Pesquisas comprovam que pessoas estressadas geram mau hálito

Publicado em: 01/11/2010 | Acessos: 330 |

Stress é um dos males da vida moderna. O ritmo agitado da vida que levamos, principalmente em grandes centros urbanos, com excesso de responsabilidades, cobranças e competitividade, trânsito etc, são fatores que costumam deixar as pessoas estressadas.

Na verdade, o stress pode ser encarado como um estado de alerta do nosso organismo. Ficamos mais "agitados" para corresponder melhor às tarefas que nos são delegadas. Em situações de perigo, o stress nos prepara para o combate ou para a fuga, liberando um hormônio chamado adrenalina.

O problema é quando passamos por um período longo de stress. Várias alterações podem ocorrer em nosso corpo, inclusive, o aparecimento do mau hálito (halitose).

Pesquisadores da ACTA (Academisch Centrum Tandheelkunde of  Amsterdam -Holland) garantem que animais farejadores atacam com mais frequência pessoas com níveis de stress elevados, pois estas pessoas liberam na corrente sanguínea níveis maiores de adrenalina que consequentemente darão origem a um odor característicamente desagradável, tanto na pele quanto no hálito.

O stress pode provocar mau hálito basicamente devido a três fatores. O primeiro deles seria a queda na produção de saliva. A atividade das nossas glândulas salivares depende, dentre outros fatores, do equilíbrio do Sistema Nervoso Central (SNC). O stress provoca desequilíbrio no SNC, diminuindo a produção de saliva, o que geralmente leva ao surgimento do mau hálito, pois, com pouca saliva, existe a tendência de acumular resíduos alimentares e células mortas na nossa língua, o que pode ser fonte do mau cheiro.

Outro fator que ocorre em indivíduos estressados é a má alimentação.

As pessoas estressadas se alimentam mal, com intervalos muito longos entre as refeições, ou com alimentação desbalanceada. Longos períodos sem alimentação levam à queda do açúcar no sangue. Nosso organismo começa a queimar gorduras.

O resultado da queima da gordura pode ser sentido no nosso hálito como odor desagradável. No caso da alimentação desbalanceada, costuma-se ingerir muita proteína animal ou gordura. O metabolismo destes alimentos pode, dependendo da função do fígado, liberar elementos que provocam mau hálito.

Pode ocorrer também em pessoas estressadas o que chamamos de antiperistaltismo esofágico: parte da nossa saliva que é engolida tende a voltar para a parte de trás da língua e ali permanecer grudada, facilitando a aderência de células mortas e restos alimentares, o que geralmente provoca mau cheiro.

O sucesso no tratamento do mau hálito depende do correto diagnóstico das possíveis causas (existem cerca de 60 causas diferentes). Quando provocado por stress, de nada adianta a uso de bochechos, sprays etc, pois muitas vezes os indivíduos estressados possuem higiene bucal impecável e, mesmo assim, têm hálito muito forte. Portanto pode se dizer que pessoas calmas, bem humoradas, exalam perfume agradável e atraem a simpatia de todos!

Avaliar artigo
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 0 Voto(s)
    Feedback
    Imprimir
    Re-Publicar
    Fonte do Artigo no Artigonal.com: http://www.artigonal.com/medicina-artigos/pesquisas-comprovam-que-pessoas-estressadas-geram-mau-halito-3587936.html

    Palavras-chave do artigo:

    stress

    ,

    halitose

    ,

    tratamento

    Comentar sobre o artigo

    Cruvinel,Aila R.

    Dezenas de causas são relacionadas à halitose. Dentre as causas gerais, destacam-se as de origem respiratória (exemplos: sinusite e amigdalite), digestiva (exemplo: erupção gástrica, tumores e úlcera duodenal), metabólica (exemplo: diabetes, alterações hormonais) e emocional (estresse). Dentre as causas de origem local, podemos citar o acúmulo de placa bacteriana, a cárie e suas seqüelas, alterações gengivais e periodontais e peças protéticas deterioradas ou mal adaptadas.

    Por: Cruvinel,Aila R.l Saúde e Bem Estar> Odontologial 13/11/2010 lAcessos: 351
    Ozana Herrera

    A noz-moscada é uma das especiarias mais apreciadas, valorizadas e conhecidas desde a antiguidade por suas propriedades aromáticas, afrodisíacas e curativas. Seus princípios ativos tem muitas aplicações terapêuticas e são utilizados em muitos medicamentos tradicionais como anti-fúngicos, anti-depressivos, digestivos, afrodisíacos e carminativos. Leia este artigo e descubra como usar os poderes da noz-moscada para estimular seu cérebro e melhorar a sua saúde.

    Por: Ozana Herreral Saúde e Bem Estar> Nutriçãol 22/09/2013 lAcessos: 130
    Nilton Salvador

    Amor é o remédio Perguntei para duas amigas, ambas mães de autistas: qual a diferença ou ainda, a semelhança entre Alzheimer e Autismo? Uma delas me contou que sua mãe ficou órfã de pai ainda menina, e teve uma doença que por não ter identificação na época, e por esse fator prevalecer foi internada num manicômio pelo resto da vida.

    Por: Nilton Salvadorl Saúde e Bem Estar> Medicinal 24/01/2015

    A esclerose múltipla é uma doença com muitas peculiaridades e, cada vez mais, tem se abordado este tema. Apesar da maior difusão, ainda existem confusões com outras duas doenças, em relação ao nome. Os antigos chamavam as pessoas com pouca memória de esclerosadas. Apenas posteriormente, com os estudos, surgiu o termo Alzheimer. O outro equívoco é com a esclerose lateral amiotrófica (ELA), que também é uma doença grave e com sintomas um pouco semelhantes, porém que atingem populações diferentes.

    Por: Central Pressl Saúde e Bem Estar> Medicinal 22/01/2015

    De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), no ano passado surgiram mais de 30 mil novos casos de câncer colorretal (designação que envolve câncer de cólon, de reto e de intestino grosso). Anualmente, essa doença leva à morte cerca de 14 mil pessoas, embora possa ser tratada e curada quando identificada logo no início. Daí a importância cada vez maior do diagnóstico precoce, antes que o tumor possa se espalhar para outros órgãos.

    Por: Vítor Margatol Saúde e Bem Estar> Medicinal 14/01/2015 lAcessos: 15
    Bernardo Sobreiro

    Neste artigo é abordada a história do tratamento dos cálculos urinários, dos procedimentos realizados em 600 AC até a moderna litotripsia com uso de Holmium laser e endoscópios flexíveis.

    Por: Bernardo Sobreirol Saúde e Bem Estar> Medicinal 11/01/2015 lAcessos: 12
    Bernardo Sobreiro

    As margens cirúrgicas positivas ocorrem quando na análise patológica da peça cirúrgica se observa que o tumor maligno não foi retirado na sua totalidade. Neste artigo é abordada a frequência de margens cirúrgicas positivas na prostatectomia radical (tratamento curativo do câncer de próstata) e o impacto da sua ocorrência na recidiva e progressão da doença.

    Por: Bernardo Sobreirol Saúde e Bem Estar> Medicinal 11/01/2015
    Bernardo Sobreiro

    Neste artigo são abordados aspectos epidemiológicos do câncer de próstata, como as variações temporais na incidência, mortalidade, e fatores de risco como idade e raça.

    Por: Bernardo Sobreirol Saúde e Bem Estar> Medicinal 11/01/2015
    Bernardo Sobreiro

    Neste artigo é abordada a história do antígeno prostático específico (PSA), desde seu descobrimento até a sua aplicação clínica como principal ferramenta no diagnóstico precoce do câncer de próstata.

    Por: Bernardo Sobreirol Saúde e Bem Estar> Medicinal 11/01/2015
    Bernardo Sobreiro

    Neste artigo é discutido o papel do estudo urodinâmico na avaliação de disfunções miccionais como incontinência urinária e obstrução urinária.

    Por: Bernardo Sobreirol Saúde e Bem Estar> Medicinal 11/01/2015
    Cruvinel,A.R.

    Cerca de 85% a 90% dos casos de halitose se originam na boca, um ecossistema no qual vivem centenas de espécies de bactérias com diferentes necessidades nutricionais. Quando essa flora digere proteínas, podem ser liberadas substâncias que têm mau cheiro.

    Por: Cruvinel,A.R.l Saúde e Bem Estar> Odontologial 12/11/2010 lAcessos: 162
    Perfil do Autor
    Categorias de Artigos
    Quantcast