Para Que Serve A Faculdade De Publicidade?

14/08/2009 • Por • 14,371 Acessos

Mais um ano se inicia e, com ele, a carreira de milhares de novos publicitários brasileiros. De acordo com levantamento feito pelo portal Vitrine Publicitária, cerca de 15 mil novos publicitários estarão ingressando no mercado em 2009, recém-saídos das mais de 300 faculdades de Publicidade do Brasil.

No entanto, surge uma questão a ser respondida: será que estes publicitários estão preparados para o exercício da profissão em um mercado altamente competitivo? Será que estão aptos a criar títulos e chamadas criativas, planejar campanhas, atender clientes e, acima de tudo, garantir resultados expressivos, especialmente em tempos de crise econômica mundial?

Esta questão é ampla e de difícil resposta. O que observamos, atualmente, é que o mercado está cada vez mais seletivo, em todas as áreas. A concorrência profissional é muito forte e, para conseguir um lugar ao sol, é preciso se destacar em sua área de atuação. Hoje vemos anúncios de vagas que exigem do candidato formação acadêmica, experiência comprovada na área, portfólio, conhecimento de língua estrangeira e uma série de outros requisitos que já deixaram de ser diferenciais e se tornaram obrigatórios na busca por um emprego. Daí surge outra questão: como obter experiência profissional e montar um portfólio se não há oportunidades para os “sem-experiência”?

Diante de tantas questões, o papel das faculdades de Comunicação se torna mais do que essencial. E mais importante do que ele, o papel do aluno universitário. A velha máxima “o aluno faz a faculdade” nunca foi tão importante como agora, especialmente em uma profissão como a publicidade em que as oportunidades são tão escassas. Driblar a falta de experiência pode ser muito mais fácil do que parece, desde que haja determinação e garra.

Pouca gente observa a infinidade de oportunidades que uma faculdade nos apresenta e que podem ser úteis na nossa carreira, portanto vamos listar algumas:

1) Ingresse na agência experimental (ou empresa júnior) da sua faculdade
Praticamente todas as Universidades brasileiras (pelo menos as que possuem um mínimo de qualidade e preocupação com o ensino) possuem uma agência experimental (ou empresa júnior) no curso de Publicidade e Propaganda. Agência experimental nada mais é do que uma agência publicitária formada por alunos e coordenada por professores, em que os estagiários têm a oportunidade de criar campanhas reais para clientes reais. Isto lhe trará a tão necessária experiência profissional que você irá precisar lá na frente. Se sua faculdade não possui uma Agência Experimental converse com o seu coordenador e funde uma!

2) Ofereça-se como voluntário em atividades acadêmicas
Ser monitor do laboratório de fotografia, editor assistente do jornalzinho da faculdade, assistente do coordenador de curso, ajudante na semana acadêmica, entre diversas outras possibilidades lhe fará ter um contato ainda maior com profissionais que já estão na área. Além de ter mais tempo para aprender sobre a área que escolheu, isto vai ampliar a sua visão e fortalecer o seu relacionamento.

3) Não deixe de comparecer às aulas, mesmo aquelas que você não possui afinidade
A grade curricular do curso de Publicidade e Propaganda foi pensada para que o profissional tenha, além da visão técnica, uma formação humana. Deixar de assistir a uma aula de Sociologia por acreditar que isto não irá lhe agregar nada é um grande erro. Aulas de Estatística ou Realidade Sócio-Econômica Brasileira serão fundamentais em sua carreira, mesmo que você pretenda ser “somente” um diretor de arte. Amanhã você verá a diferença que isto fará em sua vida.


4) Compareça às palestras, semanas acadêmicas, workshops e atividades extra-curriculares promovidas pela Universidade
Muita gente acredita que palestras e “semana da comunicação” são uma boa oportunidade para matar aula sem se prejudicar com faltas. Grande engano. Ouvir um profissional de mercado falar por até 90 minutos pode até ser chato mas fará você ter contato com o “outro lado” da moeda. Palestras são uma excelente oportunidade para conhecer o mercado, o dia-a-dia das agências e profissionais, aprender com o erro dos outros, se familiarizar com os termos e expressões da publicidade e, se você for esperto e sortudo, se enturmar com quem já está no mercado – o que certamente lhe ajudará no futuro.

5) Mantenha um bom diálogo e relação com seus professores
Por possuírem muito conhecimento, os professores são sempre referência sobre assuntos relacionados à área que lecionam. Por possuírem uma posição pública, conhecem muita gente que, eventualmente, lhe pedem conselhos e até indicação de profissionais. Em que isto pode lhe auxiliar? Não precisa ser muito inteligente para encontrar a resposta.

6) Participe ativamente dos grêmios estudantis, diretórios acadêmicos e movimentos estudantis
À primeira vista pode parecer não estar nada ligado à profissão de publicitário, mas acredite, a participação nestas entidades irá lhe auxiliar em uma série de competências como liderança, relacionamento, administração de conflitos e divergência de opiniões. A política está presente no dia-a-dia de nossas vidas, incluindo as agências e as empresas. Aprender a lidar com ela irá lhe auxiliar muito na carreira.

7) Tome iniciativas!
Muita gente se queixa porque precisa trabalhar durante o dia e estudar à noite e, por isso, não pode fazer parte da agência experimental ou conseguir um estágio. Não se prenda nesta opinião. O mundo está cheio de oportunidades, mas elas não costumam aparecer para quem se omite, portanto tome iniciativas. Junte amigos e ofereça-se a alguma instituição filantrópica para fazer uma campanha para aumentar as doações, organize campanhas contra a fome, campanhas de segurança no trânsito, campanha do agasalho durante o frio... Tudo isso você pode fazer no seu tempo livre e irá ajudar muitas pessoas, sobretudo você que também terá experiência profissional e poderá relatar isto em seu portfólio.

8) Crie, experimente, empreenda, parta para a ação!
Grandes negócios milionários foram criados a partir da experimentação e atitude de seus fundadores. Muitos nasceram nos campus universitários. Aproveite todo o suporte acadêmico e estrutura por trás de você e proponha ações. Por que não criar? Por que não empreender? Por que não? Questione. Não tenha vergonha nem medo de errar. Busque a orientação profissional e parta para ação!

Agora vamos voltar à pergunta inicial: será que estes novos publicitários estão preparados para o exercício da profissão em um mercado altamente competitivo? Os que seguiram estas dicas podem até não estar completamente aptos, mas com certeza estarão muito mais preparados do que os que não aproveitaram a faculdade em sua totalidade. Pense nisso.

Perfil do Autor

Bruno Lessa

Bruno Lessa é publicitário e pós-graduado em marketing pela USP. É idealizador do portal Vitrine Publicitária e diretor da Marketing | SIM.