Letramento

Publicado em: 15/04/2009 |Comentário: 5 | Acessos: 9,908 |

O termo letramento, mencionado pela primeira vez nos anos 80, começou a ter destaque no meio educacional na medida em que a alfabetização foi entendida como um processo complexo de aprendizagem lingüística. Em meio a essas transformações, o letramento veio ampliar o sentido da alfabetização e propiciar o entendimento da dimensão sócio-cultural do aprendizado da língua escrita, uma vez que esse aprendizado ocorre através da relação entre o sujeito e a cultura da sociedade em que vive (COLELLO, 2006).

O objetivo desse estudo é definir o significado do termo letramento e contextualizá-lo, estabelecendo sua relação com a alfabetização e a importância do entendimento do professor à cerca desse tema para assim, auxiliar e promover o desenvolvimento de um indivíduo realmente letrado e alfabetizado.

LETRAMENTO X ALFABETIZAÇÂO: O PAPEL DO EDUCADOR

Denomina-se letramento o processo de aprendizado da lingüística, através da convivência com materiais escritos diversos e de práticas de leitura e escrita.

Sabe-se que o ambiente em que o indivíduo está inserido pode ser um grande facilitador para o processo de letramento. Isso acontece quando no meio em que se vive é praticado leituras diversas, conversas sobre as leituras realizadas, enfim, é dado o exemplo de um modelo cultural letrado. Além disso, o estímulo a essas práticas é de suma importância para o processo de aprendizagem.

            Entretanto, com essas definições de letramento, surge a questão: qual a sua diferença em relação à alfabetização?

Alfabetização é o processo de aquisição de habilidades para a leitura e a escrita, enquanto o letramento usa essa habilidade para alcançar diferentes objetivos. (COLELLO, 2006). Portanto, o letramento permite uma relação diferenciada do indivíduo com a sociedade, permitindo-lhe uma conexão mais profunda com seu próprio contexto sócio-cultural.

Tfouni (1995, p. 20) apud Colello (2006) alerta para a diferença no nível social da alfabetização e do letramento:

 

“Enquanto a alfabetização se ocupa da aquisição da escrita por um indivíduo, ou grupo de indivíduos, o letramento focaliza os aspectos sócio-históricos da aquisição de uma sociedade”.

 

 

Vale ressaltar as idéias de Colello (2006) que afirma que a alfabetização e o letramento são processos paralelos, todavia se complementam, pois o ato de alfabetizar deve incluir o letramento na sua dinâmica.

Entender a diferença entre letramento e alfabetização permite que o educador compreenda a necessidade de desenvolver o olhar e a escuta para o processo de aprendizagem e as percepções do educando (GARCEZ, 2005).

Outra consideração que se deve fazer é referente às idéias de Bunzen (2006) quanto à qualidade dos livros didáticos e o uso que os professores de língua fazem desses recursos. O professor deve oportunizar, através da utilização racional dos recursos didáticos que aluno desenvolva sua própria aprendizagem e conhecimento. A respeito da qualidade dos livros infantis, Mattos (2003) apresenta em seu trabalho um apanhado de publicações interessantes para o educando se integrar nesse mundo da escrita e da leitura.

Através das considerações apresentadas, pode-se perceber que o termo letramento é muito abrangente e não pode ter uma definição simplista. Não existe nível zero de letramento e ele não é fixado pelo grau de alfabetização, por isso, mesmo um analfabeto pode apresentar níveis significativos de letramento, enquanto alguém alfabetizado pode ter dificuldades em exercer o letramento. O fato de ser um cidadão letrado facilita a relação com o meio em que se vive e em vista da importância de se desenvolver o letramento, o educador deve dar subsídios para que esse processo ocorra durante o processo de alfabetização do aluno.

REFERÊNCIAS

 BUNZEN, Clecio. Um estudo sobre a recepção do gênero livro didático de língua portuguesa: implicações para a formação do professor. [2006]. Disponível em: <www.letramento.iel.unicamp.br/pesquisas/pesquisa_iel/livro_didatico_clecio_bunzen. htm> Acesso em: 16 jun. 2006.

 

MATTOS, Margareth Silva. Letramento e Leitura da Literatura. [2003]. Disponível em: < www.tvebrasil.com.br/salto/boletins2003/lll/tetxt5.htm> Acesso em: 16 jun. 2006.

 

GARCEZ, Sabrina. Como ler e escrever antes da primeira série do Ensino Fundamental. Revista do professor. Porto Alegre, v.21, n.82, p. 5-7, abr./jun. 2005.

 

COLELLO, Silvia M. Gasparian. Alfabetização e Letramento: Repensando o Ensino da Língua Escrita. [2006]. Disponível em: <http://www.hottopos.com/videtur29/silvia.htm> Acesso em: 16 jun. 2006.

 

PEIXOTO, Cyntia Santuchi, SILVA, Eliane Bisi da, SILVA, Ivan Batista da et. al. Letramento: Você pratica? [2006]. Disponível em: <http://www.filologia.org.br/viiicnlf/anais/caderno09-06.htm> Acesso em: 16

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/literatura-artigos/letramento-868223.html

    Palavras-chave do artigo:

    letramento

    ,

    linguistica

    ,

    alfabetizacao

    Comentar sobre o artigo

    RESUMO Este artigo foi realizado pelas alunas do 7º semestre do curso de Letras português/espanhol do Centro Universitário _UNIVAG, realizado durante o estágio supervisionado, ma Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio “Profº Nilo Povoas”, no município de Cuiabá_mt. As perspectivas são: questões de linguagem a serem trabalhadas no ensino Línguas estrangeiras como uma habilidade básica descontextualizada; concepção de linguagem como prática social imersa em condições locais (letramento). As divergências encontradas referem-se: ao conceito de alfabetização/letramento, ao potencial atribuído à alfabetização para o desenvolvimento nacional e melhoria das condições sociais, à possibilidade de uma medida padronizada válida das habilidades de alfabetização, e ao poder do contexto na determinação do letramento como uma prática estável.

    Por: Marta Nunes e Sirleide Carvalhol Educaçãol 21/08/2009 lAcessos: 1,934

    O conhecimento da origem do Letramento no Brasil oportuniza aos professores alfabetizadores a conscientização a importância de se trabalhar com textos cotidianos na alfabetização bem como evidencia a diferenciação conceitual e procedimental existente entre essas duas "facetas" do ensino-aprendizagem da leitura e da escrita. A clareza de diferenciação da natureza da alfabetização e do letramento dá aos professores instrumentos para que possam favorecer aos alunos a reflexão sobre o funcionamento

    Por: Ivânia Pereira Midon de Souzal Educação> Educação Infantill 16/08/2010 lAcessos: 5,065

    RESUMO Faremos análises das causas do fracasso escolar na alfabetização questionando os principais entraves que dificultam no sucesso escolar e porque as crianças demoram aprender e não conseguem desenvolver suas potencialidades para o processo da leitura e da escrita, questionaremos: o quanto a tecnologia e os meios de comunicação podem influenciar no fracasso escolar

    Por: eliana de souza lacerda fariasl Educação> Educação Infantill 07/06/2011 lAcessos: 2,553

    O artigo trata do tema ALFABETIZAÇÃO, focando as dificuldades no aprendizado das letras e sons. Toma como referência as autoras Emília Ferreiro 2001) e Magda Soares (2003) que assinalam as dificuldades da criança em processo de alfabetização e propõem uma prática pedagógica consciente da realidade da criança. O estudo tem intenção autobiográfica peritindo uma reflexão sobre a prática do pesquisador-alfabetizador, garantindo a busca de novas abordagens e procedimentos.

    Por: Geraldo Francisco dos Santosl Educação> Educação Infantill 22/04/2011 lAcessos: 6,193

    O trabalho voltado para o letramento deve ser separado de trabalho específico de alfabetizar, é preciso investir nos dois ao mesmo tempo assim na medida em que os alunos se alfabetizam já desenvolvem em se o conhecimento da diversidade de gêneros textuais. Pois ler não é apenas decifrar palavras o leitor tem que entender o que está lendo, a formação de um leitor competente é o objetivo maior da escola, pois a leitura é o maior instrumento para a construção do conhecimento.

    Por: Eraldo Pereira Madeirol Educação> Ensino Superiorl 30/12/2013 lAcessos: 48
    GUTEMBERG MARTINS DE SALES

    Apresenta-se aqui a importância dos diversos gêneros discursivos na alfabetização e formação das crianças, tanto no que diz respeito à aquisição de valores, como na construção do aprendizado e no despertar ao interesse pela leitura. Acredita-se ser no universo do imaginário que as crianças mergulham no intuito de aproximar sua realidade aos contos da literatura infantil e se descobrirem enquanto sujeitos da leitura que se apropriam, sendo a escola o elo principal para que isso aconteça.

    Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Educação Infantill 16/01/2013 lAcessos: 164

    Este artigo reflete sobre a importância da aplicação da semiótica para o processo de letramento e aquisição da leitura e da escrita já nos primeiros anos do ensino infantil. Também ressalta a contribuição semiótica para o desenvolvimento das estruturas cognitivas da criança com a mediação do professor neste processo, pois, é na escola que se realiza a interação social, afetiva e cognitiva necessária para apreensão de conceitos sobre o conhecimento de mundo. Esta reflexão espera atuar na f

    Por: ludmilla puppim voigtl Educação> Educação Infantill 05/07/2011 lAcessos: 233
    FABRÍCIO DE CARVALHO PIMENTA

    Lecionar língua portuguesa atualmente é uma tarefa de grande responsabilidade em virtude dos grandes avanços nos estudos da Linguística, da Educação e das novas exigências da sociedade. A falta de preparo e formação de alguns professores na questão do trato da língua, principalmente no que se refere as variedades linguísticas, tem levado as salas de aula um ensino ineficiente e equivocado que tem prejudicado o desenvolvimento da competencia comunicativa do estudante.

    Por: FABRÍCIO DE CARVALHO PIMENTAl Educação> Línguasl 26/04/2014 lAcessos: 115
    Vilma, Magna , Samara

    Resumo O cenário educacional brasileiro sempre foi um caso a se refletir em especial se o que esta na teoria tão presente em nossas universidades também se encontra na prática. O objetivo do presente trabalho é refletir sobre o processo de alfabetização enfocando os aspectos da oralidade, da leitura e da escrita, baseando-se em uma observação realizada em uma escola da rede pública da cidade de Fortaleza. Buscamos apresentar concepções teóricas articulando-as com o trabalho realizado pela educadora de uma turma do 1º ano, refletindo sobre a importância e o papel que a família e a sociedade desempenham no processo de construção e desenvolvimento de uma aprendizagem significativa para a vida e para a sociedade.

    Por: Vilma, Magna , Samaral Educação> Línguasl 04/10/2009 lAcessos: 12,080 lComentário: 3

    A política brasileira além de ferver virou um inferno. Um inferno com muitos diabos que não têm medo da cruz. Deus, o nosso Pai morreu e Jesus não estão mais em seus corações. A caridade, a fraternidade e os bons princípios não foram sublimados, e sim exterminados juntamente com a ética. No coração do brasileiro só resta esperança, as forças já estão combalidas, vítimas de uma politicagem escarnecida. O encanto do Brasil antigo evaporou-se diante das aberrações e das corrupções eleitorais.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatural 13/10/2014

    Pensei nas pessoas sofredoras e fui orando para as entidades protetoras. Vi no semblante de uma criança solitária, a fome que a consumia. Imantei o amor em prol de um pequeno ser. Vi no sol da primavera seus momentos bons e ruins, mas não almejamos sofrimentos, principalmente para os seres indefesos e inocentes. Como diria Cornélio Pires, sempre noto com reserva as dores que vêm do herdeiro; não sei se o choro é de mágoa ou de briga por dinheiro.

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatural 03/10/2014

    Lágrimas são emoções materializadas que romperam bandeiras do corpo físico. Em realidade, representam os excessos de energia que necessitamos extravasar. Nem sempre são as mesmas fontes que determinam as lágrimas, pois variadas são as nascentes geradoras que as expelem através dos olhos. Em épocas de política o Brasil se transforma, e denotamos como são grandes os aparatos, que os candidatos fazem para chamar a atenção do eleitor. Festival de publicidades, bandeirolas são tremuladas pelo vento d

    Por: Antonio Paiva Rodriguesl Literatural 24/09/2014

    Não temos como negar a influência da literatura da Idade Média, na literatura do cancioneiro popular da atualidade. Mesmo escritores eruditos, como Guimarães Rosa, Ariano Suassuna e outros, buscam fontes para suas obras, na literatura antiga.O cancioneiro popular adapta suas canções, sem negar o conhecimentos adquirido, ainda nos tempos de Carlos Magno, que forneceu assunto vasto para a poesia popular.

    Por: lúcia nobrel Literatural 19/09/2014

    Através do ensino de literatura estaremos levando aos nossos alunos ao conhecimento do fenômeno literário em seus aspectos: histórico-estético-cultural, através do contato com os artistas da palavra. Sendo a obra literária reflexo de vida, exteriorização verbal de uma experiência humana, nós, professores, evidentemente faremos uso dela para orientar a educação integral dos nossos alunos.

    Por: Sandra da Silva Cavalaro Zagol Literatural 29/07/2014

    Na poesia, o elemento diferenciador – o verso e tudo que nele se implica -, não deve ser tomado como recurso exclusivo e caracterizado da poesia, pois ela exprime-se por metáforas, tomadas no sentido genérico de figuras de linguagem, isto é, significantes carregados de mais de um sentido, ou conotação. a prosa é genericamente entendida com aposta ao verso.

    Por: Sandra da Silva Cavalaro Zagol Literatural 29/07/2014

    A literatura é uma forma de conhecimento da realidade que se serve da ficção e tem como meio de expressão a linguagem artisticamente elaborada. Esta nossa definição apresenta, de uma forma sucinta, a natureza e a função da literatura, bem como sua diferenciação das ciências e das outras artes.

    Por: Sandra da Silva Cavalaro Zagol Literatural 29/07/2014
    Jeferson Lopes Ribeiro

    Uma introdução ao conto. Uma espécie de continuação de contos de filhos de deuses, como hércules filho de Zeus e Percy Jackson filho de Posseidon.

    Por: Jeferson Lopes Ribeirol Literatural 25/06/2014 lAcessos: 17

    Comments on this article

    0
    Raíra 17/08/2010
    Gostei muito da pesquisa ta me ajudando bastante, pois faço magisterio e ela me ajudou a entender bastante sobre o assunto muito Obrigada.
    0
    natanael 06/05/2010
    fuera los uevos!!
    0
    jussara fernanda 24/11/2009
    estou cursando pedagogia e fiz esta pesquisa sobre alfetização e letramento .Achei o tema bem complexo mas interessante,mas deveriam ter textos mais faceis .Se alguem tiver enviar para o meu email
    1
    karine furtado 26/09/2009
    o letramento apesar de ser um assunto bastante amplo,precisamos dar condições para que nossos educadores possaam fazer um belissimo trabalho. eu prefiro falar sobre o resgate das cantigas de rodas no meu tcc, quem puder me mandar algum material eu ficarei grata, pois é um tema que vem perdendo espaço para a tacnologia.
    2
    priscila 30/08/2009
    o letramento é um assunto muito mas amplo q se possa imaginar estou começando agora a minha pesquisa sobre o assunto e ja me apaxonei por ele vou basear o mey tcc nesse assunto.
    quem tiver algum material q poder me ajudar agradeço.
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast