Os Portugueses No Brasil Colonial:formação Étnica Do Povo Brasileiro

Publicado em: 18/08/2009 |Comentário: 11 | Acessos: 7,887 |

OS PORTUGUESES NO BRASIL COLONIA: FORMAÇÃO ÉTNICA DO POVO BRASILEIRO. Vários povos contribuíram para a nossa formação no Brasil Colônia; porém,dentre todos,os portugueses,talvez por serem nossos descobridores e colonizadores,suplantaram todos os outros. A nossa cultura foi desenhada pelos lusos,começando pela língua falada e escrita –a Língua Portuguesa- e pelos costumes e tradições que repassaram para nós. É importante salientar que, eles mesmo,os portugueses,nunca tiveram uma unidade étnica e cultural,fruto que foram de uma mistura de muitos povos(ligúrios,celtas,iberos,fenincios,visigodos,vândalos,alanos,árabes e judeus)que traçaram até seu tipo físico,pois existem portugueses louros,morenos,baixos e altos,,de olhos verdes,azuis ou negros. Os povoadores que vieram para o Brasil procediam das regiões do Douro e do Minho, da Beira,Trás-os-Montes,da Estremadura, do Alentejo e,embora em pequena quantidade,das Ilhas. A presença do português está na língua ,que dominou as comunicações e é falada até hoje num país continental como o Brasil.no traçado das cidades antigas-igrejas,cadeia,casa da Câmara-,nos sobrados,nos fortes que protegiam as cidades,nos utensílios domésticos e nas festas religiosas. A casa tradicional baiana era sem tirar nem por,uma réplica da casa portuguesa::mesmo traçado original,mesma fachada,mesma divisão de cômodos. Depois da porta de entrada, vinha um corredor comprido,ladeado de quartos semi-escuros e terminando numa ampla sala de jantar. A cozinha, o banheiro,incrivelmente desconfortável e o alojamento dos escravos eram construídos fora da casa. Essa divisão estava presente também nos suntuosos sobrados,construídos sem fundações e com paredes de madeira recobertos de barro;durava assim até os proprietários melhorarem de condição,quando ,então,fincavam as fundações e refaziam paredes de adobe ou tijolo. No início a construção das vilas obedecia a uma planta tradicional;praça central quadrada,igreja,cadeia e casa da Câmara com ruas partindo á direita e á esquerda,tanto transversais como longitudinais,porém sempre estreitas e irregulares. Com o passar dos anos as cidades criaram vida própria e foram crescendo desordenadamente, com vielas e becos desalinhados,como se via em Coimbra e Lisboa. O português,povo muito tradicionalista ,trouxe consigo para o Novo Mundo a fé nos dogmas da sua religião,os atos litúrgicos da Igreja de Roma e as festas tradicionais;trouxe também as superstições,os costumes e as comidas. Mas,o colonizador não era segregacionista;incorporou elementos da cultura africana,como,por exemplo a festa de maior prestígio em Salvador,a do Senhor do Bonfim,que dura quase quinze dias no mês de Janeiro. A origem desta festa está na devoção ao Cristo Crucificado trazida de Setúbal pelo Capitão Teodósio Rodrigues de Faria que construiu a Igreja do Bonfim no alto da Colina Sagrada. A cultura negra incorporou a esta festa as Águas de Oxalá,(Sr.do Bonfim na cultura ioruba)tradicional lavagem das escadarias da igreja,na terceira quinta feira do mês de Janeiro,quando centenas de baianas nos seus trajes típicos e carregando porrinhas de água de cheiro,acompanhadas de milhares de fiéis e espectadores deslumbrados,lavam as escadarias para expulsar as más energias e o mau olhado. A presença,na Bahia,de uma cultura agrária,escravista e mercantil,com uma estrutura social fundamentada na hierarquia,na oligarquia e na repressão,é um remanescente da sociedade desta época colonial e predomina nos dias de hoje,principalmente no Nordeste. Ao chegar numa terra de nômades,caçadores e pescadores,o colono português implantou uma economia açucareira , capitalista e mercantil,conforme predominava do século XIV. Trouxe a cana de açúcar dos Açores e da Madeira e plantou nas terras conquistadas;construiu engenhos e começou a produzir açúcar,o artigo de maior procura no mundo europeu. Plantou também o algodão e fumo. É necessário esclarecer que,em Lisboa estava o poder central que mandava em tudo,representado na pessoa do rei e seus conselheiros a quem obedeciam os governadores e vice-reis;logo abaixo vinham os grandes fazendeiros e senhores de engenho,parceiros coloniais;em seguida vêm os plantadores de cana de açúcar,pequenos fazendeiros dependentes dos senhores de engenho para a moagem da cana e a comercialização do açúcar,o ouro-branco da época. Quase na base desta pirâmide social estavam os lavradores pobres que só possuíam seus braços para o trabalho e estavam quase ao nível dos escravos que fechavam a pirâmide.A única diferença é serem brancos. Os moradores urbanos,oficiais militares,funcionários,altos comerciantes,exportadores,mestres,artesãos eram considerados “homens bons” apesar de lhe faltarem terras ou riquezas. Senhor de baraço e cutelo no seu engenho,o português,dirigia suas propriedades com mão de ferro,submetidos ás suas ordens e desejos seus escravos,seus agregados e sua numerosa família que incluía avós,tios,sobrinhos,primos,além da esposa e filhos legítimos e dos milhares de bastardos tidos com negras e índias. Talvez não tivesse poder político,mas,não era carta fora do baralho e freqüentemente era consultado nas questões que diziam respeito á província. Prova disto é a proibição de 1663 que tornava ilegal a penhora e execução por dívidas nas fábricas e nos engenhos.

Avaliar artigo
4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/literatura-artigos/os-portugueses-no-brasil-colonialformacao-etnica-do-povo-brasileiro-1137461.html

    Palavras-chave do artigo:

    colonos

    ,

    portugueses

    ,

    regioes

    Comentar sobre o artigo

    O objeto do presente estudo são as possíveis comparações entre o regime escravocrata e a linha administrativa adotada pelas empresas contemporâneas. A pesquisa teve o cunho de apontar indícios de uma forma de escravidão tácita no ambiente interno das organizações. Analisou-se o período escravocrata, até a chegada das empresas estruturadas de forma administrativa e burocrática. As duas fases foram pesquisadas para que se pudesse verificar a hipótese de que as organizações precisam melhorar...

    Por: Jose Evaristo de Souza Netol Notícias & Sociedade> Cotidianol 27/06/2008 lAcessos: 3,748
    raphael de morais dias

    Este trabalho aborda a Festa de São Tiago como possibilidade desencadeadora do Turismo Cultural no distrito de Mazagão Velho – AP. Tem como objetivo estudar a festividade, que acontece anualmente no período de 16 a 28 de julho, analisando-a a partir da perspectiva histórica e cultural da comunidade, aliada ainda, a possível formatação da Festa como produto turístico cultural em nível estadual, nacional e internacional. O primeiro abordando turismo e sua relação com a cultura, o segundo trata da

    Por: raphael de morais diasl Turismo e Viageml 31/03/2014 lAcessos: 13
    Rondinei Moreira

    A saída do homem do campo e o aumento da população mundial, fez com que houvesse a necessidade de se investir em tecnologia no campo para atender às necessidades de produção, (IICA, 1989). Este trabalho procura estudar o uso das máquinas na colheita da cana para o conhecimento dos impactos causados para a população, para o meio ambiente e para as usinas com a implantação de máquinas na colheita da cana de açúcar no estado de São Paulo, para a produção de etanol.

    Por: Rondinei Moreiral Tecnologia> Tecnologiasl 28/12/2010 lAcessos: 4,151 lComentário: 1
    Miriam de Sales

    É importante salientar que, eles mesmo,os portugueses,nunca tiveram uma unidade étnica e cultural,fruto que foram de uma mistura de muitos povos(ligúrios,celtas,iberos,fenincios,visigodos,vândalos,alanos,árabes e judeus)que traçaram até seu tipo físico,pois existem portugueses louros,morenos,baixos e altos,,de olhos verdes,azuis ou negros.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 16/04/2010 lAcessos: 1,522 lComentário: 2

    As questões dos direitos relativos à cidadania vão além das definições postas no Direito positivo, inclusive no século XIX, para fazer uma reflexão se faz necessário que se coloque na balança os principais indivíduos da época que não tinham perante a Justiça seus direitos devidamente consolidados (positivados) de cidadãos, outros até mesmo "parcialmente" inexistentes, como os escravos. Dentro dessa esfera de indivíduos é importante que considere a cultura e as tendências de pensamentos da época

    Por: Mateus R. de O. Michelonl Direitol 26/10/2012 lAcessos: 145
    Clecia Pacheco

    Objetiva discorrer, através de uma busca à história, sobre a escravidão afro-indígena no Brasil

    Por: Clecia Pachecol Educação> Ensino Superiorl 13/12/2010 lAcessos: 727

    O artigo aborda a cana-de-açúcar no município de Timbaúba (PE): base econômica, impactos sócio-ambientais e tendências. Teve como objetivo pesquisar este tipo de cultura. A metodologia aplicada foi baseada nos trabalhos de Mintz, que como fundamentação teórica proporcionou ao objeto de estudo um melhor entendimento dos mecanismos de implantação e expansão da indústria açucareira, assim, como da caracterização da organização social da produção na agricultura. Além das técnicas de pesquisa: observ

    Por: albapazl Ciênciasl 13/10/2012 lAcessos: 51

    O artigo aborda a cana de açúcar no município de Timbaúba (PE): base econômica, impactos sócio-ambientais e tendências. Teve como objetivo pesquisar este tipo de cultura. A metodologia aplicada foi baseada nos trabalhos de Mintz, que como fundamentação teórica proporcionou ao objeto de estudo um melhor entendimento dos mecanismos de implantação e expansão da indústria açucareira, assim, como da caracterização da organização social da produção na agricultura. Além das técnicas de pesquisa: observ

    Por: albapazl Ciênciasl 10/10/2012 lAcessos: 133

    O que são as margens das sociedades? Como se fformam e desenvolvem? Serão criativas estas margens? E a cultura popular o que é e como é aceite pela cultura hegemónica? são estas as respostas que se procurão neste artigo que não será mais do que um poequeno contributo para uma reflexão sobre a(s) sociedade (s) moderna (s).

    Por: Victor Cerqueiral Notícias & Sociedade> Desigualdades Sociaisl 02/12/2011 lAcessos: 122

    Através do ensino de literatura estaremos levando aos nossos alunos ao conhecimento do fenômeno literário em seus aspectos: histórico-estético-cultural, através do contato com os artistas da palavra. Sendo a obra literária reflexo de vida, exteriorização verbal de uma experiência humana, nós, professores, evidentemente faremos uso dela para orientar a educação integral dos nossos alunos.

    Por: Sandra da Silva Cavalaro Zagol Literatural 29/07/2014

    Na poesia, o elemento diferenciador – o verso e tudo que nele se implica -, não deve ser tomado como recurso exclusivo e caracterizado da poesia, pois ela exprime-se por metáforas, tomadas no sentido genérico de figuras de linguagem, isto é, significantes carregados de mais de um sentido, ou conotação. a prosa é genericamente entendida com aposta ao verso.

    Por: Sandra da Silva Cavalaro Zagol Literatural 29/07/2014

    A literatura é uma forma de conhecimento da realidade que se serve da ficção e tem como meio de expressão a linguagem artisticamente elaborada. Esta nossa definição apresenta, de uma forma sucinta, a natureza e a função da literatura, bem como sua diferenciação das ciências e das outras artes.

    Por: Sandra da Silva Cavalaro Zagol Literatural 29/07/2014
    Jeferson Lopes Ribeiro

    Uma introdução ao conto. Uma espécie de continuação de contos de filhos de deuses, como hércules filho de Zeus e Percy Jackson filho de Posseidon.

    Por: Jeferson Lopes Ribeirol Literatural 25/06/2014 lAcessos: 14

    O lançamento da M.books deste mês examina as táticas de combate preferidas pelos alemães e pelos Aliados, em um trabalho conjunto de comando e controle da artilharia, dos tanques, da infantaria e da aviação, que atingiu um nível de sofisticação jamais visto naquela época.

    Por: Patricia Rosa da Silval Literatural 07/05/2014 lAcessos: 21
    Edjar Dias de Vasconcelos

    Ficção, ficção. Pura ficção. Sem sedição. Como sinérese. Exatamente literária. Diria até delírio. Não existe sujeito. Na concordância nominal. Ausência de ótica.

    Por: Edjar Dias de Vasconcelosl Literatural 01/03/2014 lAcessos: 18

    Depoimento autobiográfico inspirado por uma das mais influentes figuras políticas de nosso país: Juscelino Kubitschek.

    Por: lachatrel Literatural 25/02/2014 lAcessos: 21
    Miriam de Sales

    Uma visita a velhos sebos é muito importante para o leitor;lá podemos descobrir até edições raras e livros perfeitos a custo baixo.Uma ideia jocosa sobre como livros vão parar nos sebos vvai diverti-lo,amigo leitor.

    Por: Miriam de Salesl Literatural 26/01/2014 lAcessos: 16
    Miriam de Sales

    COMO VOCÊ,CARO LEITOR,VÊ OS PRESIDENCIÁVEIS?VAMOS ANALISAR JUNTOS?AFINAL,ESTA É A MAIS IMPORTANTE DAS ESCOLHAS,POIS ,DEFINIRÁ O NOSSO FUTURO COMO PAÍS.RETROCEDEREMOS PARA OS PRIMÓRDIOS DA CIVILIZAÇÃO?AVANÇAREMOS NA ECONOMIA?E OS PROGRAMAS SOCIAIS,QUE FUTURO TERÃO? COMO VOCÊS VEEM,MUITOS QUESTIONAMENTOS E POUCAS CERTEZAS.O TAMANHO DA NOSSA RESPONSABILIDAFDE ASSUSTA UM POUCO NÃO É?

    Por: Miriam de Salesl Notícias & Sociedade> Polítical 03/09/2014
    Miriam de Sales

    O premiado filme brasileiro faz jus ao sucesso,pois,trata de um assunto polêmico,quase um tabú,sobre as consequências das relações extra - conjugais e o custo emocional,principalmente para as mulheres.É um filme denso,chocante,baseadoo numa história real,a de Neide,"A Fera da Penha",que matou ,por vingança,a filinha do amante.

    Por: Miriam de Salesl Arte& Entretenimento> Cinema e TVl 22/06/2014 lAcessos: 11
    Miriam de Sales

    Visitando,como escritora convidada,o salão internacional do livro,em Turim,Itália/2014 pude perceber o avanço da nossa literatura ,na Europa,a importância da nossa presença neste evento,um dos mais importantes da Europa e ,dado ao número de visitantes,a comprar livros e participar de mesas literárias,compreender que a Literatura escrita e impressa continua tendo um público muito fiel e compartilhante.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 28/05/2014
    Miriam de Sales

    Uma avaliação criteriosa sobre as festas literárias no Brasil e no mundo.Como escolher,porque participar.Divulgação,vantagens,investimentos.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 27/03/2014 lAcessos: 21
    Miriam de Sales

    O título,disse alguém,é como uma mulher bonita atravessando a rua;o trânsito para quando ela passa.Você a vê ,de relance,mas,quer saber tudo sobre ela,descobrir seus mistérios. Com o livro e os blogs é assim,também ;e,desde que o conteúdo seja tão bom quanto o continente,o livro corre o risco de virar Best – seller. Se o autor acerta com o título tem muitas chances de vender seu livro.Leia essas dicas.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 16/03/2014
    Miriam de Sales

    Crônica de uma escritora - editora tentando desmistificar o mercado editorial e,numa conversa informal com candidatos a escritores,mostrar-lhe um pouco desta nossa realidade,ás vezes muito dolorosa para o bolso e para o ego. Uma boa oportunidade de leitura e conhecimento para quem ainda não sabe o que fazer com seus sonhos.A autora já tem livros publicados ,alguns já na 4ª edição e dirige uma editora que já publicou 30 títulos impressos e 15 digitais.

    Por: Miriam de Salesl Literatura> Crônicasl 09/03/2014
    Miriam de Sales

    Uma visita a velhos sebos é muito importante para o leitor;lá podemos descobrir até edições raras e livros perfeitos a custo baixo.Uma ideia jocosa sobre como livros vão parar nos sebos vvai diverti-lo,amigo leitor.

    Por: Miriam de Salesl Literatural 26/01/2014 lAcessos: 16
    Miriam de Sales

    Uma breve divagação sobre os astros e as pessoas que sofrem influência deles.Como as estrelas se parecem com as pessoas ,na sua trajetória em busca da felicidade e da ascensão social.

    Por: Miriam de Salesl Relacionamentos> Amizadel 27/12/2013 lAcessos: 20

    Comments on this article

    1
    del 09/11/2011
    #
    Em relação as Grandes Navegações:por que os portugueses precisavam de um caminho alternativo para as Índias
    1
    del 09/11/2011
    muito bommm gosteiiimuito enterecante
    esta de parabènsssss
    1
    lorena 26/03/2011
    Vocês deveriam coloca melhor em destaque os costumes dos europeus,para saber-mos se o nosso costume é digno de um europeu
    0
    isa 08/09/2010
    isso e magnifico e muito maneiro e legal impressionante
    0
    saamira 08/09/2010
    qui bom ver coisas lindas e enteressaantes que enteresam o povo muito lindo o trabalho de voceis e deus te ilumine e tambem o seu trabalho beijos e tchau tchau
    0
    ijuhugh 08/09/2010
    jhjxjudhjdffh meu deus que legal mas não tem nada aver co o que eu preocuro
    0
    Mithie 17/11/2009
    É tão grande que nem pra ler dá
    1
    MARCOS FERNANDO 28/10/2009
    SÓ FALA DAS CASAS E A COLONIZAÇÂO?
    1
    jessicah 16/10/2009
    voces tem que resumir um pouco mais para a gente intender melhor
    3
    Camila 11/09/2009
    caramba eu vô no chute!
    Stephane vôcê tem razão!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    1
    stephane santos farias 19/08/2009
    muito bom muito bem especifi e bem esblicado valeu
    vc são de ++++++++++++++++++++++++++++++++++
    bj
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast