Meio ambiente e educação na natureza

15/07/2012 • Por • 142 Acessos

As causas de agressões ao meio ambiente são de ordem política, cultural e econômica. A sociedade civil ainda não prioriza, como deveria, por insensibilidade, a defesa do meio ambiente. Ao contrário das sociedades indígenas, cuja cultura respeitava a natureza, o homem moderno só começou a perceber a necessidade de combater a poluição quando os efeitos dela lhes caíram sobre a cabeça. Empresários com visão de curto prazo, inescrupulosos e indiferentes aos danos ao meio ambiente, deixaram em segundo plano o controle ambiental.

Os problemas causados ás populações pelas poluições do ar e da água são incontáveis. Entre eles citam-se as doenças de toda a sorte.

As leis brasileiras são claras quanto a proteção ambiental em nosso território nacional.

"artigo 3º,I da lei 6938/91 é o conjunto de condições, leis, influências, e interações de ordem química, física e biológica que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas."

As ações do governo no que lhes competem a educação ambiental, são pouco eficientes no que se referem a projetos de saneamento básico, no controle do uso do solo e em muitos outros casos, no que se refere a preservação ambiental.

A defesa e educação ambiental do meio ambiente, em nosso país, ao contrário dos países do primeiro mundo, é ainda pouco cobrada pela população, haja vista existirem muitas outras propriedades relacionadas com o estado geral de pobreza da Nação e isso é ruim, porque a degradação ambiental é um fator altamente contribuinte para o abaixamento da qualidade de vida o que, por sua vez, implica em geração de mais pobreza.

"No princípio, DEUS deixou a cargo da humanidade o cuidado do mundo belo e   perfeito." A Bíblia diz em Gêneis 2:!5 "Tomou, pois, o SENHOR DEUS o homem

        e o pôs no jardim do éden para o lavrar e guardar."

             DEUS quer que sejamos digno de confiança na mordomia dos nossos recursos. A Bíblia diz em 1 Coríntios 4:2 "Ora, além disso, o que se requer nos despenseiros é que cada um seja encontrado fiel."

DEUS avisa que aqueles que destroem a terra, serão destruídos. A Bíblia diz em Apocalipse 11:18 "Iram-se, na verdade, as nações, então veio a tua ira, e o tempo de serem julgados os mortos, e o tempo de dares recompensa aos teus servos, os profetas, e aos santos, e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes, e o tempo de destruíres os que destroem a terra."

Tudo aquilo que se quer ou se deve praticar,tem que ser aprendido e para que seja realmente aprendido, tem que ser ensinado de forma bem sistematizada.

A educação ambiental é de uma importância tal que transcende o que muita gente pensa. Não se resume aos cuidados que se devam ter com as plantas e os animais, é muito mais que isso. O seu objetivo é transformar comportamentos que visam mostrar que é possível o desenvolvimento com um mínimo de agressão ao meio ambiente, mostrar que certos procedimentos melhoram a qualidade de vida e protegem a saúde a curto médio e longo prazo, prorrogar o tempo de utilização dos recursos naturais, dando chance para os que virão depois, também poderem se valer deles para as suas necessidades.

Dessa forma, qualquer programa de educação ambiental deve levar para o banco do aprendizado, sem distinção, todas as camadas da sociedade, sem distinção de idades e crenças políticas e religiosas.

Á medida que cresce a preocupação com os problemas globais que se relacionam com a sadia qualidade de vida e com a conservação do ambiente para as futuras gerações, que a DECLARAÇÃO DE ESTOCOLMO recomendava, a legislação ambiental passou também a orientar ao meio ambiente construído ou modificado pelo homem. Igualmente aqui a regulamentação do meio ambiente construído subdivide-se em vários ordenamentos jurídicos, a saber: saneamento, ordenamento urbano, atividades industriais, de transporte, lazer, habitação, artes e cultura, tendo como característica comum a regulamentação das diversas atividades humanas que participam da criação ou conservação do referido ambiente, na medida em que essas possam provocar impactos adversos seja para o meio natural seja para os seres humanos ou para o próprio ambiente criado. Daí a sua inclusão na categoria dos interesses metaindividuais, denominados interesses difusos, que seguramente abrangem o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, mencionado pela Constituição Federal no seu artigo 225.

"A conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, tendo-se

Reunido em Estocolmo, de 5 a 16 de junho de 1972, e considerando a necessidade de um ponto de vista e de princípios comuns para inspirar

e guiar os povos na preservação e melhoria do meio  ambiente."

                 Depois de afirmar a natureza fundamental do direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado como bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, e de indicar a necessidade da defesa e preservação desses bens para as presentes, e futuras gerações, a Constituição Federal de 1988 enfatiza, no parágrafo terceiro do artigo 225 que "as condutas e atividades lesivas ao meio ambiente sujeitarão os

infratores, pessoas físicas e jurídicas, a sanções penais e administrativas, independentemente da obrigação de reparar o dano."

Foi assim, inquestionavelmente recomendada a intervenção penal em todas as questões referentes a atuações lesivas ao meio ambiente, entre elas as que são dirigidas contra os bens que integram o patrimônio cultural, da mesma forma em que essa tutela é reclamada, como última razão da proteção jurídica, para a garantia efetiva dos direitos ambientais que a Constituição enumera, atestando a gravidade do problema e a sua importância para o ordenamento jurídico.

O objetivo deste artigo é o ato de preservar o meio ambiente como um todo, não apenas parte dele. Como os problemas ambientais provocado pelo homem nos últimos tempos, a questão da preservação ambiental tem sido muito discutida, ou seja, o homem tem dado mais importância a preservação do meio ambiente. Muitas pessoas pensam que não jogar lixo nas ruas, separar do lixo reciclável do não reciclável é o suficiente para resolver o problema. Não é bem assim que funciona, pois o meio ambiente não restringe a vegetação, aos rios ou córregos que encontramos na cidade, é algo bem mais abrangente como, por exemplo, a preservação das florestas, nascentes, entre outros.

A preservação é um conjunto de medidas que devem ser adotadas por todos, de forma a garantir o futuro do nosso planeta para as novas gerações.

Atualmente, a preservação ambiental se torna praticamente obrigatória em todo o mundo, devido ás graves conseqüências originadas pela degradação do meio ambiente.

Sendo a preservação a única maneira de amenizar ou até mesmo acabar com tais conseqüências. Conscientizar, alunos e professores do ensino adventista a preservarem o meio ambiente da melhor forma possível, desenvolvendo projetos e trabalhos sobre o assunto.   

  

Perfil do Autor

Letícia ídalicia de oliveira

VADE MECUM SARAIVA, ED.SARAIVA 2009, LEI 6930 DE 31 DE AGOSTO DE 1981. Política Nacional do Meio Ambiente. Preservação Ambiental- WW...