Acidentes de trabalho e suas repercussões na saúde mental

Publicado em: 04/07/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 426 |
INTRODUÇÃO

 

Os "acidentes de Trabalho têm um significativo impacto sobre a Saúde Mental dos trabalhadores. Talvez, pela não obviedade de uma doença física em suas concretas evidências, esta relação tende a ser menos valorizada e estudada, comparando-se ao número de estudos que contemplam os aspectos ambientais e físicos ligados ao processo do acidente de trabalho. Os acidentes de trabalho não só comprometem a integridade física,mas podem também resultar em alterações psiquiátrico-psicológicas que repercutem no relacionamento intrapessoal, familiar; social e laboral do indivíduo, comprometendo também sonhos e projetos de vida, de realização pessoal. As estatísticas não permitem que se ignore esta realidade. Segundo a Organização Internacional do Trabalho acada ano, em nível mundial, ocorrem cerca de 120 milhões de acidentes, sendo que destes por volta de 210.000 resultam em falecimentos. É um número alarmante se levado em conta que esses dados não incluem os casos subnotificados. E, mais ainda, se for considerado que a maioria dos acidentes de trabalho resulta em lesões corporais, que muitas vezes têm como consequencia deficiências físicas que podem ter caráter permanente e incapacitante para a vida laboral, para muitas atividades sociais e para a vida, de maneira geral. Existe uma tendência em associar os acidentes de trabalho como uma possibilidade á qual estão expostos somente o trabalhador da indústria e o ambiente industrial. De fato, este é um tipo de ambiente onde os riscos são mais evidentes e os acidentes têm maior visibilidade,até pelo alto grau de periculosidade e insalubridade de alguns setores. Cabe ressaltar que os acidentes de trabalho acontecem em todas as categorias e ambientes ocupacionais. Os riscos poderão até mesmo ser menos aparentes e as lesões de menor porte, em alguns setores, mas nem por isso trarão menos prejuízos a vida do trabalhador. As repercussões do acidente de trabalho sobre o corpo encobrem  as intercorrências emocionais decorrentes do mesmo, para os próprios empregados, bem como colegas de trabalho e familiares.  

TEORIAS SOBRE ACIDENTES DE TRABALHO

Teoria do Dominó: Considera o acidente de trabalho como último evento de uma sequencia linear constituíndo uma tentativa de sistematização que se contrapunha á noção de fatalidade.aqueda de um,desencadeia a queda dos subseqüentes, assim as ações do trabalhador ou de seus colegas exercem um papel de destaque e devem ser contempladas na prevenção.

Teoria da causalidade múltipla e da concepção multicausal: Considera que os acidentes quase nunca têm como causa apenas a ação do trabalhador, mas sim são ocasionados pela combinação de vários fatores comportamentais(relativo a atitudes, conhecimentos, condições física e mental) e ambientais(equipamentos, medidas de proteção).

Teoria de Sistemas:Considera que as empresas constituem sistemas sociostécnicos abertos, que se constituem de dois subsistemas: o ténico(abarca ambiente, máquinas, tecnologias, produtos etc.) e o social(trabalhadores com diferentes qualificações que estabelecem entre si relações pessoais e hierárquicas). Segundo BINDER e ALMEIDA(2003). "esses dois subsistemas interagem entre si, resultando em interações positivas(que contribuem para a maximização da produção com qualidade) e interações negativas(cujos resultados não planejados, podem perturbar a produção, interferir na qualidade e desencadear acidentes de trabalho)". Na Escola Comportamentalista os acidentes de trabalho têm a sua abordagem nas ações humanas,analisando os comportamentos sobre a ótica dos erros humanos, centrando a prevenção na supressão dos mesmos. Segundo a teoria as ações humanas podem ser divididas em três tipos:

Habilidades: onde se usa a memória não consciente e não a condição de raciocínio;

Cumprimento de Regras: o trabalhador recorre ás regras para definir uma ação;

Conhecimentos: o trabalhador necessita raciocinar e interagir com os conhecimentos, nas ações a serem realizadas.

A abordagem da Psicodinâmica do Trabalho descreve que o fator humano no acidente de trabalho possui duas vertentes:

Falha Humana: falhas de desrespeito ás regras, aos regulamentos, á disciplina, á vigilância e ás instruções direcionadas para o controle dessas ações;

Gestão de Recursos Humanos: sinaliza a importância dos aspectos como a motivação do indivíduo e a cultura da empresa.

Na realidade do trabalhador brasileiro, arriscar-se pela competição é parte das tarefas habituais. Não é fruto baseado na livre escolha do trabalhador, mas uma imposição por obediência ou pelo grande medo de perder o emprego.

Hoje já podemos analisar os acidentes de trabalho utilizando a expressão "Fator de Acidente" em vez de "Causa". Assim, causa é o resultado da combinação de fatores suficientes para explicar a origem do acidente.Conhecer estes fatores é importante, pois mostram que com o passar dos anos está se superando a visão simplista que divide as ações em seguras e inseguras, ampliando-se o foco de análise. O indivíduo deixa de ser visto de forma isolada, como o único responsável pelo acidente. Para a devida análise dos acidentes de trabalho é levado em conta um conjunto de fatores que está á sua volta, considerando o ambiente, a natureza das tarefas realizadas, as formas de gerenciamento e as relações sociais que se estabelecem entre os trabalhadores, e entre a empresa, trabalhadores e comunidade em que ambos estão inseridos. Uma análise mais ampla, que considere a complexidade destas interações permite não só uma melhor compreensão do fenômeno, mas também traçar caminhos mais eficazes para a prevenção. Uma abordagem que responsabiliza apenas as ações individuais, não só não resolve o problema como é um fator a mais de tensão e sobrecarga mental para o indivíduo. Por fim, não se pode esquecer que os acidentes ocorrem devido a diversos fatores que influenciam no trabalhar. As más condições do ambiente, dos materiais e equipamentos, a ausência de umaproteção adequada, a falta de treinamentos específicos e de investimentos para a saúde do trabalhador, são pontos fundamentais para iniciar-se uma discussão.

TIPOS DE ACIDENTES DE TRABALHO

Acidentes Tipo 1: Uma sequencia linear de eventos a partir de mudanças ou variações nas situações de trabalho. Ocorrem em empresas com baixa corporação tecnológica e com carência de elementos de engenharia e segurança.

Acidentes Tipo 2: Participação de um conjunto de variações que isoladamente seriam incapazes de desencadear acidentes de trabalho, mas que combinados entre si são suficientes para fazê-lo. Ocorrem em empresas com maior grau de incorporação tecnológica e que apresentam baixas taxas de acidentes.

Acidentes Tipo 3: Sua origem exige a presença de conjunções de numerosas mudanças ou variações independentes entre si. Ocorrem em empresas com grande incorporação tecnológica onde o acidente de trabalho é um evento excepcional.

O QUE É ACIDENTE DE TRABALHO?

A Organização Internacional do Trabalho define acidente de trabalho "como o resultado da interação entre o trabalhador e os objetos(ambiente e outros indivíduos), que culmina em evento repentino e não desejado, que produzem lesões, mortes e perdas"

Para alguns autores, acidente de trabalho também pode ser definido como " fenômenos previsíveis embora não seja possível prever exatamente quando ocorrerão e qual ou quais trabalhadores serão atingidos. E , sobretudo, podem ser prevenidos por meio de neutralização ou de eliminação dos fatores capazes de desencadeá-los".

TIPOS DE ACIDENTES DE TRABALHO SEGUNDO A LEGISLAÇÃO BRASILEIRA

Segundo as diretrizes da Constituição Federal de 1988, que define acidente de trabalho "como aqueles que ocorrem no exercício do trabalho, a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou imcapacidade funcional, causando a morte ou a perda ou a redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho".

