Com essa vidência, ele inaugura, precocemente, um movimento que, com Gilberto Freyre e muitos autores da geração de 30, terá toda a sua força. “João Franklin da Silveira Távora nasceu em Baturité, CE, em 1842 e morreu em 1888 no Rio de Janeiro”. Nas obras publicadas quando se mudou para o Rio de Janeiro podemos destacar as seguintes: “Cartas de Semprônio a Cincinato” (crítica, 1871); O Cabeleira (romance 1876); Considerado um dos melhores livros feito pelo propio; O matuto (crônica 1878); Lourenço (romance 1878); Lendas e tradições do norte (folclore, 1878); O sacrifício (romance 1879). Os livros de franklin Távora fizeram tanto sucesso que alguns já desapareceram do mercado. Índios do Jaguaribe é um deles. As editoras brasileiras deveriam voltar suas vistas para as obras desse grande cearense que se destacou em recife, no Rio de Janeiro e no Brasil inteiro. Completando a sua biografia queríamos citar novamente algumas nuanças sobre Franklin.

João Franklin da Silveira Távora, nasceu na cidade interiorana e serrana de (Baturité, 13 de janeiro de 1842— Rio de Janeiro, 18 de agosto de 1888) foi um advogado, jornalista, político, romancista e teatrólogo brasileiro. Já pelos meados de 1884 transferiu-se com os pais para Pernambuco. Fez preparatórios em Goiana e Recife, em cuja Faculdade de Direito matriculou-se em 185, formando-se em 1863. Lá viveu até 1874, tendo sido funcionário público, deputado provincial e advogado, com breve intervalo em 1873 no Pará, como secretário de governo. Em 1874, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi funcionário da Secretaria do Império. Vejam como é bastante rica e com muitos detalhes a vida desses escritor e romancista cearense.

Iniciou o romantismo de caráter regionalista no Nordeste. Uma de suas obras mais marcantes é O Cabeleira, romance passado em Pernambuco do século XVIII. Foi crítico ferrenho de outros grandes autores brasileiros, como José de Alencar. Essa briga se deu pelas afirmou de José de Alencar que estão nas entrelinhas desta matéria. Pelo seu grande valor literário foi justamente homenageado pela Academia Brasileira de Letras, é o patrono da cadeira de número 14, escolhido por Clóvis Beviláqua, outro cearense que se destacou nas ciências jurícas.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI-ALOMERCE E AOUVIR/CE

 

 




 

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 25 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/literatura-artigos/franklin-tavora-549252.html

    Palavras-chave do artigo:

    indianista grande escritor polemica com jose de alencar

    Comentar sobre o artigo

    Jeferson Lopes Ribeiro

    Uma introdução ao conto. Uma espécie de continuação de contos de filhos de deuses, como hércules filho de Zeus e Percy Jackson filho de Posseidon.

    Por: Jeferson Lopes Ribeirol Literatural 25/06/2014

    O lançamento da M.books deste mês examina as táticas de combate preferidas pelos alemães e pelos Aliados, em um trabalho conjunto de comando e controle da artilharia, dos tanques, da infantaria e da aviação, que atingiu um nível de sofisticação jamais visto naquela época.

    Por: Patricia Rosa da Silval Literatural 07/05/2014
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Ficção, ficção. Pura ficção. Sem sedição. Como sinérese. Exatamente literária. Diria até delírio. Não existe sujeito. Na concordância nominal. Ausência de ótica.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatural 01/03/2014 lAcessos: 14

    Depoimento autobiográfico inspirado por uma das mais influentes figuras políticas de nosso país: Juscelino Kubitschek.

    Por: lachatrel Literatural 25/02/2014 lAcessos: 16
    Miriam de Sales

    Uma visita a velhos sebos é muito importante para o leitor;lá podemos descobrir até edições raras e livros perfeitos a custo baixo.Uma ideia jocosa sobre como livros vão parar nos sebos vvai diverti-lo,amigo leitor.

    Por: Miriam de Salesl Literatural 26/01/2014 lAcessos: 14
    ADILSON MOTTA

    É um filme muito rico, recomendado para professores e alunos. Nele, a revolução e luta por um mundo melhor começa na sala de aula, na prática pedagógica, onde valores, ideais, filosofia e ideologia se mesclamna finalidade da auto descoberta e deixa antever a educação como instrumento de Inclusão Social. Neste, o coração da educação é a educação do coração - e cada sujeito aprendiz é um potencial escritor das páginas da memória de um mundo da própria existência.

    Por: ADILSON MOTTAl Literatural 18/01/2014 lAcessos: 26

    A pintura de Caravaggio é uma peculiaridade na história da arte. Contida no jogo de contrastes, principalmente, envolvida em uma intensidade de sombra e nuances de luz, as telas são um verdadeiro teatro pictórico, que provocam estranheza e as mais distintas sensações aos apreciadores.

    Por: Tarcizio Antônio G. Barbosal Literatural 17/01/2014 lAcessos: 114

    Em noite de lua cheia seus olhos brilhavam e os meus tristonhos e vermelhos te fitavam... Algo incomum acontecia e eles ardiam, seria a sua beleza que irradiava amor em forma de energia. Ou eu estava extasiado com sua beleza e acumpliciado com seu perfume renitente que sentia. As estrelas brilhavam no firmamento, sua luz altaneira parecia um astro em tom maior, os pirilampos saltitavam com vigor.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatural 11/01/2014

    Na vida de Jesus existem muitas coisas que jamais saberemos por falta de provas significativas e uma delas é sobre a paternidade de Jesus. Será que Maria teria casado depois da morte de José? O novo enterro de Jesus em uma tumba, assuntos em que o encontro entre a fé e a história se dá de maneira tensa. Jesus tinha um pai e uma mãe humanos. É provável, segundo estudiosos que Maria, sua mãe, depois que sua família já a prometera em casamento a um homem mais velho, José, tenha ficado grávida de ..

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 16/07/2014

    Aprendemos que todos os vícios prejudiciais às forças psicossomáticas, que arruínam a saúde e apressam a morte (e se incluem o alcoolismo, a glutonaria, o tabagismo, a toxicomania, etc.) representam formas de suicídio indireto, levando o Espírito, "post-mortem", a um sentimento de culpa tanto mais penoso quanto maiores tenham sido os abusos cometidos. Ressalte-se que: A vida humana é, pois, cópia da vida espiritual, nela se nos deparam em ponto pequeno, todas as peripécias da outra.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 15/07/2014

    Pesquisas recentes apontam que os principais motivos que levam o hominal a utilizar drogas são as seguintes mazelas: curiosidade; influência de amigos, que é o fato mais comum, vontade; desejo de fuga (em especial os problemas familiares); coragem (para tomar uma atitude que sem o uso dessas substâncias não seria possível); dificuldade em enfrentar e/ou suportar situações difíceis, hábito; dependência (comum); rituais; busca por situações de prazer,

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Lar e Família> Adolescentesl 14/07/2014

    Alvitrei meus pensamentos num bordão Cirineico, consciencialmente de maneira contributiva com um grande deotropismo. No seu dileto âmago não há ações ególatras, mas sim encômios para ensejar liberdades e não enxovias, Os espúrios devem ser alijados da nossa convivência sem extreme e, que suas missões sejam exógenas para fruírem de maneira haurida e, se possível com heliotropismo brilhante com ações hercúleas sem impertérrito, e sem imposições, nem atos que incandesçam os olhos de qualquer ser...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Notícias & Sociedade> Cotidianol 11/07/2014

    Tenho uma vontade incontida e um amor a explorar, no entanto, os encantos, as belezas reluzem em escalada forte como se um rasgo me ferisse, e os véus dentro de mim perdessem o brilho, o encantamento, e eu passasse a sofrer essa profunda transformação, visto que veias abertas dentro do meu coração podem formar um vendaval de esteios, como se fossem bordados emoldurados por meu sangue que percorre o corpo formando um ciclo esplendoroso chamado vida. Meu sangue num vai e vem se transforma em ...

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 08/07/2014

    O amor em delírio é uma fonte de energia revigorante, que faz qualquer coração sentir os efeitos benéficos desse remédio alucinante. Jamais devemos seduzir através da dor, mas do carinho, do afago, da conversação amiga, meiga e encantadora, que geram fluidos benéficos e homéricos, frutíferos e saudáveis para levar a nossa esperança aos píncaros da glória sensitiva e acolhedora. Os suores fazem parte dessa sensação maravilhosa, que muitas vezes nos tomam de surpresa, mas a suavidade é tanta que p

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Poesial 08/07/2014

    O amor puro e radioso é o reflexo das obras do criador o nosso Pai Celestial em todas as criaturas. Brilha incessantemente em nossos corações que palpitam nas mesmas vibrações de beleza e sabedoria. Sabedoria e beleza duas palavras de sinonímias generosas, pois o somatório nos conduzirá a uma vida harmoniosa e condizente com os nossos pendores divinais. São fundamentos fortificados por Deus, pois são exemplos de vida e justiça de toda a lei. Estamos nesse orbe abençoado e divino para praticarmos

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatura> Crônicasl 02/07/2014

    Muito se fala sobre a vida de Jesus (o Cristo), o único Espírito Puro a pisar no Orbe terrestre. Não se sabe ao certo o dia, mês e ano em que ele nasceu, no entanto, devemos frisar que existem 80.000 livros que falam sobre a vida de Jesus e 1.000 cursos sobre religião e ciência no mundo. Veja a importância que Jesus tem para a humanidade. A definição de humano tem como base os adjetivos: bondoso, humanitário, humildade. Conhecido taxonomicamente como Homo sapiens do latim "homem sábio",

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Religião & Esoterismo> Religiãol 02/07/2014
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast