Luxação Acrômio-Clavicular: Como Ocorre e Como Tratar

24/08/2011 • Por • 2,707 Acessos

O que é a luxação Acrômio-Clavicular?

A Clavicula na sua porção mais lateral está ligada ao Acrômio por meio de uma articulação, cujo o nome é Articulação Acrômio-Clavicular. Como toda articulação a articulação Acrômio-Clavicular tem uma cápsula que a envolve e apresenta ligamentos que mantém sua estabilidade.  O rompimento desses ligamentos e cápsula, seja por um trauma direto ou indireto, leva ao que chamamos de luxação Acrômio-Clavicular e isso quebra a ligação existente entre o esqueleto axial e o esqueleto apendicular, ocorrendo na verdade uma queda do ombro do lado acometido.

Lesão dos ligamentos acrômio-claviculares e córaco-claviculares

Causas

O trauma direto sobre o Ombro é a causa mais comum, geralmente, uma queda sobre o ombro, como, por exemplo, queda do cavalo, uma queda jogando futebol ou uma queda de bicicleta.  No momento do trauma, dependendo da sua  intessidade, pode ocorrer, apenas um estiramento dos ligamentos e cápsula, uma lesão parcial dos ligamentos, chegando a uma lesão completa de todos os ligamentos e cápsula.

Sintomas

O paciente reclama de dor na articulação Acrômio-Clavicular, pode apresentar um edema local, equimose, e, também, pode apresentar mobilidade aumentada na porção lateral da clavicula , que é dolorosa e, que chamamos de sinal da tecla. Além disso, é comum observarmos uma escoriação nessa região e o paciente pode apresentar uma instabilidade da clavicula à movimentação do ombro.

Tratamento

O tratamento cirúrgico é indicado quando todos os ligamentos estão rompidos, havendo uma instabilidade franca da clavicula ao exame do ombro e, observamos uma separação entre a clavicula e o acrômio maior do que 100%, caso contrário, optamos pelo tratamento conservador. No tratamento conservador o paciente deve ficar em repouso relativo com auxílio de uma tipóia. A crioterapia ajuda a diminuir o edema local e dominuí a dor, assim como o uso de analgésicos e anti-inflamatório. Após diminuir a dor e o edema local, o paciente é estimulado na fisioterapia a realizar movimentos passivos e ativos-assistidos de elevação do braço, rotação lateral e medial e abdução e adução do ombro, até o ponto em que não tem dor. Esse limite vai aumentando gradativamente, até que o paciente apresente uma amplitude de movimemto completa ou próximo a completa, comparando com o lado contralateral. Nesse momento  inicia-se o fortalecimento de toda a cintura escapular e dos músculos peri-escapulares.

No tratamento ciúrgico realizamos  uma reconstrução dos ligamentos lesados, substituindo-os por outro o qual não foi lesado no momento do trauma, além de reparar a cápsula superior. Usamos uma amarrilha em volta da clavicula e passamos um fio de aço entre o acrômio e a clavicula, ambos para proteger a recontrução do ligamento. Esse fio de aço é retirado com 6 semanas e o paciente inicia a fisioterapia para ganho de amplitude de movimento e com 4 meses inicia o fortalecimento dos grupos musculares da cintura escapular e dos músculos peri-escapulares.

     

Perfil do Autor

joel murachovsky

Dr. Joel Murachovsky é Ortopedista, especialista em cirurgia de Ombro e Cotovelo, com formação realizada no departamento de ortopedia e traumatologia da Santa Casa de São Paulo. Realizou observer fellow no exterior com Dr Gilles Walch em Lyon e Dr Jon JP Warner em Boston (Harvard). Sua graduação em medicina foi feita pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1995). Possui mestrado em Ortopedia e Traumatologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (2002) e doutorado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa de SP (2006). Atualmente é medico assistente do grupo de ombro e cotovelo da Faculdade de medicina do ABC e faz parte da equipe da Clínica Ortopédica Murachovsky, atendendo no Hospital Israelita Albert Einstein e na rua Mato Grosso nº 128. (11-37391334  ou 11- 32570763) tudosobreombro.com