O Que É Propaganda?

05/01/2010 • Por • 4,603 Acessos

Propaganda Propaganda é definida como a propagação de princípios e teorias. Foi introduzida pelo Papa Clemente VII, em 1597, quando fundou a Congregação de Propaganda, com o fito de propagar a fé católica pelo mundo. Deriva do latim propagare, que significa reproduzir por meio de mergulhia, ou seja, enterrar o rebento de uma planta no solo. Propagare, por sua vez, deriva de pangere, que quer dizer: enterrar, mergulhar, plantar. Seria então a propagação de doutrinas religiosas ou princípios políticos de algum partido. Segundo Rocha (1995), o mundo da propaganda como um lugar onde "a criança é sempre sorriso, a mulher desejo, o homem plenitude, a velhice beatificação", ela é aquilo que as pessoas querem e desejam.

Mesmo sendo um reflexo social ou do que as pessoas gostariam de representar, A propaganda, que tem sido xingada, ameaçada, caluniada e bajulada, tem sido, também, a mola propulsora do desenvolvimento nacional. A pesquisa e a genialidade publicitária modernas substituíram o velho refrão o segredo é a alma do negócio, pelo conceito a propaganda é a alma do negócio, e, finalmente, pela temática mais real: a propaganda vende, educa e estimula o progresso (SANT‟ANA, apud ROCHA, 1995, p. 46). Através dos elementos essenciais em sua composição a propaganda objetiva reforçar a marca que está comunicando. Cores, logomarcas, slogans, jingles, usos de personagens e celebridades são estratégias muito freqüentes nas propagandas, e ajudam a atrair a atenção do consumidor. Muitos pesquisadores discutem se a propaganda é uma Arte, Ciência ou Técnica.

Para Freitas (2009), foi através união dessas três ciências que surgiu a propaganda, nas quais ainda é baseada: 13 Arte (Ordenação): Elementos visuais e sonoros, um anúncio tem fundamento artístico, utiliza-se o estudo dos conceitos de movimentos de artes. A propaganda usa a tipologia, a lingüística e uma imagem para ser grafada ou apenas vista. A arte está enquadrada tanto na propaganda estática (revistas, jornais e outdoors), ou na tele-comunicada (como internet, televisão e rádio). Ciência (Manipulação): A parte científica da propaganda consiste no seu todo, são as pesquisas e definições utilizadas no planejamento de campanha, análises de mercado e segmentação de públicos. Técnica (Persuasão): A criação, visual, sonora ou sensitiva busca enfatizar que o produto ofertado é o que se precisa para satisfazer as necessidades de consumo. Nesse momento valores são agregados ao produto, fortalecendo a construção de uma marca ou imagem sólida. Desta forma se age com a necessidade e desejo do receptor, em que a necessidade é o racional e o desejo, emoção.

Propaganda é definida como a propagação de princípios e teorias. Foi introduzida pelo Papa Clemente VII, em 1597, quando fundou a Congregação de Propaganda, com o fito de propagar a fé católica pelo mundo. Deriva do latim propagare, que significa reproduzir por meio de mergulhia, ou seja, enterrar o rebento de uma planta no solo. Propagare, por sua vez, deriva de pangere, que quer dizer: enterrar, mergulhar, plantar. Seria então a propagação de doutrinas religiosas ou princípios políticos de algum partido.

Segundo Rocha (1995), o mundo da propaganda como um lugar onde "a criança é sempre sorriso, a mulher desejo, o homem plenitude, a velhice beatificação", ela é aquilo que as pessoas querem e desejam. Mesmo sendo um reflexo social ou do que as pessoas gostariam de representar.

"A propaganda, que tem sido xingada, ameaçada, caluniada e bajulada, tem sido, também, a mola propulsora do desenvolvimento nacional. A pesquisa e a genialidade publicitária modernas substituíram o velho refrão o segredo é a alma do negócio, pelo conceito a propaganda é a alma do negócio, e, finalmente, pela temática mais real: a propaganda vende, educa e estimula o progresso" (SANT' ANA, apud ROCHA, 1995, p. 46).


Através dos elementos essenciais em sua composição a propaganda objetiva reforçar a marca que está comunicando. Cores, logomarcas, slogans, jingles, usos de personagens e celebridades são estratégias muito freqüentes nas propagandas, e ajudam a atrair a atenção do consumidor.

Muitos pesquisadores discutem se a propaganda é uma Arte, Ciência ou Técnica. Segundo Freitas (2009), é através união dessas três ciências que surgiu a propaganda, nas quais ainda é baseada:

  • Arte (Ordenação): Elementos visuais e sonoros, um anúncio tem fundamento artístico, utiliza-se o estudo dos conceitos de movimentos de artes. A propaganda usa a tipologia, a lingüística e uma imagem para ser grafada ou apenas vista. A arte está enquadrada tanto na propaganda estática (revistas, jornais e outdoors), ou na tele-comunicada (como internet, televisão e rádio).
  • Ciência (Manipulação): A parte científica da propaganda consiste no seu todo, são as pesquisas e definições utilizadas no planejamento de campanha, análises de mercado e segmentação de públicos.
  • Técnica (Persuasão): A criação, visual, sonora ou sensitiva busca enfatizar que o produto ofertado é o que se precisa para satisfazer as necessidades de consumo. Nesse momento valores são agregados ao produto, fortalecendo a construção de uma marca ou imagem sólida. Desta forma se age com a necessidade e desejo do receptor, em que a necessidade é o racional e o desejo, emoção.

____________________________________________________________________

 

::Referências::


FREITAS, João Paulo Cavalléro. Publicidade Contemporânea: O que é Propaganda. Disponível em: http://publicidadecontemporanea.blogspot.com/2009/03/o-que-e-propaganda. html Acesso em: 10 de novembro de 2009.

ROCHA, Everardo P. Guimarães. Magia e capitalismo: um estudo antropológico da

publicidade. 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 1995.

Perfil do Autor

Ligia Mara Ferraz dos Santos

Blogueira e publicitária