A Dengue E Os Medicamentos Proibidos

18/01/2010 • Por • 25,619 Acessos

 

Durante muito tempo questionei por que apenas o presidente nacional do CEATOX, Doutor Anthony Wong emitiu alerta sobre o uso excessivo do paracetamol, principio ativo do Tyllenol e presente em grande número de outros medicamentos, sendo que o uso indiscriminado pode levar o individuo a morte.

 Finalmente, fui agradavelmente surpreendida lendo a revista Super Interessante edição número 273- 11/12/2009, pag.47, que trás um esclarecimento para o usuário: com o titulo “QUAL A DIFERENÇA ENTRE ASPIRINA, NOVALGINA E TYLLENOL”? A revista enfoca o assunto devido a recente decisão da ANVISA que determina que estes medicamentos devem ficar ‘atrás do balcão’ para evitar a auto medicação.

De forma simples e objetiva mostra o medicamento, suas características e riscos:

ACIDO ACETIL SALICILICO - AAS, Aspirina, indicação: febres e dores. Previne problemas cardiovasculares.

Contra-indicação: Devido o fato de inibir a coagulação do sangue, piora quadro de dengue (hemorragias). Também não deve ser usado por quem tem problemas de gastrite, asma ou bronquite, pois favorece reações alérgicas.

DIPIRONA SÓDICA - Anador, Dorflex, Lisador, Neosaldina e Novalgina. Indicação : Febre e dores.

Contra-indicação: Alérgicos, em excesso prejudica a cicatrização. Diabéticos não devem usar, contém açúcar.

PARACETAMOL - Sonridor, Tyllenol. Indicação: analgésico. Mas não possui ação antiinflamatória.

Contra-indicação: “Não pode ser usado em caso de DENGUE, pois a doença faz com que o fígado pare de fabricar uma enzima que metaboliza o paracetamol e a substância fica acumulada no organismo e pode levar o paciente à morte. Em excesso pode causar danos no fígado. Como a DENGUE já agride bastante o órgão mais o uso excessivo do medicamento as conseqüências podem ser desastrosas! Deve ser evitado por quem faz uso de bebida alcoólica ou quem sofre de hepatite”.

Ocorre que muitos médicos costumam receitar em caso de DENGUE (ou suspeita) da doença. Minha opinião é que a ANVISA deveria emitir um comunicado a classe médica evidenciando que o uso excessivo, dosagem alta, alteração de intervalo entre uma dosagem e outra pode ser altamente prejudicial.

BEATRIZ ANTONIETA LOPES

BIÓLOGA graduada pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO-UFMT

Curso em Entomologia Médica 

contatos: beatrizantonietalopes_ccz@ig.com.br

Perfil do Autor

Beatriz Antonieta Lopes

Sou Bióloga graduada pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO-UFMT Curso em ENTOMOLOGIA MÉDICA-FIOCRUZ-RJ....