De acordo com a lei acidentária, são considerados acidentes de trabalho eventos danosos que ocorrem:

a) No local e horário de trabalho em decorrência de: Agressão,sabotagem ou terrorismo, ofensa física e intencional, imprudência, imperícia ou negligência de terceiros ou de colegas de trabalho, ato de pessoa privada de razão, desabamento, inundação, incêndio ou outras causas de força maior e acidente que ocorrer no horário das refeições, bem como durante satisfação de necessidades fisiológicas.

b) Fora do local de trabalho: Executando ordens ou prestando serviço á empresa, prestando espontaneamente serviço á empresa que possa proporcionar ganho ou evitar prejuízo, viajando a serviço da empresa, mesmo por motivo de estudos e no percurso de casa para o trabalho ou vice-versa.

FATORES NOCIVOS QUE FAVORECEM A OCORRÊNCIA DE ACIDENTES DE TRABALHO

Essencialmente os fatores nocivos se relacionam com diversas fontes, tipo de energia e atividades, englobando: operações com objetos cortantes; operações com máquinas de prensar, compressão e ferramentas de fixação; conversão de energia cinética em energia potencial, como, por exemplo, quando algo golpeia ou cai sobre um trabalhador; conversão de energia potencial de um indivíduo em energia cinética, como quando um trabalhador cai de um local elevado em direção a outro local mais baixo;exposição ao calor e frio, eletricidade, som, luz, radiação e vibrações, exposição a substâncias tóxicas e corrosivas, fatores de estresse mental e psicológico, como ameaça de violência.

REALIDADE BRASILEIRA E REALIDADE MUNDIAL

Obeservando um número crescente de acidentes no trabalho no Brasil, e suas consequencias, não só a qualidade de vida dos trabalhadores brasileiros, como os prejuízos econômicos, o Ministério da Previdência e Assistência Social/MPAS, vem priorizando,junto ao Ministério do Trabalho e Emprego/TEM, políticas que permitam avaliar e controlar a atual situação, identificando os setores que receberão maior atenção do governo para fins de prevenção e fiscalização(SINDICATO DOS METALÚRGICOS DE OSASCO, 2001).

A Comunicação de Acidentes de Trabalho(CAT) é a fonte de dados utilizada para a elaboração das estatísticas oficiais brasileiras de acidentes de trabalho e foi criada pela Previdencia Social. Este documento fornece informações referentes á identificação do acidente, sua ocupação, a empresa, o tipo de atividade econômica, o horário da ocorrência, o agente causador e a descrição sumária da situação geradora do acidente. A emissão do CAT é obrigatória apenas para os trabalhadores regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho e Segurados Especiais. Dentro deste campo, milhares de acidentes permanecem invisíveis para as estatísticas oficiais brasileiras.

ACIDENTES DE TRABALHO E SAÚDE MENTAL

O acidente de trabalho não é um fato isolado no cotidiano do trabalhador. Podemos considerá-lo como um processo que se inicia muito antes do evento que acarreta a lesão e tem sua continuidade algum tempo depois do ocorrido, no que tange ás providências a serem tomadas posteriormente (acionamento dos orgãos competentes, reabilitação, reinserção profissional, processo de aposentadoria, entre outros). Sendo assim, quando se pensa em Saúde Mental e acidente de trabalho, esta relação tem que ser considerada em todas as etapas do processo, mesmo quando se pretende aprofundar os estudos em um único aspecto. Pode-se identificar três pontos de vista para se discutir a relação entre Saúde Mental e Trabalho:

1- O impacto dos riscos eminentes de acidentes de trabalho sobre a saúde mental: Nesta etapa o acidente ainda não ocorreu, sendo assim é verificado como os trabalhadores reagem psicologicamente frente aos riscos á integridade física.

2- Estresse e desgaste favorecendo a ocorrência do acidente: Este é um tópico pouco explorado, mas pesquisas afirmam que trabalhadores que sofrem algum impacto emocional e aqueles que possuem menor satisfação no trabalho tendem a obter maiores riscos de sofrer acidentes.

3- O impacto do acidente de trabalho(propriamente dito) na Saúde Mental: No Brasil, as pesquisas se concentram mais nos aspectos físicos do acidente de trabalho, principalmente no que tange a lesão e/ou mutilação, onde se faz importante considerar dois pontos: a percepção do evento em si e as consequencias na saúde mental das lesões e sequelas físicas que eventualmente venham a ocorrer. Este momento pós-acidente é muito importante de ser aprofundado, pois abarca não apenas o componente subjetivo, experienciado individualmente,mas também tem seu reflexo em nível das relações afetivas e sociais do trabalhador. É um acontecimento que demanda suporte e apoio também das estruturas públicas de saúde, da comunidade, do empregador, exige reorganização da vida familiar, que nem sempre estão acessíveis ou preparados para as novas necessidades do trabalhador acidentado.

A VIDA APÓS O ACIDENTE DE TRABALHO

O trabalhador é o mediador da integração social, seja pela sua subsistência ou pelo seu aspecto cultural, trazendo uma importância na constituição da vida da pessoa, nos aspectos físicos, sociais e mentais.

A maior incidência de acidentes no trabalho ocorre na faixa etária mais produtiva(31 a 36 anos). Sabe-se que na fase adulta são  afetadas as relações profissionais, sendo que muitas vezes com a interrupção de uma carreira em ascensão ou perturbações na vida profissional do trabalhador. Em pleno vigor físico e mental, as interrupções de vida definidas pelo acidente de trabalho trazem a perda ou a deteriorização de uma parte do organismo, acarretando mudanças corporais, desfiguramentos, alterações de potencialidade da realização do sujeito na vida pessoal ou profissional.

KUBLER-ROSS (1969), afirma que podem ser percebidas fases ligadas ao choque-reação de entorpecimento diante de uma situação extremamente estressante;

A negação: Fase em que a pessoa age como se o problema não fosse com ela, e que nada de grave tivese ocorrido.

A raiva: Fase em que o sujeito percebe a dimensão da perda e suas manifestações são de raiva onde se imputa a culpa sobre si mesmo.

A deficiência ou a doença instalada não tem caráter individual, mas sócio-familiar, com repercussões financeiras e emocionais.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Vivenciar a realização de perda onde há percepção de que a situação é real, sem retorno, e que a deficiência está instalada e é definitiva, faz com que o trabalhador acidentado confronte-se com sentimentos contraditórios de raiva, tristeza, medo, culpa, depressão e dor que se  mesclam no reorganizar da vida.

Poucos estudos tem avaliado a Saúde Mental das vítimas de acidente de trabalho que retornam a qualquer outro tipo de atividade, mesmo aqueles que tiveram lesão irreversível.

O retorno ao trabalho dos acidentados é percebido como elemento incapacitante para a execução de outras tarefas diferentes das realizadas anteriormente ao acidente. Em algumas situações, o 

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/medicina-artigos/acidentes-de-trabalho-e-suas-repercussoes-na-saude-mental-4985304.html

    Palavras-chave do artigo:

    acidente

    ,

    trabalho

    ,

    saude mental

    Comentar sobre o artigo

    A violência psíquica é composta de uma série de comportamentos hostis, cuja repetição têm efeitos perniciosos onde transforma o autoconhecimento do corpo, como avalia seus comportamentos e como desenvolve os afetos que sente para consigo mesma (CAMPOS, 2006). Objetivos: Identificar o comprometimento da saúde mental dos profissionais de enfermagem quando assediados no ambiente de trabalho e descrever os métodos operantes do agressor. Metodologia: Trata-se de revisão integrativa.

    Por: Andressa Cahetl Saúde e Bem Estar> Medicinal 17/10/2013 lAcessos: 127
    Camila Faria Rezende

    Neste artigo, pesquisou-se dados sobre uma Instituição de Saúde Mental no caso o CAPS ad. A partir de um questionário, no qual foi possível constatar tratar-se de uma proposta inovadora de tratamento sem internação, que mantém o usuário em contato direto com seu cotidiano, familiares e suas atividades diárias, no que permite aos individuos uma melhor inclusão e socialização.

    Por: Camila Faria Rezendel Saúde e Bem Estar> Medicina Alternatival 24/11/2011 lAcessos: 772

    A ansiedade hoje é considerada o grande mal, o grande inimigo a ser enfrentado neste século XXI. Em decorrência de uma ansiedade excessiva, podem surgir os distúrbios emocionais que desempenham papel importante, precipitando início, recorrência ou agravamento de sintomas, distinguindo das doenças puramente orgânicas. Porém, elas podem se transformar em doenças crônicas e tendem a associar-se com outros distúrbios psicossomáticos, podendo ocorrer numa família, em diferentes períodos da vida de um paciente ou em certos ambientes de trabalho e até de lazer.

    Por: Patrícia Coelhol Saúde e Bem Estar> Medicinal 01/07/2009 lAcessos: 2,573

    A Saúde do Trabalhador traz à particularidade de ser uma área que institui práticas potencialmente transformadoras que perseguem a integralidade da atenção à saúde buscando a superação da dicotomia existente entre a assistência individual e coletiva, entre a vigilância epidemiológica e sanitária, entre as ações preventivas e curativas. A criação da RENAST, a partir da Portaria n. 1.679, de 19 de setembro de 2002, veio atender viabilizar e garantir atenção a saúde dos trabalhadores

    Por: tamires almeidal Saúde e Bem Estarl 21/08/2014 lAcessos: 24
    shirleidy de sousa freire

    Este artigo analisa a importância da aplicabilidade dos programas de QVT no trabalho, desde o inicio de seus estudos até os dias atuais. Através de uma pesquisa bibliográfica foi possível mostra de maneira bem clara, a origem evolutiva, alguns conceitos, e também avaliar as dificuldades e obstáculos enfrentados para a adequada aplicação destes programas de QVT.

    Por: shirleidy de sousa freirel Negócios> Gestãol 15/10/2013 lAcessos: 210

    O presente artigo tem como objetivo mostrar o que é a QVT (Qualidade de Vida no Trabalho), e qual o seu papel dentro das organizações. A QVT engloba muitos aspectos na organização, fazendo com que seja um elemento impulsionador que traz bastante motivação e satisfação no ambiente de trabalho aliado à saúde e o bem-estar do trabalhador. Dentre os temas abordados estão; enfoque biopsicossocial, os componentes da QVT, contribuições das ciências, as causas do estresse no ambient

    Por: Angélica Cristina da Costal Carreira> Recursos Humanosl 15/10/2014 lAcessos: 51
    Betinha Cordeiro Fernandes (Elizabeth)

    O artigo discorre sobre as políticas públicas do Programa Saúde do Adolescente, já estendidas aos jovens (até 24 anos), como preconiza a perspectiva da integralidade, intersetorialidade e multiprofissinalidade do SUS e PSF.

    Por: Betinha Cordeiro Fernandes (Elizabeth)l Educação> Ensino Superiorl 21/07/2009 lAcessos: 14,854 lComentário: 6

    O objetivo deste artigo é relatar a experiência na mediação do projeto de psicologia escolar, denominado Escola de Colaboradores, em interface com a psicologia do trabalho, que ocorreu em 2013 e 2014. A proposta de intervenção em Psicologia Escolar/Educacional envolveu atividades de análise e mudança institucional, além de apoio em práticas de qualidade de vida, treinamento, desenvolvimento e integração dos funcionários de uma escola filantrópica de Teresina-Pi.

    Por: Daniel Soaresl Psicologia&Auto-Ajuda> Redução de Stressl 26/08/2014 lAcessos: 18

    O presente trabalho teve como objetivo verificar os fatores que compõem e como é a qualidade de vida no trabalho dos psicólogos do CAPS/CISME em um município do interior de Goiás. Participaram da pesquisa profissionais da área da psicologia, que trabalham no Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) deste município. Foi utilizado o Inventário de Qualidade de Vida (IQV) de Lipp, o qual permitiu fazer uma avaliação dessa qualidade de vida.

    Por: Albertol Psicologia&Auto-Ajudal 27/11/2012 lAcessos: 58

    Olá meninas estava estudando sobre as doenças sexualmente transmissíveis e notei que muitos dos artigos que falam sobre DST em homossexuais sempre focam o olhar nos rapazes gays, e esquecem que nós lésbicas também podemos adquirir a doença. Talvez por isso são poucas as garotas que se preocupam em se prevenir quando se relacionam com outras garotas. Percebi que muitas mulheres se cuidam mais em relacionamentos heterossexuais pelo fato de não quererem engravidar e não por causa das doenças.

    Por: Dominio Pessoall Saúde e Bem Estar> Medicinal 22/12/2014

    Segundo a Organização Mundial de Saúde, aproximadamente 1.4 milhões de crianças perderam a visão

    Por: Ricardo Machado Comunicaçãol Saúde e Bem Estar> Medicinal 15/12/2014

    Plano de saúde é coisa séria pois lida com a saúde, por isso é importante você conversar com um corretor de planos para ele tirar todas as suas dúvidas e ajudar na escolha do plano ideal.

    Por: caetano caldasl Saúde e Bem Estar> Medicinal 13/12/2014

    O Acidente Vascular Encefálico AVE pode ser isquêmico (quando se falta sangue no local afetado) ou Hemorrágico (quando há um extravasamento de sangue no local afetado). O AVE é uma das principais causas de morte no Brasil tanto em homens quanto mulheres, segundo o Ministério da Saúde. Seus sintomas variam desde a dificuldade de falar até mesmo a perda da consciência. Os fatores de riscos estão relacionados a diabetes, hipertensão e etc.

    Por: ANDRÉ LUIS DE CAMPOSl Saúde e Bem Estar> Medicinal 12/12/2014

    Estima-se que aproximadamente 7 milhões de mulheres sofram com o problema no Brasil

    Por: Ricardo Machado Comunicaçãol Saúde e Bem Estar> Medicinal 11/12/2014

    O Hospital Regional Público do Sudeste do Pará (HRSP), administrado pela Pró-Saúde, e o Hemocentro Regional de Marabá (Hemopa) promoveram a 23ª edição da tradicional campanha voluntária para doação de sangue na região.

    Por: Aline Limal Saúde e Bem Estar> Medicinal 10/12/2014

    Com o acúmulo de atividades e responsabilidades, a boa memória se torna, cada vez mais, um artigo de luxo! De fato, a memória é uma das nossas funções cognitivas mais importantes e serve para arquivar experiências e informações adquiridas ao longo da vida

    Por: Flávia Ghiurghil Saúde e Bem Estar> Medicinal 09/12/2014

    As chances de um homem apresentar câncer de próstata aumentam na medida em que o nível do PSA (antígeno prostático específico) aumenta também – sendo considerados normais níveis inferiores a 2,5ng/ml. Por isso, é consenso na medicina alertar para a realização anual do exame em pacientes com idade entre 50 e 75 anos e até mesmo fora dessa faixa quando há risco aumentado para a doença.

    Por: Vítor Margatol Saúde e Bem Estar> Medicinal 08/12/2014

    : Artigo de Revisão Bibliográfica sobre Liderança em Enfermagem e seus aspectos emocionais, tão procurados pelas grandes Organizações Hospitalares. Relata a importância do líder em sua equipe, quais as atitudes a serem tomadas, características importantes para que possa exercer seu papel no contexto hospitalar e no gerenciamento de seus colaboradores. Tem como objetivo elucidar e até mesmo nortear aos “novos enfermeiros” qual o perfil adequado a seguir, quais atitudes são pertinentes, quais são aquelas que não devem ser adotadas e também proporcionar aos que já são Líderes de vivência profissional alguns momentos de reciclagem.

    Por: HENRIETTE LEAL BASTOSl Negóciosl 03/12/2009 lAcessos: 7,705 lComentário: 1

    Artigo de Revisão Bibliográfica sobre Cuidados Transpessoais em Enfermagem e suas intervenções importantes no dia a dia do trabalho de uma equipe. Relata a importância de um cuidado humanizado em que o “amor” e a espiritualidade caminham juntos. Tem como objetivo elucidar e até mesmo nortear aos “novos profissionais de enfermagem” a importância de um “cuidar curativo”, que vai além da doença física e que trata primeiramente da alma e também levar ao conhecimento dos profissionais já atuantes um novo e transformador paradigma do relacionamento equipe de enfermagem/paciente, onde o cuidar e a atenção podem fazer o diferencial.

    Por: HENRIETTE LEAL BASTOSl Saúde e Bem Estarl 03/12/2009 lAcessos: 5,224
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast